quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Nuno a titular?



"O Nuno tem três grandes qualidades: é um guarda-redes muito experiente; conhece muito bem o FC Porto e transmite a mística e o sentimento daquele clube; depois, é um jogador respeitado dentro do grupo, ouvido pelos companheiros, o que por vezes facilita, inclusive, a explicação das ideias técnicas. Funciona como extensão do treinador no balneário e é muito importante ter jogadores desses em qualquer equipa"
Carlos Azenha
in O JOGO, 07/10/2008


A exibição do Nuno no último Sporting x FC Porto, transmitindo segurança à equipa (e aos adeptos) e com três ou quatro intervenções decisivas, em que se destacam a saída aos pés de Postiga e a defesa a um cabeceamento do Derlei, só surpreende quem tem andado distraído. Já na época passada, sempre que foi chamado à titularidade, o Nuno correspondeu a 100%, nunca comprometeu a equipa (ao contrário do que aconteceu com o Helton) e na final da Taça de Portugal foi mesmo o melhor jogador do FC Porto, tendo feito várias defesas de grau de dificuldade elevado.

Mas para além do nível exibicional que tem demonstrado dentro das quatro linhas, o Nuno é um dos poucos jogadores sobreviventes do período de ouro 2002-2004 (o outro é o Pedro Emanuel), é uma voz de comando dentro de campo (na linha do Baía) e sabe o que é a mística do FC Porto, algo que é fundamental numa altura em que a equipa está a sofrer profundas alterações.

Contudo, li esta semana num jornaleco de Lisboa (Record) que, independentemente da forma evidenciada por Helton e Nuno nos jogos disputados, Helton irá continuar a ser intocável no campeonato e na Champions e que ao Nuno restam os jogos da Taça da Liga e da Taça de Portugal.

Eu não dou muita credibilidade a escribas de jornais anti-Porto e muito menos acredito (não quero acreditar!) que haja intocáveis na equipa do FC Porto. Aliás, da mesma maneira que na 2ª volta da época 2005/06 o Helton conquistou a titularidade ao Baía com todo o mérito, também agora o Nuno demonstrou que é o guarda-redes em melhor forma e, por isso, deve ser ele o titular.
Se assim não fosse, para além de estar a prejudicar a equipa, o treinador estaria a passar uma mensagem errada para o balneário, ou seja, que há jogadores de 1ª e de 2ª no plantel, e que a uns está reservado o estatuto de titulares independentemente dos treinos e dos jogos.


Mais. Sabendo (como tenho a certeza que sabe) do sentimento e opinião da esmagadora maioria dos adeptos portistas sobre este assunto, se colocar o Helton a titular nos próximos jogos Jesualdo irá estar a correr um enorme risco, porque à menor falha é muito provável que o internacional brasileiro seja ruidosamente assobiado em pleno Estádio do Dragão. Também por isso, e para além de tudo o resto já referido, seria uma enorme estupidez por parte do Jesualdo correr o risco de queimar um guarda-redes com a categoria do Helton.

O Jesualdo, como treinador de uma equipa de topo, pode ter muitos defeitos (e tem alguns), mas não é estúpido e não acredito que enverede por este caminho. Acredito, isso sim, que irá manter o internacional português como titular (para quando uma nova chamada à Selecção Nacional?) e que no próximo jogo oficial, contra o Sertanense, irá dar uma oportunidade ao Ventura, para que o promissor guarda-redes some alguns minutos em competição.



Em resumo e respondendo à questão que serve de título a este artigo: Nuno a titular?

Evidentemente que sim, nem admito outra possibilidade para os próximos jogos (Dínamo de Kiev e Leixões), com ou sem torcicolos.
A mesma opinião têm a esmagadora maioria (92%) dos participantes num inquérito que O JOGO promoveu sobre este assunto. Dos mais de 1000 participantes no inquérito, apenas 108 são favoráveis à titularidade de Helton.

Não está em causa a categoria do Helton, que é, sem dúvida, um guarda-redes de top (não foi por acaso que "destronou" o Baía e que chegou a titular da Selecção do Brasil). Contudo, nesta altura, o Nuno está em melhor forma e não há dúvida que dá mais garantias. Por outro lado, estou convencido que se o Helton sentir que o lugar está em perigo, irá ter uma atitude diferente, com mais concentração, de modo a justificar o regresso à titularidade.


Nome completo: Nuno Herlander Simões Espírito Santo
Data de nascimento: 25 de Janeiro de 1974 (34 anos)
Naturalidade: São Tomé, São Tomé e Príncipe
Altura 1.88m

Destaques:

Contratado pelo FC Porto em Julho de 2002, integrado na venda de Jorge Andrade ao Deportivo da Corunha (na altura o seu passe foi avaliado em 3 milhões de euros).

Substituiu Vítor Baía durante a Taça Intercontinental contra o Once Caldas, em Dezembro de 2004.

Foi transferido para o Dínamo de Moscovo em Janeiro de 2004 e regressou ao FC Porto em 2007/08.

Ao longo de cinco épocas - 2002/03, 2003/04, 2004/05, 2007/08 e 2008/09 - defendeu a baliza do FC Porto em 37 partidas, repartidas por todas as competições oficiais.

Fotos: Record, Maisfutebol

21 comentários:

TheDarknight disse...

Concordo totalmente com a opinião que foi dada e, até acho, que já à mais tempo o Nuno devia de ter esta oportunidade de agarrar a titularidade... Pois sempre que foi chamado à titularidade, defendeu bem e principalmente deu segurança à equipa.

Vamos ver o que o Prof. Jesualdo vai fazer no próximo jogo.

Saudações Portistas

sirmister disse...

Nuno já devia estar nha balisa do porto á muito, helton é tecnicamente muito acima da media mas em campo é um jogador relaxado e desconcentrado. helton nos grandes momentos teve falhas incriveis. Nuno alem das garantias que dá, cumunica muito melhor com a defesa e isso numa equipa grande é 70% do trabalho.

HULK Onze milhas disse...

"... Contudo, li esta semana num jornaleco de Lisboa (Record) que, independentemente da forma evidenciada por Helton e Nuno nos jogos disputados, Helton irá continuar a ser intocável..."

Mas como é evidente este é o desejo de todos aqueles que ambicionam o pior possível para o FCP. E nem acredito que este jornalzeco rasca tenha qualquer fonte de informação preveligiada junto do FCP. Por outro lado esta noticia tem outro sentido evidente: criar desestabilização no próprio Nuno e dividir adeptos e balneário.
Em minha opinião, jogadores como Nuno, Pedro Emanuel,Bruno Alves, etc. devem ter lugar na equipa, porque transmitem a tal "força interior" que faz a diferença em momentos difíceis, tais como já aconteceu com jogadores como Baía, J.Costa, etc...
Este tipo de jogadores não pode ser desprezado em favor de jogadores de valia ligeiramente superior ou com mais valor futuro de mercado....
Não podemos ter uma equipa apenas constituída por jogadores de elevado potencial de venda... Temos que acarinhar e defender estes verdadeiros jogadores "à Porto"... pois mais uma vez ficou provado que quando a "coisa fica preta" é com eles que temos que contar!!!

C disse...

Permitam-me que faça o contraditório, em nome dos tais 8% que votam "não''.

É bem verdade que Helton é, desde há uns tempos, um guarda-redes, não em má forma, mas sim algo "desmotivado".
Já não parece aquele "felino" dos primeiros tempos no Dragão, onde se apresentava com uma elasticidade tal que parecia chegar a todos os lados. Um estilo diferente daquilo a que estavamos habituados.
Creio que o seu afastamento da selecção brasileira, aliada a um certo desencanto com as metas actuais do FCP (apenas ambições caseiras), são as duas causas principais do presente estado de espírito do nosso guarda-redes.

Na teoria, até concordaria que 2 ou 3 jogos no banco, poderiam inverter este estado de desmotivação do brasileiro. Porém, temo pelo preço a pagar por uma eventual titularidade de Nuno.
Trata-se de um guarda-redes com escassíssimas rotinas de jogos 2 vezes por semana.
De toda a sua já longa carreira, apenas no Guimarães (isto na primeira metade da década de 90) e no Osasuna (há mais de 7 anos atrás) terá realizado mais do que 15 jogos numa mesma temporada.

Com toda a sinceridade, para além das imperdoáveis falhas na final da Taça de 2004, que em muito contribuíram para o então triunfo do slb, em todos os restantes jogos com a nossa camisola, sempre vi em Nuno um guarda-redes com alguma insegurança entre os postes e fora deles (larga imensas bolas).
E não foi em Alvalade que mudei de posição. Não tivesse Derlei falhado aquele remate de forma escandalosa e, seguramente, não haveria tanta unanimidade em torno do português.
Por outro lado, tenho alguma dificuldade em entender todo esse propalado "poder" que este, supostamente, exerce no balneário.
Com toda a sinceridade, julgo que o seu curriculum não o justifica.

Existe também uma boa parte de portistas, que nunca terá verdadeiramente "perdoado" a Helton a "ousadia" de ter terminado mais cedo a carreira de Baía e, por isso, no subconsciente de alguns, existem ainda "contas" antigas a ajustar com o brasileiro.

Numa coisa porém, todos parecemos concordar: já estivemos mais seguros na posição chave de guarda-redes.

HULK Onze milhas disse...

"...Existe também uma boa parte de portistas, que nunca terá verdadeiramente "perdoado" a Helton a "ousadia" de ter terminado mais cedo a carreira de Baía e, por isso, no subconsciente de alguns, existem ainda "contas" antigas a ajustar com o brasileiro..."
Na parte que me diz respeito rejeito totalmente esta teoria. Desejo que o Helton volte a ser o guarda redes que já foi no FCP e que presentemente não é.
A política do FCP nos útimos anos tem apontado no sentido de existirem sempre dois bons jogadores para cada lugar... estimulando assim a concorrência interna. E esta política é óptima para atletas que sintam "desencanto com as metas actuais do FCP..."

Metz disse...

Gostei do destaque a um dos jogadores do porto que acredito transportar consigo a mistica!

Não é totalmente descabido, se atendermos ao facto de uma vez, como comentador da sportv, a comentar um jogo da champions do porto (ainda como redes do aves) disse algo do genero: "ganhamos com todo o merito" emendando depois para "o Porto ganhou..."..

É já da casa, é um guarda-redes que acompanho e aprecio desde o guimarães e penso sem dúvida que merece a titularidade.

Agora, se acho que o Jesualdo é "estupido" ao ponto de arriscar o Helton? sinceramente acho....

Parabéns pelo post e pelo destaque merecido!!! Acredito que foi um dos factores que contribuiu para a muito boa postura da equipa em alvalade!

Cumpz

The Turk disse...

Por mim a escolha de GR é indiferente. Ambos dão garantias, se bem que o Nuno pareça-me mais fraco nos cruzamentos.

Não tivesse o slb roubado um GR ao Porto e se calhar a discussão sobre a baliza seria bem diferente.

http://www.youtube.com/watch?v=pUfX7qvM-s8

Depois de ver este vídeo chego à conclusão que o maior azar da Ingrid Betancourt foi não ser jogador de futebol. O Orelhas disponibilizaria imediatamente os seus gorilas para uma operação de salvamento. Aliás, especialidade em raptos não é a única coisa que o presidente do SLB tem em comum com as Farc. Vocês sabem do que eu estou a falar.

Paulino disse...

Faltou dizer que é um excelente profissional que consegue transmitir calma à equipa

José Correia disse...

C disse: «Creio que o seu afastamento da selecção brasileira, aliada a um certo desencanto com as metas actuais do FCP (apenas ambições caseiras), são as duas causas principais do presente estado de espírito do nosso guarda-redes.»

Caro C, o Helton chegou à Selecção brasileira em consequência da excelente 2ª volta que fez na época 2005/06 e, naturalmente, deixou de ser convocado, após 2 ou 3 jogos em que esteve bastante mal.

Relativamente ao desencanto com as metas actuais do FC Porto bem, ambos sabemos quem foi o grande responsável por, há duas épocas atrás, o FC Porto não ter eliminado o Chelsea de Mourinho em pleno Stanford Bridge, passando aos quartos-final da LC.

Infelizmente para nós, o Helton das épocas 2006/07 e 2007/08 não é o mesmo que destronou o Baía em Janeiro de 2006.

Paulino disse...

"Relativamente ao desencanto com as metas actuais do FC Porto bem, ambos sabemos quem foi o grande responsável por, há duas épocas atrás, o FC Porto não ter eliminado o Chelsea de Mourinho em pleno Stanford Bridge, passando aos quartos-final da LC."

Essa noite foi mesmo para esquecer com uma boa garrafa de whisky 20 anos

The Turk disse...

José Correia disse...
"Relativamente ao desencanto com as metas actuais do FC Porto bem, ambos sabemos quem foi o grande responsável por, há duas épocas atrás, o FC Porto não ter eliminado o Chelsea de Mourinho em pleno Stanford Bridge, passando aos quartos-final da LC."

Sim, porque não fosse o Helton, o 1-1 em casa e 1-1 fora eram suficientes para passar a eliminatória. Para não falar na forma como dominamos esse jogo, com 43% da posse de bola e 2 remates em 90 minutos.

José Correia disse...

Turk disse: «Sim, porque não fosse o Helton, o 1-1 em casa e 1-1 fora eram suficientes para passar a eliminatória. Para não falar na forma como dominamos esse jogo, com 43% da posse de bola e 2 remates em 90 minutos.»

Eu estive em Stanford Bridge e o que eu vi durante a 1ª parte foi um FC Porto coeso e personalizado, que silenciou os adeptos ingleses, não permitindo que o Chelsea criasse oportunidades de golo e que chegou ao intervalo a vencer por 1-0.

A estratégia para a 2ª parte era a mesma, com a vantagem adicional de jogarmos com o tempo, com o nervosismo crescente dos adeptos e jogadores do Chelsea e continuando a explorar saídas rápidas para o contra-ataque, por forma a numa delas poder matar o jogo e a eliminatória.

Infelizmente, tudo isto foi por água abaixo, porque aos 48 minutos o Helton sofreu um peru monumental.

Esta é a realidade dos factos e este era o sentimento dos adeptos portistas no final do jogo e no aeroporto (estivemos lá até às 6:00 da manhã).

Relativamente aos 43% de posse de bola, é algo que decorre da estratégia adoptada.
Já agora, sabes qual foi a percentagem de posse de bola do FC Porto no último jogo com o Sporting, que ganhamos com toda a justiça?

HULK Onze milhas disse...

Vi o jogo pela Tv numa roda de Amigos e lembro-me perfeitamente da nossa desolação em relação à forma como a infelicidade do Helton virou o jogo. E não foi apenas nesse lance decisivo. Teve outros momentos em que transmitiu intranquilidade à equipa.
Acho até que foi a 1a. vez (e única?) em que Jesualdo teve uma boa invenção: Quaresma a ponta de lança.... :-)
Quanto à posse de bola.... não se notou sufoco nenhum.... nunca!

The Turk disse...

José Correia, respeito a tua opinião, apesar de discordar dela. O jogo em Stanford Bridge foi igual ao jogo no Dragão, em que a equipa estourou após uma hora de jogo e tivemos sorte em não perder. Nas últimas 4 épocas o Chelsea só perdeu uma vez em casa, frente ao Barça que seria campeão europeu. Só mesmo com muita sorte é que conseguiríamos sair de lá com o apuramento. Colocámos o autocarro em frente à baliza. O Porto simplesmente não estava nem está ao nível das equipas inglesas de topo. Queres comparar os jogadores do Sporting com os do Chelsea?

Gostava que me explicasses porque o Nuno pode falhar contra o Benfica e o Helton não pode contra o Chelsea.

Acho um bocado idiota andar a fazer campanha contra um GR quando só lhe podem apontar esse erro desde que chegou ao Porto. No nosso clube só o Vítor Baía tem melhor registo de imbatibilidade do que o Helton.

José Correia disse...

Turk disse: «O Porto simplesmente não estava nem está ao nível das equipas inglesas de topo.»

Certo. Sem dúvida que num campeonato ficariamos atrás do Chelsea, o que não quer dizer que não lhes possamos ganhar um jogo em que as coisas nos corram bem e a eles nem por isso.

O que relatei no meu comentário anterior é factual. Isto é, a exibição do FC Porto na 1ª parte calou Stanford Bridge, ou melhor, ouviam-se, e de que maneira, os adeptos portistas.
O nervosismo do Mourinho e dos jogadores do Chelsea era evidente.

Ao intervalo toda a gente sentia que se aguentassemos os primeiros 15-20 minutos da 2ª parte, o nervosismo crescente ia tomar conta dos jogadores do Chelsea e a confiança dos nossos ia ser cada vez maior.
Mais. A ânsia do Chelsea em chegar ao empate, iria criar condições cada vez melhores para o contra-ataque portista.

Infelizmente tudo isto foi por água abaixo muito antes dos jogadores do FC Porto estourarem fisicamente, porque o peru do Helton foi aos 3 ou 4 minutos da 2ª parte. A partir daí sim, toda a gente, dentro e fora do campo, sentiu que estava tudo acabado.

José Correia disse...

Turk disse: «Acho um bocado idiota andar a fazer campanha contra um GR quando só lhe podem apontar esse erro desde que chegou ao Porto.»

Em primeiro lugar eu não ando a fazer campanha contra o Helton. Simplesmente o Nuno está em melhor forma e, por isso, deve ser ele a jogar.

Quanto aos erros do Helton desde que chegou ao FC Porto, meu caro Turk, a minha memória já não é o que era, mas a tua...

Só na época passada, lembro-me de um golo do Vukcevic pelo meio das pernas, do peru na Amadora (que abriu caminho ao empate num jogo que estavamos a vencer por 2-0) e do 3º golo do Liverpool em Anfield Road (em que andou aos papeis).

The Turk disse...

José Correia disse...
"Só na época passada, lembro-me de um golo do Vukcevic pelo meio das pernas, do peru na Amadora (que abriu caminho ao empate num jogo que estavamos a vencer por 2-0) e do 3º golo do Liverpool em Anfield Road (em que andou aos papeis)."

Em Alvalade o Bozingwa deixou fazer o cruzamento, os centrais deixaram o Vukcevic rematar à vontade e a culpa é do Helton? Fiquei esclarecido.
Na Amadora o Helton foi derrubado pelo Stepanov quando saltaram à bola.
O 3º do Liverpool não foi de penalty?

José Correia disse...

Turk disse: «Na Amadora o Helton foi derrubado pelo Stepanov quando saltaram à bola.
O 3º do Liverpool não foi de penalty?»


No E. Amadora - FC Porto da época passada, um dos golos é culpa do Helton e o outro do Stepanov.

No Liverpool - FC Porto, não posso precisar se foi no 3º ou 4º golo que o Helton andou aos papeis, mas lembro-me perfeitamente de ele ter saído à bola de forma encolhida (com os braços esticados mas quase de joelhos).

Quem nos dera a nós que o único erro/"frango" do Helton desde que chegou ao FC Porto fosse o que sofreu em Stanford Bridge.

The Turk disse...

José Correia disse...
Turk disse: «Na Amadora o Helton foi derrubado pelo Stepanov quando saltaram à bola.
O 3º do Liverpool não foi de penalty?»

No E. Amadora - FC Porto da época passada, um dos golos é culpa do Helton e o outro do Stepanov.

http://futebol.videos.sapo.pt/MrYpuiou4Ki0cTgUH2Cj


No Liverpool - Porto o Helton saiu da baliza para interceptar o cruzamento e o Crouch chegou primeiro à bola. No Porto - Liverpool o Nuno ficou parado na linha de golo a ver o cruzamento chegar à cabeça do Kuyt para marcar o golo do empate.

José Correia disse...

Caro Turk, depois de rever o lance no video que tu colocaste, reforço a minha convicção: é um frango do Helton, que não tinha nada de sair da baliza daquela maneira e não interceptar a bola.
Não sei onde é que está a dúvida. Se fosse o Ricardo nem hesitavas.

Quanto ao 2-2 é um penalty estúpido do Stepanov.

Quem quiser rever o vídeo está no seguinte link:
http://futebol.videos.sapo.pt/3IBNBrGrjb34J58r5S8k

The Turk disse...

José Correia disse...
"Caro Turk, depois de rever o lance no video que tu colocaste, reforço a minha convicção: é um frango do Helton, que não tinha nada de sair da baliza daquela maneira e não interceptar a bola.
Não sei onde é que está a dúvida."

Duvidas só se forem do teu lado. A bola entrou no ângulo, se o Helton tivesse ficado na baliza nunca a apanhava. O derrube do Stepanov ao GR é claro nesse lance.