quarta-feira, 30 de Abril de 2008

O museu do FC Porto

... e pronto, com a vitória no campeonato já cá canta mais um "caneco" conquistado de forma brilhante (a que se pode eventualmente juntar mais uma Taça de Portugal). Mas... para onde vão os "canecos"?

Já lá vão quase 5 anos que o museu do FCP no antigo estádio das Antas encerrou portas, e desde então nunca mais se soube do paradeiro dos troféus nem se sabe de nenhum projecto em concreto para um novo Museu.

Este é um assunto que me entristece bastante. Se é verdade e indiscutível que o que mais interessa é o presente e o futuro, também é verdade que a pujança de um clube se mede também pela forma como tem memória e honra o seu passado e os seus.

Fui diversas vezes ao antigo museu desde criança, e não me esqueço do brilho nos olhos com que de lá saía (aliás, lembro-me ainda melhor do brilho nos olhos do meu falecido avô). O antigo museu, pelos parâmetros contemporâneos, não era exactamente uma referência na sua categoria - mas isso era extremamente secundário, já que o impacto num portista de ver taças conquistadas com muito suor por gerações de atletas do clube era inconmensurável.

É através de coisas como esta que consegue passar o sentimento portista entre gerações, é através de medidas como esta que se consegue aproximar o clube dos sócios e adeptos. Já nem me refiro a uma certa vergonha que sinto por ter amigos estrangeiros que visitaram o Dragão e ficaram parvos por não termos os troféus expostos - já visitei vários museus de grandes clubes europeus, e todos eles se orgulham de exibir a história e os troféus do clube.

Considero pois que ao nem sequer dar qualquer explicação aos sócios (e já lá vão 5 anos...) o clube está em certa medida a faltar ao respeito perante aqueles que dão razão de ser ao clube.

Diz-se por aí que a razão para ainda não termos museu é que houve um erro de planeamento no Dragão, com o espaço previsto para o Museu a revelar-se demasiado pequeno. Bem, esse cenário hipotético para mim não invalida que:

1) não se dê a explicação devida aos sócios e adeptos

2) não se dê prioridade a corrigir o problema (por exemplo: porque não prever um espaço para esse fim no novo pavilhão?)

3) não se tome uma medida provisória, com a exibição dos principais troféus e uma pequena exibição multimédia num espaço disponível no Dragão, mesmo que insuficiente para um museu "a sério" - uma medida provisória deste género custaria certamente uma pequeníssima quantia.

Concluindo, vejo neste caso um sintoma de um problema generalizado: o problema de que os interesses comerciais da SAD se sobre-impõem cada vez mais aos interesses do clube e dos sócios, com o efeito secundário de que os sócios são cada vez mais tratados como meros consumidores de um produto. É pena.

5 comentários:

  1. Assino por baixo tudo o que aqui foi dito.
    O Museu seria importantíssimo para a continuação da afirmação do Clube e para precisamente cativar os jovens para o Clube e o desporto.
    Fui a Camp Nou em Barcelona e fiquei siderado com o que vi sobretudo com os filmes preparados para a juventude sobre a História do Barça e da afirmação da Catalunha. Os troféus fazem o resto.
    E naõ se compreende o que se passa.
    Penso existir um local previsto para o Museu junto à Loja Azul do Dragão, pelo menos vi um escrito a dizer " futura sala Museu".
    Mas até agora nada e é imperdoãvel.
    Também eu me lembro dos passeios com o meu Avô e visita à antiga Sala da sede nos Aliados ou, mais recentemente nas Antas mas aí já em visita de estudo com alunos que fiz questão de lá levar.
    E agora com as novas tecnologias dá para fazer coisas excelente e muito apelativas.
    Acho que será nossa obrigação como Portistas fazer força para que essa tão importante necessidade seja finalmente encarada.

    ResponderEliminar
  2. A falta de um Museu do FC Porto é, de facto, uma lacuna grave.

    Assim, depois das obras em curso da nova Constituição e do Pavilhão, espero que o Pinto da Costa não se esqueça do museu.

    Ele, mais do que qualquer outro, merece inaugurá-lo.

    ResponderEliminar
  3. Este tema veio à baila nas últimas AG's a que pude assistir. Acho que houve respostas de circunstância por parte da Direcção, e não identifiquei se não é um projecto prioritário por opção ou por não haver meios para o fazer, à altura dos pergaminhos do clube.
    Passado este tempo todo, penso que provavelmente será por ambas as razões.
    Pela minha parte, gostava que o nosso Presidente assumisse o museu como um espaço imprescindível e que ousasse prometer a sua inauguração até ao fim do seu actual mandato.

    ResponderEliminar
  4. Aquilo que foi dito na última AG é que o Museu ficará instalado mesmo ao lado da Loja Azul e que não será apenas um Museu mas que terá também uma forte componente audiovisual.

    De qualquer forma, acho que já devia estar em funcionamento, paralelamente à abertura do Dragão.

    Pinto da Costa merece, de facto, inaugurá-lo.

    ResponderEliminar
  5. Recomendo a leitura de:
    http://paixaopeloporto.blogspot.com/
    2008/01/e-o-prometido-museu.html

    ResponderEliminar