terça-feira, 11 de novembro de 2008

Um roubo ao raio-x (II)


Quando lhe foram pedidos exemplos concretos dos erros de arbitragem, Paulo Bento recorreu ao sarcasmo: «Tem aí uma folha A4? Se tiver eu faço-lhe um resumo. E isto é antes de ir para casa rever o jogo, porque de certeza que ainda vou encontrar mais.»

Uma folha A4?
Bem, depois do roubo na última Final da Taça de Portugal, ainda bem presente na memória dos portistas, aqui vai o filme de um novo roubo ao raio-x:

7': Liedson acerta com o cotovelo na boca de Fucile e o uruguaio tem de sair do relvado para receber assistência médica. Não houve qualquer sanção disciplinar para o avançado do Sporting. A coisa começou bem...

37': Cartão amarelo para Bruno Alves (na 1ª falta que fez!) por derrubar Liedson. Perante o que se tinha visto anteriormente, uma clara dualidade de critério.

42': Cartão amarelo para Pedro Emanuel por falta cometida sobre João Moutinho.

46': Cartão amarelo para Lucho, que fez uma falta normalíssima, a meio-campo, sobre Rochemback.

Perante a habitual pressão histérica do público de Alvalade, Bruno Paixão amarelou três jogadores do FC Porto entre os 37 e os 46 minutos.
De notar que, nesta altura do jogo, o FC Porto tinha um total de 6 faltas (uma média de um cartão amarelo por cada duas faltas!), enquanto o Sporting já ia em 16 faltas (e zero cartões).

47': Rochemback tem uma entrada às pernas de Lucho nas barbas do árbitro, que marca falta mas, mais uma vez, se "esqueceu" da sanção disciplinar para o jogador do Sporting.

55': Finalmente um cartão amarelo para um jogador do Sporting – Caneira – por falta cometida sobre Hulk (desta vez assinalada...).

62': Hulk é derrubado por Polga na área do Sporting, mas o árbitro limita-se a marcar canto. 1º penalty (e cartão amarelo para Polga) que ficou por marcar contra o Sporting.



65': Cartão amarelo para Polga, devido a mais uma falta dura sobre Hulk. Devia ter sido o 2º cartão amarelo para o defesa brasileiro do Sporting.

68': Rui Patrício atropela Hulk pelas costas, derrubando-o de forma ostensiva. É impossível o trio de arbitragem não ter visto. Caído no chão, Hulk é ainda atingido na cara por uma patada de Caneira.
2º penalty que ficou por marcar contra o Sporting e o Caneira deveria ter visto um cartão vermelho directo (e não 2º cartão amarelo).

73': Liedson entra de pé em riste atingindo Bruno Alves com violência, justificando cartão vermelho e não o amarelo exibido.

82': João Moutinho salta artisticamente e “obriga” o árbitro a mostrar o 2º cartão amarelo a Pedro Emanuel. Depois de ter sacado um penalty no último Sporting-FC Porto para o campeonato, desta vez foi a expulsão de um adversário. Missão cumprida!


114': Finalmente, Abel vê um cartão amarelo, por mais uma entrada faltosa, desta vez sobre Lisandro. Por pouco conseguia o milagre de acabar o jogo sem ver um cartão.

115': Rochemback atinge Rolando com o braço esquerdo na face, derrubando-o. Bruno Paixão cometeu a proeza de transformar um penalty contra o Sporting (o terceiro que ficou por assinalar!) e cartão vermelho directo para Rochemback, numa falta de Rolando! É, de facto, um predestinado para a arbitragem...

Nota: Este filme não inclui alguns lances (poucos) em que o Sporting tem razão de queixa da arbitragem. Deixo isso a cargo dos “isentos” comentadores da TVI e, principalmente, do “exército de calimeros” de Alvalade.


Curiosidades acerca da arbitragem:

1) Antes deste jogo, jornalistas e comentadores leoninos, com particular destaque para Rui Oliveira e Costa, fizeram uma campanha intensa anti-Bruno Alves, de modo a tentarem condicioná-lo a ele e ao árbitro. Afinal, o jogador mais faltoso do desafio foi o Liedson – sete faltas cometidas, incluindo duas violentas. Num jogo com 14 amarelos e 3 vermelhos, o “levezinho” ainda deve estar para perceber como é que conseguiu escapar sem ser expulso.


2) O Hulk viu um cartão amarelo (no caso o segundo) por ter simulado um penalty. Porque razão não foi seguido o mesmo critério com Postiga, João Moutinho e Liedson, que também simularam faltas inexistentes?

3) Como é possível que Postiga, que se fartou de protestar e esbracejar contra decisões do árbitro, quer enquanto esteve dentro do campo, quer após ter sido substituído, não tenha visto um único cartão amarelo?


4) A competência do árbitro Bruno Paixão é, agora, questionada de forma quase unânime. Contudo, não me lembro deste árbitro ter sido questionado pelos sportinguistas quando, num célebre jogo em Campo Maior, teve um contributo decisivo para que o Sporting interrompesse um jejum de 18 anos sem ganhar o campeonato. Podem passar 50 anos, que os portistas nunca esquecerão esse jogo.

5) Também não me lembro de ouvir os sportinguistas questionarem a nomeação ou a competência de Bruno Paixão aquando da Supertaça 2007/08 (não assinalou um penalty descarado contra o Sporting por mão de Tonel), nem no recente Braga – Sporting, quando não assinalou um penalty claro cometido por Postiga sobre Meyong.


"Acabámos por perder com muita Paixão"
Filipe Soares Franco, presidente do Sporting

"A arbitragem portuguesa, os problemas da arbitragem, tudo isso mete nojo. Penso que o Sporting tem sido demasiado simpático"
Paulo Bento, treinador do Sporting


Simpáticos? O que mete nojo e há muito tempo é a postura de dirigentes, treinadores e jogadores do Sporting relativamente às arbitragens. A falta de vergonha já ultrapassou todos os limites. Agora até se queixam quando são beneficiados!
Sim, o árbitro também teve erros contra o Sporting, mas quer no aspecto técnico, quer no disciplinar, não há dúvida para que lado é que o campo esteve inclinado.
Contudo, numa coisa estou de acordo com o treinador do Sporting. Os erros da arbitragem, a dualidade de critérios desde o início do jogo, quase sempre em prejuízo do FC Porto, não é explicável apenas por incompetência.

Bruno Paixão tem um historial negro a apitar jogos do FC Porto, a quem prejudica por sistema. Toda a gente sabe disso e quem o nomeou também.
Já agora, quem foi a pessoa responsável por esta nomeação cirúrgica?

Fotos: Record, Maisfutebol, www.fcporto.pt

21 comentários:

José Correia disse...

«Washington acertou. O pai e representante de Bruno Alves assegurou, a meio da semana, num duro ataque aos críticos do central, que este faria menos falta sobre Liedson no clássico do que o contrário e sugeriu uma contagem. Resultado: Bruno Alves venceu, por larga maioria, o duelo do jogo limpo, saindo de Alvalade com apenas uma falta assinalada - que, curiosamente, lhe valeu o cartão amarelo - enquanto o autor do golo do Sporting foi o mais faltoso da partida com sete infracções, quatro das quais sobre o número 2 do FC Porto. A estatística, pelo menos neste jogo, confirma a tese defendida por Washington, segundo a qual foi criada uma imagem distorcida sobre o filho, tido como jogador violento.»

in O JOGO, 11/11/2008

José Correia disse...

«(...) Bento advogou a pressão do público sobre os árbitros e antecipou a sua própria intervenção futura como forma de os condicionar antes dos desafios. Ao dizer o que disse, o treinador do Sporting escancarou as portas de um castigo que, a suceder, será justo - não porque prejudica o negócio mas porque lança os adeptos contra os árbitros e pode descambar em violência.»

António Tadeia
in O JOGO, 11/11/2008

José Correia disse...

«O clássico entre Sporting e FC Porto não acabou quando Helton defendeu a grande penalidade apontada por Abel. A polémica que teve lugar durante os 120’ de jogo teve continuidade no final da partida, mormente no túnel de aceso aos balneários, onde os jogadores leoninos fizeram questão de manifestar a sua indignação a Bruno Paixão, valendo a pronta intervenção de Paulo Bento a serenar os ânimos.

Ao que Record apurou, Hélder Postiga foi o elemento que mais “problemas” causou, tendo perdido a cabeça e confrontado o juiz setubalense com as incidências da partida. Segundo testemunhas no local, o avançado estava bastante enervado e gritava em direcção a árbitro do encontro. “Aqui mandamos nós! Aqui mandamos nós! Isto é a nossa casa. Assim não, é uma vergonha!”, afirmou, valendo a pronta reacção de Paulo Bento que serenou os ânimos em pleno túnel. “Acabou o jogo. Acabou o jogo”, disse várias vezes o treinador aos seus jogadores empurrando-os em direcção ao balneário leonino acalmando, entre outros, o mais enervado Postiga.

Apesar de ter sido confrontado por Postiga, Bruno Paixão parece ter relativizado o incidente e, segundo foi possível apurar, resolveu não fazer qualquer menção no relatório, até porque o jogador em circunstância alguma ofendeu o árbitro setubalense. Refira-se que mesmo no túnel, o juiz poderia ter expulso o avançado sportinguista que assim iria incorrer num castigo que o afastaria dos próximos jogos da equipa leonina, o que não vai acontecer.»
in Record

O Bruno evitou amarelar, ou expulsar, o Postiga dentro do campo, quando ele esteve no banco e, sabe-se agora, também no túnel de Alvalade.
É mais uma para juntar ao rol de asneiras "apaixonadas" que teve durante os 120 minutos.

Quanto ao Postiga, a raiva que demonstra quando joga contra o FC Porto, diz tudo sobre o seu carácter. E ainda há portistas que têm saudades deste mete nojo.

José Correia disse...

«As críticas cara a cara a Bruno Paixão não se resumiram a Hélder Postiga no lado leonino. Segundo Record apurou, também Pedro Barbosa fez questão de manifestar o seu desagrado ao juiz setubalense, nomeadamente no plano financeiro.
Como delegado ao jogo, Barbosa deslocou-se ao balneário do árbitro acompanhado pelo secretário técnico, Eurico Gomes, e ali falou (em tom sempre moderado) das incidências da partida, fazendo mesmo a analogia com o que se passou com o Vitória de Guimarães frente ao Basileia, na pré-eliminatória da Champions. “Também perdemos muito dinheiro... Alguém vai pagar por isto”, terá dito o dirigente sportinguista à saída do balneário.»

in Record, 11/11/2008

José Correia disse...

«O director de comunicação, Salema Garção, deu ontem voz à revolta: “O Sporting não pressiona, não comenta as nomeações, não faz telefonemas, não pede reuniões à Comissão de Arbitragem e isso, ao que parece, tem tido um preço alto a pagar pela equipa do Sporting”.»

in Record, 11/11/2008

Mário Magalhães disse...

Bons dias, depois de ler este post, e pensar sobre o que aconteceu no domingo, porque durente o jogo eu vejo como um apaixonado que sou pelo meu clube, chego a conclusão que o Sr. Paulo Bento não sabe perder e tem sempre que arranjar desculpas e fazer de vitima porque por aquilo que sei e leio o ambiente pela ruas de Alvalade tambem não anda nada famoso.
Portanto quero deixar aqui uma palavra de parabens a pessoa que escreveu o Post e uma palavra para a APAF para não defender quem não tem defesa possivel.

Saudações

José Correia disse...

«Quem ouviu ou leu as declarações de Paulo Bento (o mais incisivo), sem ter visto o jogo, fica com a ideia de que o Sporting foi “roubado de forma escandalosa”. Em rigor, não foi assim que as coisas se passaram. Mas o treinador leonino, até na célebre discussão em torno dos árbitros assistentes, já nos mostrou que só fica indignado nos lances “contra”. Ao ser beneficiado pelos erros dos árbitros, para além de assobiar para o lado, já o ouvi dizer qualquer coisa como isto: “Fomos beneficiados? Mas pelas vezes que já nos prejudicaram, ainda nos ficam a dever muito”. Paulo Bento terá uma contabilidade própria, mas mal organizada. Não partilha connosco a coluna dos “benefícios”, só a dos “prejuízos”. E no final do jogo com o FC Porto mostrou, uma vez mais, apenas parte das contas.

P.S.: Há umas (largas) semanas, em Braga, o sportinguista Hélder Postiga pontapeou as pernas do bracarense Meyong, na área leonina. O árbitro, Bruno Paixão, marcou falta contra o Sp. Braga. Só ele viu a infracção do camaronês. Domingo, em Alvalade, o sportinguista Rochemback agrediu, não uma, mas duas vezes, o portista Rolando, na área leonina. O árbitro, Bruno Paixão, marcou falta contra o FC Porto. Só ele viu a infracção do português. Incompetente, sim, mas com o mesmo critério: quem é agredido na área contrária, alguma falta terá feito... O que dá sempre jeito para não marcar o óbvio penálti. Bruno Paixão é um mau árbitro. Ponto final. Mas se mesmo assim consegue ser nomeado para os jogos mais importantes, isso diz muito de quem o escolhe.»

José Ribeiro
in Record, 10/11/2008

Zé Luís disse...

Zé Correia,

e lembrar que a 1ª falta do jogo, salvo erro, é de Roca a arrancar Lucho do chão, a falta que Roca repetiria sobre o argentino no minuto seguinte a Lucho ter visto o amarelo por derrubar Roca, sem violência, na mesma zona do campo.

lembrar ainda que o critério disciplinar contra o FC Porto seguiu a coerência dos de Jorge Sousa na Luz, Pedro Proença em Vila do Conde e Lucílio Vigarista em Alvalade.

The last, but not the least, o Record pontuou com 3 (nota positiva) o famigerado jogo de Campo Maior a 19/2/2000 arbitrado por Bruno Paixão.

Além de que, esperando para ver quanto tempo Paulo Bento será castigado, já que Postiga não deve sê-lo para além de amargar com o seu ressabiamento nojento mais uma derrota sem IVA, Co Adriaanse foi castigado com 15 dias de suspensão após gritar "é falta" escrito no relatório do árbitro do Naval-FC Porto da Taça (1-2) e que foi precisamente... Bruno Paixão.

Lembrar, também, que há muita indigência mental nojenta das tv's e jornais - é ler Carlos Daniel no Rascord de 6ª feira - que advogam que os árbitros dos anos 80 ou 90 eram piores do que estes sem jamais terem registos de 3 e 4 penáltis por marcar contra uma equipa, no caso sempre o FC Porto seja com Lucílio Vigarista ou Bruno Execrável Paixão.

Nuno Nunes disse...

Como já disse neste blog, o Sporting é um clube de fingidores e enganadores que exige dos adversários jogo limpo mas com imagem suja e de si próprio jogo sujo e imagem limpa. Um nojo de clube, um nojo de adeptos e dirigentes. Por alguma razão é um clube que nunca venceu ao longo da sua história a maior competição europeia de clubes, nem nunca irá vencer. É um clube de batoteiros sem fair-play que aspira sempre a favores de arbitragem como se isso fosse algo a que têm direito por natureza.

Metz disse...

Pois... O Sporting já não tem duques(...) para demostrar simpatia aos árbitros... ou será que os santos de alvalade já se esqueceram destas "simpatias"?

Cumpz

José Correia disse...

Zé Luis disse: «Além de que, esperando para ver quanto tempo Paulo Bento será castigado, já que Postiga não deve sê-lo para além de amargar com o seu ressabiamento nojento mais uma derrota sem IVA»

Provavelmente, o Paulo Bento nem sequer será castigado, porque trata-se de um jogo da Taça de Portugal e, portanto, sob a alçada da FPF.
Outra hipótese é "castigá-lo" durante o período de paragem do campeonato no Natal...

Quanto ao Postiga, cada dia me sinto mais feliz por nos termos vistos livres deste jogadorzinho reles.

José Correia disse...

A SIC Noticias mostrou ontem, de forma clarissima e com várias repetições, o vídeo do lance em que Polga comete penalty (não assinalado) sobre Hulk.

O vídeo está no YouTube
http://www.youtube.com/watch?v=xFPICVddjmk

Zé Luís disse...

Zé Correia, apesar de ser da Taça, o Adriaanse foi suspenso 15 dias. O Paulo Bento passaria impune porquê?

Já agora, aquele p.s. do Rascord é teu ou do Zé Ribeiro? É que não concebo como ele se atreveria a uma frontalidade e seriedade tão notórias...

As imagens do Da Seguinte, programa que há muito deixei de ver, foram passadas pelo Seara através do canal Benfica? Imagino o Dias Ferreira a espumar de raiva...

Pagamico disse...

Meu caro JC, o que mete mesmo grande nojo é ouvir os comentadores/torcedores da tvi, em determinado momento do jogo só lhes faltou entrar em campo para mar car um golo ao FCP.
É caso para dizer PQP.
Abraço

Mário Faria disse...

Apesar da propaganda e das queixas do costume, que servem para funcionar como uma ameaça e incendiar a malta, fico perplexo pela leitura dos comentaristas, ditos técnicos de arbitragem. Depois de ler o que escreveram, após terem visionado as vezes que quiseram as imagens, sempre digo que se lixem as novas tecnologias, pois há sempre forma de dar a volta ao texto e julgar como dá mais jeito nos lances duvidosos. Vejam lá o tempo que se perdia , para que suas excelências, os sábios, ditassem a sua verdade desportiva, quase tão polémica como a arbitragem de Paixão.
O SCP, o Bento, o Franco & Cia., não me surpreenderam. São assim e não há volta a dar.
Acho que Bento deve ser castigado, exemplarmente, pois incitou à violência, e todos sabemos que deitar gasolina ao fogo é extremamente perigoso.
Quanto ao Paixão deveria ir para a jarra durante uns jogos. Uma péssima arbitragem que prejudicou basicamente o FCP.
Porém, não esqueçamos o principal : continuamos sem jogar bem, pouco coesos e organizados - mesmo contra dez - e mais uma vez as figuras superaram largamente o colectivo.
JF ainda não acertou com a equipa, e demorou muito a fazer as alterações. O nosso ataque vive da inspiração dos seus jogadores e continuamos a jogar muito estendidos.
Insisto : o FCP mostrou insuficiências gritantes e valeram algumas individualidades e a atitude.

José Correia disse...

Zé Luis, o P.S. do extracto do artigo que eu transcrevi é mesmo do José Ribeiro do Record.

Como é que ele se atreveu a escrever aquilo?

Não sei, mas se fosse o SLB talvez não se atrevesse.
O Sporting anda com falta de militância...

José Correia disse...

Zé Luis disse: «As imagens do Da Seguinte, programa que há muito deixei de ver, foram passadas pelo Seara através do canal Benfica? Imagino o Dias Ferreira a espumar de raiva...»

Também não vi o programa.
Enviaram-me o link do video e eu acrescentei-o ao artigo, para que não fiquem dúvidas, incluindo entre alguns portistas.

Miguel disse...

Já agora, deixo aqui a minha indignação para com a RTP. Na segunda-feira, logo de manhã, apanhei o resumo do jogo e a minha sorte foi ter visto o jogo completo no dia antes. Senão vejamos: não passaram nenhum lance de cotovelada (nem do Liedson nem do Postiga) sobre o Fucile; Não passaram o lance do Penalty do Polga sobre o Lucho; O lance do Patricio sobre o Hulk (que sinceramente não percebo como nem o auxiliar viu aquilo) só foi mostrado para confirmar a "injustiça" do segundo amarelo a Caneira; O lance da agressão (porque disso se tratou) de Rochembak sobre Rolando, nem vê-lo; A entrada do Pedro sobre o João Mortinho foi considerada como muito violenta!
Já agora, também acho piada como, na ansia de defenderem a sua dama, dão razões às queixas do Porto quando dizem que no lance do Penalty do Patricio sobre o Hulk, nenhum dos dois deveria ter visto amarelo... é que é graças a esse amarelo que o Hulk tb é expulso.
Sinceramente, das 3 ainda pensava que a RTP fosse a mais isenta... agora, já nem sei o que dizer.

Abraços.

Zé Luís disse...

Zé Correia, conheço muitos cromos da bola e dos pasquins. Conheço esse também, daí a minha perplexidade ser total, daí ter pedido esse esclarecimento e daí ainda agora me recusar a acreditar no que escreveu.

Lagarto até ao tutano.

Pode ser é que resteja desalinhado co a linha editorial vergonhosa do pasquim. Vou mais por aí, porque lhe desconhecia a capacidade de ser isento.

Pedro Vale disse...

Zé Luís disse...

Co Adriaanse foi castigado com 15 dias de suspensão após gritar "é falta"

Creio que quem foi suspenso por gritar é falta foi o Fernandez...
Mas isso não invalida que haja uma gritante dualidade de critérios!

Mrmarmota disse...

a unica conclusao q se pode tirar disto e q o paulo bento e 1 labrego armado em sportinguista,o presidente do zbording 1 deficiente mental e q os adeptos do zbord sao 1as amelias insuportaveis.a nossa imprensa escrita e os comentadores tvi estao abaixo de qq insulto q lhes possa fazer.
vamos continuar a ser alegremente prejudicados com o ironico rotulo de corruptos..
whatever..
Jorge Mota