quinta-feira, 19 de junho de 2008

Terá sido apenas Scolari a dizer adeus?



Algo me diz que, se o próximo seleccionador nacional souber avaliar um guarda-redes e tiver um mínimo de personalidade (não confundir com a casmurrice do Sargento), não terá sido apenas Luiz Felipe Scolari a despedir-se hoje da selecção, mas também o cidadão Ricardo Alexandre Martins Soares Pereira, sem cuja presença na baliza o já ex-seleccionador nacional poderia ter festejado um título europeu em 2004 e estar a esta hora a pensar no jogo das meias-finais do Euro 2008.

Além disso, alguns sectores da comunicação social lisboeta, desde que Vítor Baía se retirou, começaram, um pouco a medo, é verdade (talvez com receio dos tiques do pugilista gaúcho), a abordar a possível substituição de Ricardo na baliza nacional, e após o jogo e eliminação desta noite, e já com Scolari a léguas, esse sussurro poderá tornar-se um clamor.

Claro que o sucessor do Sargentão poderá, tal como este, ter espírito de contradição, e aí ainda teremos que ver o "Labrecas" a "comê-las" em cruzamentos e cantos por mais algum tempo.

PS E não devia ser só o Ricardo: mais uma vez Simão Sabrosa foi uma nulidade ao serviço da selecção. Foi provavelmente o nosso mais fraco jogador do torneio.

19 comentários:

João Saraiva disse...

E agora quem paga os 30 milhões?

Anónimo disse...

O governo lançará uma sobretaxa sobre o preço da gasolina - que, como todos sabemos, está barata.

Mefistófeles disse...

Scolari já vai tarde. Tenho pena de Deco, que foi um enorme jogador.
Que saudades de Baía, ai, ai... Lá vai o tonto do Montijo apanhar frangos verdadeiros ao quintal, outra vez. E, agora, como diz o João: quem paga os 30 milhões ? Elementar, caro amigo: os parvos do costume, nós os contribuintes, que pagaram ( entre outras coisas ) a " cestinha do pão " !

Mefistófeles disse...

Agora, fora de brincadeiras: é óbvio que os tais 30 milhões exigidos são equivalentes aos 90 milhões da cláusula de rescisão de Mantorras. É só para entreter os parolos, é " show bizz", à melhor maneira do "casino" da Costa da Caparica, com o barbas como mestre de cerimónia a saír de um mini com um emblema do sport lisboa e a beber uma mini...
Nem os westerns spaghettis.
Estou convencido que a SIC fará uma homenagem ao Scolari com os Xutos, Marisa, Herman e...Roberto Leal ! Pelos brilhantes não-1ºs lugares. E, quem sabe, mais uma comendazinha ?

Mefistófeles disse...

Tenhoo a impressão que o melhor de Scolari ainda era o ... Murtosa de sempre ! Nãp perdeu nenhum jogo no banco, e pelos comerciais, ainda serve uns "penaltis" de tinto ! Ah, ganda Murtosa !

miguel87 disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
miguel87 disse...

Tou pra ver as referências dos pasquins de amanha sobre o frangueiro...Pra já, o maisfutebol já branqueou a "fantástica" exibição do gajo. Inacreditável! Estavam frente a frente os 2 candidatos máximos a pior guarda redes do euro, e o labrego do montijo ganhou por goleada! De resto, Caravaggio 2 - Deutschland 3. Auf Wiedersehen Führer Socolari

Mefistófeles disse...

O Simulão Saborosa, mostrou o que é: uma mão cheia de nada, e é por isso que está num clube sem expressão mundial ( à sua medida ). Receio apenas que Lucho tenha a mesma vontade de ir jogar para um cemitério de jogadores, em vez de se manter na ribalta !

Mefistófeles disse...

Simulão Saborosa é à imagem do seu clube: não tem expressão, preferia o Quaresma drogado a esse imbecil qu8e não dá uma para a caixa e tem a mania que é bom. Basta ver as origens...

Ricardo Simães disse...

O único "mérito" do Ricardo foi ter sido o eleito pelo Scolari para substituir o Baía. Neste país quem afrontar o Porto tem a popularidade garantida. Só assim se compreende que durante mais de 5 anos este tenha sido o GR da selecção. É demasiado fraco. Cada cruzamento é um "ai Jesus". E hoje "Jesus" cansou-se de acudir aos cruzamentos. Ficou só o Ricardo e foi o que se viu.

João Saraiva disse...

http://www.youtube.com/watch?v=HpFClzSVdng

José Correia disse...

ANTES do jogo, os alemães não tiveram qualquer pejo em afirmar, alto e bom som, que o ponto fraco da Selecção do Xocolari era o guarda-redes.

O Ricardo fez questão de, mais uma vez, demonstrar que os arrogantes alemães tinham toda a razão.

José Correia disse...

Que grande EURO 2008 fez o Deco!

Só tenho pena que, na próxima época, vá jogar numa equipa treinada pelo Xocolari.

Anónimo disse...

"O Ricardo fez questão de, mais uma vez, demonstrar que os arrogantes alemães tinham toda a razão."

Não te esqueceste das aspas em "arrogantes alemães", Zé Correia?;-)

portolaw disse...

já repararam - vejam a "bola" - que o Labreca fechou os olhinhos nos três golos?!!!
e que o ricardo carvalho se confessou estupefacto com a ida do Felipinho para o chelsea e já fala em sair do clube?

Uminho1 disse...

Quando é que esta selecção vai ser condecorada pelo Presidente da Républica, por mais uma magnífica prestação? :-)

Nelson Carvalho disse...

Exactamente uminho1, esta Selecção tem de ser imediatamente condecorada, pelos grandes préstimos ao País! ;-D

José Correia disse...

«A saída dos postes no lance do terceiro golo alemão foi o mote para as maiores críticas ao n.º 1 da selecção. Jornais como o Guardian e o L'Equipe apontaram-no como um dos principais responsáveis pela derrota portuguesa e a Marca deu-lhe nota zero na avaliação dos melhores e piores do dia.

Ricardo sempre foi um dos "protegidos" do seleccionador Luis Felipe Scolari. Em cinco anos e meio de "reinado" Scolari, o antigo guarda-redes de Boavista e Sporting foi sempre convocado pelo treinador, passando incólume às suas alegadas dificuldades no jogo aéreo e saídas da baliza e à concorrência de Vítor Baía (primeiro) e Quim (depois).»

in DN, 21/06/2008
http://dn.sapo.pt/2008/06/21/
dnsport/o_dilema_baliza_nacional.html

José Correia disse...

«É, claramente, o calcanhar de Aquiles da selecção. Capaz de defesas fantásticas entre os postes, foi, mais uma vez, uma pobreza nos cruzamentos. Ficará para sempre ligado à eliminação com os alemães. Em 2004 e 2006, escondeu essa intranquilidade com actuações empolgantes em vitórias no desempate por grandes penalidades. Desta vez, não houve Inglaterra para esconder o que todos sempre viram e que Scolari nunca quis ver.»

in JN 21/06/2008