terça-feira, 26 de fevereiro de 2008

Já tem Mestrado, mas sem contrato renovado...

Jesualdo Ferreira celebrou este fim de semana, com uma vitória, o seu 50º jogo para campeonato a comandar o FC Porto, que coincidiu com mais um tropeção do rivais directos, estendendo definitivamente a passadeira para o Tri azul e branco, dois com a marca do Professor. E foi, também, neste mesmo final da semana passada que Pinto da Costa acedeu pela 1ª vez abordar de forma ligeira, em entrevista à SIC, a eventual renovação de contrato do treinador.


Por entre elogios e louvores, elevando inclusive o Professor ao patamar de Mestre, Pinto da Costa lá foi dizendo que “não vê razões para não renovar”. Certo, porem, é não ter sido taxativo se vai mesmo avançar para a dita renovação de contrato, o que poderá ser interpretado como uma cautela sobre algumas névoas que ainda pairam nesta situação.


A passagem de Jesualdo pelo FC Porto tem sido marcada pelo sucesso desportivo, cumprindo em quase toda a linha os objectivos propostos, onde apenas a eliminação da Taça de Portugal na época passada e da Taça da Liga já este ano, perante equipas de escalões inferiores, mancham o seu percurso. Ficam no entanto em destaque o Título do ano passado, a tremenda vantagem do campeonato deste ano e as boas campanhas Europeias.


Contudo e apesar dos exitos conseguídos neste ultimo ano e meio, das palavras de circustancia de Pinto da Costa, os sinais de alguma insegurança vindos do interior da SAD Portista são notórios, bem como notória é a falange assinalável de adeptos Portistas, que não se agrada com a forma de jogar da equipa e, olha de soslaio para a capacidade do Professor em fazer do Porto um conjunto ainda mais forte.


Mesmo estando longe de ser um treinador de Top, tem sido capaz de gerir a equipa de forma criteriosa e equilibrada. É, após Mourinho, o técnico que conseguiu dar maior estabilidade a este Porto, com tudo o que isso acarreta quer no campo desportivo, quer no campo da gestão do plantel (onde é visivel uma maior aposta na continuidade do nucleo base dos jogadores, ao invés das constantes mudanças que existiram ate à chegada do Professor) e, isso, por si só, já é um grande ganho para todos. Olho em redor e não vejo um treinador em Portugal que se possa dizer que encaixaria melhor no FC Porto e, do estrangeiro é sempre um tiro no escuro, excepção aos consagrados (mas esses são muito caros para nosso carteira).


Da minha parte prefiro a renovação de Jesualdo Ferreira apostando em alguém que já conheço e sei do que é capaz, do que embarcar numa aventura com um outro qualquer treinador, que por muito boas indicações que tenha, quererá sempre impôr novas ideias, metodologias e tambem exigirá, quiça, outro tipo de jogadores.

4 comentários:

Pedro Vale disse...

Estando a meio de uma eliminatória da Champions League, este parece-me a altura ideal para renovar com Jesualdo Ferreira. Dá confiança ao treinador, e mostra aos jogadores claramente qual é o caminho a seguir. É também a altura ideal para fechar qualquer negociação de renovação que possa haver com os jogadores.
Apesar de achar que a equipa tem capacidade sem este tipo de intervenções, pelo futebol demonstrado nos últimos jogos, a confiança extra conseguida com a renovação dos contractos pode ser o "empurrão" extra que a equipa necessita para dar a volta à eleminatória.

Mário Faria disse...

Não sendo um apaixonado por JF, acho que o FCP deve renovar por mais um ano o seu contrato.
Não tendo saído no final da época passada, depois daquela sofrida 2ª. volta, não vejo razões para sua não continuidade.
Não me admiraria, contudo, que a nossa Direcção tenha já planeado o pós-JF, só não sei quando produzirá efeito....

José Correia disse...

Tal como o Mário, também não sou um "apaixonado" pelo Jesualdo mas, conforme escrevi a seguir à derrota com o Nacional, é o melhor treinador português disponível (o Mourinho não conta) e também é o melhor treinador que existe em Portugal.

Se depois da derrota em Alvalade, disse que era uma boa altura para o Pinto da Costa avançar com a renovação, não vejo razões para o não fazer agora, mesmo que sejamos eliminados amanhã pelo Gil e na próxima semana pelo Schalke (isto é que é arriscar...).

P.S. O único motivo que considero válido para o Jesualdo não renovar, é se for o sucessor do Scolari em vez do Manuel José...

João Branco disse...

Não se esqueçam de um factor que me parece muito importante: durante toda a época passada, o Professor foi praticamente a única voz a falar para fora em nome do clube, devido a uma politica de comunicação pouco compreensivel. Defendeu. e quase sempre bem, as cores deste clube, algumas vezes com uma agressividade própria para determinadas situações.

Este ano está mais comedido, mas também porque a politica de comunicação do clube mudou, para melhor.

Mas não me esqueço e tenho com ele essa divida de gratidao: a forma como defendeu este clube, quando ninguém mais vinha a terreiro fazê-lo.

Por mim continua, de caras.