terça-feira, 18 de novembro de 2008

Claque ilegal com sede no Estádio da Luz


No passado fim-de-semana, o EXPRESSO on-line deu à estampa a seguinte notícia:
«O presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, vai ser chamado para ser ouvido como testemunha no âmbito do processo que levou hoje à detenção de 30 elementos dos 'No Name Boys'. O Ministério Público quer esclarecer como é que uma claque que não estava legal tinha direito a uma sede no estádio do clube, avançou ao Expresso fonte policial. O espaço é conhecido como "A Casinha".


A operação da PSP teve início na madrugada de hoje e visou membros dos 'No Name Boys' que têm vindo a agredir adeptos de claques rivais e também elementos das forças policiais. Além das instalações da claque benfiquista, foram ainda realizadas buscas em 43 residências da Grande Lisboa. Trinta elementos do grupo foram detidos, incluindo os dois supostos líderes: Miguel Claro e José Pité. Os detidos estão indiciados por ofensas corporais, associação criminosa, tráfico de droga e danos e incêndio a um autocarro que transportava adeptos do FC Porto para um jogo de hóquei em patins, em Junho deste ano.

A operação, efectuada no âmbito de uma investigação a cargo do Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP) de Lisboa, resultou ainda na apreensão de haxixe, cocaína, heroína, ecstasy. Foram também confiscados bastões, soqueiras e tochas incendiárias.

Foi escolhido de propósito o dia do jogo (Benfica recebe Estrela da Amadora às 18h30) para realizar a operação porque, de acordo com informação apurada através de escutas, é o dia em que é feita a transacção da droga.»
in EXPRESSO, 16/11/2008


Não são necessários grandes comentários, a notícia fala por si. Contudo, tenho alguma curiosidade e continuo à espera dos comentários dos "intelectuais" de Lisboa, sempre tão rápidos em associar os problemas que envolveram os Super Dragões ao FC Porto e ao seu presidente.

Entre estes intelectuais e comentadores, tenho particular interesse no que irá dizer José Pacheco Pereira (JPP), quer no seu blog (até agora um enorme silêncio), quer no programa 'Quadratura do Círculo' da SIC Notícias. Sim, porque eu lembro-me do que este destacado comentador, amigo e apoiante de Rui Rio, disse e escreveu quando elementos dos Super Dragões apareceram associados aos casos de violência na noite do Porto. Inclusivamente, indignou-se com o tratamento jornalístico que o único jornal do Porto que subsiste - o JN - deu ao caso, classificando-o de imbecil regionalismo “porto-portista”.

Ora, eu não acredito que uma pessoa com a seriedade intelectual de JPP, sempre tão preocupado com estes fenómenos, faça agora de conta e assobie para o lado. Se o fizer, então teremos de concluir que a única coisa que o moveu da outra vez, foi o ódio visceral que tem em relação a Pinto da Costa.

Relativamente ao tratamento jornalístico dado pela imprensa do regime, já tivemos a resposta.
O jornal semi-oficial do SLB - A BOLA - fez hoje uma primeira página esclarecedora: "Tudo menos futebol". "O que escondia a claque não legalizada do Benfica".

Por este andar, ainda são capazes de descobrir que, afinal, aqueles indivíduos nem sequer são benfiquistas e, com jeitinho, descobrem no meio deles um ou dois adeptos infiltrados do FC Porto...
Para já, convém que toda a gente perceba que o SLB, e muito especialmente Luís Filipe Vieira, não têm rigorosamente nada a ver com a claque No Name Boys.

Apesar desta "lavagem", importa recordar que não é a primeira vez que membros dos No Name Boys são presos e que as instalações desta claque no Estádio da Luz são alvo de buscas judiciais.

Em 01/12/2006, um elemento conhecido pela alcunha de 'Maniche', foi detido pela Polícia Judiciária (PJ), no âmbito da 'Operação erva daninha IV', relacionada com o mercado interno de drogas sintéticas.

Na altura, nas instalações dos No Nome Boys localizadas no Estádio da Luz, as autoridades apreenderam 21 munições de calibre 38 e um bastão extensível (com uma bola em ferro na extremidade e capaz de provocar lesões graves), que 'Maniche' admitiu serem dele.

É evidente que os dirigentes dos clubes não podem ser responsabilizados pelos actos de elementos das claques. O problema é que no caso do SLB, cujos actuais dirigentes se arrogam de uma "ética e superioridade moral", há uma claque com os antecedentes dos NN, e ainda por cima ilegal, que continua a dispor de instalações cedidas pelo clube.
Mais. Segundo veio a público e não vi desmentido, as claques do SLB, incluindo os No Name Boys, continuam a receber da Direcção do SLB bilhetes mais baratos.
Que explicação é que Luís Filipe Vieira tem para estes factos?


Nota: Os negritos são da minha responsabilidade.
Fotos: Record, 24 Horas

17 comentários:

Neco disse...

Off-Topic

Notícia do bolha..

"Miguel Lopes apontado ao Dragão

Miguel Lopes deverá ser um dos nomes em destaque na reabertura do mercado de transferências, em Janeiro, ele que se assume como uma das principais e agradáveis revelações do campeonato até esta fase. O jovem lateral-direito do Rio Ave entra em cena para agitar as novidades da ocasião, podendo tirar a fotografia de ano novo com a camisola do FC Porto vestida.

Uma possibilidade que ganha força se atendermos às dificuldades de afirmação nas laterais da equipa portista e virmos o enredo adornado pela exuberância do defensor no plano exibicional, logo na campanha de estreia no escalão maior do futebol português. Negócio ainda mais estimulado pela noção de um bom investimento de futuro, tratando-se de um atleta com apenas 21 anos.

Certo é que o jogador da formação de Vila do Conde faz parte da lista de potenciais compras do dragão para a segunda metade da época. Jesualdo Ferreira até já teve a oportunidade de ver o eventual reforço de perto, no nulo imposto aos dragões em Setembro passado. Mais um desempenho cativante e, muito provavelmente, a valer a dobrar na recolha de notas que compõem o seu dossier, guardado no gabinete dos campeões nacionais."

Gostei mt de ver este jogador nos jogos contra o FCP e contra o sporting (foi os jogos que vi do rio ave). Jovem, português, possivelmente barato..


Espero que não seja preciso alterar o nome para Miguel "Lopez" para ser contratado :))

Cumprimentos.

Mário Magalhães disse...

Caros colegas, depois de ver o que se tem passado com a claque do Benfica, chego a conclusão que isto vai levar uma limpeza, porque pessoas como este rapazes que estão a ser ouvidos pelo DIAP deviam ser proibidos de frequentar recintos desportivos para toda a vida, eles não gostam de futebol eles sim gostam de Boxe... Sou contra as claques e espero que Portugal não chegue ao ponto do que aconteceu em Inglaterra com os holigans, só espero isso, por isso peço e desejo que seja feita uma limpeza nas claques Portuguesas quanto antes...

Saudações

Paulino disse...

O mais grave de tudo isso, foi a presença dos amigos dos detidos a INSULTAR E AGREDIR os jornalistas e operadores de camera. E o que é que a PSP fez?? NADA!!! ABSOLUTAMENTE NADA!! Vergonhoso e covarde a atitude da PSP ao deixar terceiros difamar e agredir pessoas que estavam a trabalhar, e mais, um dos operadores de camera ainda teve ordem de detenção....Meu Deus como este país anda na fossa....Não houve nenhum competente da PSP que dete-se aqueles indíviduos...

Já faz lembrar o GOE que atingiu o assaltante enquanto fazia reféns e que à posterior foi acusado de homicidio...

V. R. disse...

Não percebo por que atacais Pacheco Pereira desse modo. Ele um dia quase que levava uma tareia dos Super Dragões na Baixa do Porto, não sei se numa campanha eleitoral ou coisa do género.

As claques são todas iguais e as autoridades têm actuado com pusilanimidade em relação a elas, como ainda ontem bem se viu e está aqui bem descrito no comentário do Paulino.

Agora, o Pacheco Pereira nunca esteve à beira de levar um enxerto de porrada dos No Name, nem estes são tão "amiguinhos" do Vieira como os Super Dragões o são de Pinto da Costa, Reinaldo Teles, etc.

Mário Faria disse...

A corrupção no futebol só passou, basicamente pelo Porto. A noite do Porto foi comparada à de Chicago dos anos 30. Alguns dos suspeitos foram umbilicalmente ligados aos SD.
Éramos a capital do crime. O FCP um dos seus bastiões, porque estava ligado, directa ou indirectamente, a esses crimes.
Essa é a imprensa a que temos direito.
Os No Name e a onda de assaltos de Verão mudaram a agulha da bússola. Problemas raciais, guetos, desintegração social foi o que ouvimos, para explicar tal epifenómeno
Dois pesos e duas medidas. É Portugal no seu melhor.
Quanto a PP é um intelectual que admiro e detesto. Desagrada-me por ser um daqueles imigrantes que nos odeiam : cidade e o FCP , em nome de um passado de Amor, politicamente correcto. Insuportável !

The Turk disse...

Excelente post José Correia.

É mais fácil encontrar o Wally do que referências a esta noticia nas capas do Record. Absolutamente normal.

José Correia disse...

v.r. disse: «Agora, o Pacheco Pereira nunca esteve à beira de levar um enxerto de porrada dos No Name, nem estes são tão "amiguinhos" do Vieira como os Super Dragões o são de Pinto da Costa, Reinaldo Teles, etc.»

Concordo que houve, e talvez ainda haja, uma promiscuidade excessiva entre a cúpula dos Super Dragões e alguns administradores da FCP SAD.

Também concordo com as criticas e acusações que o Pacheco Pereira fez ao comportamento inaceitável dos Super Dragões, aquando da campanha eleitoral autárquica de Dezembro de 2001.

Dito isto, não percebo que em Dezembro de 2007, aquando das noticias e detenções relacionadas com a operação 'Noite Branca', o Pacheco Pereira faça as criticas que fez aos dirigentes do FC Porto e ao modo como a imprensa do Porto tratou o caso e agora, perante uma situação semelhante, fique calado relativamente aos dirigentes do SLB e ao modo como a imprensa lisboeta está a tratar deste caso.

Este comportamento do Pacheco Pereira (e de outros “intelectuais” de Lisboa) é completamente inaceitável.
Porquê?
Porque do ponto de vista do relacionamento das claques com os respectivos clubes, não há qualquer diferença entre a operação 'Noite Branca' e a operação 'Fair Play'.
Ou melhor, até há, porque na operação 'Noite Branca' ninguém descobriu droga, armas, bastões ou outro material proibido em instalações cedidas pelo FC Porto à claque, pois não?

Rui disse...

Curiosamente Pacheco Pereira, nem é de Lisboa, mas sim do Porto, e ainda mais curioso é adepto do FCP, e isto vi ele uma vez a dizer na SIC.

Não concordo com o ódio que ele tem ao Pinto da Costa, mas enfim, no que toca aos SD não deixa de ter a sua razão.

A verdade é que as 3 claques dos grandes, SD, NN e Juve Leo, não passam de um conjunto de criminosos, que recebem apoio a mais de todos os clubes.

Realmente escandaloso, foi a actuação da PSP à porta do DIAP, até pareciam ter medo dos membros da claque que estavam a fazer aqueles desacatos.

V. R. disse...

O Pacheco Pereira já várias vezes disse que não liga nada ao futebol - no que está no seu direito - e que apenas simpatiza com o FCP por ser o clube da sua terra. Nada mais que isso. Portanto, chamar-lhe adepto é um bocado exagerado, caro Rui.

V. R. disse...

Caro José Correia,

Segui o link para o Abrupto e pude constatar o contexto em que o Pacheco Pereira usou a tal expressão "imbecil regionalismo «porto-portista»". Aqui está:

"Rio mostrou insatisfação com a actuação da PJ local e apoiou a decisão do PGR de mandar uma equipa de Lisboa para chefiar a investigação, logo soaram as trombetas do imbecil regionalismo “porto-portista”, que no fundo são a expressão política do stato quo ante, ante Rio."

Pode não se concordar com a frase (embora de facto haja por cá, em minha opinião, muito regionalismo imbecil, coisa diferente do regionalismo racional) mas no contexto em que está inserida é perfeitamente legítima. Só quem não lê o JN é que não se apercebe da obsessão anti-Rio daquele jornal, talvez o jornal mais pró-PS de todo o país. E tendo havido o contencioso que todos conhecemos entre o FCP e Rui Rio, nada mais fácil para o JN que inviamente misturar política e futebol, fazer uma açorda com isso tudo, e assim fazer passar a sua mensagem. Chama-se a isso pescar em águas turvas.

Cumprimentos

Vasco Rodovalho

HULK Onze milhas disse...

"...talvez o jornal mais pró-PS de todo o país. E tendo havido o contencioso que todos conhecemos entre o FCP e Rui Rio..."

Caro V.R.:
E a que se deve tal "contencioso"? Que mal fez o FCP à cidade de que Rio é Presidente de Câmara?
Qual o objectivo desse contencioso?
Quanto às querelas partidárias, foi o próprio aparelho do PSD liderado por Durão Barroso, quem salvou o "PPA" e o FCP e não o PS que nada podia fazer na altura...
Os portistas sabem bem que aqui não havia motivações partidárias e sabem bem qual era, e é, a motivação de Rui Rio...

V. R. disse...

Os portistas sabem, caro onze milhas? Então faça o favor de me esclarecer. É que eu sou portista e não sei. Sei, sim, que o presidente do FCP fez campanha pelo candidato socialista em 2001, assim desnecessariamente atraindo sobre o clube o espírito revanchista de Rui Rio.

HULK ONZE MILHAS disse...

V. R. disse: "... atraindo sobre o clube o espírito revanchista de Rui Rio... "

Está respondido.... :-)

Rui disse...

Atenção que não concordo nem apoio o Rui Rio, nem o Pacheco Pereira...

Alias não votei no Rui Rio exactamente por ele ter tido a actuação miserável que teve com o FCP.

A única vez na vida em que não votei PSD refira-se.

V. R. disse...

Hulk onze milhas disse: «V. R. disse: "... atraindo sobre o clube o espírito revanchista de Rui Rio... "

Está respondido.... :-)»

Então as motivações empre eram partidárias, meu caro. Sabe o que eu penso? O melhor era o nosso presidente ter-se sempre mantido neutro em questões políticas. Não o fez e o resultado foi o que se viu.

Mário Faria disse...

PdC virou a agulha para o PS, depois da penhora da retrete das Antas.
Concordo que o Pr. do não deve fazer política, mas deverá o PSD enquanto força política aceitar os fretes que fizeram (em seu nome) e que ditaram o apoio do SLB ? enquanto a Norte se fazia o diametralmente oposto (uma tenaz oposição), pela voz e pela acção do Dr. Rui Rio & Cia. ?
Dois posicionamentos no mesmo partido. Se não se "pode" mudar de partido, que se mude o autarca. Não é ?

V. R. disse...

Caro Mário Faria,

Por mim podem mudar o autarca à vontade: nunca votei nele. Mas acho que se viu bem, aquando da reeleição do Rio, que os portuenses ao votarem,muito naturalmente pouco pensarão nas quezílias Rio-FCP. Aliás o Rio até conseguiu maioria absoluta da 2ª vez, coisa que não alcançara da 1ª. Por isso não me parece que seja fácil mudar o autarca pelo voto.