terça-feira, 16 de setembro de 2008

TAS iliba FC Porto e arrasa CD Liga e CJ da FPF

«No acórdão da sentença que determinou a participação do FC Porto na edição da Liga dos Campeões que hoje se inicia, o Tribunal Arbitral do Desporto destroça a UEFA e põe em cheque tanto a Comissão Disciplinar da Liga como o Conselho de Justiça da FPF.

O documento, que demorou todo este tempo a redigir - a decisão foi anunciada a 15 de Julho - chegou ontem aos clubes envolvidos, mas só trouxe motivos para ser bem recebido pelos dragões. No mínimo, a norma que o excluía da Champions vai a enterrar.

O painel de juízes do TAS nem chega a aprofundar a violação do princípio da retroactividade, ou seja, a decisão de excluir o FC Porto da Liga dos Campeões por actos ilícitos cometidos antes da existência dessa regra - uma das principais armas de defesa dos dragões.
Para o Tribunal Arbitral, o regulamento viola vários outros princípios, a começar pelo da proporcionalidade. Levada à letra, diz o TAS, a alínea d) do ponto 1.04 exclui perpetuamente os clubes que cometam actos ilícitos. Em lado nenhum, ressalvam os juízes, está determinado que a exclusão seja de um ano (ou dois, ou três) como pretendia o instrutor da UEFA no processo inicial.
Outra falha encontrada é a do desrespeito pelo princípio da igualdade de tratamento: os clubes só sofreriam a sanção coincidindo o ano da condenação com o ano do apuramento para a Champions. Sem apuramento, não há castigo.

Mas o TAS rapidamente põe de parte a norma, já feita em pedaços, por entender que nem é necessário discuti-la: o FC Porto não preenche os requisitos para ser castigado por ela. O painel afirma que os critérios não ficaram estabelecidos, mesmo que a UEFA pudesse decidir apenas com base na decisão dos órgãos portugueses.
"As duas decisões do Conselho de Justiça da Federação Portuguesa de Futebol e da Comissão Disciplinar da Liga Portuguesa", concluem os três juízes, "não demonstram com a certeza necessária que o FC Porto ou o seu presidente estiveram envolvidos em actividades ilícitas".
E, na opinião do TAS, mesmo que provassem, a UEFA tem meios para julgar a culpabilidade do FC Porto autonomamente e não pode estar vinculada às sentenças da Comissão Disciplinar ou do Conselho de Justiça.

O outro tema forte do Apito Final - se a condenação do FC Porto transitara ou não em julgado - foi considerado pouco importante pelo Tribunal, que no acórdão diz "perceber" a decisão de não recorrer tomada pela SAD portista, dada a irrelevância dos seis pontos perdidos. Até porque "ficou provado que o recurso do presidente aproveitava ao clube".

Para o tricampeão português, este acórdão pode ser o salvo-conduto que faltava, dado estar ainda no ar a possibilidade de uma futura exclusão da Champions. O TAS fica pelo menos comprometido com esta decisão, que terá forçosamente reflexos em hipotéticos recursos, mas o mais certo é que a UEFA retire, ou substitua, a alínea d) do ponto 1.04 dos regulamentos da Liga dos Campeões e da Taça UEFA. E uma nova redacção que possa afectar o FC Porto atingirá também Milan, Juventus, Fiorentina, Marselha, etc., etc.

Para além das custas do processo, que o TAS já endereçara a Benfica, Guimarães e UEFA na sentença resumida de 15 de Julho, cada um deles terá de pagar ao FC Porto dez mil euros para ajudar às deslocações e emolumentos dos advogados
in O JOGO, 16/09/2008



Em 15 de Julho, o TAS comunicou a sua decisão:
«Lausanne, 15 July 2008, The appeals filed by Benfica and Vitoria are dismissed by the Court of Arbitration for Sport (CAS). The full arbitral award with the grounds will be published at a later date.»

Na altura, o Mário Faria publicou um artigo onde refere:
«A Direcção, ultrapassada esta fase, deve passar à ofensiva. Ponderadamente, mas com firmeza. Queremos vingança: não podemos admitir que o nome do FCP seja humilhado em vão.»

Dois meses depois, surge a divulgação do acórdão do TAS, cujos termos e fundamentos são uma espécie de bomba atómica sobre as aspirações do SLB (a LC 2009/10 ficou muito mais longe) e, também, sobre a cruzada de pseudo moralização do presidente da UEFA.

Perante uma derrota tão estrondosa e esmagadora, é natural que nos lembremos dos "generais" envolvidos. Se do lado dos vitoriosos já falamos, em devido tempo, de Adelino Caldeira, do lado dos derrotados é inevitável destacar os "generais" Luis Orelhas e Michel Corleone Platini.
Mas o "exército" dos derrotados é vasto e, coitados, também têm direito que nos lembremos deles. Por isso, aqui vai uma pequena lista, com nome e "patente":
• Ricardo Costa, o justiceiro da Liga e mentor do 'Apito Final'
• Hermínio Loureiro, o sonsa que preside à Liga com um olho na FPF
• Bando dos Quatro, os vogais da golpada no CJ da FPF
• Cunha Leal, ex-agente do SLB na Liga de Clubes
Sílvio Cervan, benfiquista ressabiado do Porto e vice-presidente do SLB
• Fernando Seara, agente do SLB na BOLA e na SIC, ideólogo do regime vermelho
Leonor Pinhão, inspiradora e co-autora do livro da Carolina D'Arc
• João Botelho, marido da Leonor
• Octávio Ribeiro, Director do jornal oficioso do SLB (Correio da Manhã)
• Eduardo Dâmaso, Sub-Director do Correio da Morgado (perdão, da Manhã)
• Tânia Laranjo, “jornalista” da correia de transmissão, especializada em apitos...
• Eugénio Queirós, o geninho é “jornalista” do Record e marido da Tânia
• Marinho Neves, especializado em “Sistemas”, ex-assalariado de Dias da Cunha, vomita ódio anti-Porto na blogosfera
• Vitor Serpa, Director da "Biblia encarnada"
• João Querido Manha, comentador manhoso na comunicação social do regime
• Rui Cartaxana, conhecido no Porto como a "ratazana encarnada"
Domingos Amaral, filho de Freitas do Amaral, "jornalista", director da revista GQ e colaborador do Diário Económico
João Miguel Tavares, "jornalista" do DN
• Ricardo Araújo Pereira, humorista oficial dos encarnados


Finalmente, será agora que a Administração da FCP SAD irá reagir publicamente, apontar a dedo os "bois pelos nomes" e, no que for possível, exigir responsabilidades a quem enxovalhou o nome do FC Porto na praça pública?

Fotos: O JOGO


P.S.1 Quem quiser pode fazer o download do acórdão (é um PDF com 30 páginas) no website oficial do TAS.

P.S.2 Os itálicos e negritos são da minha responsabilidade.

30 comentários:

disse...

A Mesa Redonda renovou-se!
Depois da saída dos antigos bloggers do FCP, as contratações para os seus lugares tiveram finalmente um desfecho feliz para ambas as partes!
Aos já existentes bloggers do Benfica e do Sporting, o Porto conta agora com 3 novos bloggers, que irão ainda mais, contribuir para a troca de opiniões e ideias num espaço salutar de discussão!

Faça a sua visita e deixo o seu comentário em:

http://amesaredonda.blogspot.com/

Nuno Nunes disse...

O TAS é um órgão que não deve nem teme a ninguém, ao contrário das instituiçõesinhas FPF e LPFP que existem para servir o clube do regime e os seus acólitos, por isso sem papas na língua aí está o acordão que desmancha completamente a trama dos muitos personagens enumerados pelo José Correia.

Liga e Federação devem agora ponderar seriamente a razão da sua existência: existem para servir o futebol ou existem para servir o clube do regime?

Hermínio e Madaíl idem aspas. Além disso são 2 indivíduos que vivem dos actos que praticam ao serviço da pátria encarnada. São 2 zés ninguém que precisam do futebol para terem o nível de vida que têm. Por isso governam e governam-se ao sabor dos interesses que os mantém lá.

Se a esta decisão do TAS e à decisão da Relação do Porto em condenar o Estado a indemnizar o Pinto da Costa se juntar no futuro o arquivamento ou a ilibação do presidente portista no último caso pendente do AD nos tribunais civis, não resta outra alternativa ao FC Porto que não seja a de atacar o polvo pela raíz e pedir a demissão de Hermínio e Madaíl e a convocação de eleições antecipadas nessas 2 instituiçõesinhas.

Paulino disse...

Pelo exemplo que se viu, de certeza que a partir de agora, sempre que houver casos desta natureza o TAS vai ter mais trabalho em cima da "secretária" :p

e as outras entidades passam a ser mais desvalorizadas...

Metz disse...

O TAS é somente LEIS sem panelinhas nem adornos... Só espero que o Porto agora reaja veemente contra Platinis e afins!

Mais uma vitória grande (no meio de algumas derrotas). É preciso não esquecer alguns erros criados pelo Porto neste processo todo e não esquecer tudo o que de negativo se criticou.

Halla

Mefistófeles disse...

Obrigado pelo post. Diz muito do que nos vai na alma ! Parece que estão lá quase todos os palhaços na lista.

Estou com o metz: o irritante Platini tem que ser o 1º a levar na cabeça !
Aliás, devia ser exigida a sua pública retractação !

José Correia disse...

«Segundo o documento, a que o JN teve acesso, "as duas decisões da CD da Liga Portuguesa e do CJ da Federação não demonstram que o F. C. Porto, ou o seu presidente, tenham estado envolvidos em actividades ilícitas", acrescentando que "nem o TAS, nem a UEFA, estão vinculados às normas da justiça desportiva portuguesa". Há até uma referência à forma "estranha" como decorreu a célebre reunião do Conselho de Justiça do dia 4 de Julho e que confirmou o castigo de Pinto da Costa, ao mesmo tempo que recorda que ainda há recursos à espera de decisão dos tribunais.
(...)
O painel do TAS encarregue de apreciar este caso ficou "totalmente satisfeito" pelo facto de a norma 1.04 dos critérios de admissão das equipas na Liga dos Campeões, que diz que qualquer clube que esteja ou tenha estado envolvido em actos destinados a adulterar a verdade desportiva fica proibido de participar nas provas da UEFA, não ter sido adoptada nesta situação.»
in JN, 16/09/2008


Depois de tantas manobras do SLB, nos bastidores do CD Liga e do CJ da FPF, para conseguir obter na secretaria aquilo que foi incapaz de conquistar dentro das quatro linhas, este acórdão do TAS é quase deprimente... :-)))

mcorreia disse...

Excelente post.
Penso que existem mais 2 nomes que também merecem fazer parte desta lista: O João Miguel Tavares e o Domingos Amaral.

José Correia disse...

mcorreia disse: «Penso que existem mais 2 nomes que também merecem fazer parte desta lista: O João Miguel Tavares e o Domingos Amaral.»

Caro mcorreia, tem toda a razão.
Estes dois "artistas" já foram adicionados à lista...

HULK Onze milhas disse...

Excelente artigo! Parabéns!
No meio de tamanha alegria... junto a minha voz a todos quanto clamam por vingança.
Esta sentença é tudo... é muito mais do que nós poderiamos sonhar... mas... será pouco mais do que nada senão partirmos para cima de todos quantos nos infernizaram a vida nestes ultimos tempos!
A nossa querida comunicação social irá branquear a notícia mas nós temos que fazer pela vida!
Temos que ir para cima deles e devolver-lhes com juros tudo quanto nos chamaram!
E não podemos esquecer de denunciar alto e bom som o branqueamento que as instâncias desportivas, e não só, fizeram aos graves incidentes do ultimo jogo do FCP no estádio da luz....

José Rodrigues disse...

Puuuuuuuuuuum!!

Agora é passar à ofensiva. Nunca mais podemos deixar q palhaços como R Costa e quejandos atinjam posições de poder na Liga ou na FPF. Temos certamente poder e influência suficiente junto de outros clubes, se assim o entendermos, para q inimigos de base do FCP cheguem a tais cargos; não o suficiente para lá metermos quem bem entendermos (nem isso me agradaria), mas certamente para "vetar" indivíduos anti-portistas primários.

José Correia disse...

Pus as luvas e a máscara e fui dar uma vista de olhos por alguns blogues.

O Marinho Neves está de cabeça perdida. Até espuma!

Apreciem algumas das barbaridades que o porco escreveu no blog dele:

«(...) no caso do FC Porto, daria como bem empregue o pagamento de um milhão de euros ao trio de ases do TAS, porque nem o FC Porto faria uma defesa melhor do seu clube. Mas isso, não me deixa admirado depois de me relatarem o que aconteceu na Suíça durante o pseudo julgamento. Se isto acontecesse em Portugal, os nossos juízes eram logo acusados de corruptos e Freitas do Amaral tinha trabalho para mais outro parecer.

O Conselho de Justiça da FPF e a Comissão Disciplinar da Liga devem estar pasmados com este acórdão e perante tal quadro, Gonçalves Pereira não tem de estar preocupado com o seu futuro porque tem, de certeza absoluta, lugar neste TAS.

Nem Michel Platini escapou às críticas do TAS, mas se ele tivesse vergonha pedia a demissão ou tomava uma atitude de acordo com o que este caso merece, porque este acórdão é mais que um insulto para a justiça portuguesa. Nunca mais direi que batemos no fundo, porque ainda nos podemos afundar mais um pouco neste poço de merda.»

José Correia disse...

O geninho, até este momento, ainda não disse nada.
Será que perdeu o pio, ou estará a consolar a Tânia?... ;-)

HULK Onze milhas disse...

Obrigado José Correia por ter trazido até nós esta pérola do Marinho Neves :-) :-)
Agora é só rir... e certamente que este discurso será o "discurso oficial" de todos estes 6 milhoes de frustrados!

Nelson Carvalho disse...

Ahahaahahaha, é pá, o Marinho Neves está mesmo com uma azia daquelas. Sempre a vitimização, sempre a teoria da conspiração, quase como se todo o Mundo estivesse a "orquestrar" tamanha cabala contra o slb.

E sim Zé Correia, o Geninho só pode estar a consolar a esposa. Afinal de conta após 4 anos a passar a escrever, reescrever e voltar a escrever artigos sobre o "Apito Dourado", parece não ter sido "palha" suficiente para muitos comerem.

Orlando disse...

Deveríamos todos mandar aí 30 vezes ao dia durante muitos dias, o acordão via mail para os personagens da lista.E de vez em quando repetir.

José Correia disse...

O geninho já leu o acórdão.
A interpretação que fez do mesmo, no seu blog, é a seguinte:

«Hoje acordamos com as manchetes do JN e de O JOGO gritando que o TAS tinha arrasado o Apito Final da Liga, dando ao FC Porto argumentos definitivos para não ser excluído das competições europeias.

Aguardamos algumas horas até o acórdão ser publicado no site do TAS. E o que é que se lê ali?

Que os "árbitros" não conseguiram validar a tese defendida por Benfica e V. Guimarães porque, na altura da análise, não era clara ainda a decisão do CJ da FPF e também porque não tiveram acesso à tradução dos acórdãos da CD da Liga e do CJ da FPF.
Mais, o TAS tira ao FCP um dos seus grandes argumentos em sua defesa na instância disciplinar da UEFA, onde invocou a impossibilidade de haver retroactividade na aplicação do artigo que pune a corrupção. Ora, o TAS considera que a retroactividade se aplica e por aqui é que a porca pode torcer o rabo.

Vistas bem as coisas, o Comité de Disciplina da UEFA pode agora voltar a apreciar o caso, esclarecer as questões levantadas pelo TAS (que levantou também o facto de haver processos administrativos a correr, processos que não implicam, porém, a suspensão das decisões) e punir ou não o FC Porto.

No acórdão do TAS quem sai mais causticada é a UEFA pela forma precipitada como tratou o caso, o resto da história em relação ao CJ da FPF é conhecido.

Quanto a críticas à CD da Liga, como foi ventilado nos órgãos oficiais, nicles de pickles.

Ou seja, assistimos todos mais uma vez a um golpe de desinformação com direito a editorial do pau-mandado do costume...

Vamos agora esperar para ver no que isto dá e do que mais são capazes os recoveiros da nossa praça.»

Continua a sonhar porco.

José Correia disse...

Traduções de partes do acórdão feitas pelo JN:

«"As duas decisões do órgão judicial da Federação Portuguesa de Futebol - quer sejam consideradas isoladamente ou no seu contexto global - não convencem o Painel com certeza requerida que o F.C. Porto (ou o seu presidente) tenha estado envolvido nas actividades ilícitas mencionadas no Artigo 1.04 do regulamento da Liga dos Campeões".»

in JN, 17/09/2008

José Correia disse...

Acórdão do TAS:
"A 4 de Julho, o CJ da FPF rejeitou os dois recursos apresentados pelo presidente do F. C. Porto. A decisão foi precedida por uma reunião turbulenta. Apesar de o curso preciso dos acontecimentos não ser completamente claro, pode ser reconstruído pela sucessão de minutos da reunião (..) Na sequência desta reunião turbulenta de 4 de Julho, o presidente da FPF, Gilberto Madail, anunciou a 7 de Julho que os acontecimentos da reunião do CJ seriam investigados por um especialista independente. O professor Diogo Freitas do Amaral foi o escolhido para levar a cabo esta tarefa".

in JN, 17/09/2008

José Correia disse...

Acórdão:
"A exclusão de um clube da Liga dos Campeões não é meramente administrativa e tem pelo menos um aspecto disciplinar inerente. Isso não implica que não possa haver retroactividade na alínea d) do Artigo 1.04, porque o direito das associações imporem sanções ou medidas disciplinares sobre os atletas e clubes não é o exercício de um poder delegado pelo estado, mas uma expressão da liberdade das associações e federações".

in JN, 17/09/2008

Atenção ao facto do TAS afirmar que "a exclusão de um clube da Liga dos Campeões não é meramente administrativa e tem pelo menos um aspecto disciplinar inerente".
Isto é algo que o FC Porto sempre disse enquanto que, por exemplo, o Fernando Seara e o Dias Ferreira diziam que isto era uma questão meramente administrativa.

José Correia disse...

Acórdão do TAS:
"Os atletas e clubes têm o 'direito à protecção', ou seja, a aplicação das regras das associações não pode ser arbitrária, pois tem de cumprir certos princípios. Esses princípios são o da legalidade, o da proporcionalidade, o da igualdade de tratamento e da 'nulla poena sine culpa'. À luz do princípio da proporcionalidade, o Painel tem sérias dúvidas acerca da razoabilidade da alínea d) do Artigo 1.04 do regulamento da Liga dos Campeões".

in JN, 17/09/2008

Ou seja, os princípios da legalidade, da proporcionalidade, e da igualdade de tratamento remetem para casos semelhantes (Juventus, AC Milan, Fiorentina, etc.)

José Correia disse...

Acórdão do TAS:
"Na opinião do Painel, com base nos factos submetidos, o envolvimento do F. C. Porto (ou do seu presidente) na actividade ilícita não foi estabelecido com o grau de certeza necessário. À UEFA não deve bastar a condenação interna, pois essa condenação é apenas uma das circunstâncias factuais que a UEFA deve levar em consideração para tomar uma decisão autónoma e independente".

in JN, 17/09/2008

Esta parte não foi lida pelos geninhos deste Mundo...

José Correia disse...

"Há algumas conclusões a retirar, desde logo a incompetência da justiça desportiva portuguesa. Depois, o Benfica e o seu clube-satélite saem ridicularizados nas suas posições. Não me admira, no entanto, que haja ainda um prolongamento. Em causa fica também a regulamentação da UEFA. O senhor Platini deve olhar para a sua casa em vez de criticar o FC Porto."
Rui Moreira
in O JOGO

José Correia disse...

"É um passo para a reposição da verdade, que começou com uma norma mal construída e uma interpretação imprópria. Quem promoveu este processo deve procurar ganhar dentro do campo, mas isso é mais difícil. As virgens e esvoaçantes arautos percebem agora que foi uma péssima opção aliarem-se a quem, ao contrário de D. Afonso Henriques, não defendeu Portugal."
Miguel Guedes
in O JOGO

José Correia disse...

Geninho de novo, agora no Record:

«Não sendo o TAS um órgão de recurso das instâncias desportivas portuguesas, tinha duas hipóteses ao analisar este caso: ou aceitava as decisões da justiça desportiva e fazia o seu juízo em função do que foi decidido em definitivo na justiça desportiva portuguesa (o efeito desportivo da subtracção de pontos e de suspensão dos dirigentes e árbitros) ou punha em causa as decisões da justiça desportiva e fazia um juízo próprio. Ao optar por esta última forma, como aconteceu, teria de analisar todo o processo, ou seja, a prova produzida, a fundamentação dos órgãos da justiça desportiva, a justeza da decisão à luz do regulamento disciplinar português e, por fim, se não concordasse com a decisão, explicar porquê. Ora, o próprio TAS reconhece que não teve acesso à tradução dos acórdãos que penalizaram o FC Porto e Pinto da Costa, acrescentando que as decisões tomadas pelo CJ “não foram claras”. Para além do facto de ainda correrem processos nos tribunais admnistrativos das decisões tomadas. Providências cautelares que têm vindo a ser indeferidas...

Ao mesmo tempo, o TAS reconhece razão ao Benfica ao declarar que não se aplica o princípio da não retroactividade. Destruindo, neste ponto, a linha argumentativa do FC Porto, que alegava que o artigo 1.04 do Regulamento de Competições da UEFA – que levou, numa primeira instância, o Comité de Disciplina da UEFA a penalizar o FC Porto com a exclusão das competições europeias na época de 2008/2009 – não era aplicável. O processo estará longe de estar fechado e caberá à primeira instância disciplinar da UEFA voltar a pronunciar-se sobre os factos e esta decisão do TAS. Ou seja, o FC Porto ganhou mais uma batalha, mas esta guerra ainda não terminou...»

Eugénio Queirós
in Record, 17/09/2008

José Correia disse...

«Na base da decisão está o facto de o TAS considerar que as decisões da Comissão Disciplinar da Liga e do Conselho de Justiça (CJ) da Federação Portuguesa de Futebol "não demonstram com a certeza necessária que o FC Porto (ou o seu presidente) estiveram envolvidos em actividades ilícitas", numa análise que pode ser entendida como uma crítica aos órgãos da Liga e da federação, esta ainda visada pela forma "pouco clara" como decorreu a reunião do CJ e por não ter enviado uma tradução completa da decisão do CJ.

O mesmo acórdão critica a alínea d) do ponto 1.04 do regulamento da UEFA, segundo o qual um clube, para participar na Liga dos Campeões, "não pode estar ou ter estado envolvido em qualquer actividade que vise influenciar o resultado de um jogo, a nível nacional ou internacional". O TAS levanta dúvidas quanto à "razoabilidade" do artigo, por não estabelecer o limite temporal da infracção. "No limite, a regra poderia significar um boicote perpétuo de um clube", lê-se no documento, em que os três árbitros do TAS também não aceitam a interpretação proposta pelo Comité de Apelo da UEFA, para quem só deveriam ser impedidos de participar na Liga dos Campeões os clubes que cometessem as infracções previstas na alínea d) na época anterior ao registo. O TAS aponta que esta interpretação daria origem a um tratamento desigual dos clubes.»

in PUBLICO, 17/09/2008

José Correia disse...

«O clube da Luz não emitiu comentário oficiais, mas fonte oficial dos "encarnados" disse ao PÚBLICO que "o FC Porto ainda pode vir a ser sancionado", à luz desta interpretação e do parecer de Freitas do Amaral, que ainda não era conhecido à data da decisão do TAS. Os "encarnados" estão mesmo convencidos que "a decisão seria seguramente diferente" caso a posição de Freitas do Amaral tivesse surgido antes de o TAS avaliar o caso.»

in PUBLICO, 17/09/2008

Nuno Nunes disse...

O Marinho Neves é um atrasado mental. É gago, e quando lhe põem um microfone à frente só consegue balbuciar um conjunto de palavras sem nexo, ficando a ideia que é um ressabiado dos sucessos do FC Porto.

O porco do Eugénio Queiroz tem um blog onde aproveita para expor as sobras de informação que a mulher vai obtendo nos bastidores da equipa da Morgado. É um anti-portista primário, mais um, que não consegue disfarçar a azia que sente com as nossas vitórias.

D S Oliveira disse...

Sabemos jogar à bola. Mas também ganhamos nos tribunais.

Se um tribunal toma uma decisão com que concordamos, está a ser feita justiça.

Se um tribunal toma uma decisão de que discordamos, a justiça não funciona e é corrupta.



As coisas não se passam assim, mas é assim que muitos facciosos as vêem.



Todos gostamos de ganhar e ninguém gosta de perder.



Quem está habituado a ganhar, compreende e aceita uma ou outra derrota, porque sabe que se trata de situação passageira.



Quem está habituado a perder, irrita-se com facilidade, perde o Norte e comete erros em cima de erros.



O FCPorto está habituado a ganhar e continua a ganhar.



Foi recentemente chamado a jogar uma nova modalidade, que decorre nos tribunais.



Também aqui, o FCP se tem saído bem. Quando acossado, o FCPorto reage. E tem reagido bem.



Vem isto a propósito do acórdão do Tribunal da Relação do Porto que considerou idelgal a prisão de Pinto da Costa e da divulgação integral da decisão do TAS que tinha confirmado o FCPOrto na Liga dos Campeões.

Quem recorreu ao TAS?

O TAS teria emitido um acórdão porque se lembrou que deveria embirrar com a UEFA, o guimarães e o slb?

O TAS era independente quando a ele se recorreu e passa a corrupto quando se pronuncia sobre o recurso?

Freitas do Amaral é chamado a este assunto do acórdão do TAS porquê?

Freitas do Amaral não tem nada a ver com a avaliação dos factos imputados pela CD da Liga a Pinto da Costa e ao FCP.

Freitas do Amaral disse apenas que a reunião do CJ da FPF é válida e que as suas deliberações produzem efeito.

Freitas do Amaral disse apenas isso, e nada mais que isso.

Ninguém de boa fé pode pretender que Freitas do Amaral confirmou a decisão da CD da Liga. Não foi sobre isso que Freitas do Amaral se pronunciou.

Mário Faria disse...

Há certos críticos, jornalistas e cronistas de quem discordámos, mas que nos devem merecer atenção.
Há vários : David Borges fez declarações muito interessantes sobre a eventual não presença do FCP na CL, o António Tadeia parece-me um jornalista equilibrado, e considero o Carlos Daniel um bom pivot. São alguns dos exemplos. Mas há mais.
Agora o Marinho Neves devia ser proibido de aparecer nos nossos escritos. É um gnomo, destila ódio, e é repelente desportivamente. Transcrever o que o que esse mercenário escreve é dar-lhe uma importância que definitivamente não merece. Não é por não ser do FCP é por ser ignóbil. Sinto imenso prazer na azia dele. Mas, conheço o seu estado de alma, sem precisar de ler o que esse fanático remunerado “vomita”.

Mefistófeles disse...

Como eu li algures: atirem-se de um penhasco ! Pelo menos poupamos na Seg.Social e não temos que aturar a sua triste existência.

Só tenho pena dos lampiões da Indochina, que não têm culpa nenhuma. E do Xanana Gusmão.