sábado, 1 de março de 2008

Quem quer calar Rui Santos?

Rui Santos nasceu em Lisboa, a 6 de Junho de 1960, e cumpriu uma parte significativa da sua carreira ao serviço do jornal ‘A Bola’ onde, durante 26 anos, ocupou diversos lugares de chefia (inclusive o de chefe de redacção).

Em Maio de 2002, por ter visto artigos seus censurados pela Direcção de 'A Bola', saiu e moveu um processo contra o jornal.
Sobre este assunto, o EXPRESSO publicou, em 18 de Maio de 2002, a seguinte notícia: «O jornalista Rui Santos, do quadro de ‘A Bola’ desde 1981, acusa a direcção do jornal de censura, em carta enviada ao Sindicato dos Jornalistas, soube o EXPRESSO de fonte sindical. “Até há cerca de dois anos escrevi em liberdade. Hoje a censura está instalada”, escreve o jornalista, que diz que a maior parte dos artigos censurados continham observações ao futebol ou à gestão do Benfica e, em particular, ao dirigente Luís Filipe Vieira.»

Em solidariedade com Rui Santos, o ex-presidente do Conselho Fiscal do Benfica, João Carvalho, referiu que esta denúncia "é uma mancha e um desprestígio para o jornal A BOLA", mas, para além disso, sugere claramente que "dentro do Benfica existem poderes ocultos de censura, cujos longos braços se estenderiam às redacções dos jornais desportivos".

Entretanto, em 24 de Maio de 2002, o jornal ‘O Independente’ publicou uma entrevista de Rui Santos, onde este aflorou algumas das razões que estiveram por trás de ter havido artigos seus sobre o Benfica que foram censurados pela Direcção de 'A Bola'. Nessa entrevista, as criticas à gestão de Luís Filipe Vieira foram contundentes. Alguns extractos dessa entrevista são elucidativos:

«Numa determinada altura, era preciso dar a Luís Filipe Vieira o benefício da dúvida, quanto à "equipa maravilha". Qualquer pessoa que entenda de futebol sabe que uma equipa não se faz, instantaneamente, como um pudim flan: cria-se um grupo de jogadores de nacionalidades e hábitos diferentes e depois mistura-se tudo».

«O passado é um passado de mudanças constantes: treinadores atrás de treinadores, jogadores que entram e saem. Enquanto se mantiver esta política, não há hipótese nenhuma.»

«O Mantorras valia qualquer coisa 20 milhões de contos. Neste momento, quanto é que vale?»

«A certa altura, a equipa maravilha deu lugar à espinha dorsal do futuro campeão europeu. Mas como, sem ir à Europa?»

«Estes discursos megalómanos e desfasados no tempo são poeira para os olhos das pessoas... Estes discursos do senhor Luís Filipe Vieira não levam a lado nenhum.»

Será que foi para evitar que coisas como esta fossem ditas, que a Direcção de 'A Bola' decidiu censurar 10 artigos de Rui Santos, entre Agosto de 2000 e Maio de 2002?

É verdade que Luís Filipe Vieira já entrou, furibundo, pelos estúdios dentro de um programa da SIC Notícias - 'O Dia Seguinte' -, perante a estupefacção do trio de comentadores habituais. Contudo, o facto do programa ‘Tempo extra’, também da SIC Notícias, ser em directo, contribui seguramente para que Rui Santos esteja menos condicionado e possa opinar mais livremente. Deste modo, sempre que na sua opinião tal de justifica, tem sido muito critico relativamente à gestão de Benfica e Sporting, o que, notoriamente, tem provocado desagrado para os lados da 2ª circular, particularmente naqueles que tudo pretendem justificar com o 'Apito Dourado'.

Por tudo isto, não é uma grande surpresa que na madrugada da última segunda-feira, após o programa, Rui Santos tenha sido alvo de uma tentativa de agressão no parque de estacionamento da SIC, por três indivíduos encapuçados. A intervenção de um segurança da SIC levou a que os agressores se pusessem em fuga, tendo então Rui Santos chamado a PSP, que tomou conta da ocorrência.

Para que não restassem dúvidas, quer aos agressores, quer aos eventuais mandantes, a Direcção da SIC, em comunicado, afirmou o seguinte: «Este caso vem mostrar, uma vez mais, a profunda intolerância que algumas pessoas ligadas ao futebol continuam a ter face à crítica livre, a que, pelos vistos, continuam a não estar habituados. Este tipo de pressões inaceitáveis não fazem a SIC alterar o rumo da nossa informação ou a liberdade dos comentadores. Rui Santos foi, é e será comentador da SIC.»

Resta perguntar: depois do que se passou no jornal 'A Bola', quem quer calar Rui Santos?

1 comentário:

Artur Campos disse...

Se bem me lembro essas agressões foram atribuídas a elementos do FCP ainda ontem na SICN deu isso a entender..
Dez anos passaram desde que rebentou o Caso Apito Dourado. Hoje, mais do que nunca, não tenho dúvidas que foi criado com um único intuito, destruir o FC Porto e o Presidente Pinto da Costa.
Esse Sr Rui santos ataca constantemente o FCP ontem dizia na sequência do arquivamento do processo apito dourado "faltou atirar um equipa portuguesa para a 2ªDivisão" Temos em Portugal uma corrente que está a manipular a opinião publica, não conseguiram condenar nos tribunais mas condenam em praça publica..