quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Judas explica-se...

O Judas resolveu explicar publicamente as razões que o levaram a rescindir contrato unilateralmente com o FC Porto em Maio do ano passado. Fê-lo numa entrevista dada à RTP, esse imparcial órgão de comunicação social pago por todos nós, onde ainda teve espaço para afirmar que já obteve a nacionalidade portuguesa e que está pronto para ser seleccionado para o próximo jogo sabendo já a letra do hino nacional. Pela atitude que tomou contra o seu anterior clube, que como se sabe em Portugal representa a raiz do Mal, Judas será de certeza recebido no Terreiro do Paço como um “bom português”.
Os sócios do FC Porto ficaram assim a saber que foi o medo de levar “um tiro no joelho” que ditou que o Judas fosse o primeiro jogador em todo o Mundo a invocar a “Lei Webster” para rescindir unilateralmente um contrato (isto, claro está, excluindo o próprio Webster). As pressões do empresário e o aliciamento de outros clubes nada tiveram a ver com o caso. A hipótese de que tenha sido de facto ameaçado poderá não ser de todo inverosímil. Partindo do princípio que o episódio relatado é verdadeiro, o jogador terá ficado sem condições para continuar no clube e na cidade. No entanto não é sequer razoável que a forma de resolver uma questão destas fosse a rescisão unilateral do contrato com o recurso a tal expediente. Haveriam de certeza soluções onde ambas as partes pudessem sair com mais benefícios financeiros.
Ironia do destino, o actual clube do Judas, o Atlético de Madrid vem jogar ao Dragão no próximo mês nos oitavos de final da Liga dos Campeões. Que jeito deu esta “entrevista” para tentar limpar a imagem do Judas antes de visitar o Dragão (a entrevista e o modo como foi conduzida foi mais um prego no caixão da RTP, depois queixem-se de “tratamento discriminatório”). Os sócios do FC Porto têm memória e o Judas, que se diz disponível para um dia voltar a Portugal (que mistério, para onde será?...) terá, acredito, uma recepção à altura da sua atitude quando jogar no Dragão.

11 comentários:

flama draculae disse...

Caro Nuno Nunes

Sem querer ofender a crença de ninguém, julgo que mais do que se explicar, acho que Assunção quis confessar-se e remir os seus pecados. Para isso, foi à “Igreja” RTP que tinha o padre Conduto pronto para o servir e o bispo Daniel pronto para o abençoar.

Agora a sério: Assunção e Conduto poderiam formar os...Judas Priest.

flamadraculae.blogspot.com

bLuE bOy disse...

Caro Nuno Nunes,

Pela minha parte, nesse dia, em pleno anfiteatro do Dragão, terá a minha saudação especial... porque quem não se sente, não é filho de boa gente... e este, não é de facto.

Na hora, saberei cumprimentá-lo... à lá boa moda tripeira!!

Francisco disse...

Sobre esta entrevista ao Paulo Assunção (PA), acho que se está a passar ao lado do que está verdadeiramente em questão.

Vejamos:
- O jogador PA tem uma obsessão: poder jogar uma fase final do campeonato do mundo de futebol.
- Infelizmente a idade não perdoa, e dificilmente conseguirá ser algum dia convocado para a selecção do Brasil.
- Dessa forma há que tentar a selecção Portuguesa, que lhe parece ser uma alternativa exequível devido à boa imagem que deixou como jogador em Portugal.
- Infelizmente, os exemplos recentes de Brasileiros seleccionados pela nossa selecção não deixa muita margem de manobra. O presidente da FPF não autoriza a convocação de nenhum Brasileiro que não tenha um nível de qualidade extra.
- Acresce que, depois de uma campanha de insinuação através dos jornais em como ele PA seria fundamental para a nossa selecção, parece que a opinião publica se está a virar definitivamente para a necessidade da convocação do Liedson.
- Ora, o PA é um jogador inteligente, e sabe que dificilmente a FPF autorizará a convocação de mais do que 3 Brasileiros para serem titulares na nossa selecção (seriam já 27% dos titulares).
- Por outro lado sabe que o Liedson está a meses (semanas) de obter a nacionalidade Portuguesa, pelo que há que relançar o assunto (interesse em convocar o PA) através dos media.
- Infelizmente, é fácil de verificar que não bastará uma simples campanha de relançamento de imagem, que poderia ser implementada após dois bons jogos contra o FCP. Será necessário algo de muito mais forte.
- Ora, após um brevíssimo período de reflexão (!), o jogador e o seu empresário decidem optar pela estratégia SCOLARIANA, que em Portugal dá sempre resultado.
- Em que consiste essa estratégia: "Agredir o FCP, e dessa forma arregimentar 40 milhões (!) de Portugueses a seu favor".
- Aproveitar essa onda de solidariedade, e pressionar o seleccionador e o presidente da FPF para a inevitabilidade de convocação de um jogador com tão boa imagem.
- Esta será uma estratégia imbatível, principalmente porque o jogador Liedson nunca poderá a ela recorrer, visto que nunca terá a simpatia SLBistica.
- Vai daí, há que implementar a dita estratégia. O 1º ponto será requisitar o serviço de um "pé de microfone" que nos permita lançar o assunto em Portugal. Em seguida, através do blogues SLBisticos, haverá que manter o assunto vivo. Finalmente, haverá que lidar com a dupla Queiróz/Madaíl.
- Para o 1º passo não poderiam convocar o duo Bola/Record porque seria evidente de mais. O Jogo não iria pegar no assunto. A SIC/TVI não são muito consensuais. Logo a RTP seria a escolha óbvia, para o que bastaria acenar com a promessa de declarações "interessantes".
- Acho que a partir daqui o filme fica mais claro...

Vicent Russell disse...

Em humilde pergunta, dum portista independente e com capacidade crítica, que não representa uma posição de massas, afinal qual foi a ofensa grave do Paulo Assunção?Querer ter um vencimento superior ao proposto? Traiu o clube por sair, à luz duma disposição legal? Deixem-se de ressabiar e reconheçam a verdade, tão simples quanto assumir que o Porto é um clube, no panorama europeu, vendedor, que, dê tão grande e capaz que é, mesmo com essa limitação natural consegue, amiúde, suplantar outros clubes europeus, bem mais ricos. Do baixo do meu lugar, apenas aconselho a que crescem e se deixem de visões irracionais.

José Correia disse...

Francisco disse...
«Sobre esta entrevista ao Paulo Assunção (PA), acho que se está a passar ao lado do que está verdadeiramente em questão.
(...)»


Francisco, a perspectiva dos factos que expôs é algo maquiavélica, mas sem dúvida interessante.

Nuno Nunes disse...

Caro humilde leitor Vicent Russell:

Se até agora não vislumbrou qualquer ofensa por parte do Judas para com o FC Porto lamento mas também não sou capaz de explicar melhor.

De resto, estamos a tentar crescer e aprender com as opiniões dos nossos leitores.
Melhores cumprimentos.

HULK Onze milhas disse...

Vicent Russell: "afinal qual foi a ofensa grave do Paulo Assunção"
Aqui está a razão pela qual o "oportunista" será recebido de braços abertos pelos 6 milhoes da treta...
Já agora, caro "humilde" reflicta numa coisa: os melhores jogadores do FCP estão condenados a serem transferidos para ganharem mais. Quantos desses que já foram nossos são mal amados no Dragão???
Se mesmo assim continuar a não perceber...

Marques disse...

Ponto 1 - a ameaça: não me custa nada a acreditar na ameaça a Paulo Assunção, tal como na ameaça a Mourinho, a Rodriguez e a muitos outros que passaram pelo clube. Acontece e acontecerá no FCP e em todos os outros clubes. Noutros locais fazem emboscadas a equipas de hóquei e apertam o pescoço a árbitros auxiliares. Faz parte do fanatismo ligadoa o desporto em geral e ao futebol muito em particular, e metendo claques pelo meio, estamos conversados. Justificar a saída do clube por causa da ameaça é outra coisa. Se os jogadores saíssem dos clubes sempre que são ameaçados, entravam e saíam jogadores todos os dias.
E em que circunstâncias é que foi ameaçado? Foi uma carta anónima, uma boca no trânsito, um insulto quando se aproximou da linha lateral para fazer um lançamento, ou uma k7 de vídeo com o copyright da ETA ou do Baader-Meinhof?
Ponto 2 - a tanga. Porque é que Paulo Assunção não renovou a inscrição no colégio do filho (as renovações dos colégios privados são feitas em Fevereiro/Março) e o irmão dizia à boca cheia que o jogador ia jogar para Espanha na época seguinte? Será que as ameaças foram colocadas no sapatinho pelo Pai Natal?

Mefistófeles disse...

Caro Marques: perfeitamenne em sintonia.

Templo do Dragão disse...

Bom, a verdade é que os advogados do Assunção ou as agências de comunicação ou assessores ou o .....
estão a tentar safar o jogador de ter de pagar muito dinheiro pela esperteza saloia da Lei WebsAssunção.
O "artista" vai dando entrevistas (ora era uma perna partida, ou um tiro ou uma ameaça à família blá blá...) Eu dou-lhe de borla a dica de que deve meter o PdC ao barulho porque o impacto é mt maior na única e permanente CAMPANHA NEGRA que existe deste que me conheço em Portugal, ou seja a q é feita contra nós.
Por Falar em Negra será que o Saldanha a Morgado vão entrar em campo agora q a verdadeira CORRUPÇÃO está no ar? e o Botelho/Botelha ? vai dar livro ou filme?

HULK Onze milhas disse...

"...dica de que deve meter o PdC ao barulho... "
Essa dica já vem atrasada. Da "encomenda" aviada pela Televisão do Estado fazia parte a pergunta: "e então o Pinto da Costa não fez nada?"
Assim mesmo... sem pudor nenhum: "o Pinto da Costa não fez nada?"
Só que o Assunção não esteve à altura, talvez por falta de coragem, e lá foi debitando que sim, que "lhe tinham mandado lá a casa o Acácio..."
Lá se foi o efeito por água abaixo. Mas esperem pelas cenas dos próximos capítulos porque acho que isto não fica por aqui...