quarta-feira, 23 de abril de 2008

Jorge Ribeiro e Rúben Amorim: contratações cirúrgicas


Após ter passado por seis clubes (Varzim, Gil Vicente, Dínamo de Moscovo, Málaga, Desportivo das Aves e Boavista), Jorge Ribeiro (irmão mais novo de Maniche) vai regressar ao Benfica na próxima época, clube onde foi formado e de onde saiu no final de 2001/02.
Os contactos já duravam há algum tempo mas, soube-se agora, o contrato foi assinado uns dias após o último Boavista x Benfica, jogo onde o novo jogador dos encarnados falhou um penalty e teve uma exibição que toda a critica classificou como “infeliz”, muito abaixo do que vinha fazendo nas jornadas anteriores.

Outro jogador que também vai regressar a casa (saiu do Benfica quando alinhava no escalão de juvenis), qual filho pródigo, é o camisola 5 do Belenenses, Rúben Amorim.
Por acaso, o Belenenses vai à Luz na próxima jornada e, nesta altura, com apenas três pontos a separá-los na classificação, ambos os clubes estão a lutar pelo 4º lugar. É, certamente, coincidência...

De uma coisa tenho a certeza, se estes contactos e contratações já confirmadas fossem feitos pelo FC Porto, cairia o Carmo e a Trindade. Teríamos as virgens ofendidas da comunicação social lisboeta, com particular destaque para os manhosos e ratazanas, a clamarem pela ética, verdade desportiva e transparência. Sim, porque à mulher de César (se for o FC Porto) não basta ser séria, também tem de parecer.

Como, neste caso, quem está por trás disto são os senhores da “instituição”, tudo é claro, tudo é limpo, tudo é eticamente irrepreensível!

7 comentários:

Lamas disse...

Um já falhou o penalty, vamos ver agora o que o outro faz...

Todas as quartas, o nosso blog coloca um vídeo do FCP para recordar… passa por lá para recordar… http://basculacao.blogspot.com/

Esta semana é dedicado a Emil Kostadinov…

Saudações Portistas

José Correia disse...

Caro lamas, sabe sempre bem recordar estes jogos e jogadores como Kostadinov.

A nossa equipa da altura não era tão forte como a actual e o SLB era melhor. É a vida...

Dei uma vista de olhos ao basculacao.blogspot.com, mas tenho de lá voltar com mais tempo.

Um abraço e volta sempre.

Anónimo disse...

Já o Nuno Gomes foi contratado pelo Benfica ao Boavista depois de um jogo entre os dois no Bessa. Compreende-se e é sinal de gestão rigorosa: assim poupou-se uma viagem ao Porto.

João Saraiva disse...

E não esquecer um tal de Makukula que, este ano, também falhou um penaltie na luz (e que o marcou por sua iniciativa e contra a vontade do treinador). E uns dias depois estava a assinar pela instituição.

Nelson Carvalho disse...

Bem lembrado João. Eles são todos uns anjos!!

Joe disse...

no célebre jogo no Algarve contra o estoril o Rui Duarte foi expulso com 2 amarelos à meia hora. Esse cavalheiro foi transferido do estoril para o boavista no ano seguinte, como parte do pagamento da transferência do Nélson para a Instituição.
Suspeito, isto? Nã! Suspeitos são jogos com o beira-mar depois de o campeonato estar ganho.

José Correia disse...

«Ainda antes de Quim ter conseguido segurar o remate denunciado e amorfo de Jorge Ribeiro, já achava um disparate que o escolhido para cobrar a grande penalidade cometida por Edcarlos sobre Mateus no último Boavista-Benfica fosse o mesmo lateral-esquerdo axadrezado que tinha passado a semana anterior a confessar-se profundamente lisonjeado com o interesse dos encarnados na sua contratação. Mesmo que o remate não tivesse sido denunciado e amorfo como foi, mesmo que tivesse sido um bom remate, colocado e potente, havia sempre a hipótese de Quim conseguir segurá-lo, deixando Jorge Ribeiro com o ónus de ter falhado frente à sua futura equipa. Alguém devia ter tido o bom senso de proteger Jorge Ribeiro já que o jogador não foi capaz de se proteger de si próprio. Agora que se sabe que assinou pelos encarnados na semana a seguir ao jogo, é quase impossível não recordar que o remate foi mesmo denunciado e amorfo e que a defesa de Quim foi tão previsível como a confirmação da notícia da contratação do lateral pelo Benfica. É claro que ninguém de boa-fé quer acreditar que Jorge Ribeiro falhou de propósito e é até duvidoso que uma tal atitude fosse vista com bons olhos pelo futuro empregador. Ainda assim, teria sido muito mais sensato que o jogador se tivesse recusado a cobrar a grande penalidade. Se o tivesse feito, teria garantido, entre outras coisas mais importantes, que estas linhas não existissem.»

Jorge Maia, O JOGO, 24/04/2008