sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

Para quando o “regresso” de El Capitan?


Lucho não tem estado bem. É notória uma baixa de forma que se reflecte nas suas prestações em campo nos últimos meses, apesar do próprio Jesualdo já ter vindo a público não só negar que Lucho esteja em má forma como garantir que este ano lhe atribuiu um papel diferente no seio da equipa tendo com isso tirado ao argentino visibilidade nos golos e nas assistências. Não me convenceu.


Sabemos que no defeso apareceram vários clubes estrangeiros a acenar com contratos milionários ao jogador. Sabemos também que chegou a dar uma entrevista quando estava de férias na Argentina a manifestar o desejo de rumar a “um novo projecto”. No entanto Lucho Gonzalez acabou por renovar e ficar no plantel do FC Porto pelo menos durante a presente época tendo chegado a afirmar ao jornal Ojogo que “desde o primeiro momento, defendi que o clube e as pessoas me trataram muito bem. Senti sempre muito carinho aqui. Disse que pensava ter chegado o momento de sair, mas, depois, conversei com os dirigentes da SAD e cheguei à conclusão que o melhor era continuar. E estou muito contente”.


Lucho é um jogador muito valioso que se enquadra bem em qualquer equipa, foi o Comandante (li algures que preferia que lhe chamassem El Capitan) nas três últimas temporadas e a sua leitura de jogo tem sido decisiva no FC Porto dos últimos anos, principalmente no de Jesualdo Ferreira.

É por ser um jogador tão especial que me tem custado (e seguramente à maioria dos adeptos portistas também) ver o Lucho a fazer exibições tão pobres e tão aquém da sua real valia. No penúltimo jogo em casa, contra a Académica, El Capitan terá feito, em minha opinião, uma das piores exibições desde que chegou ao FC Porto mas nem o seu desacerto fizeram com que JF fosse capaz de o substituir, tendo dado a sensação que alguns jogadores são mais iguais que outros. A sua má condição física foi notória e acentuou-se na segunda parte jogando grande parte do tempo a passo e sem capacidade de pressing e recuperação de bola como é seu hábito. E esta até tem sido uma das épocas com menor carga de jogos dos últimos anos. Do muito que se vai dizendo na blogosfera e nas bancadas do Dragão – que está cá contrariado, que há problemas no balneário, que há festas do botellón no clã argentino, que tem problemas de família, etc... – acredito que o Lucho é um profissional a 100% e que o mau momento que agora atravessa irá ser ultrapassado.


Seria bom que depois destas mini-férias natalícias Lucho voltasse a assumir o protagonismo na equipa do FC Porto. O tempo que teve para descansar física e psiquicamente junto da família poderá ter sido decisivo. Ainda por cima não tarda a visita do Deus do Futebol ao Dragão a 11 de Janeiro para o observar (e ao Lisandro).


Que “regresse” neste novo ano o verdadeiro Lucho Gonzaléz para ajudar a equipa do FC Porto a atacar o Tetra e a Liga dos Campeões.

8 comentários:

Aleixo disse...

Facto curioso: Eu acho que estamos na melhor época de sempre do Lucho. Estranho ? Talvez não. O Lucho é, um jogador perfeito.Está, claramente, outro jogador em ritmos defensivos.

Jorge Aragão disse...

Eu costumo ser cauteloso quanto à apreciação do rendimento dos jogadores pois também fui atleta ( passe a diferença de classe, eu era amador puro e de nível mediano ) e sei muito bem que não somos máquinas e às vezes queremos e simplesmente ... não dá... por muitos e variados factores.
Lucho é daqueles que para mim tem créditos firmados e por isso esse crédito deve ser-lhe dado e não ir atrás das bocas que se ouvem nos mentideiros todos os dias.
Há-de melhorar e, se calhar, ele será o que mais deseja que a forma apareça. Até lá, força Lucho.

C disse...

O Lucho é mesmo um caso muito curioso.

Para um jogador praticamente apenas conhecido em Portugal e Argentina (país onde, mesmo assim, está bem longe de recolher tantos elogios como no nosso) é realmente de espantar a relevância que lhe é geralmente atribuída.

Um dia se fará o verdadeiro balanço da sua carreira em Portugal e não só.

Nuno Nunes disse...

Jorge Aragão comentou:
"Lucho é daqueles que para mim tem créditos firmados e por isso esse crédito deve ser-lhe dado e não ir atrás das bocas que se ouvem nos mentideiros todos os dias."

Concordo. No entanto já passaram pelo FC Porto muitos jogadores de "créditos firmados" ou se quiser da mesma valia futebolística do Lucho. Lembro-me por exemplo da "colheita" Vintage dos anos 80. E naquela altura quando um jogador estava a passar por um mau momento de forma não havia tanto cuidado como agora de não os fazer passar pelo banco de suplentes.

A mim parece-me claramente que em alguns jogos da 1ª volta o FC Porto jogou em inferioridade numérica no meio campo e que o treinador só não substituiu o Lucho porque não tinha no banco alternativas melhores. Este é um dos grandes desequilíbrios que encontro no plantel actual: a diferença de qualidade entre os jogadores titulares e aqueles que normalmente são suplentes. Existe um núcleo de 11/12 bons jogadores e os restantes são apenas medianos ou medíocres sem qualidade para jogarem na equipa principal.

Aleixo disse...

Imaginem se fosse um plantel equilibrado. Estamos em todas as frentes, temos das melhores séries de sempre de vitórias consecutivas, ficamos em primeiro lugar no nosso grupo da champions, onde muitos chegaram a vaticinar a eliminação precoce. Pois, eu não quero ter um plantel equilibrado. Assim, está muito bem.

PMF disse...

Creio que o problema de Lucho tem sido sobretudo o desgaste físico. Há jogadores que, até mesmo pela respectiva estrutura/compleição física, sendo resistentes a esforços prolongados, acabem por "quebrar" sempre mais tarde ou mais cedo. Julgo - pelo que tenho observado - que Lucho joga em notório déficite físico - não que tenha alguma lesão, mas simplesmente tem um problema de resistência e de saturação. Hoje em dia, grande parte do mal-estar e desconcentração dos jogadores começa (e acaba) na parte física. O jogo em que mais rendeu, esta época, foi, para mim, o Benfica-Porto onde, recorde-se, com toda a confiança, marcou um golo de penalty... (mesmo assim, não aguentou os últimos 15 minutos)

Mefistófeles disse...

Lucho já é um símbolo do nosso clube. Escolherá o seu momento de aparecer e até acho que é para já. Quando mais precisamos dele. Não nos falhará e por isso lhe chamamos El Comandante. ( não El Capitan). A diferença não é apenas de graduação.

Vamos, Lucho ! Estás no nosso coração.

Maradona ficará apaixonado pelo Dragão e pelo FCP. Com a tua ajuda.

Tiago disse...

Aleixo disse: Imaginem se fosse um plantel equilibrado. Estamos em todas as frentes, temos das melhores séries de sempre de vitórias consecutivas, ficamos em primeiro lugar no nosso grupo da champions, onde muitos chegaram a vaticinar a eliminação precoce. Pois, eu não quero ter um plantel equilibrado. Assim, está muito bem.

Facto: derrotas com o Kiev, Leixões e Naval.
Facto: Lateral esquerdo, onde andas?
Facto: Ponta de lança com presença de área, onde está?
Facto: Mariano, Guarín, Lino, Benítez, Bolatti, Farias, palavras para quê?

Ficamos em 1º lugar do grupo porque o Arsenal não teve para se chatear, ou alguém esqueceu os 4-0? Se calhar os fanáticos pró-SAD e pró-Caldeiradas esqueceram, eu não.