segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Bruno Alves vai sair no final da época?



«Newcastle United and Manchester City are reportedly tracking Porto defender Bruno Alves.
Alves has been in excellent form for the Portuguese Liga champions, and reports claim scouts from both United and City have been monitoring his progress. The 26-year-old's current contract runs until 2012, and it is claimed that Porto would not accept an offer of less than 30 million euros (£23.6 million).

The central-half's agent, and father, has confirmed that a number of clubs are interested in signing Alves.
"Porto is not interested in a sale right now, but anything is possible after Euro 2008", agent Washington Alves said. "Bruno is playing very well. A number of European clubs have asked about his contract situation."

The Porto defender added: "I am flattered by the reports but I have signed a deal with Porto, which complicates an exit. The club would only study an offer for me if the fee was of grand proportions."»
in Sky Sports, 06/05/2008

-----

«Giovani dos Santos pode ser o atractivo trunfo do Barcelona para convencer o FC Porto a negociar uma transferência do central Bruno Alves para Camp Nou. O avançado mexicano quer jogar com mais regularidade e já fez saber isso à direcção do Barça, que procura agora a melhor forma de rentabilizar a vontade do jovem craque de 19 anos. E ao que o DN sport apurou junto de fonte da direcção dos catalães, incluir Giovani (avaliado em oito milhões de euros) numa oferta por Bruno Alves, em quem o Barça e o novo treinador Guardiola estão realmente interessados, é uma possibilidade em aberto. Além do jogador mexicano, o gigante espanhol admite esticar a oferta até aos 18 milhões de euros. (...) Mas também é assente que os dirigentes do Barcelona não estão dispostos a abrir a bolsa até aos 30 milhões de euros fixados pelo FC Porto para a saída de Bruno Alves. (...)

A ofensiva por Bruno Alves está também algo dependente, ao que o DN sport apurou, do encaixe realizado com a venda do defesa mexicano Rafael Márquez, com quem o Barça espera encaixar cerca de 15 milhões de euros. Caso o consigam, os catalães devem fazer chegar à SAD portista a proposta concreta pelo central internacional português, que foi alvo de constantes observações dos olheiros do Barcelona ao longo da época.

Esta semana, em declarações a um jornal desportivo de Barcelona, o El Mundo Deportivo, o pai e recente empresário de Bruno Alves, Washington Alves, reconheceu conhecimento no interesse do Barça e remeteu para o FC Porto o sucesso de uma eventual transferência.
Mas o facto de Bruno Alves ter abandonado o seu antigo empresário Rui Neno, a favor do pai, foi visto nos círculos portistas como uma sinal de negócio em perspectiva para o jogador.»
in DN, 17/05/2008

-----

«El padre y representante del central del Oporto Bruno Alves, Washington Alves, aseguró ayer que el Barcelona se interesó por hacerse con los servicios de su hijo y afirmó que tiene también una oferta del Manchester City. Según Washington Alves estudiarán lo que más les convenga en el aspecto económico. El propio jugador ya dijo el otro día que se siente "orgulloso" de que un club como el Barcelona se fijara en él. El Oporto habría tasado al defensa en 20 millones de euros. El caso es que la llegada de Martín Cáceres aleja su fichaje.»
in El Mundo Deportivo, 06/06/2008

-----

Em 5 de Junho, perante as notícias sobre o interesse do Barcelona e do Manchester City em Bruno Alves, o pai/empresário afirmou em declarações à Renascença:

"É natural que haja interesse. O Bruno renovou recentemente com o FC Porto e, em princípio, é uma situação para manter. Se houver interesse de outros clubes, terão que contactar o FC Porto, que dará resposta à situação. Já chegaram propostas, mesmo antes da renovação. O interesse existia antes".

-----

"Existem cinco ou seis clubes – sobretudo ingleses – interessados no Bruno e dispostos a pagar muito dinheiro por ele. E José Mourinho já referiu também o nome dele", disse ao CM uma fonte próxima do jogador, de 27 anos.

"Ele tem interesse em sair, se surgir uma proposta financeiramente atraente, mas a última palavra é do FC Porto", frisou a mesma fonte. Bruno Alves está ‘preso’ por uma cláusula de rescisão de trinta milhões de euros, um valor proibitivo para a maioria dos clubes.

Em entrevista ao Correio Sport (19 de Julho), o jogador afirmou: "Gostava de jogar noutras ligas mais competitivas. Mereço uma oportunidade."

-----

No início de Novembro passado, no auge de mais uma campanha da comunicação social lisboeta contra o Bruno Alves, Washington Alves admitiu a saída do filho de Portugal, devido à saturação com tantas críticas relacionadas com a sua forma de jogar.
"O Bruno poderá mudar de país mas dificilmente a forma de jogar. [O Bruno] pode deixar um país onde algumas pessoas não o aprovam. Assim é difícil. Em Portugal é considerado violento, maldoso, faltoso, o que ele não é".

Washington Alves questionou as intenções do porta voz do Benfica quando este apelou a um sumaríssimo para o Bruno Alves, referindo que "por este andar da carruagem só falta o nariz vermelho e a lona para ser um circo".

No contexto e timing em que foi feito, compreendo este desabafo do pai do Bruno Alves. O defesa-central do FC Porto é um jogador forte fisicamente que, por vezes, comete alguns excessos, mas na maior parte dos jogos são mais as faltas que sofre do que aquelas que comete.

Bruno Alves, FC Porto x Celtic Glasgow


Cerca de um mês depois, em 11 de Dezembro, Washington Alves voltou a falar sobre o futuro do filho. Desta vez não foi para reagir a campanhas da comunicação social, mas sim para pedir (exigir?) mais dinheiro, na sequência de dois jogos (V. Setúbal - FC Porto e FC Porto - Arsenal) em que o Bruno Alves marcou os dois golos que abriram o caminho para as vitórias da equipa.

"A melhor forma para o Bruno ficar no Porto é o clube reconhecer o real valor do jogador. Sendo assim, claro que o Bruno não terá interesse em sair, se lhe derem o mesmo que os outros querem dar por ele, o Bruno não terá necessidade de sair do futebol português".


Começo a ficar um bocado farto com o protagonismo do pai e empresário do Bruno Alves, com declarações sempre no mesmo sentido (há clubes interessados, chegaram propostas, o Bruno Alves quer ficar, mas têm que lhe pagar mais, etc.).

Depois dos casos do Diego e do Bruno Moraes, temos agora um novo caso com o pai/empresário do Bruno Alves?

Convém recordar que o Bruno Alves tem contrato com o FC Porto até à época 2012, contrato esse que, se bem me lembro, foi revisto e renovado há menos de um ano.

Precisamente sobre este tipo de pressão, dos jogadores e dos seus empresários, no dia 13 de Dezembro o DN publicou um artigo de António Tadeia, onde este fala da crise e dos aumentos salariais pedidos (exigidos) por jogadores dos três grandes.

Escreveu António Tadeia: «Há menos gente nos estádios, as transferências vão começar a fazer-se por menos dinheiro, os investidores em sponsorização começam a fechar um bocadinho a carteira e o futebol vai naturalmente ressentir-se. (...) É por isso que se tornam mais espantosas as declarações dos empresários. Esta semana tocou aos três grandes. (...)

Ao tradicional interesse dos clubes de Leste juntaram-se desta vez emblemas ingleses, o que serviu na perfeição a Liedson para dizer, anteontem, que espera que o Sporting não o prejudique. Mas Liedson já está nos 110 mil euros mensais, o tecto salarial praticado pelo Sporting, do qual só se aproximam Rochemback e João Moutinho (100 mil cada um).

E a questão aqui é um pouco idêntica à de Bruno Alves, que com 100 mil euros mensais é o português mais bem pago do FC Porto, apenas atrás de Lucho González e Rodriguez e à frente de Lisandro Lopez, por exemplo, mas que mesmo assim pôde ler na imprensa de ontem palavras do pai e empresário, Washington Alves, a pedir um aumento para o filho. Em ambos os casos se trata de política desportiva e de gestão de expectativas.

Antes de aumentarem um tecto salarial que já tem alguns anos, os dirigentes do Sporting terão de pensar no que ainda esperam de Liedson. E o mesmo devem fazer os responsáveis do FC Porto antes de elevarem Bruno Alves a uma condição salarial equivalente ao estatuto de capitão de que goza em campo. Ora é aqui que os casos divergem. Liedson faz 31 anos para a semana e já não será alvo de nenhuma proposta louca, pelo que a decisão será entre renovar a pagar-lhe mais ou deixá-lo sair por muito menos do que custaria um substituto. Já Bruno Alves, de 27 anos acabados de fazer, é tido por muitos como a próxima grande transferência do FC Porto, um jogador que o clube terá dificuldades em segurar face às propostas que hão-de surgir, pelo que aumentá-lo poderia apenas servir para alimentar as reivindicações à esquerda e à direita e nem assim chegar para o segurar.»
António Tadeia, 13/12/2008

-----

O Bruno Alves irá mesmo sair do FC Porto no final da presente época?

Bem, em 18 de Outubro passado, na véspera de voltar a formar dupla com Pepe no eixo defensivo da Selecção Nacional, este último afirmou: "o Bruno Alves precisa de outros horizontes".

O jogador, que fez 27 anos recentemente (em 27 de Novembro), entende que merece uma oportunidade e o pai/empresário está nitidamente mortinho por ver o filho envolvido numa transferência milionária (ai as comissões...).
Falta saber se será possível fazer uma transferência milionária (acima da barreira dos 20 milhões de euros) nos tempos que correm e ainda por cima sem envolver o Jorge Mendes.

E como é que um portista olha para este caso?

Mais do que um esteio na defesa azul-e-branca, o Bruno Alves é o sucessor natural de capitães como João Pinto e Jorge Costa (não por acaso também usa a camisola 2). Além disso, é dos poucos jogadores portugueses do plantel e é mesmo o único, entre os titulares, que passou pelas camadas jovens do FC Porto.
Como se tudo isto não bastasse, tem vindo a aprimorar a marcação de livres e a sua capacidade de elevação faz dele um jogador decisivo nos lances de bola parada disputados nas alturas.


O que é que eu faria se estivesse na administração da SAD?

Proporia ao Bruno Alves a renovação do seu contrato até Junho de 2014 (nessa altura o Bruno terá 32 anos), com melhorias salariais em todas as épocas, até atingir os 150 mil euros/mês na época 2013/14.

Mas a SAD não precisa de vender pelo menos mais uma das “pérolas” esta época, para equilibrar as contas do exercício?

Sim, infelizmente precisa, mas ponderando todos os aspectos (idade, nacionalidade, ligação ao clube, alternativas existentes no plantel), entre os jogadores transferiveis que podem gerar mais-valias significativas, preferia que fosse o Lucho a sair.

"El comandante" é um grande jogador, dos melhores que passou pelo FC Porto na última década mas, tal como Deco em 2004 e Quaresma em 2008, sente-se que o problema já não é só dinheiro. Após quatro épocas no FC Porto, o jogador quer outros desafios, quer jogar noutros campeonatos e, deste modo, desde que o interesse de ambas as partes seja salvaguardado, entendo que a SAD o deve deixar sair.

O problema é que o Lucho desta época está uns bons furos abaixo do que mostrou nos últimos anos e pode dar-se o caso de surgirem propostas "irrecusáveis" para o Bruno Alves e não aparecerem para o Lucho.

E ainda há um cenário pior, que é sairem os dois, um no final desta época e o outro no início da próxima (reeditando o que tem acontecido nos últimos anos).

Nota: A selecção das fotos e os negritos são da minha responsabilidade.

5 comentários:

Mário Magalhães disse...

Eu defendo a venda de Lucho ou Lisandro do que a venda do Bruno Alves, pelos seguintes motivos, tem a nossa mistica, nossa raça, a nossa força... E é patente que nos 2 Argentinos o nosso campeonato está a ficar pequeno para eles e a motivação não é a mesma quando chegaram...
Relativamente ao Pai/Empresário do Bruno ele o que quer é protagonismo em 2 sentidos, a ver se consegue uma transferencia milionária para o filho (comissões) e deve andar a ver se arranja uma equipa para treinar e deixa os distritais...

Mefistófeles disse...

Desiludam-se: este país tem um talento nato para vender talentos para o estrangeiro.

Só cá ficam mesmo a merda e os masoquistas como nós.

hmocc disse...

Não tenho dúvidas: o Bruno e o Lucho vão sair no próximo defeso. Teriam saído mais cedo se não temos ido à Champions.

O Lisandro fica mais uma época, a menos que surja uma proposta irrecusável.

Tanto o Lucho como o Bruno sairão por bastante menos do que os 30 milhões anunciados. Com o mercado a contrair não vejo maneira de alguém pagar mais do que 15-20 milhões por cada um. E já é um pau...

PMF disse...

O que acho interessante é que se continue a pensar o negócio do futebol com as mesmas premissas de há um ou dois anos atrás!
Claro que, de uma forma directa, os empresarários/pais/amigos ou quem quer que seja que trate destes assuntos para os interessados (jogadores), tentam inflaccionar o peixe que têm...Porém, há que repensar tudo isto daqui para a frente e os jogadores devem começar a equacionar, nas suas transferências (desejadas), se daqui a um ano (meses) ainda poderão receber efectivamente ordenados na casa dos 100/120.000 Euros.

Claro que valores de transferências na casa do 30 milhões, já são, agora e sobretudo em 2009, uma coisa do passado!!!

julio disse...

eu prefiro eu