quinta-feira, 26 de junho de 2008

Foot-ball Club do Porto

Constituicao

A gente abre a última revista Dragões e lê:

A revolução do Dragon Force
Vitalis Park é a casa-mãe do Dragon Force
passando a marca a assumir a condição de Main Sponsor azul e branca
UEFA Champions League
o coordenador de Scouting
120 agarraram o Dragon Dream

temos as Business Companies, as Executive companies, as Season Vip companies, Platinium sponsors e Gold Sponsors

pedem-nos para renovar o Dragon Seat

vamos a fcporto.pt e temos a área de Investor Relations

nos jogos da liga dos campeões os ecrãs no estádio informam-nos dos goals, shots on goal, fouls committed, ...

se quisermos telefonar podemos utilizar o Dragão mobile

temos uma racing team para Superleague Formula.


sim eu sei que coisa e tal, o inglês é que está a dar, somos um clube do mundo (aliás o maior clube do mundo!), que as nossas origens tiveram inspriração inglesa, que a Constituição ainda ostenta na frontaria o Foot-ball Club do Porto, mas o que é demais é moléstia.

Dá para respeitar, mais um bocadinho, a nossa língua? Obrigado.


ah! é verdade! e temos uma versão em inglês do sítio fcporto.pt que é de uma pobreza franciscana.

9 comentários:

José Rodrigues disse...

Bem visto. A invasão do inglês na língua portuguesa e em particular no mundo do futebol é algo q me irrita imenso.

Não é q seja minimamente fundamentalista: não tenho qq problema com isto qdo não existe uma tradução "natural" para português. Por exemplo, "hardware", "software" ou "marketing".

No entanto qdo existe uma "Liga dos Campeões" é ridículo q se fale na "Champions". E aí por diante.

Bem, mas podia ser pior... por exemplo, o slb este ano vai à "Champignons League". :-)

José Rodrigues disse...

Quanto ao site oficial do FCP, ele é em geral muito fraquinho (é só dar uma vista de olhos aleatória ao site de outros clubes europeus) e a versão em inglês não escapa à regra, o q é pena devido à projecção internacional q o FCP tem.

O conteúdo está muito fraco mas a tradução é ainda pior, tornando-se mesmo difícil de ler para um estrangeiro devido a traduções extremamente literais q não fazem grande sentido em inglês.

Qualquer dia temos uma tradução do género:

"Vá lá alguém perceber como é que o Ricardo se viu grego na saída ao cruzamento...".

"Someone should go there and understand how did Ricardo see himself Greek in the exit of the intersection...".

José Rodrigues disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
José Correia disse...

O site oficial do FC Porto devia ser um canal importante de comunicação do clube, com informação actual e detalhada acerca de todos os aspectos da vida do FC Porto.
Infelizmente, tal não acontece.
Porquê?

Anónimo disse...

A utilização em larga escala que muitas empresas - e pessoas - fazem de termos estrangeiros, de hoje em dia essencialmente ingleses, pretende transmitir um ar "modernaço", cosmopolita e culto, mas acaba apenas por dar um ar atrasado, provinciano e ignorante.

Um exemplo que sempre me irritou e que ilustra a ignorância por trás da suposta sofisticação, é o uso do termo inglês "handicap" com o sentido de "vantagem", quando o seu significado é precisamente o posto! : -)

PS "A minha pátria é a Língua Portuguesa" - Fernando Pessoa

Anónimo disse...

correcção: "quando o seu significado é precisamente o OPOSTO" - assim é que está bem!;-)

Paulino disse...

n s preocupem que daqui a meia duzia de anos vamos tudos falar "brasileirês".... vamos ter muita "ação"

Biafra disse...

Só um comentário para os que acham bem a "modernidade" e "internacionalização" do FCP por esta via referindo que o clube até começou por se chamar football club do Porto. Primeiro deveriam gostar de voltarmos ao campo do Lima, e segundo não se iram importar então quando o FCP passar a FCO.

Quando perceberem que o que está mal é não haver uma versão de jeito em inglês do fcporto.pt. Sei que vai ser complicado quando a original é fraquíssima...

AZUL DRAGÃO disse...

Matéria interessante para debater.

De facto, defender a nossa língua , deve ser preocupação permanente de todos os que se exprimem em português .

Mas , como impedir a crescente influência do INGLÊS
(e futuramente do castelhano , russo , mandarim ) face às novas tecnologias e aos avanços da globalização ?

Se calhar , vai acontecer-nos o que aconteceu a outros , aquando das Descobertas .

Só que ,desta vez , seremos nós a aprender a língua deles .

Gostava de estar enganado !