sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

Soares Franco e o Estorilgate


Ontem, na "Grande entrevista" da RTP 1, conduzida por Judite de Sousa, o presidente do Sporting afirmou o seguinte:
"No passado não existiu só Apito Dourado, mas também tráfico de influências douradas. Um exemplo é o jogo que o Benfica jogou com o Estoril no Algarve. Embora pudesse ter cumprido toda a legalidade só foi possível no Algarve porque o presidente do Estoril era do Benfica e o director desportivo da SAD tinha interesses no clube".


De facto, é sabido que o Estorilgate foi um dos maiores escândalos de sempre do futebol português, envolvendo como actores principais da farsa: José Veiga, a Direcção do Estoril, a Direcção do Benfica e Cunha Leal (na altura Director-executivo da Liga).
Aliás, a propósito dos relevantes serviços prestados por este último, Rui Santos chegou ao ponto de o acusar/apelidar de ser um "cunha desleal" e uma "criada de servir" do SLB:
"Ele [Cunha Leal] foi mandado para a Liga pelo presidente do Benfica para contrariar o poder do major. Convenhamos que é um grande azar, sobretudo quando quem o mandou para a Liga confessou, perante a estupefacção geral, que seria porventura mais importante ter alguém naquele organismo do que contratar bons jogadores.


O estigma não fui eu quem lho pus. Aceitou-o, porque sabe muito bem ao que foi e não se pode confessar enganado. Se não soubesse ao que ia e se cumprisse o seu dever de isenção, não teria autorizado a farsa que constituiu a marcação do Estoril-Benfica para o Algarve, na jornada 30 do campeonato de 2004-05, cujo desfecho foi decisivo para a atribuição do título nessa temporada.
A sua credibilidade morreu nesse momento. Quem consente um escândalo dessa natureza (embrulhado noutros escândalos da época), quem se cala perante uma situação potencialmente subversiva, inquinando a verdade desportiva, não tem um pingo de moral para vir falar agora, como especialista de coisa nenhuma".


Por outro lado (onde é que eu já ouvi esta expressão?), as ligações de José Veiga ao Estoril, na altura em que simultaneamente era director-desportivo do SLB, não oferecem quaisquer dúvidas:
«O antigo empresário de futebol e director-desportivo do Benfica, José Veiga, foi multado pela Comissão do Mercados e Valores Mobiliários em 30 mil euros, devido ao facto de não ter comunicado ao mercado a posição que detinha da SAD do Estoril
in Jornal de Negócios, 19/03/2008


O Estorilgate ainda teve outros contornos pouco claros, envolvendo pressões sobre jogadores do Estoril (que foram denunciadas pelos treinadores dos canarinhos) e a nomeação de um "árbitro amigo" (Hélio Santos) em final de carreira.

Por tudo isto, não surpreende que Filipe Soares Franco tenha referido o Estoril-Benfica da época 2004/05 como exemplo paradigmático do tráfico de influências no futebol português.

O que eu achei interessante foi a forma inteligente e eficaz como a comunicação social de hoje (com a honrosa excepção do JN) ignorou estas declarações do presidente do Sporting.
Pois, não convém mexer no "lixo encarnado", não vá a procuradora-especial sentir-se pressionada e ser obrigada a investigar o caso...

Fotos: Record, JOGO
Nota: A selecção das fotos e os destaques no texto a negrito são da minha responsabilidade.

6 comentários:

Jorge Aragão disse...

Este caso sim, a grande vergonha do Futebol Português,perfeitamente à descarada....
Tráfico de influências e corrupção da melhor.
Investigação ... nem vê-la!!!!!!

Ab disse...

Mas o mais grave mesmo é o branqueamento que é feito a estas situações pela generalidade da Comunicação Social!
Que interesses estarão por trás deste branqueamento?
Penso que não será únicamente "futebol"! Outros poderosos negocios e branqueamentos se estarão a mover à sombra do SLB!

Mestre Alves disse...

Descobri o vosso blog há relativamente pouco tempo, mas sou já um leitor assíduo.

Continuem o bom trabalho. Um abraço.

José Correia disse...

Jorge Aragão disse...
«Este caso sim, a grande vergonha do Futebol Português,perfeitamente à descarada...«

Exacto. Aliás, suponho que foi por ter sido tudo feito à descarada, que o PGR entendeu não ser necessário nomear uma equipa especial para investigar o caso.

Mas investigar o quê?
Então o tráfico de influências não é mais do que evidente?

Templo do Dragão disse...

Esse jogo e toda a envolvência, compra de jogadores(auto-expulsão) e árbitro etc é um autêntico PACK Corrupção à vista de todos!Mas o clubeNaziFascista que mina a sociedade portuguesa vai continuar impune como quando Calabotou! em q chegou a colocar um treinador seu no banco do nosso adversário e não consta que tenha descido de divisão!
Vale tudo para o clube do Estado Fascista e DEmocrático(?)

César disse...

Essa da auto-expulsão é para rir... o tal que vinha para o Benfica mas nunca chegou a vir. Já agora para efeitos de estatística alguém me sabe dizer quantos jogos o Porto fez fora na Maia?