domingo, 29 de junho de 2008

Uma longa caminhada para garantir a Champions


Através do veredicto emitido no passado dia 13 de Junho pelo Comité de Apelo da UEFA, em que anulava a suspensão do FC Porto das provas internacionais durante um ano, percebia-se que da parte dos orgãos jurisdicionais daquele organismo a ponderação era a palavra de ordem, pelo menos até que o CJ da FPF tome uma decisão final sobre o recurso interposto por Pinto da Costa, em que abrange de igual modo o Clube, em virtude dos factos imputados às duas partes serem os mesmos. Porém, os discursos que se vão ouvindo cada vez com maior insistência a partir das mais altas esferas da UEFA, com o seu Presidente à cabeça, vão precisamente em sentido contrário, onde paira no ar a vontade de querer fazer do FC Porto um exemplo para Europa do futebol e que nada os demoverá na luta por um futebol “limpo” e “transparente”, nem que seja à revelia das mais elementares matérias de Direito. Pena é ver o brilhante jogador que foi Platini, a subjugar-se a um ridículo papel de moralizador do futebol, tendo ele representado os Clubes que todos sabemos ao longo da sua carreira.

Para os lados da Luz, o defeso parece manter-se muito agitado essencialmente na sua secretaria, suspirando agora por um milagre no recurso interposto no TAS, onde pretendem indeferir a decisão do Comité de Apelo da UEFA. Com o caracter de urgência que a decisão encerra, obriga a que todas as partes se entendam para a elaboração de um acordão em tempo util, o que não se prefigura plausível pelo menos da parte da instância que gere o futebol Europeu, que assim vê em suspenso o normal desenrolar das pré-eliminatórias da Champions, até que o Tribunal sediado em Lausanne diga de sua justiça.


Significativo é tambem o comportamento do Vitória de Guimarães neste caso. Após uma postura inicial mais recatada e na penumbra, eis que decidem avançar lado a lado com o SLB nesta campanha para exclusão Portista da Europa. Não obstante do bom relacionamento que tem pautado entre as duas actuais Direcções, onde ainda na época passada o FC Porto cedeu por emprestimo Alan aos Vitorianos suportando-lhe uma boa parte do vencimento, assim como a aquisição de Rabiola por uma quantia consideravel, os dirigentes do Guimarães, bem ao estilo de uma qualquer rapariguinha de vão de escada, foram a correr para onde lhes cheirou a mais dinheiro. Tal postura não poderá cair no esquecimento por parte da Administração da SAD Portista, e retirar daí as devidas conclusões sobre o tipo de relacionamentos que mantem cá no burgo com outras equipas, onde muitas vezes dá muito de si e pouco recebe em troca.


Ultrajante é de igual modo a forma como os correspondentes dos média Portugueses conseguiram transformar a conferencia de imprensa sobre o balanço final do Euro 2008, num circo anti-Portista ao bombardear o Presidente da UEFA com perguntas perniciosas, sedentas de mais uma declaração bombastica em prol da exclusão do FC Porto da Champions. Tantas foram as questões, que Platini se viu obrigado a passar a palavra ao secretário-geral da UEFA, David Taylor, para melhores esclarecimentos, mas em nenhuma das perguntas foi requerida a opinião de Platini sobre a inclusão da Juventus nas provas uefeiras pela primeira vez, após ter sido castigada internamente no ambito do processo Calciocaos. Sintomático este jornalismo de sarjeta ao serviço dos cânones de Lisboa.

7 comentários:

Vicent Russell disse...

Dúvidas não há que o problema ficou adiado, pelo prazo de um ano.Será quase impossível que durante esta época não haja um Acórdão do Conselho de Justiça da FPF,que naturalmente transitará em julgado, em definitivo. Resta acreditar que com os Doutos Pareceres, que, quanto a mim, bem, sustentam a ilegalidade das escutas para utilização em processos disciplinares (as escutas são meios de obtenção de prova exclusivos do processo-crime) o FCP possa aproveitar indirectamente uma decisão absolutória do seu presidente.Este o principal argumento. Há outro que muito se fala: a proibição da irretroactividade da lei; ou o princípio que não há pena sem lei...Sucede, porém, que os regulamentos da UEFA parecem referir que será proibido de participar nas competições europeias, o clube que seja condenado por corrupção, destacando o momento da condenação por esses factos e não o momento da prática dos factos.Esta a interpretação dada pela 1.ª Instância Disciplinar da UEFA, pois mesmo sabendo destes argumentos, decidiu excluir o Porto da Liga dos Campeões... A 2.ª Instância nem tampouco considerou tais argumentos, pois desde logo, com a segunda informação dada pela FPF, soube que não havia trânsito em julgado da decisão que condenou o FCP internamente.Resta saber daqui a um ano...Na minha opinião e no direito penal moderno(que deverá neste ponto ser seguido pelo direito disciplinar)o que importa são os factos: os ilícitos resultam da prática de factos (ou omissão de condutas), pelo que o momento relevante será sempre a prática dos factos.E se nesse momento não havia regulamento da UEFA...

José Correia disse...

O comportamento do SLB não surpreendeu ninguém. Foram os mentores e tudo farão para conseguir na secretaria aquilo que foram incapazes de conquistar dentro de campo.
Clube e actual Direcção são o caso típico da inveja dos mediocres.

Relativamente ao Guimarães, recordo que a posição inicial do seu presidente foi dizer que o FC Porto deveria participar na LC e que seria mau para o futebol português se assim não fosse.
À medida que o tempo foi passando, a posição do Guimarães foi "evoluindo" e actualmente praticamente não se distingue da do SLB.

Que a Direcção do FC Porto saiba tirar as devidas ilações do comportamento destes oportunistas de memória curta, é o mínimo que se exige.

José Correia disse...

"Ouvi Platini falar sobre batota, ele que é um dos maiores exemplos da batota no futebol mundial"
Álvaro Braga Júnior (presidente eleito do Boavista), 28/06/2008

José Correia disse...

«Depois de se mostrar incomodado com o volte-face na decisão de excluir o FC Porto da Champions, Platini foi, ontem, mais contido nas palavras . "O que se passou foi que o FC Porto foi acusado de corrupção na época 2003/04 e, pelos novos regulamentos, criados depois do caso Milan, fomos obrigados a debruçar-nos sobre o assunto. Depois, houve complicações jurídicas e a situação mudou", admitiu.

Já David Taylor, secretário-geral da UEFA, disse que o processo não está encerrado. "Foram criados novos regulamentos para punir quem interfira com o normal desenrolar de jogos. O comité disciplinar decidiu afastar e o corpo de apelo decidiu a favor do clube. Para nós, o caso não está fechado, mas qualquer medida só será possível depois de todos os processos legais, incluindo recursos, se esgotarem", resumiu.»

in O JOGO, 29/06/2008

dragaodebancada@gmail.com disse...

Nao consigo entender o porquê de nenhum jornalista perguntar ao senhor presidente da UEFA, porque razão não se pronuncia relativamente à sua "velha senhora"...

Uma vergonha de jornalistas e uma anedota de presidente

Mefistófeles disse...

Prémio Quarteto Nojento Fantástico:
Platini, sport lisboa, Guimarães, Ricardinho Pavão.
Qual deles o que mete mais nojo ? É uma competição renhida.

Nota: Guimarães, não nos esqueceremos. Sport lisboa, igual a si próprio, também não nos esqueceremos.

José Correia disse...

«A participação do F.C. Porto no Torneio de Guimarães foi substituida pela presença do Benfica, de acordo com o programa apresentado no «site» oficial do Paris Saint Germain (PSG).»
in Maisfutebol, 04/07/2008