domingo, 25 de janeiro de 2009

A terceira é para ser de vez

Após o FC Porto - Trofense numa conversa de café alguém disse: Agora vamos a Braga, estamos fod****!, ao que alguém retorquiu: Que nada, é destes jogos que nós gostamos, eles vão jogar o jogo pelo jogo, não vão pôr o autocarro à frente da baliza, e com esses podemos nós bem.

Dito e feito.

Mas a coisa começou cinzenta, a novidade Cissokho (uma grande prova de confiança no Benitez) foi logo posto à prova, tremeu mas não caiu e na 2ª parte teve mesmo a jogada do jogo.


A coisa aliviou muito graças à força da digi-evolução (isto é só para quem vê o canal Panda) entre o Ronaldinho (o da era Robson no Barça) e o Adriano que dá pelo nome de Hulk (Givanildo para os amigos). O Rochemback já não é o único.


Mas a coisa lá melhorou e chegou o golo (sim, estava fora de jogo*), e então estávamos nas nossas sete quintas. Restava esperar pelos erros do adversário e aproveitá-los, e assim foi. Foi mais um, mas podiam ter sido mais dois ou três (Ó Licha! Aquilo é golo que se falhe?)


E assim acabou a 1ª volta, com o campeão em 1º lugar. Agora o campeonato "decide-se" nas próximas 4-5 jornadas. Que o campeão esteja à sua altura e que consiga furar os pneus dos próximos autocarros que vão parar no Dragão com origem na 2ª circular, quer jogue em 433 ou 442.

Positivo: Duas grandes jogadas dos laterais.

Negativo: Eu sei que não vejo os treinos, mas ainda gostava de saber o que é que o Jesualdo vê no Mariano. Até o Vinha tinha mais utilidade.

* Enquanto estava aqui a escrever estava um deputado da nação (um tal de ribeiro cristovão) a espumar na Sic Notícias. Gosto tanto de os ver espumar.

Fotos gamadas ao Gettyimages.

25 comentários:

Paulino disse...

E eu que simpatizo com o Braga....

Desta vez são os outros a espumar-se hehehe....e mais uma vez a prova de que os árbitros são uma "merda" desta liga profissional de futebol. Já assisti a jogos distritais com mais "profissionalismo".

Mais uma vitória com champanhe "espumante" a festejar o 1º lugar

José Correia disse...

«Mas a coisa lá melhorou e chegou o golo (sim, estava fora de jogo*)»

Sim, estava, não um metro como o David Luis, nem dois metros e meio como Vukcevic em Vila do Conde, mas estava de facto ligeiramente adiantado.

E o golo anulado a Tomás Costa?

"Quando a bola embateu no poste, ressalta para Hulk. Este passa para Tomás Costa, que neste exacto momento tinha mais do que dois adversários a colocá-lo em posição regular."
Jorge Coroado

"Não há qualquer fora-de-jogo. No momento do passe, Tomás Costa está em linha com o penúltimo defesa, que neste caso até era o guarda-redes Eduardo. Como tal, o assistente errou mais uma vez."
Rosa Santos

Se o Tomás Costa estava em linha e o lance era duvidoso, não deveria ter sido dado o beneficio a quem ataca?
Não é isso que dizem as instruções da FIFA?

José Correia disse...

Sobre o lance entre Cissokho e Alan não me parece que o extremo do Braga tenha sido impedido de jogar a bola. O problema é que o Alan cai quase tão facilmente como o João Moutinho e a forma como o Cissokho coloca as mãos no brasileiro é imprudente. Por isso, e embora não esteja convencido, admito que neste lance o árbitro pudesse ter marcado penálti.

José Correia disse...

Esclareçam-me uma coisa: no lance entre o Helton e o Meyong o ligeiro toque no avançado do Braga não é depois deste já ter cabeceado para a baliza deserta?

José Correia disse...

Sobre o penálti fantasma do Guarin (o único de que Jorge Jesus se queixou no final do jogo):

«A imagem não é suficientemente esclarecedora, mas o gesto do jogador do FC Porto foi elucidativo. Deveria ter sido assinalada grande penalidade.»
Jorge Coroado

«O lance é duvidoso. As imagens transmitidas não me permitem analisar conscientemente. Se a bola bateu no braço de Guarín, é penálti, mas é muito difícil concluir se bateu ou não no braço.»
Rosa Santos

«João Pereira cruza a bola, e Guarín, dentro da área de grande penalidade, joga a bola com o braço, ficando por sancionar um penálti»
António Rola


O Jorge Coroado diz que a imagem não é suficientemente esclarecedora, mas devia ter sido assinalado penálti. Ou seja, não vê bem, mas era penálti...

O ex-empregado do SLB (António Rola) viu tudo muito bem e, por isso, não tem dúvidas...

Eu concordo com o Rosa Santos que, perante as imagens existentes, é o único que faz uma análise honesta a este lance.

Jorge Aragão disse...

No Jogo, os analistas da arbitragem com destaque para o Coroado, validam o golo do Tomás Costa.
Mas os Goebbels - ministro nazi da propaganda - da comunicação social só veem para onde lhes apetece ...Boa resposta do Prof.ao tipo das entrevistas...
Bem dizia o Artur Jorge, jogos na TV sem som e a ouvir musica clássica a fim de não escutarmos os zurros dos comentadores...
Boa vitória, podia ter sido goleda.
Tabém acho que Guarim faz penalti embora escusado.
Viva o FCP...

HULK ONZE MILHAS disse...

Jorge Aragão disse... "Bem dizia o Artur Jorge, jogos na TV sem som e a ouvir musica clássica a fim de não escutarmos os zurros dos comentadores..."
Há muito que faço isso!
Ainda não entendi como é que os meus Amigos teem estomago para ouvir os comentadores, quer durante os jogos quer depois.
Tinha um amigo, que, em tempos, via os jogos na TV acompanhdos pelo som dos relatos da "Rádio Festival"!!! :-)
Além dos lances aqui referidos estão a esquecer-se de uma fuga isolada do Lisandro ao qual foi assinalado um fora de jogo inexistente! E também aquele cartão amarelo logo aos 2 minutos ao defesa estreante do FCP... meu
Deus... estivesse ele equipado de outra cor e de certeza que tudo ficava pela repreensão verbal!
Mas foi bom.... o miúdo apreendeu que jogar com a camisola do FCP não é o mesmo que jogar com a do Setúbal, e isso vai contribuir para o seu crescimento mais rápido.

Nuno Nunes disse...

Estive em Braga.
O público afecto à equipa local é tão histérico como o do SCP ou do slb no que se refere a reclamar penalties. Chegam a um ponto em que não interessa a forma como o golo surge: tem é de surgir de qualquer maneira. O discurso do presidente e do treinador do Braga é o ideal para desresponsabilizar os jogadores por isso não me admira que os próximos jogos venham a correr-lhes mal. Os bracarenses recebem sempre mal os portistas e no final, ressabiados, insultam e agridem quem transporta cachecóis ou adereços do FC Porto. Mesmo que se trate de mulheres. Uns merdas.

O FC Porto de Jesualdo continua a dar-se bem com o jogo de transições e contra-golpe. É aí que se sente bem. Já quando tem de assumir o jogo não consegue a mesma performance. É pena.

Há lances que simplesmente não se podem desperdiçar como o do Lisandro na segunda parte. Depois não se queixem se formos eliminados pelo At. Madrid "com muito azar".

João Saraiva disse...

Aqui que ninguém nos ouve, o Tomás Costa está mesmo fora de jogo. É de difícil avaliação, mas tá.

Mas, ontem, o melhor de tudo foi mesmo o António Tadeia e o seu conhecimento da lei do fora de jogo. Assim são os jornalistas portugueses.

Mário Faria disse...

Gostei do resultado, não gostei do jogo. Dos lances duvidosos só dou como certo que o 1º golo do FCP foi precedido de fora de jogo. O resto serve para alimentar o problema da arbitragem e suspeição, mas ainda na semana passada fazíamos o mesmo. Nesse aspecto, acho que o silêncio da SAD se percebe e aconselha, até porque se o FCP não está melhor no campeonato o deve muito mais à inépcia que à arbitragem.
Não gostei do jogo de ontem porque o Braga teve muita bola, jogou demasiado perto da nossa grande área e, sendo assim, é inevitável que lances duvidosos ocorram. Não havia necessidade.
Aliás, fiquei espantado quando li que o SCB tinha tido 63% de posse bola e o FCP 37% - na primeira parte - e ouvi o JF a justificar o esquema táctico, o controlo do jogo e a gestão do tempo, como mais valias na exibição do FCP. Mas. Não é isso que fazem as equipas mais fracas e que jogam sistematicamente e apenas no erro do adversário ?
Enfim, estamos na frente e continuamos a ganhar aos adversários teoricamente mais difíceis. JF parece querer dar razão a Manuel Machado quando disse que o FCP joga como uma equipa pequena. Dá que pensar !

José Campos disse...

tinhamos 1 jogo mt complicado pela frente e perante os resultados das equipas da 2ª circular tinhamos a possibilidade de ganhar pontos aos mais directos adversários.
foi 1 boa vitória contra uma equipa que pode andar sempre entre os 4 primeiros.
ontem fomos 1 equipa com garra e alma!
temos que saber sofrer e só assim eles conseguem amadurecer.
tamos em primeiro com todo o mérito e num lugar nada estranho!
abraço

a nação azul e branca

José Correia disse...

João Saraiva disse...
«Aqui que ninguém nos ouve, o Tomás Costa está mesmo fora de jogo. É de difícil avaliação, mas tá.»

João, se revires o lance, usa como referência a linha de fundo (e não a linha imaginária traçada pelo realizador do jogo) e verifica a distância a que o Tomás Costa e o guarda-redes do Braga estão da linha de fundo.

Uma coisa tenho a certeza: em lances como este os árbitros auxiliares têm recomendações expressas da FIFA para favorecer quem ataca. Ora, não foi isso que aconteceu no golo anulado ao Tomás Costa.

C disse...

Temos que ser intelectualmente honestos.
Andamos 2 semanas a criticar - justamente - as arbitragens pró-slb e, depois, ainda criticamos o súbito silêncio leonino pós-Vila do Conde.
Por isso, agora, não temos que ter qualquer receio em considerar que, se na primeira parte, o balanço arbitral é nulo (um golo mal validado e um outro mal invalidado), já no segundo tempo, e em pelo menos dois lances na nossa área (Cissoko e Helton), o árbitro poderia muito bem tê-los considerados merecedores de falta.

Não tenhamos medo das palavras. Temos que estar perfeitamente à vontade com estas "contas" arbitrais pois, se pontualmente seremos aqui e ali beneficiados(como toda e qualquer outra equipa), sabemos muito bem que, mesmo assim, a factura final será negativa, em nosso prejuízo, com sempre acontece, época após época.

Só assim, assumindo os erros pró-FCP, podemos ser merecedores de respeito.
Aliás, mesmo neste caso de ontem, temos um outro argumento que já nos dá vantagem: no jogo de Braga estamos em presença de um placard de 2-0, já no jogo da Luz a diferença era de apenas um golo.
Logo, a arbitragem teve ainda mais preponderancia no score final.

Sejamos honestos com nós próprios.
Só assim teremos autoridade moral para falarmos e sermos ouvidos com respeito quando novos casos surgirem.
E eles estão mesmo aí ao virar da esquina...

João Saraiva disse...

Zé,

Por ver e rever o lance é que afirmo que está em fora de jogo.

Mas como referi é de difícil avaliação, e se fosse validado não era nenhum escândalo, mas ao ser assinalado também não podemos chorar por isso.

Zezé disse...

Estive na Pedreira a ver o jogo, e só tenho uma coisa a dizer: seja em que estádo for, Hulk é mesmo um show à parte. Nos meus anos de futebol ao vivo, não me recordo de um jogador que sozinho levantasse um estádio como o brasileiro faz. é impressionante.

quanto às tão faladas arbitragens, n vou comentar. é um assunto enojante. está-se cada vez mais a deixar de comentar o que deve ser comentado, q é o jogo em si, o show. e no jogo em si, o porto é um justo vencedor.

José Correia disse...

«Várias semanas depois de Michel Platini ter repreendido publicamente o árbitro auxiliar holandês que subtraiu ao Vitória a possibilidade histórica de se apurar para a Liga dos Campeões, o comité de arbitragem da UEFA, reunido em Nyon, na Suiça, voltou a mexer com a interpretação que é pedida aos árbitros de futebol que apreciam a polémica lei do fora-de-jogo. Neste caso, e após vários acontecimentos ainda mais frescos ocorridos na Liga dos Campeões e algumas das mais visíveis ligas europeias - de que o caso de Basileia é talvez o mais gritante exemplo - o colégio de juizes da UEFA determinou que o fora-de-jogo deva ser assinalado apenas quando «há certeza absoluta» do árbitro que o assinala.»
26/09/2008

Vendo e revendo o lance do golo anulado a Tomás Costa, com a imagem parada, com linhas e sem linhas imaginárias traçadas pelo realizador, permanecem dúvidas e as opiniões dividem-se.

Assim sendo, alguém honesto acha que o árbitro auxiliar podia ter a certeza absoluta de que era fora-de-jogo, conforme recomendação do comité de arbitragem da UEFA?

É óbvio que não, o que significa que ao anular o golo não seguiu as recomendações da UEFA e da FIFA.

carlos disse...

Boa qualidade das análises. Parabéns! Vou passar a frequentar e recomendar este blogue onde ha esclarecimento, informação e debate debate em termos correctos.

José Correia disse...

Há dois lances na 2ª parte, em que foi assinalado fora-de-jogo ao ataque do FC Porto, que me deixaram muitas dúvidas. Num dos casos, o Lisandro já ia isolado para a baliza.

Como é óbvio, estes lances não foram objecto de escrutinio por parte dos comentadores de serviço da RTP e também não aparecem no resumo do jogo.

José Correia disse...

Há um outro aspecto que os comentadores da RTP se esqueceram de referir: o Paulo Costa é o árbitro que assinala menos penalties no campeonato português.

Em caso de dúvida ele não assinala.

Convém salientar que nenhum dos três casos do jogo de Braga se compara ao de Luisão sobre Mateus. Esse não é preciso ver e rever na televisão...

flama draculae disse...

Dizem as más línguas que o FCPorto foi beneficiado pela arbitragem no jogo de sábado. Eu digo que foi beneficiado por ter os melhores jogadores, a melhor equipa e o melhor treinador.
Quanto à factura da arbitragem gostaria que alguém me mostrasse a mão na bola de Guarin - a certeza de Paulo Catarro não conta; que me explicassem como é que Tomás Costa está em fora de jogo - podem pôr as linhas amarelas que quiserem, que o que me interessa é a linha de fundo; que me explicassem porque é que é penalty sobre Alan quando, a haver falta, ela teve início fora da área.
Gostaria que me explicassem também porque ninguém fala na falta para vermelho sobre Hulk, logo no início do jogo, e num fora de jogo mal assinalado a Lisandro quando este se isolava.

www. flamadraculae.blogspot.com

José Correia disse...

«Paulo Costa, João Santos e Vítor Carvalho, os três árbitros do Sp. Braga-FC Porto, perceberam logo que tinham errado quando viram as imagens dos lances polémicos.

Segundo fonte próxima, ficaram “arrasados” quando verificaram que, por consenso ali logo gerado, o lance do primeiro golo é precedido por um fora-de-jogo de Hulk; que não havia razão para assinalar fora-de-jogo a Tomás Costa numa jogada que daria ao FC Porto o seu terceiro golo (no final da 1.ª parte); e que Guarín meteu o braço à bola já na parte final da partida.

Estes lances não deixaram dúvidas à equipa de arbitragem, se bem que o Sp. Braga ainda reclame mais duas grandes penalidades, uma sobre Alan e a outra sobre Meyong.»
in Record, 26/01/2009

Conforme já referi, concordo com a apreciação ao fora-de-jogo do Hulk e ao golo anulado ao Tomás Costa.

Só não percebo as certezas em relação à pretensa mão do Guarin.
Alguém já viu uma foto ou imagem onde essa pretensa mão seja visivel?

José Correia disse...

«Paulo Costa, apontado como futuro dirigente da arbitragem, está na 1.ª categoria desde a época de 1993/94 e não marca uma grande penalidade, em jogos do campeonato, desde o dia 12 de Maio de 2007. Já lá vão 18 jogos. A última vez que apontou para os 11 metros foi para marcar um penálti, para os azuis, num Belenenses-Marítimo»
in Record, 26/01/2009

Nuno Nunes disse...

- 1º Golo do FC Porto: Hulk quando assiste Rodriguez está ligeiramente adiantado. E "ligeiramente" é uma questão de centímetros.Único lance do jogo em que o Braga se pode queixar da arbitragem.

- 3º Golo do FC Porto: Tomás Costa está em linha, se tomarmos como referência a linha de fundo, que não é "aldrabável" por realizadores. Golo mal invalidado.

- Mergulho de Alan dentro da área quando sente o contacto de Cissokho. Anedótico. Podia ter simulado melhor a queda porque deu muito nas vistas. Bem o árbitro.

- Guarín corta com o peito a bola dentro da área. "Aparenta" e "dá a sensação de jogar a bola com a mão" não são justificações para se marcar um penalty. Se nem pelas imagens se consegue verificar que o Guarín jogou a bola com a mão a que propósito é que se diz tão convictamente que é penalty? Mais uma vez o árbitro esteve bem, não era razão para ter ficado incomodado, quanto mais "arrasado". Ridículo.

- Meyong faz o chapéu e a seguir e após o contacto com Helton cai com aparato. Já tinha rematado à baliza, não tinha qualquer hipótese de voltar a jogar a bola, o impacto foi acidental e não interferiu na jogada, não há razão para a marcação de penalty. Bem o árbitro.

- Fora de jogo mal assinalado a Lisandro quando este se encaminhava para a baliza. Mal o assistente.


O Braga está a entrar no mesmo caminho de Sporting e slb: quer ser beneficiado a todo custo. Isso irá custar-lhe caro para o resto do campeonato porque a mensagem que está a passar para o exterior por treinador e presidente acaba por ser também assimilada dentro do balneário, derresponsabilizando os jogadores. Mas eles lá sabem as linhas com que se cozem.

O aproveitamento deste jogo feito pela "comunicação social" para o transformar em jogo "muito polémico" é perfeitamente normal, dadas as afinidades e interesses dos seus colaboradores e accionistas. O FC Porto e os seus sócios estão habituados a isso há muito tempo.

C disse...

"está-se cada vez mais a deixar de comentar o que deve ser comentado, q é o jogo em si"
Pegando nesta deixa para falar do futebol-jogado, convém destacar, como tão bem lembrou o Mário Faria, que a táctica de Jesualdo - aquela que Manuel Machado apelidou "de equipa pequena", privilegiando a posse de bola do adversário ao invés da nossa, origina não só que o nosso oponente tenha mais oportunidades para chegar mais vezes à nossa área, como também, tão ou mais grave, leva a que se assista a um elevadíssimo número de pontapés de cantos contra (no passado Sábado então deve ter sido mesmo batido um qualquer record...).
Ora, se isto foi assim tão evidente jogando contra um Braga, como será quando o adversário se chamar Atlético de Madrid?
Sim, é um sistema táctico que, está visto, resulta bem em Portugal nos jogos fora de portas (dada a qualidade superior de homens como Hulk e Lisandro) mas que está longe de ser uma solução (co)-provada em confrontos com tubarões europeus, especialmente nos campos destes.
Receio, que possa ser por aqui (excessiva posse de bola espanhola) que possa estar a chave para uma possível eliminação europeia, nesta época.
Não creio que a grande maioria dos árbitros europeus, pensará, sequer, duas vezes em caso de lances suspeitos no interior da nossa grande-área...

P.S.: E, já agora, para quando o fim da "brincadeira"-Mariano?

Mefistófeles disse...

1º Os de Braga são lampiões;
2º Não vi assim tanto motivo para choradeira;
3º Depois do sport lisboa na Luz com Braga e Belenenses e do Sporting em Vila do Conde, querem ver que não poderíamos ter sido, ao menos uma vez, beneficiados pela arbitragem ? ( admitindo que o fomos )

Também somos filhos de Deus...