sábado, 28 de junho de 2008

O bom futebol


O que é o bom futebol?

É o futebol do Jesualdo Ferreira que dá 21 de avanço, é o futebol do CAS ou é a loucura ofensiva do Co? Com o Octávio e nos 2 últimos anos do Fernando Santos em que não obtivemos títulos jogámos mal?

Claro que ninguém gosta de ver bom jogos e perder, mas às vezes há vitórias que sabem a pouco - parece que lhes falta o sal. O ideal é sempre aliar a beleza do jogo (o espectáculo) às vitórias, pelo que nem sempre as grandes vitórias correspondem a grandes espectáculos. Olhando para a minha memória, as épocas que na relação espectáculos/vitórias me deram mais gozo foram:
  • 2002/2003 - Mourinho - Conquista da Taça UEFA

  • 1984/1985 - Artur Jorge - Conquista do Campeonato (Curiosamente, ou talvez não, esta foi a época do Wrexham)

  • 2003/2004 - Mourinho - Conquista da LC

  • 1996/1997 - António Oliveira - Conquista do Tri

  • 1998/99 - Fernando Santos - Conquista do Penta (nomeadamente o último terço referente à altura do trio de meio-campo Peixe, Deco e Zahovic)
Fiz este exercício há 3 anos, e passadas estas três épocas estava na hora da actualização (ou nem por isso, já que nenhuma das últimas épocas entrou no top)

8 comentários:

Vicent Russell disse...

A equipa que fez do antigo Estádio da Luz património histórico, ao deixar cinco pegadas do dragão, praticava um excepcional futebol...A 1.ª versão do FCP com o Mourinho, no 4-3-3 da época da taça Uefa praticou, inquestionavelmente, bom futebol, não tanto quando vencemos a LC, porquanto aí o futebol tem de ser mais equilibrado e ponderado.Quanto ao FCP actual,com Jesualdo no comando técnico, pese embora ele goste de expressar preocupação em jogar "bom futebol", sem dúvida que privilegia o resultado. Tanto é que tristemente, com ele a liderar, estamos fadados a resultados franciscanos contra os clubes ditos de maior dimensão (sejam o SCP, o SLB, Arsenal, Liverpool e, surpresa das surpresas, até aqueles dos Schalke04), pois nesses momentos incute na equipa uma mentalidade demasiadamente defensiva.O FCP, fiel à sua imagem e mística, assume em qualquer campo o domínio do jogo e deve procurá-lo e não bastar-se em equilibrar o jogo, como parece ser o objectivo do Jesualdo.Se queremos ir mais longe na Liga dos Campeões, o Jesualdo não é o treinador certo...tenho dito.

Ricardo disse...

Dessa lista tirava o Penta do Fernando Santos (que deveria ter sido conquistado com 20 pontos de avanço, e não à rasquinha como foi) e acrescentava os títulos com Bobby Robson - que futebol aquele!

Jorge Aragão disse...

Subscrevo o Ricardo ... Com Bobby Robson jogamos do futebol mais empolgante que me lembro.
Jogavamos, marcavamos à fartazana, davamos espectaculo, era uma alegria.
Foi claramente o treinador que me deixou mais saudade.

César disse...

Não gostavam do futebola praticado pelo Porto na época de Co Adriaanse?

José Rodrigues disse...

O "bom futebol" de Adriaanse foi um mito publicitário, alimentado pelo próprio.

A realidade é q o FCP de Co criava poucas oportunidades de golo e marcava bem menos golos do q este FCP de Jesualdo. Além disso o 3-4-3 incluía PA quase junto aos centrais e Meireles e Lucho bastante recuados, ou seja, era algo enganador.

É verdade q por outro lado passava claramente mais tempo no terreno ofensivo, o q me agradava, mas mais do q isso interessa-me ver a equipa a criar muitas oportunidades de golo (e a marcá-los, claro). Jesualdo não é demasiado profíquo nesse aspecto, mas Co era-o ainda menos.

José Rodrigues disse...

...esqueci-me de explicar o porquê do FCP de Co criar poucas oportunidades de golo, apesar de até passar bastante tempo no meio-campo adversário:

...éramos demasiado previsíveis.

Jogávamos com linhas muito directas e relativamente pouca imaginação.

José Rodrigues disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
José Correia disse...

Estou de acordo em colocar no top a equipa de 2002/03, mas a esta lista falta a equipa de 1986/87.

Sim, eu sei que durante a época e a nível interno, fizemos muitos jogos mediocres.
Contudo, eu não me esqueço dos jogos em casa contra o Viktovice e contra o Brondby e, principalmente, dos dois jogos da meia-final e da final da Taça dos Campeões Europeus.

No jogo em casa contra o Dinamo de Kiev e na 2ª parte de Viena, o FC Porto fez exibições fabulosas!