sexta-feira, 22 de agosto de 2008

Os nossos olímpicos - IV

E a participação azul e branca nos jogos acabou.


Pode-se dizer que começou bem melhor do que acabou, com o 40º lugar do Augusto Cardoso nos 50 Km Marcha, um lugar bem longe dos ambicionados 16 primeiros e com um tempo também longe da melhor marca pessoal (+15 minutos).

As declarações dele no final: "Eu trabalho oito horas por dia e depois treino. Pinto gruas e a minha empresa deixou-me treinar para estes jogos. Pagou-me dois meses de ordenado para eu ir fazer estágio e eu queria-lhes agradecer. Se eu estou aqui é graças a eles", mostram bem que existem dois mundos no desporto português.

2 comentários:

Dragon4 disse...

Parabéns...É de atletas que antes torcer que quebrar, que Portugal precisa.

Para todos aqueles que não desistiram, que não ganharam, mas que não viraram a cara a luta, mais uma vez os meus parabéns.
O povo português está com eles, e saberá agradecer-lhes.

Para os outros, para aqueles que foram passear e sem capacidade de sofrimento, desejo-lhes que sejam esquecidos e que não façam parte da nossa memória colectiva.

Que a imagem de humildade e o sorriso desconcertante do Nelson Évora, seja exemplo para todos aqueles que arranjam desculpas de dinheiro, de dias menos bons, etc. etc.
Profissionalismo notável a todos os níveis.

PARABÉNS.

José Correia disse...

"Eu trabalho oito horas por dia e depois treino. Pinto gruas e a minha empresa deixou-me treinar para estes jogos. Pagou-me dois meses de ordenado para eu ir fazer estágio e eu queria-lhes agradecer. Se eu estou aqui é graças a eles"

De facto, a este tipo de atletas olímpicos nada se lhes pode exigir. É quase um milagre terem obtido os mínimos para participar.

Já agora, das declarações do atleta depreende-se que o apoio que recebe do FC Porto é mínimo. Se assim é, é pena, porque um atleta olímpico merece que o apoiem.