terça-feira, 7 de outubro de 2008

Os actores de Alvalade


A farsa é uma modalidade burlesca de peça teatral, caracterizada por personagens e situações caricatas. Difere da comédia e da sátira por não se preocupar com a verosimilhança nem pretender o questionamento de valores.
in Wikipédia


No Sporting x FC Porto, na jogada que antecedeu o 1º golo dos dragões, quem ouviu os gritos lancinantes de Grimi, após ter sido desarmado de forma limpíssima pelo seu compatriota Tomás Costa, não teve dúvidas: o rapaz pode não ser grande coisa como jogador de futebol, mas tem uma enorme vocação para o teatro.


O problema é que mesmo os sportinguistas preferem ver futebol do que teatro e, para alguns mais lúcidos, começa a ser cansativa a estratégia de simulação de faltas terríveis que é adoptada por diversos jogadores leoninos. Daí, talvez, os assobios com que as bancadas de Alvalade brindaram Grimi, na 1ª vez em que este tocou na bola após o lance fatídico em que quase lhe "arrancaram uma perna"...

Contudo, apesar dos seus excelentes dotes teatrais e vocais, Grimi não chega aos calcanhares de João Moutinho, o simulador (conforme lhe chamou Eugénio Queirós no seu blog). Este sim, é catedrático em farsas burlescas.

Viram a forma artística como o João simulão Moutinho se atirou para o relvado e sacou o penalty que deu o empate ao Sporting? É de génio!
Claro que contou com a colaboração de outro farsante - o Lucílio Calabote Baptista - mas a forma como caiu, o esbracejar de braços e o esgar no rosto é algo tão convincente e natural que só está ao alcance de uns poucos predestinados para este género teatral.


Bem vistas as coisas, tenho pena que o critério à la basquetebol adoptado pelo empregado do BES neste lance, não seja seguido pelos restantes árbitros em todos os jogos. Teríamos uns 20 penalties por jornada, o Sporting batia o seu recorde de 2001/02 e o João Moutinho (ou Romagnoli) seriam fortes candidatos à bota de ouro...

«A categórica opinião sobre a existência de falta no lance que originou a grande penalidade que deu o único golo do 'sporting', expressada por Cruz dos Santos no 'domingo desportivo', é um perfeito disparate. No campo não existiu e nas imagens televisivas também não.
Será que o excessivo mediatismo televisivo que lhe está a ser conferido neste início de época, teleavaliação dos árbitros no 'dd' da 'rtp' e, tanto quanto deu para perceber, o mesmo papel na 'benfica tv', lhe está a toldar a visão?...
Os benfiquistas de maior idade, como é o caso do reputado jornalista, costumam engrossar, sobretudo, a facção anti-sporting; a anti-porto está, geral e naturalmente, reservada aos mais novos. Daí a estranheza

António Boronha, ex-vice-presidente da FPF




Outra coisa que aprecio bastante no João simulão é a forma como rebola no relvado sempre que sofre uma falta ou algo que se assemelhe a uma falta. Há jogos em que ele "morre" umas 3 ou 4 vezes (anteontem foram só duas vezes), entra em campo o médico e a maca, os adeptos ficam apreensivos (desta vez parece grave, não parece? será que vai ter de ser operado?)... mas, afinal, um minuto depois "ressuscita" e lá está ele de novo a correr atrás da bola.
Isto é que é um jogador! Depois de ter sido vitima de mais uma entrada bárbara, atroz, assassina, que recuperação miraculosa e quase instantânea!
Foi uma pena não ter ido para o Everton. Os adeptos ingleses iam adorar esta postura dentro de campo...

17 comentários:

José Correia disse...

A opinião do ex-árbitro José Leirós (companheiro de blog de Eugénio Queirós) sobre a arbitragem do último Sporting x FC Porto.

-----

Lucilio arbitrou à Lucilio Batista de Setúbal. Aqui está a análise a quase todos os lances do clássico de domingo à noite em Lisboa.

1ª Parte

12 Minutos de Jogo – Rochemback deliberadamente joga a bola com o braço e Lucilio correctamente só o puniu tecnicamente pois não cortou a linha do passe nem jogada comprometedora
13 Minutos de Jogo – Postiga isola-se e Nuno agarra bola sem tocar em Postiga. Bem Lucilio em não assinalar qualquer infracção
18 Minutos de Jogo – Golo legal de Lisandro, pois Tomás Costa apoderou-se da bola sem tocar em Grimi e centra para Raul Meireles
19 Minutos de Jogo – Cartão amarelo por exibir a Moutinho que simulou falta que Lucilio não assinalou
22 Minutos de Jogo – 1ª falta de Lucho que deliberadamente rasteirou Rochemback e foi–lhe exibido o cartão amarelo
24 Minutos de Jogo – Critério diferente Abel deliberadamente rasteira Fucile e Lucilio não lhe exibi o cartão amarelo
28 Minutos de Jogo – Grande penalidade bem assinalada Tomas Costa empurra deliberadamente Moutinho impedindo que ele jogasse a bola depois de dominada
31 Minutos de Jogo – Falta bem assinalada na jogada anterior ao golo de Bruno Alves pois Polga rasteirou Lisandro
32 Minutos de Jogo – Cartão amarelo tardio exibido a Abel que antes tinha cometido falta mais merecedora.
38 Minutos de Jogo – Postiga reclama com razão pois quando se isolou encontrava-se em linha e não em fora de jogo

2ª Parte
50 Minutos de Jogo – Pontapé livre directo bem assinalado á entrada da área, Pereirinha agarrou o braço de Rodriguez
53 Minutos de Jogo – Moutinho queixa-se que foi empurrado mas não pode usar aquela linguagem com Lucilio e deveria ter sido exibido o cartão amarelo
54 Minutos de Jogo – Bem exibido o cartão amarelo a Tomas Costa
56 Minutos de Jogo – Ficou por assinalar falta de Tomás Costa sobre Moutinho, esta falta não era passível de cartão amarelo
65 Minutos de Jogo – Segundo cartão amarelo por exibir a Abel que deliberadamente rasteira Bruno Alves cortando jogada perigosa ou comprometedora
88 Minutos de Jogo – Bem exibido o cartão amarelo a Lisandro que impediu o recomeço do jogo
90 Minutos de Jogo – Protestos injustificados e falta bem assinalada de Liedson sobre Nuno pois fora da área de baliza o guarda-redes é um jogador normal que sofreu falta

José Correia disse...

Ontem, aos 85' do Leixões x SLB, há um lance semelhante ao penalty de Alvalade na área do Benfica.

Yebda, com o braço esquerdo, impede Braga (jogador do Leixões) de progredir no terreno.

Olegário Benquerença nada assinalou.

José Correia disse...

«só nos resta aguardar pela opinião de cruz dos santos sobre o empurrão do gigante yebda (ganda jogador!) a um 'bébé' matosinhense, dentro da área encarnada»
António Boronha
in antonioboronha.blogspot.com

D S Oliveira disse...

A Imprensa de hoje refere que o slb perdeu a oportunidade de assumir a liderança da Liga.

Não é verdade! É cegueira!

O slb conquistou em Matosinhos um empate milagroso.

Se o Leixões tivesse ganho, teria assumido a liderança isolado, com mais 1 ponto que o FCPorto.

Se o slb tivesse ganho, ficaria com o mesmo número de pontos que o FCPorto, mas em 2º lugar.

Então, o slb perdeu o quê? O slb não perdeu nem ganhou absolutamente nada.

Antes de começar a 5ª jornada, o Leixões estava em 3º lugar, com mais 1 ponto que o slb, que estava em 5º.

Completada a 5ª jornada, as posições mantêm-se exactamente na mesma.

Entre o slb e o líder FCPorto estão o Nacional, o Estrela e o Leixões.

Por que será que a Imprensa não quer ver as coisas como elas são?

Zé Luís disse...

José Correia, falta dizer que, às vezes, o outro leve, levezinho que é o farsante JM também costuma dar porrada e feia.

Deve pensar que os mais grandes, depois, vão-lhe cobrir as costas.

Sobre lances comparativos, além do de ontem do Yebdá, e o do Postiga a empurrar o Meyong em Braga que o Bruno Facínora Paixão assinalou com falta ao contrário?

Além do intensómetro, é preciso um conversor de corrente. Vêem sempre para o mesmo lado. PQP!

PSousa*Bancada Directa* disse...

Tu podes escrever o que quiseres, pois estás nesse direito, mas o que espanta mais, é que mesmo vendo o braço na foto que tu tens neste blog, do Tomas ao Moutinho, continuas com a tua que foi teatro, sendo que te pergunto, sabes qual foi a intensidade do mesmo, para dizer que não foi falta?

Penso que ninguém poderá dizer.

Mas a verdade é que de faltas grandes ou pequenas e intensidade reduzida ou não, não existem no futebol, como não pode ser medida a mesma, é falta porque os braços são para coordenação do corpo e não para ajuda no empurrão, forte ou pequeno.

Mas respeito a tua opinião, sendo difícil de entender , mesmo vendo na foto o braço no empurrão.

como dizia um amigo meu, ..."cego é o que não quer ver"

Abraço

José Correia disse...

Zé Luis disse: «Sobre lances comparativos, além do de ontem do Yebdá, e o do Postiga a empurrar o Meyong em Braga que o Bruno Facínora Paixão assinalou com falta ao contrário?»

Caro Zé Luis, como ambos sabemos, se fossemos comparar o penalty de Alvalade (mais um...) com lances semelhantes que os árbitros não assinalaram, tinhamos artigos para vários dias...

Zé Luís disse...

Claro que tínhamos, Zé Correia, até íamos à final da Taça onde o Lisandro foi abalroado pelo Polga e o Olarápio nada marcou. No seguimento da jogada, a saída de bola do Sporting na área, João Paulo varreu Moutinho em mais uma falta mais aparatosa - com o mortífero mortal à retaguarda com pirueta para a frente - que violenta e sabemos como o árbitro julgou o lance: cartão vermelho, pois claro.

O problema do "intensómetro" (ou intensímetro) só se verifica contra o FC Porto. Na época passada, no banho de bola em Alvalade, o Quaresma foi abalroado pelo Ronny pouco antes do intervalo, creio que ainda estava 1-0, e nenhum penálti foi marcado.

Contra o FC Porto, qualquer mão nas costas serve para um penálti, desde que seja na área.

É como a mão na bola na área: contra o Sporting não se marca (vide Supertaça em Leiria), mas o mesmo Bruno Paixão viu (e muito bem) uma no recente P. Ferreira-Benfica.

Quem tem dois pesos e duas medidas? Quem tem visões distintas dos lances, com a mesma equipa interveniente ou com árbitros diferentes em jogos com equipas diversas.

Isto está uma paranóia com prejuízo para o próprio jogo.

Porque é assim que, como na época passada, o Sporting tem 10 penáltis a favor em 15 jogos em casa. E apesar do choradinho compulsivo a verdade é que é a equipa mais favorecida, quer em penáltis em favor quer em penáltis contra que não lhe são marcados.

A estatística comprova-o facilmente, mas esta é uma triste realidade que nos entra pelos olhos dentro em cada semana destew futebol desvirtuado na verdade desportiva e não no sentido em que a generalidade dos adeptos, rivais, aponta.

Essa é que é essa!

José Correia disse...

psousa bancada directa disse: «faltas grandes ou pequenas e intensidade reduzida ou não, não existem no futebol, como não pode ser medida a mesma, é falta porque os braços são para coordenação do corpo e não para ajuda no empurrão, forte ou pequeno.»

A mim não me faria grande confusão o penalty assinalado pelo Lucilio Calabote Baptista a favor do Sporting, se o critério seguido neste jogo fosse seguido por todos os árbitros (incluindo este) em todos os jogos.
Ora, toda a gente sabe (até os cegos) que não é isso que acontece.

Aliás, não é por acaso que pessoas cuja simpatia pelo FC Porto é nula, como Eugénio Queirós (anti-portista primário), António Boronha, Rui Santos ou Paulo Catarro, questionam a decisão do árbitro ou afirmam mesmo peremptoriamente que não foi penalty.

Mais. Basta percorrer alguns blogues sportinguistas, para ler vários comentários onde é reconhecido que o penalty foi forçado.

O que está em causa neste penalty não é se o Tomás Costa tocou no Moutinho, até porque o futebol é um jogo de contacto. Não estamos a falar de basquetebol.
O que está em causa neste penalty são os critérios.
O que está em causa neste penalty é a igualdade de tratamento que todos os clubes têm direito.
O que está em causa neste penalty é a facilidade com que se marcam penalties a favor do Sporting (líder destacado dos beneficiários de penalties a favor nos últimos 10 anos).

É isto que está em causa.

Infelizmente para os sportinguistas, desta vez nem a ajuda do Lucilio Calabote lhes valeu.

PSousa*Bancada Directa* disse...

Caro Amigo,

Bem, cada um tem o direito de achar o que bem entender a respeito de pessoas primárias,mas o certo é o que falo não como simpatizante do Sporting, mas sim como uma pessoa que está a ver do lado de fora.

Depois para mim, foi penalty, e se marcam ou não nos outros jogos, e se o critério é duvidoso da parte do árbitro concordo consigo, mas isso , não invalida a decisão que o árbitro tomou neste jogo, na minha opinião bem, porque já joguei futebol e sei discernir o que pode ou não ser um contacto que interfira.

O Moutinho quando recebe de peito a bola, fica sempre em desequilíbrio, sendo que um pequenino empurrão como foi o caso, o tirava logo do lance como foi o caso e sendo assim..., sendo que os braços são mais que evidentes, [penso que não foram montadas as imagens que todos vimos], mas tal qual, lá vamos falar da intensidade, que de uma vez por todas digo, não existe, e como diz e bem, não é basquetebol, não se joga com os braços ou mãos, mas sim com os pés, e a parte autorizada para além deste é também a parte lateral do corpo, como os ombros, não os braços, por isso,basquetebol, não é não senhor, tem razão!!! O contacto pode ser feito, desde que sem ajuda dos BRAÇOS, no basquetebol, claro é falta.

Depois, fala nos últimos 10 anos, mas veja nos últimos 28 anos, quem foi mais beneficiado, veja quem ganhou mais títulos, veja quem está envolvido em casos do apito dourado, veja quem são as viagens que estavam nos gabinetes cosmos e nas facturas da administração do Porto que apareceram como disseram por engano e pagaram sem querer!!!, veja que mala foi levadas ao Acácio, um dos guardiões do Beira-Mar a uns anos, nas imediações da cidade do Porto para beneficiar o seu clube, e qual o dirigente [se quiser posso dizer-lhe se não sabe], e muitas mais..

Não venha com estatísticas e tentar defender através de outros o que não tem defesa, só o mais "primário" fanático não admite que existiu isto tudo, ou tenta disfarçar que os outros também fizeram, pois de certeza que muitos fizeram, mas até agora os que são públicos são esses...

Aliás, estamos a falar deste lance, mas não venha com estatísticas do que lhe interessa, que eu felizmente não nasci ontem, ou sou ignorante. Olhe lembro tanto os penaltys a 5 minutos do fim quando estava a perder ou a empatar, ja lá vai a muitos anos que o Benfica marcava para assim para ganhar os jogos, como lembro os penaltys do Jaldel no campeonato em que o Sporting foi campeão no inicio do século, como também lembro quantas as vezes o Porto foi beneficiado a favor directamente e indirectamente, pois sei como se faziam, e ainda sei porque estou envolvido no meio.

Alias, o Sporting tem lá uma cambada de mercenários, que só querem é tirar benefícios de adjacentes do clube, no Benfica o problema é que tem muita gente que percebe "muito de futebol" ou acha que percebe, e como é um clube do povo, é um problema.No Porto para mim, é o clube que gere melhor o futebol e seus interesses, na minha opinião, graças a inteligência e astucia do seu presidente, pese embora, como já disse condene muitas acções que fez, para ganhar a todo custo, mas isso não impede que reconheça que é o melhor clube actualmente de Portugal a nível de gestão, se bem, que também possam haver interesses, mas o certo é que o clube ganha e ponto final.

Por isso desde já vê que não tenho pejo em dizer o que acho, seja a favor ou contra, pois não sou contra ninguém, sou a favor da verdade e da justiça, nada mais.

Vamos só reportarmos ao lance em questão, ok?

Alias, penso com a minha cabeca e nao com Rui Santos, Boronha ou companhia, pois não ando no barco de ninguem, nem quero andar, só digo o que penso, sem olhar a clubes..

Já agora para mim, que poucos falam, aquela entrada de Derlei merecia sumarissimo, uma vez que é assassina e o arbitro não assinalou essa falta, mas sim simulação do portista.

Abraço e não sou seu inimigo, só podemos divergir aqui ou ali em opiniões, tome nota disso. Só me fez fazer referencia a algo que não queria, nem foi isso que me trouxe aqui, entenda isso.

José Correia disse...

PSousa Bancada Directa disse: «para mim, foi penalty, e se marcam ou não nos outros jogos, e se o critério é duvidoso da parte do árbitro concordo consigo, mas isso , não invalida a decisão que o árbitro tomou neste jogo»

Mas o modo como este penalty é analisado não pode ser desinserido do contexto em que ocorre.
Por exemplo, toda a gente sabe que em Inglaterra os árbitros deixam jogar e, ao contrário do que se passa no campeonato português, não marcam faltas por dá cá aquela palha. Os jogadores sabem isso e actuam em conformidade.
Relativamente a este penalty é exactamente a mesma coisa.

É normal os árbitros assinalarem penalties destes?
É capaz de me dar 4 ou 5 exemplos de penalties destes que tenham sido assinalados em toda a época passada?

Já agora, se entende que é penalty, qual é a sua opinião sobre:
- lance entre Postiga e Meyong no Braga-Sporting
- lance entre Yebda e Braga no Leixões-SLB

José Correia disse...

PSousa Bancada Directa disse: «fala nos últimos 10 anos, mas veja nos últimos 28 anos, quem foi mais beneficiado»

Meu caro amigo, estamos a falar de penalties.
Se tem dúvidas sobre a enorme disparidade no número de penalties assinalados a favor do Sporting e do FC Porto, recomendo-lhe que vá ao blog 'Portistas de Bancada' que tem lá a estatística actualizada.

José Correia disse...

PSousa Bancada Directa disse: «veja quem está envolvido em casos do apito dourado, veja quem são as viagens que estavam nos gabinetes cosmos e nas facturas da administração do Porto»

Percebo que a questão do número de penalties seja incómoda e que queira levar a discussão para outros temas. É algo que contraria a propaganda oficial e, portanto, não convém que se fale nisso.

Mas se quer falar em "manobras de bastidores", vamos também falar das que envolveram o Sporting ao longo dos anos. Recomendo-lhe que dê uma vista de olhos aos seguintes links:

http://reflexaoportista.blogspot.com/2008/04/
o-clube-das-foras-armadas.html

http://reflexaoportista.blogspot.com/2008/04/
casal-ribeiro-um-homem-do-regime.html

http://reflexaoportista.blogspot.com/2008/04/
dicionario-sistema-manaca.html

http://reflexaoportista.blogspot.com/2008/04/
o-sistema-do-antigamente.html

http://reflexaoportista.blogspot.com/2008/04/
de-pistola-no-balneario-do-arbitro.html

http://reflexaoportista.blogspot.com/2008/03/
dicionario-sistema-mario-luis.html

http://reflexaoportista.blogspot.com/2008/02/
dicionrio-do-sistema-king-howard.html

http://reflexaoportista.blogspot.com/2008/02/
dicionrio-do-sistema-gonalves-jorge.html

http://reflexaoportista.blogspot.com/2008/02/
dicionrio-do-sistema-letra-d.html

http://reflexaoportista.blogspot.com/2008/02/
o-dicionrio-do-sistema-letra-b.html


Quer mesmo falar do Sistema?
Começamos quando? No tempo do BSB?

José Correia disse...

PSousa Bancada Directa disse: «Abraço e não sou seu inimigo, só podemos divergir aqui ou ali em opiniões, tome nota disso»

Embora o ‘Reflexão Portista’ seja um blog de portistas (o nome não engana), estamos abertos a discussões com adeptos de outros clubes. Poderá haver algumas picardias (dão um certo sal à discussão), mas a discussão terá de ter um mínimo de elevação.

Devolvo o abraço e volte sempre.

PSousa*Bancada Directa* disse...

Caro Amigo,

Na sua primeira observação, já sabe qual a minha opinião, pois nos casos que refere, não difere desta que tenho sobre este penalty, que para mim o é e nos outros lances também.
E sempre que ocorrerem devem ser marcados, como ontem em leixões o Yebda fez penalty que o árbitro não assinalou.
Já agora falamos de jogos em Portugal e não em Inglaterra, onde se observar determinados jogos, só falta tirar olhos, e nada é assinalado, e olhe que vejo muitos jogos, só que lá é normal, cá não.

E com certeza por outros comerem gato e gostarem, nem todos devem fazê-lo ou devem?!!
Neste tema, não vamos mais falar, pois para mim é claro, e não vale a pena entrar mais em discussão, pois não tem, uma vez que sei a sua e o meu amigo, sabe a minha.

No seu segundo ponto, todos sabemos quem ganhou mais títulos, e quem foi mais beneficiado em cada época no tempo, por isso, já lhe respondi a isso no post que escrevi. Para mim corrupção tem época e tempo, e são pessoas, não clubes.

E deixe que lhe diga, que gosto que se publique as artimanhas seja de quem for, pois aplaudo e fico contente que assim seja, por isso parabéns pela coragem, deve é fazer em todos os sentidos, mesmo do seu Porto, pois assim ganha mais credibilidade e tem mais um adeptos.

Estou a vontade para falar em qualquer caso, olhe ate tenho, no meu PC, o caso do Apito Dourado e tal apito vermelho com escutas e tudo, mas neste momento, parece que pouco se pode fazer, pois ainda está a imperar a lei do compadrio no nosso país, seja em que área for, não só futebol.

Isso é que me preocupa mais, mas não é no futebol, é mais no emprego, na justiça, na saúde, nas petrolíferas,etc, esses sim e que me preocupam, o futebol é uma agregação de tudo isso, onde se engloba, devido aos altos interesses que dai advêm.

Enquanto não se limparem outras áreas, o futebol sempre será assim como está...

E não vou estender mais a conversa acerca deste tema, pois, não nos ia levar a lado nenhum, e muito menos mudar nada, mas continue a lutar pela credibilidade a todos os níveis, pois só assim podemos melhorar o nosso futebol.

Obrigada pelas suas palavras e bem Haja.

Parabéns pelo blog, pois as casas onde me sinto bem, visitarei, tal como esta, o farei sempre que puder.

Abraço

Anónimo disse...

psousa*bancada directa* comentou:

"...na minha opinião bem, porque já joguei futebol...".

Regra básica da retórica: o argumento de autoridade não é legítimo.

"todos sabemos quem ganhou mais títulos, e quem foi mais beneficiado em cada época"

Mais uma violação de regra retórica: generalização abusiva e demagógica de um conhecimento particular não consensual.

PSousa*Bancada Directa* disse...

V. R. disse...

"...na minha opinião bem, porque já joguei futebol...".

Regra básica da retórica: o argumento de autoridade não é legítimo.

-Caro Amigo VR, nada tem haver com autoridade ou retórica, simples pratica do que se fala, nada mais.
A pratica vale muitos anos de teórica, só isso.

***************

"todos sabemos quem ganhou mais títulos, e quem foi mais beneficiado em cada época"

Mais uma violação de regra retórica: generalização abusiva e demagógica de um conhecimento particular não consensual.

- O não ser consensual, não retira factos da história, pois nem esta é consensual nos historiadores, nem a justiça, é preciso admitir, no entanto, que não existe consenso científico ou filosófico acerca do momento em que tem início a vida, por isso....

"A consciência é uma das áreas mais problemáticas da filosofia e da neurociência. ... Hoje, não existe consenso se realmente existe um tal inconsciente ..." -Filosofia da mente.

Abraço e fique bem