quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Na antecâmara de Viena


Estádio Olimpico de Kiev

Após a excelente exibição da 1ª mão, mas que produziu um resultado escasso, o FC Porto de Artur Jorge partiu para Kiev sabendo que ia enfrentar uma equipa poderosíssima e que em casa era praticamente imbatível.

Só para dar uma ideia das dificuldades que nos esperavam, o Dínamo, nessa época e na anterior, tinha o seguinte registo de resultados em casa para as competições europeias:

1985/86, Taça das Taças
4-1: FC Utrecht (Holanda)
3-0: Universitatea Craiova (Roménia)
5-1: Rapid Viena (Áustria) (1)
3-0: Dukla Praga (Checoslováquia) (2)

(1) O Rapid Viena tinha sido finalista da Taça das Taças na época anterior (1984/85)
(2) O Dukla Praga tinha eliminado o SLB nos quartos-de-final

1986/87, Taça dos Campeões Europeus
2-0: FC Beroe (Bulgária)
3-1: Celtic (Escócia)
5-0: Besitkas (Turquia)

Ou seja, 0 derrotas, 0 empates e 7 vitórias (praticamente todas por goleada). Era esta máquina trituradora, treinada por Lobanovsky, que o FC Porto ia enfrentar.

Em 22 de Abril de 1987, o FC Porto entrou no Estádio Olímpico de Kiev com o seguinte onze:

Mlynarczyk, João Pinto, Celso, Lima Pereira, Eduardo Luís, André, Quim, Jaime Magalhães, Madjer, Gomes (cap.) e Futre.

Toda a gente esperava um massacre do Dínamo nos minutos iniciais mas, perante o espanto de 95 mil ucranianos, que enchiam por completo as bancadas do estádio, aos 11 minutos os dragões venciam por 2-0!

Vídeo do golo do Celso (ao terceiro minuto):




Vídeo do golo do bi-bota de ouro (aos 11 minutos de jogo):




Mikhailichenko haveria de reduzir aos 13 minutos e os ucranianos ainda enviaram uma bola à trave, mas um FC Porto com classe, altamente personalizado e a jogar à Porto, controlou o desafio até ao árbitro Ronald Bridges (País de Gales) apitar para o final do encontro, obtendo uma nova vitória por 2-1 e regressando a Portugal com o bilhete para a final de Viena.



Como recordação e em jeito de homenagem, os 23 'dragões' que participaram nos nove jogos que culminaram com a vitória de Viena (clique para ampliar):

7 comentários:

Mário Magalhães disse...

Bons tempos os de 1987, outra mentalidade, jogadores a PORTO, maior parte fomrados no nosso clube e com a escola de Pedroto, com um tecnico jovem com grande ambição pela vitória, enfim os resultados foram os melhores.
Agora uma equipa formada por uma comunidade das nações com pouco espirito a PORTO e com um treinador sem a noção minina daquilo que anda a fazer...
Haja paciencia...
Saudações

Zé Luís disse...

Esta madrugada a RTP-Memória repetiu esse jogo de Kiev.

Miguel disse...

Vamos lá a ver se serve de inspiração...

J Reis disse...

Não vi este jogo de Kiev. Estava fora do país em férias de Páscoa, mas telefonei para casa 2 vezes, ao intervalo e mal o jogo acabou. E nessa noite apanhei em Paris uma das primeiras fardas da minha vida :)

Hoje vamos ganhar: estava escrito nas entranhas do peixe que comi ontem ao jantar. Não deu para ver o resultado exacto, mas pareceu-me que o Hulk marcava um dos golos :))

Já passámos por momentos bem mais delicados do que este e temos dado sempre a volta por cima. Não podemos esmorecer, carago!!!!

Um abraço a todos os que acreditam

Geninho disse...

Lembra-me desse jogo como se fosse hoje.
Que saudades!

Pagamico disse...

Quero apenas lembrar,que o Dinamo de Kiev era tão só e apenas a base da selecção da U.R.S.S.
Um abraço

José Correia disse...

Caro pagamico, é verdade que o Dinamo Kiev era praticamente a Selecção da URSS.

Aliás, isso foi referido no seguinte artigo:
http://reflexaoportista.blogspot.com/2008/10/o-dinamo-kiev-de-lobanovsky.html