terça-feira, 14 de outubro de 2008

Ai se o ridículo matasse...

Hoje à tarde decorreu o debate instrutório do processo 'Apito Dourado' relativo ao jogo Nacional-Benfica, disputado a 22 de Fevereiro de 2004, tendo terminado com a vitória do Nacional sobre o Benfica por 3-2.

O Ministério Público sustentava que António Araújo terá actuado junto de Augusto Duarte, supostamente a mando de Pinto da Costa, para que o árbitro prejudicasse o Benfica. Em contrapartida, receberia bilhetes para o jogo FC Porto-Manchester United da Liga dos Campeões 2003/04.

Leram bem?
Para o Ministério Público de Pinto Monteiro um árbitro foi corrompido com a oferta de um bilhete para um jogo de futebol...

É verdade, estamos a falar do Ministério Público de um país da União Europeia e não do Burundi ou de Kiribati (peço desculpa aos burundinos e kiribatenses...)

Posição do Ministério Público, representado pelo procurador Gonçalo Silva, no Tribunal de Gondomar:
"Cremos que existem indícios de probabilidade razoável para condenação, em julgamento, dos arguidos Augusto Duarte (árbitro da partida Nacional-Benfica), Rui Alves (presidente do Nacional) e António Araújo (empresário), mas, quanto a Pinto da Costa, os indícios em fase de instrução vieram demover os da fase de inquérito, uma vez que o presidente do FC Porto não interveio directamente nas escutas telefónicas que estão na base do processo. Ou seja, as conversações telefónicas com o seu nome não são inequívocas"

E esta heim?
Afinal o próprio Ministério Público considera que os "indícios" para acusar Pinto da Costa em tribunal são fraquinhos...
Será que a Maria José sabe disto?

Ai se o ridículo matasse...
Fico à espera das reacções de Pinto Monteiro e Maria José Morgado, bem como, da 1º página do CM de amanhã.

A decisão de Pedro Miguel Vieira, juiz de instrução criminal de Gondomar (que já tivera a instrução do processo principal do Apito Dourado) ficou marcada para a próxima terça-feira.


Nota: Artigo editado às 8:50 do dia 15/10/2008

10 comentários:

Geninho disse...

«O FC Porto é actualmente o emblema nacional mais representativo de Portugal no estrangeiro. Atestam-no inúmeros testemunhos provenientes de todos os quadrantes e só a cegueira não admite vê-los.

Pese embora esse somatório inédito de êxitos quase ininterruptos, abutre famintos, ratos do bueiro, vendedores de palavreados, vendidos sem alma e assalariados do dinheiro ou da cobiça, cansam-se até à exustão na tentativa vã de fazer esquecer...o inesquecível.

José Correia disse...

«Pinto da Costa não foi apanhado, de forma directa, em nenhuma das escutas deste processo mas é várias vezes referido. O empresário António Araújo chega até, num telefonema a um membro da SAD do FC Porto, a confidenciar que esteve "a tratar com o presidente aquela questão do Nacional".

Também Rui Alves, em conversa com Araújo, conta que falou com Pinto da Costa e que o mesmo se congratulou pelo final do Nacional-Benfica. "Esses já não nos vão chatear mais", são as palavras que Alves cita do líder do FCPorto. (...)

O relatório pericial aponta ao árbitro Augusto Duarte dois erros na partida disputada a 22 de Fevereiro de 2004: um a favor de cada equipa.»
in Correio da Manhã, 14/10/2008

Ao ler o Correio da Morgado de hoje, e sabendo qual foi a posição do Ministério Público em tribunal, lembrei-me de uma célebre música de Vitor Espadinha:

Sim, eu sei,
É triste viver de ilusões,
...

José Correia disse...

"Sempre defendi que neste caso não há factos contra o meu cliente. Não é com suposições ou presunções que se leva uma pessoa a julgamento. Mas como já vi serem reabertos inquéritos por nada, prefiro esperar e ver o que isto dá"
Gil Moreira dos Santos, advogado de Pinto da Costa

José Correia disse...

Marcelino Pires, advogado do árbitro Augusto Duarte, considerou por seu lado que os factos relatados na acusação estão "ficcionados" e algumas das situações levantadas "nem sequer estão estribadas nas escutas telefónicas".

O advogado considerou "quase hilariante" o pormenor de se considerar que uma das contrapartidas recebidas pelo árbitro ter sido um bilhete-convite para ver o jogo FC Porto-Manchester United.

Quanto ao resultado da perícia feita ao jogo Nacional-Benfica, destacou um lance ocorrido logo aos 8 minutos. "Ficam muitas dúvidas aos peritos quanto à marcação de uma grande penalidade a favor da equipa da casa e se o árbitro estivesse intencionado teria tido ali uma oportunidade excelente para beneficiar o Nacional e não o fez", referiu sobre um lance que seguiu e do qual acabou por resultar golo do Nacional.

Sobre o erro detectado contra o Benfica, considerou-o "menor" por se tratar da marcação de um pontapé de baliza que devia ter sido pontapé de canto. O advogado considerou também que não foi feita qualquer prova de uma eventual contrapartida recebida pelo seu cliente. Como tal, "não se justifica levá-lo a julgamento, sujeitando-o ao vexame público e aos apetites mediáticos".

in Record

José Correia disse...

Da mesma certidão falou Gil Moreira dos Santos. O advogado de Pinto da Costa ficou satisfeito com os "critérios de objectividade" do procurador e criticou o critério da CD da Liga, nomeadamente do seu presidente, falando a propósito de um "critério de Torquemada" de alguém "que não morre de amores pelo meu constituinte".

in Record

Nuno Nunes disse...

É a queda do castelo de cartas que representa a reabertura destes processos pela super-equipa liderada pela super-procuradora com super-impacto mediatico.

O único problema é que o nosso sistema de justiça não consegue repor a imagem pública dos investigados que alguns dos seus intervenientes deliberadamente conspurcam com total impunidade.

condor disse...

Tanto dinheiro dos pobres contribuintes gasto,só para satisfaser o ego dos vermelhos!Voltamos ao tempo da ditadura pré 25 de abril em que os icones da nação eram fado fátima e futebol!"futebol leia-se benfica e eusebio"!A que é que se assiste hoje passados trinta e tal anos da revolução?Fado,pois vivemos uma época de grande promoção do fado e fadistas!Não tenho nada contra qualquer um dos dois embora não seja apreciador!Fátima,normal num país católico e com um povo de fé!E por fim futebol,que é o benfica e o eusebio como era dantes!Portanto tudo como dantes,quartel general em abrantes!A pide foi extinta?Viva a procuradoria geral da républica!O barbiere morreu?Viva a dona morgada!

José Correia disse...

«Gonçalo Silva não defendeu ontem a pronúncia de Pinto da Costa. O presidente do FC Porto tinha sido acusado de corrupção no âmbito do caso Nacional--Benfica, mas o magistrado, que ontem acompanhou o debate instrutório no Tribunal de Gondomar, entendeu que a prova não era suficiente. Disse que caberia ao juiz tomar a decisão final, mas será obrigado a recorrer, caso o magistrado judicial entenda que o presidente dos azuis-e-brancos não deve ir a julgamento.

A situação, que parece confusa, decorre de uma instrução de Pinto Monteiro. No ano passado, e após a constituição da equipa de Maria José Morgado, o procurador-geral da República deu instruções ao Ministério Público para que recorressem sempre que as decisões da equipa especial fossem contrariadas por um juiz de instrução. O que, neste caso, obrigará Gonçalo Silva a recorrer para a Relação em caso de não-pronúncia, mesmo num quadro, como aconteceu, em que o próprio entende não haver indícios suficientes para que o caso chegue a julgamento.»
in Correio da Manhã, 15/10/2008

Sem comentários.

José Correia disse...

«Ontem, no Tribunal de Gondomar a Justiça deu mais um contributo para a sua descredibilização. Não há outro modo de adjectivar o comportamento do Ministério Público após o argumento que o levou a desistir de pedir o pronunciamento de Pinto da Costa no caso Nacional-Benfica. "[Pinto da Costa] não participou directamente nas escutas telefónicas, e as que referem o seu nome não são inequívocas", disse o representante do MP. Assim mesmo, sem tirar nem pôr. Como se uma tal conclusão não devesse ter estado no fim da linha da investigação.

É cómodo, mas simultaneamente irresponsável, deixar estar anos a fio em lume brando a imagem de um cidadão (Pinto da Costa ou outro qualquer).»

Fernando Santos
O JOGO, 15/10/2008

Zé Luís disse...

Estive fora uns dias mas, vendo tv a espaços no tempo dos noticiários, não me lembro de qualquer menção explícita a este caso.

De igual modo, passando os olhos pelas bancas de jornais, não retive qualquer título sugestivo sobre esta matéria.

Vocês sabem do que estou a falar...