sexta-feira, 11 de abril de 2008

Azia sportinguista no Trio de Ataque


No último ‘Trio de Ataque’, realizado em 08/04/2008, o representante do Sporting deu os parabéns ao FC Porto pela conquista do campeonato que, segundo ele, tal como o da época passada foi ganho de forma limpa.

Não podendo pôr em causa a enorme superioridade deste FC Porto (20 pontos são 20 pontos e, ainda por cima, as exibições desta época estão ainda muito frescas), Rui Oliveira e Costa mostrou aquilo que genuinamente lhe vai na alma. Vai daí, cavalgando a onda mediática do Apito Dourado, tratou de contestar o mérito do FC Porto em campeonatos ganhos pelos dragões nos anteriores 15 anos, referindo que havia uma mão por trás e que “já houve um poder instalado no futebol português que foi nefasto, que durou uma década e meia, e que tem vários nomes”. Para que não ficassem dúvidas sobre os destinatários da sua azia, acrescentou: “O sistema Pinto da Costa-Valentim Loureiro que mandou no futebol português vai ser punido.”

Perante este tipo de dislates é caso para perguntar: Ó senhor Rui Oliveira e Costa, recorda-se da forma como o Sporting venceu os campeonatos das épocas 1999/00 e 2001/02?

Será que os sportinguistas já se esqueceram da grande revelação da época 1999/00, um tal de Bruno Paixão?

Será que os sportinguistas já se esqueceram dos 17 (dezassete!!) penalties a seu favor, que os árbitros (esses malandros que estão a mando do Pinto da Costa...) assinalaram na época 2001/02?

E nas épocas em que o FC Porto não foi campeão, será que o “sistema” estava distraído?
Bem, revendo as escandaleiras que ocorreram nas épocas 1999/00, 2001/02 e 2004/05, devia estar num sono profundo, ou mesmo em coma...

No artigo ‘Apito atrasado’, publicado no blog ‘Portistas de Bancada’, é feita uma análise interessante, onde são destacados diversos factos e números desses tais 15 anos em que “houve um poder instalado no futebol português que foi nefasto”...

Mas se em Abril de 2008, o representante do Sporting no programa ‘Trio de Ataque’ retira mérito ao FC Porto, vale a pena recordar o que disseram, na altura, conhecidos sportinguistas, por exemplo, a propósito dos títulos ganhos pelo FC Porto em 2005/06 (treinado por Co Adriaanse) e em 2003/04 (treinado por José Mourinho).

«Terminado que está o Campeonato, pouco mais há a acrescentar, a não ser reconhecer que o título está muito bem entregue»
Daniel Reis (*), A BOLA, 11/05/2006

«a equipa de Co Adriaanse, que há muito ocupa a liderança do campeonato, é um justo campeão. (...) foi inegavelmente a equipa mais regular e com maiores recursos para ultrapassar as adversidades. Será, ao contrário do que aconteceu na época passada, um campeão incontestado e que merece sê-lo»
José António Lima (*), A BOLA, 12/04/2006

Ainda mais claro foi um antigo presidente do Sporting. Com o título ‘Parabéns, Futebol Clube do Porto’, Pedro Santana Lopes assinou o seguinte texto no jornal A BOLA de 05/05/2004:
«É também impressionante a reacção do FCP quando joga fora do seu estádio, porque parece que desce sobre a equipa um impressionante manto de serenidade, que leva a equipa a jogar com uma descontracção absolutamente notável. (…) Na verdade, num ano ganhar o campeonato português, a Taça de Portugal e a Taça UEFA e no ano seguinte, para já, ser campeão nacional outra vez, estar na final da Taça de Portugal outra vez e ir à final da Liga dos Campeões, não tem palavras. Ainda por cima, como já tive várias vezes ocasião de sublinhar, os jogadores que vêm fundamentalmente de equipas portuguesas e, nalguns casos, com jogadores rejeitados pelos clubes principais rivais do FCP. É uma grande proeza, enche de orgulho todos os portugueses e, deste sportinguista confesso, presidente da Câmara Municipal de Lisboa, vai um forte abraço de parabéns a todos os portistas na pessoa de Jorge Nuno Pinto da Costa.»

Para quem tem olhos na cara e viu o que cada uma das equipas jogou dentro de campo, e saliento dentro do campo, não há nem houve dúvidas sobre o merecimento dos campeonatos ganhos pelo FC Porto. Mas para o senhor Rui Oliveira e Costa e outros como ele, para quem o “sistema” é a explicação para todos os males, o sucesso do FC Porto foi obra de uma mão oculta...
Continuem assim, com a vossa postura de calimeros, que nós, portistas, vamos continuar a ganhar campeonatos.

(*) Daniel Reis e José António Lima são dois jornalistas sportinguistas e em 2006 ambos escreviam na BOLA e no EXPRESSO

P.S. Ontem à noite o Sporting perdeu em casa 0-2 com o Glasgow Rangers e foi eliminado da Taça UEFA. Terá sido obra de alguma mão invisível ou, como dizia um dos seus cómicos presidentes, foi o “sistema” no seu esplendor?...

4 comentários:

Mário Faria disse...

DN : 18 Dez. 07
“Duas décadas após rebentar o escândalo UGT/ Fundo Social Europeu e 17 anos de processos judiciais, o Tribunal da Boa Hora, em Lisboa, decidiu ontem absolver os 35 arguidos acusados de fraude e plano criminoso na utilização de subsídios comunitários, entre o quais o ex-líder da central sindical, Torres Couto.
O colectivo da Boa Hora absolveu também José Veludo, o ex-tesoureiro da então Isefoc - a empresa de formação da UGT - da acusação de fraude, mas considerou-o como culpado do crime de "burla na forma tentada". No entanto, o crime já prescreveu. É que o prazo de prescrição em relação aos actos praticados era de 17 anos, de acordo com o código em vigor no final dos anos 80.
O processo UGT/FSE que se arrastou por mais de 15 anos e envolvia acusações de fraude na obtenção de subsídios num valor superior a 358 mil contos (cerca de 1,79 milhões de euros) tinha ainda como arguidos João Proença, actual líder da UGT e o ex-dirigente sindical Rui Oliveira e Costa.”

Este homem que esteve envolvido num processo muito polémico, tem a lata de acusar PdC, como se nunca tivesse estado num situação semelhante. Mais, ainda há muita gente que não está convencida de tanta inocência, porque entende que a justiça não foi cega neste julgamento da UGT.
Como se entende que atire tantas pedras, quem tem tantos telhados de vidro ?

Zé Luís disse...

O Mário Faria lembra bem o ROC como já me ocorreu sobre o caso do FSE/UGT.
Afinal, o Vieira já foi condenado por roubo e diz o que diz...
Ao José Correia, sobre o nefato período (com as tais excepções boas para o regime) de 15 (quantos são?, quantos são?) anos ou 20 ou 25, a superioridade foi esmagadora em 99% dos campeonatos.
Curiosamente, o único que o FC Porto ganhou sobre a meta, em 1986, foi graças a uma vitória leonina na Luz (1-2) enquanto Futre marcava no Bonfim para o FC Porto.
À entrada para a última jornada, o FC Porto tinha os mesmos pontos do Benfica mas vantagem no confronto directo (vitória-empate), pelo que bastava vencer o Covilhã para ser campeão.
O Benfica até acabou por perder no Bessa e o FC Porto ganhou com +2 pontos um campeonato que parecia perdido antes de se jogar a 29ª jornada com os tais jogos na Luz e em Setúbal.
No resto, com Robson, Oliveira e F. Santos, com Artur Jorge, CAS e Mourinho, mais o Ivic, de que vale a pena falar perante tão flagrante superioridade?

Mas a quem me fala no assunto, seja lagarto ou verme(lho), eu pergunto: diz-me, então, o que teve de viciado um campeonato de Robson, de Ivic, de Oliveira, de Artur Jorge, de Mourinho e por aí fora.
Porque não sabem, não viram nem leram, desconhecem os resultados até dos confrontos directos com o FC Porto.
Ninguém pode ousar questionar esses campeonatos.
Mais:
o José Correia lembra os últimos 3 campeonatos e eu lembro-me que nenhum dos opinadores raivosos do Trio d'Ataque puseram, com Adriaanse e na época passada, em causa os títulos portistas.
Ninguém duvidou da legitimidade com que Adriaanse levou o FC Porto ao título mesmo a perder os 2 jogos com o Benfica... Nem na época passada, onde só arbitragens enviesadas fizeram, na 2ª volta, os rivais aproximarem-se da liderança e discutirem, virtualmente, o título até à última jornada.

E sempre esse o desafio que deixo: o que lembram desses campeonatos alegadamente trafulhas? Quantos jogos Calheiros apitou o FC Porto? Que jogos o FC Porto ganhou com José Silvano?
E por aí fora...

AZUL DRAGÃO disse...

Contundente e actual.
Parabéns !



"Linkado"

José Correia disse...

Opiniões acerca do título de 1995/1996

Miranda Calha -"No momento da conquista do campeonato nacional pelo segundo ano consecutivo, julgo ser de saudar o elevado sentido de equipa evidenciado pelo FCPorto, o qual foi um dos pilares onde assentou o sucesso"

Manuel José - "Não deve haver em Portugal 2 opiniões diferentes sobre a justeza do triunfo do FCPorto. Foi a melhor equipa e a mais regular de toda a época. no futebol não há segredos e para se conseguirem vitórias é preciso ter a melhor equipa, os melhores jogadores, a melhor organização e também é preciso ter sorte"

Jorge Coroado - " Para além da sua exemplar estrutura, de cima para baixo, ou talvez por isso mesmo, quem manda é o general e nunca o sargento. A capacidade de trabalho de todo o grupo e naturalmente, a organização, coisa que muitos dos portugueses não gostam de praticar. O FCPorto não brinca em serviço."

Vitor Damas - "É necessário muito trabalho e muito sentido de humildade", "a organizaçao e regularidade de funcionamento das estruturas portistas ditaram o triunfo do campeonato e lamenta que os concorrentes não sigam o mesmo caminho de estabilidade orgânica"

Mario Wilson - "Ganhou o Porto, ganhou o melhor e quando assim acontece não adianta especular"