sexta-feira, 10 de outubro de 2008

Soares Franco, Pinto da Costa e Vieira



«Se sobre a relva, no clássico de domingo, nada foi muito satisfatório para os sportinguistas, na tribuna de honra, a presença do castigado Pinto da Costa ao lado de um cordial Soares Franco como deve ser lida pelos adeptos do emblema que teve o mérito de denunciar as caras do sistema e que deu o sopro inicial no Apito Dourado? Até a “realpolitik” tem como condição a eficácia
Octávio Ribeiro
in Record, 07/10/2008

O desconsolo do Director do Correio da Manhã (CM) em ver Pinto da Costa sentado na tribuna de honra de Alvalade, ao lado do “cordial” presidente do Sporting é compreensível. Afinal, de que serviram dezenas de capas do Correio da Morgado... perdão, Correio da Manhã, com manchetes em que Pinto da Costa foi apresentado como o maior corrupto e bandido de Portugal?

Aliás, a azia não é exclusiva do CM. No mesmo dia à noite, no programa 'Trio de Ataque', outro benfiquista - António Pedro Vasconcelos - colocou Soares Franco no fundo pelo mesmo motivo. Coincidência?

Como é óbvio, o problema não é formal (ninguém se preocupou com o facto do também castigado Luis Filipe Vieira se sentar nas tribunas de honra dos estádios deste país). O problema é substancial e de fundo. O que está em causa é a politica de alianças e o poder dos clubes nos órgãos do futebol português.

Os benfiquistas continuam a viver do passado glorioso e, particularmente, da equipa dos anos 60 (já lá vão mais de 40 anos!) quando, com o apoio da FPF e do regime, conseguiram “roubar” Eusébio ao Sporting e, uns anos mais tarde, evitar que o mesmo fosse transferido para o Inter de Milão.

Claro que para os octávios, cartaxanas, farinhas, delgados, manhas e pinhões deste mundo, seria óptimo se o tempo andasse para trás e voltássemos às décadas de 60 e 70, em que os campeonatos eram disputados a dois e distribuídos na justa medida: 3 para o SLB e 1 para o Sporting.


Nesse tempo tudo andava bem, não havia "Sistema", nem tráfico de influências, nem corrupção, nada, até surgir um intruso "lá de cima da provincia" chamado FC Porto, uma força que emergiu no futebol português nos últimos 30 anos e que é preciso derrubar, custe o que custar. Mas como?
Dentro das quatro linhas não parece ser fácil, aliás, tem sido mesmo impossível e, portanto, há que fazer a coisa por outro lado, recorrendo às "tropas" em devido tempo colocadas em lugares-chave da Liga/FPF, à UEFA e até aos tribunais.

É dentro desta lógica de poder fora das 4 linhas, que benfiquistas de diversos quadrantes não se cansam de, directa e indirectamente, apelar aos actuais dirigentes do Sporting para se juntarem a eles nesta cruzada contra os infiéis do Norte... perdão, nesta justa luta pela verdade e transparência. Ai que saudades do Dias da Cunha!...

O problema é que os actuais dirigentes leoninos podem não perceber muito de futebol, mas já deram mostras que não são parvos (veja-se como, sem darem nas vistas, colocaram sportinguistas da sua confiança na presidência da Liga e da arbitragem).
Por isso, e também por se recordarem das manobras que existiram durante o consulado de Cunha Leal na Liga, até agora têm resistido às muitas pressões (algumas internas) para embarcarem no canto da sereia vindo do outro lado da 2ª circular.


Aliás, em Junho passado, numa longa entrevista conduzida por João Marcelino (DN) e Paulo Baldaia (TSF), Soares Franco (SF) foi muito claro quando comentou a sua relação com Luís Filipe Vieira e falou sobre o jogo Estoril-SLB da época 2004/05. Entre outras coisas, Soares Franco afirmou o seguinte:

[P]: Porque é que isso [o jogo Estoril-SLB] nunca foi investigado?
[SF]: Não me pergunte, eu não sei.

[P]: Acha que ainda pode vir a sê-lo, agora que se abriu a caixa de Pandora?
[SF]: Não, porque há várias maneiras de fazer pressão, não é? Mas ali combinou-se uma série de coisas. Ora, esse era um assunto típico, que tinha de ser tratado com a maior das transparências. Sabe porquê? Porque havia o presidente do Benfica, que era do Benfica; mas o presidente do Estoril, ou da SAD do Estoril, era do Benfica. E o director executivo da Liga era do Benfica.



(clique na imagem para a ampliar e ler o texto completo)

Importa salientar que esta parte da entrevista de Soares Franco nunca esteve disponível on-line no site do DN e, que eu tivesse visto, também não foi objecto de destaque, ou sequer comentários, em outros órgãos de comunicação social, particularmente nas televisões.
Sobre isto, cada um tire as suas conclusões.

Já agora, sobre o papel de Cunha Leal nesta farsa, vale também a pena recordar o que Rui Santos escreveu no Record de 21/05/2008 sobre a criada de servir do SLB.

P.S. Eu sei que lembrar estas coisas incomoda muita gente, mas desculpem lá qualquer coisinha...

10 comentários:

TheDarknight disse...

Boas,

Acho que me vez de pedir desculpas, devias de ser felicitado! Porque não é sempre a bater no mesmo (Porto)... Temos de relembrar aquilo que ninguém fala por interesses instituídos!
Tendo em conta que eles dizem que são "6 milhões" (até dá vontade de rir...), temos que mostrar que mesmo sendo menos, ninguém nos deita abaixo...

Mais uma vez Felicitações!

Saudações Portistas

HULK Onze milhas disse...

Parabéns!
Incrível como a Comunicação Social se esforça por manter estas situações em "quase segredo".
Porque será que nenhum jornalista pergunta ao "beirão em lisboa" a razão deste caso, entre outros, não ser investigado?
Este texto deveria ter uma larga difusão e chegar à "morgadinha dos pneus"... sempre tão activa e "recorrente" em relação ao "apito dourado"...

Jorge Aragão disse...

Foi fantástico no ultimo trio de ataque o famigerado cineasta ter-se referido à questão da presença de Pinto da Costa na Tribuna de Alvalade.
Pensando ter descoberto a pólvora saiu-lhe o tiro pela culatra e teve de desajeitadamente meter no fundo o seu presidente pelos mesmos motivos.
Pela boca morre o peixe quando existem telhados de vidro, só foi pena pelas razões por todos conhecidas a não investigação do
" Estoril gate ".
Se houvesse investigação séria e magistrados da Liga competentes, o benfas estaria ma 2ª divisão, isto para não falar na promiscuidade politica onde o não pagamento às finanças foi substituidos por titulos duvidosos e se fez campanha por um partido politico para pagar favores.
Alguem duvida???????

Zé Luís disse...

Quando as pessoas são assim, digamos, formatadas, não há manicómios que resultem.

Essa de apontarem a Pinto da Costa já é mania esquizofrénica dos alegados denunciantes que não se dão conta de o seu "presidente" incorrer nos mesmos defeitos com que querem achincalhar PdC.

Quanto ao Correio da Morgado, bem apanhado, Zé Correia.

Sobre o Marcelino perguntar isso ao FSF do jogo no Allgarve, porque razão enquanto director de jornal, creio que então no CM, ele não fez alarido (ou mandou fazer)?

Há jornalistas muito distraídos.

O Octávio Ribeiro é mais um imbecil cofineiro a quem PdC descompunha em directo na TVI quando esse traste lá apresentava um reles programa televisivo que ele gostaria de ter antecipado como o "Donos da Bola".

Octávio Ribeiro, ou outra luminária dessa Imprensa do regime, só se lembra do que lhe dá jeito.

O próprio Dias da Cunha, se em tempos apontou "Pinto da Costa e Valentim Loureiro como rostos do sistema", já veio este ano dizer que o Apito Dourado não tinha a ver com os dois dirigentes, era preciso ir mais fundo e achava injusto (sic) que se personalizasse o AD naqueles dois.

Mas esta parte deve ter-se perdido numa memória qualquer em Alcácer-Quibir e ninguém fala dela porque náo já jeito quando a ideia é propagar que os "dois são culpados".

The Turk disse...

Para mim o mais vergonhoso nisto tudo é a forma como a alegada "violação involuntária” do balneário do árbitro no jogo slb vs Porto pelo presidente dos lampiões, que na altura estava suspenso pelo CD da lpfp, foi varrida para debaixo do tapete. Recordo que o lfv e o Rui Costa foram ouvidos na lpfp há quase um mês.

urtigao disse...

Parabéns José Correia por mais este grande texto.

Pena tenho o que o nosso clube continue passivo na luta, que terá que ser diaria e tenaz, contra este pseudo jornalismo de merda que invade a CS portuguesa...

O porto jamais deveria deixar cair no esquecimento estas cirurgias levadas a cabo pelos clubes do regime, e estes sim, sem qualquer merito venceram campeonatos, com a ajuda dos homens do apito.

Nunca me poderei esquecer do ano do
Estoril gate, e como tambem
não me posso esqueço como o clube dos calimeros foram campeoes com a escola de mergulho de alvalade, aonde agora desponta o humpty dumptym do JM...

Valha-nos a blogsfera aonde as coisas não caiem no esquecimento...e aonde os bois são chamados pelos nomes.

José Correia disse...

Zé Luis disse: «Sobre o Marcelino perguntar isso ao FSF do jogo no Allgarve, porque razão enquanto director de jornal, creio que então no CM, ele não fez alarido (ou mandou fazer)?»

Caro Zé Luis, conforme refiro no artigo, a entrevista a Soares Franco foi conduzida pelo João Marcelino (DN) e Paulo Baldaia (TSF).
Da leitura do jornal, não é claro qual deles fez as perguntas relacionadas com o Estorilgate.

José Correia disse...

Turk disse: «Para mim o mais vergonhoso nisto tudo é a forma como a alegada "violação involuntária” do balneário do árbitro no jogo slb vs Porto pelo presidente dos lampiões, que na altura estava suspenso pelo CD da lpfp, foi varrida para debaixo do tapete.»

Para além de ter sido varrida para debaixo do tapete, estranho que o Ricardo Costa não tenha feito um comunicado de 100 páginas, com citações de "grandes mestres do Direito", a justificar a razão da inação do CD da Liga neste caso.

Mefistófeles disse...

"O próprio Dias da Cunha, se em tempos apontou "Pinto da Costa e Valentim Loureiro como rostos do sistema", já veio este ano dizer que o Apito Dourado não tinha a ver com os dois dirigentes, era preciso ir mais fundo e achava injusto (sic) que se personalizasse o AD naqueles dois.

Lembro-me bem disso e por isso mais valia ele ter estado calado, até porque fundamentou as suas declarações no trabalho "isento" doseu assalariado mentecapto Marinho Neves.

Assim como me lembro de um almoço de SF com o orelhas para debaterem a "limpeza" do futebol português.

Os calimeros de alvalade só falam quando lhes convém e ficam-se sempre por meias tintas ( tipo Octávio - "vocês sabem do que estou a falar"). Poderia até ser da sua origem aristocrática só que de aristocratas têm hoje muito pouco.

Quando Jardel marcou 42 golos na liga, sendo 17 de penalti, estava tudo bem e não havia sistema.

O orelhas e o sport lisboa continuam impunes e nem sequer estão a monte. Pavoneiam-se por tudo quanto é sítio e têm uma CS saudosista, sempre pronta a levá-los ao colo. E uma Justiça que é uma extensão da sua vontade.

Assim vai o nosso alegre país. Tal e qual o jogo de matraquilhos que aparece em foto no texto.

urtigao disse...

Mefistófeles disse...

Assim vai o nosso alegre país. Tal e qual o jogo de matraquilhos que aparece em foto no texto.


Pois vai...e muita pena temos que não seja o nosso clube o primeiro a lutar contra elas e fazer com que estas sejam recordadas a quem de direito...
Afinal deveria ser olho por olho..dente por dente.
Esta era a postura antes da entrada do futebol moderno..