segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Déjà Vu


A Assembleia Geral do FCP, da última quinta-feira à noite, foi um sucesso. Um desfile de elogios e o Relatório e Contas (RC) foi aprovado por unanimidade.

O RC recebeu essa unanimidade, mas percebe-se que o tenha sido, uma vez que o FCP tem as contas equilibradas e as explicações, embora sucintas do Dr. Fernando Gomes, foram elucidativas e ultrapassaram quase todas as dúvidas. Num ou noutro ponto, entendo que foi um pouco a despachar, mas em verdade não estava lá ninguém suficientemente preparado ou quem estivesse disposto a discutir o documento, bem organizado e melhor defendido.

Os 30 minutos para análise e discussão de temas de interesse para o clube serviram igualmente para a direcção receber elogios, e para uma ou outra declaração sobre a equipa de futebol. Mas, nada de muito amargo. Algum constrangimento com as recentes exibições, mas certos que vamos ganhar o campeonato. O tom foi de optimismo. Hossana, hossana, vamos ser campeões, ainda que seja em igualdade pontual, como declarou o chefe da claque dos Super Dragões. Muitas palmas.

De resto houve cânticos dedicados ao (tio) Reinaldo Teles, no princípio da AG, e votos para que a operação a que ia ser submetido corresse bem (preocupação sentida por todos os presentes), e um oportuno minuto de silêncio pela morte do Engº. Adolfo Roque, a pedido do nosso presidente, que ocorreu com o máximo respeito e que antecedeu o início dos trabalhos.

No fim, PdC interveio para responder às poucas questões colocadas e de importante referiu que o museu estava em andamento e “não seria um mero armazém de taças” e que dentro de um ano esperavam que pudesse ser inaugurado e deixou um recado aos que andam pelos jornais a criticar, dizendo "que era a AG a sede própria para o fazer".

Uma ovação final da Assembleia, com os super a cantar o hino do FCP.

A AG foi das mais curtas de sempre (35 min), mas a melhor pelo fervor demonstrado, conforme o presidente da mesa considerou.

É uma pena que seja tão difícil falar, dialogar e encontrar temas de interesse colectivo para discussão aberta. O gosto da conversa e uma certa incapacidade para expor a diferença, torna estas assembleias perfeitamente redundantes e sem qualquer interesse.

É de tal forma, que não sendo importante, o Pr. da AG nas votações nunca perguntou se havia abstenções. Só uma votação mereceu abstenção e foi o sócio que o lembrou ao presidente da Mesa. Sou dos que não gosto muito de me abster nas votações. Mas há momentos em que faz jeito, sobretudo quando não se quer votar a favor e não se pretende dar um sinal que possa ser tomado como um sinal exterior de forte oposição se votarmos contra.

Há uma clara ausência de massa crítica e de oradores interessantes para animar as AG´s. É tudo muito mais previsível que o FCP a jogar. Os lances, as fintas, os atrasos, os passes, os remates, as palavras são sempre para o mesmo lado, de forma rotineira e déjà vu. Nem a encenação é nova, nem os artistas: na mesa, nos camarotes ou na plateia.

No nosso clube há vida democrática, mas muito poucos cidadãos sócios estão interessados em enriquecer os momentos mais importantes da vida do clube. Falta quem saiba ou quem queira. Sinto-me penalizado porque gosto da diferença, da controvérsia e de uma bem animada e educada discussão. Perdemos esse bom hábito. É pena.

11 comentários:

C disse...

Já que não nos deixam debater futebol nas Assembleias Gerais do nosso clube, ao menos que o possamos fazer aqui, mesmo que seja num post relativo a essa mesma AG (sobre as quais, infelizmente, nunca existe nada para contar...).

Antes do mais, uma palavra para destacar alguém que, para além de demonstrar saber muito de futebol (e refiro-me ao jogo na sua globalidade), revela igualmente uma rara paciência até que lhe seja dada completa razão: essa pessoa chama-se Adriano e é ponta-de-lança com contrato no nosso clube.

Falando do encontro do Sábado, tendo o FCP apresentando mais um ''11'' indigno do seu historial e pergaminhos, seria sempre uma perda de tempo assistir a mais uma previsível vergonha para as nossas cores.

Desengane-se, contudo, quem julga que, chegados a este estado, bastará afastar definitivamente os equívocos mais óbvios (Nuno, Benitez, Fernando, Mariano, etc.) para que tudo voltem a ser rosas. Existem poços de onde nunca se regressa intacto.
Muita boa gente passou estes 3 ou 4 anos a viver à custa da categoria ímpar do cigano. As tatuagens da sua (deles) falta de qualidade estão agora bem mais expostas.

Há que começar, o quanto antes, a preparar já a próxima época.
Convém que eventual gente nova que chegue, tenha ainda tempo para cometer os seus naturais erros. E, sejamos realistas, é melhor que o façam já do que na próxima temporada.

Apesar de tudo, espanta-me ver tanto súbito criticismo de quem tanto defendeu a inclusão do "símbolo" Nuno.
Apesar de tudo, espanta-me ver tanto súbito criticismo de quem nunca li uma palavra sobre o anedótico afastamento do Pedro Emanuel do "11".
Apesar de tudo, espanta-me ver tanto súbito criticismo de quem, tal era o ódio em relação a Quaresma e tal era a pressa em o vender, que nem se lembraram que Suazo poderia, perfeitamente, estar agora a facturar com a nossa camisola vestida.
Apesar de tudo, espanta-me ver tanto súbito criticismo de quem aplaudia de pé a chegada do "salvador" Rodriguez, não pelo que dele viu no campo mas sim pelo que dele leu ou ouviu falar na comunicação social.

Apesar de tudo, espanta-me ver tanto súbito criticismo de quem, necessita de 3 derrotas seguidas, para começar a pensar pela sua própria cabeça.

Pedro Vale disse...

C disse...

Já que não nos deixam debater futebol nas Assembleias Gerais do nosso clube, ao menos que o possamos fazer aqui, mesmo que seja num post relativo a essa mesma AG (sobre as quais, infelizmente, nunca existe nada para contar...).

Caro C, nesta assembleia ninguém foi proibido de abordar qualquer tema (nem foi referido que existam temas tabú).

Sendo o FC Porto o maior accionista da SAD (com 40%), creio que é mais do que natural que possam haver perguntas ou sugestões sobre como o FC Porto vai exercer o seu direito de voto no conselho de administração da SAD.

Infelizmente, e nisto tenho de concordar consigo, creio que se torna impossível fazer qualquer pergunta relativa a opções técnicas. A resposta mais provável seria a que não estava presente ninguém da SAD com essas competências.

Mário Magalhães disse...

Boas, desde já digo que já pertenci a claque e sei bem o modulo de funcionalmente do sistema que está instalado naquele seio, passo a explicar, é como uma mão lava a outra, a claque só se manifesta quando a Sad manda, por exemplo quando é necessário apertar com algum jogador, treinador, porque se a claque se manifestar sem ordens da SAD é um 31 porque é lhes cortado todo o tipo de apoios como por exemplo os bilhetes a baixo custo que depois é vendido pelo dobro nos dias de jogos, as viagens com a equipe nas deslocações ao estrangeiro, e este dinheiro que reverte a favor da claque é para o seu presidente, como toda a gente sabe ele vive da claque e que bem que vive que até já deu para um Porche ou foi a SAD??? Está uma teia tão bem montada que é muito difícil desmascarar, e só vai ter fim quando algum elemento máximo não receber aquilo que acha que devia receber, e depois zangam-se as comadres descobres as verdades… Estarei aqui para ver de cadeirão… Saudações

PMF disse...

"No nosso clube há vida democrática, mas muito poucos cidadãos sócios estão interessados em enriquecer os momentos mais importantes da vida do clube. Falta quem saiba ou quem queira"...diz-se, em conclusão, no post.

Com efeito, não sei se há ou não! Quer dizer, formalmente, haverá, sem dúvida. Também é certo que com tantos anos de sucesso desportivo, estas preocupações pela gestão corrente e estratégia do clube só chegam e motivam os adeptos quando, de vez em quando (espera-se), as coisas correm mal! Daí também a falta de hábitos de participação e de discussão na A.G.

Porém, o próprio esquema está, todo ele, montado para que as ditas reuniões magnas não sejam mais do que um hossanas, hossanas! É peocupante o que diz, supra e nestes comentários, o Mário Magalhães!

Já de si é estranha a preponderêcnia e omnipresença da dita cuja claque em actos e assuntos da vida da Sad (e do Clube) que, em princípio, seriam alheios ao apoio à equipa! Suponho que tal preponderância deve-se à qualidade (de claqueiro) de quem participa e não à respectiva qualidade de sócio....

De todo o modo, com um (inexplicável) acréscimo do passivo em 30 milhões de Euros (passamos, agora, definitivamente, a ser os campeões, em matéria de passivo !!!), este tipo de manifestações de apoio, de fóruns de hossanas (como parece que foi - e têm sido - a AG) é muito mau sinal!!

É preciso não esquecer (sobretudo, a direcção) que os mesmo que agora, bovinamente, dizem hossanas, hossanas e não ajudam, em nada, o clube (por exemplo, formulando críticas e estimulando quem de direito a, sobre elas, pensar e responder) serão os mesmos que quando os "seus poderes" forem tocados (Mário Magalhães dixit) ou quando os maus resultados se prolongarem, berrarão (também fora das AG)!

Mário Magalhães disse...

Desde já quero esclarecer, que fui um mero frequentador da claque e que por conversas com amigos meus que ainda agora vão a todos os jogos, o que digo e afirmo é tudo verdade, e qualquer pessoa que frequenta a vida do clube no dia a dia sabe muito bem que quando um jogador importante como foi o caso do Paulo Assunção no final da epoca passada, foi apertado por alguem no final de um treino... Quem mandou??? Quem fez o Trabalho??? Deixo ao vosso critério... Não esquecer o caso do Co Adriennse... São muitas coincidencias, e afirmo que a claque tem muito poder no Clube...

José Correia disse...

Mário Magalhães disse: «a claque só se manifesta quando a Sad manda, por exemplo quando é necessário apertar com algum jogador, treinador, porque se a claque se manifestar sem ordens da SAD é um 31 porque é lhes cortado todo o tipo de apoios como por exemplo os bilhetes a baixo custo que depois é vendido pelo dobro nos dias de jogos, as viagens com a equipe nas deslocações ao estrangeiro, e este dinheiro que reverte a favor da claque é para o seu presidente, como toda a gente sabe ele vive da claque e que bem que vive que até já deu para um Porche ou foi a SAD???»

Caro Mário Magalhães, nunca pertenci nem conheço pessoalmente qualquer elemento que tenha pertencido à Direcção da claque Super Dragões (SD).
Evidentemente, acompanho atentamente a vida do nosso clube e já me contaram muitas histórias envolvendo os SD. Contudo, o que o Mário afirmou no seu comentário vai mais além porque, para além da questão dos bilhetes (que já era conhecida), diz que os SD são usados pela SAD para acções que todos consideramos criticáveis.
Ora, isto é grave, mas penso que o Mário tem perfeita noção do que escreveu.
É um assunto que, sem dúvida, merece muita atenção da parte de nós todos (portistas).

The Turk disse...

PMF disse:
"De todo o modo, com um (inexplicável) acréscimo do passivo em 30 milhões de Euros (passamos, agora, definitivamente, a ser os campeões, em matéria de passivo !!!)"

Se estavas a ser sarcástico não entendo essa afirmação. O passivo da FC Porto SAD é 141,1M€, enquanto os passivos das SADs de Benfica e Sporting são respectivamente 125M€ e 146M€. Se somarmos os passivos dos clubes e SADs, o total é o seguinte:
FC PORTO
160,4M€
SPORTING
240M€
BENFICA
279,7M€

urtigao disse...

Mas será que alguem com bom senso, que acompanhe as AG do nosso Clube, iria intervir, questionar a direcção do clube sobre qualquer assunto nesta altura?

Como muito bem foi escrito no titulo é um DEJA VU...
è o regresso ao passado, com as AG completamente controladas, anteriormente de homens de confiança de RT...
Os tempos são outros, mas o estilo é o mesmo..
E enquanto não sairmos disto, o clube pode ganhar muitos campeonatos, mas nunca me reverei neste...
Pena tenho que o modos operandi do nosso clube não se mantenham tambem no futebol..

The Turk disse...

«No fim, PdC interveio para responder às poucas questões colocadas ... e deixou um recado aos que andam pelos jornais a criticar, dizendo "que era a AG a sede própria para o fazer".»

"No nosso clube há vida democrática, mas muito poucos cidadãos sócios estão interessados em enriquecer os momentos mais importantes da vida do clube. Falta quem saiba ou quem queira."

É isto que me mete nojo em alguns críticos da SAD. Os Ruis Moreiras e MST só gostam de falar nos seus pedestais. Quando chega a altura de defender os interesses do clube nenhum se chega à frente. É a dificuldade em fundamentar as suas posições ou somente a falta de cojones?

nobigdeal disse...

The Turk, pode ser tudo isso q diz, não faço ideia, pq não conheço pessoalmente os visados.

Mas pode até ser uma coisa bem mais simples: juízo! :)

É que pelo que leio acima, parece q para aparecer nas AGs e fazer perguntas inconvenientes convém ter alguns "adeptos" ao lado e, tanto quanto me apercebo, esses "Moreiras" e "MSTs" de que fala não se fazem acompanhar de "seguidores", costumam pensar pelas suas próprias cabeças (com ou sem razão).

nobigdeal disse...

Sem prejuízo de, no essencial, estar de acordo consigo, isto é, os sócios deveriam ter uma participação mais activa e aparecer nessas assembleias.