terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

Análise individual do plantel - 1ª volta (I)


Concluída a 1ª volta da Liga é o momento de fazer uma análise individual aos jogadores que compõem o plantel.

Helton: Começou a época algo inseguro, um pouco à imagem do que tinha sido o final da época passada. Esteve de fora durante 4 jogos e desde então tem estado bem mais firme entre os postes, o que tem ajudado os defesas. A manter-se nesta forma não será com certeza por sua causa que a equipa vai vacilar. Embora os golos sofridos não sejam da exclusiva responsabilidade dos guarda-redes, ficam aqui alguns dados estatísticos interessantes.
18 jogos e 16 golos sofridos (Liga 12/6, UEFA 5/7, Taça 1/1, Supertaça 1/2)

Nuno: O suplente de Helton é experiente e importante para o plantel. Foi chamado para substituir Helton no momento mais complicado esta época, após a derrota por 4-0 contra o Arsenal. Com ele o FC Porto venceu o Sporting para a Liga e sofreu mais três derrotas (D.Kiev, Leixões e Naval). É preciso tirar-lhe o chapéu, pois poucos seriam capazes de aguentar saltar do banco em tão conturbado momento. Nuno é o suplente quase ideal: quando chamado não compromete e tem um papel importante no plantel, principalmente com os mais jovens. Jogou mais uma vez contra o Nacional, para a Taça da Liga.
5 jogos e 8 golos sofridos (Liga 3/5, UEFA 1/1, Taça Liga 1/2)

Ventura: Jovem promissor que, quando chamado, revelou atributos muito importantes para um guarda-redes de grande nível. Destaca-se pela confiança e tranquilidade nas saídas aos cruzamentos e em momentos de mais apuro. Nos dois jogos oficiais da Taça da Liga que realizou esteve bem, sofrendo um golo de penalti.
2 jogos e 1 golo sofrido (Taça Liga)

Bruno Alves: Lutador nato em campo. Teve um ou outro jogo menos conseguido nesta 1ª volta, possivelmente fruto do ajuste às mudanças de colegas na defesa. Tem estado muito bem durante a maioria dos jogos. Contrária à campanha de alguns comentadores para o rotular de violento, Bruno Alves tem apenas 1 amarelo em todas as competições nacionais e internacionais, sendo o jogador mais utilizado da Liga. Pode-se admitir que ficou por mostrar o cartão em mais uma ou outra ocasião, mas o registo disciplinar demonstra as suas qualidades bem como o seu desportivismo. Ficamos à espera de ver mais golos de livre.
24 jogos, 3 golos e 1 amarelo (Liga 15/2/1, UEFA 6/1/0, Supertaça 1/0/0, Taça 1/0/0, Taça da Liga 1/0/0)

Pedro Emanuel: Chamado quase sempre para cumprir a posição mais debilitada do plantel. A idade não perdoa e Pedro Emanuel já não revela a velocidade necessária para defender nas laterais e mesmo no centro do terreno apresenta algumas dificuldades em acompanhar os adversários. No entanto, nunca comprometeu seriamente a equipa nos jogos em que actuou. Os adeptos reconhecem-lhe o profissionalismo e sacrifícios feitos ao longo de todas as épocas de dragão ao peito. Qualquer que seja a altura de pendurar as botas sairá sempre pela porta grande. Para já, tem pelo menos esta época o papel de ser um dos “patrões” do balneário azul e branco, tarefa que poucos se podem orgulhar de desempenhar.
10 jogos e 3 amarelos (Liga 4/0, UEFA 3/1, Taça 1/2, Taça Liga 2/0, Supertaça 1/0)

Stepanov: Uma incógnita proveniente da época 07/08. O jovem internacional tinha na sua sombra alguns graves erros na época passada que valeram golos sofridos e algumas sobrancelhas levantadas quanto ao seu valor. O FC Porto manteve-o no plantel nesta reabertura de mercado, pois esteve muito bem na Taça da Liga, sendo um dos melhores em campo em 2 dos 3 jogos em que participou (no jogo contra o Nacional não pôde ser devidamente avaliado). Se por um lado seria bom uma presença mais activa na equipa principal, por outro é consensual que a dupla Bruno Alves / Rolando tem estado a bom nível.
3 jogos e 1 amarelo (Taça da Liga)

Benítez: É seguramente o jogador mais fraco do plantel. Dele não sobressai nenhuma qualidade digna de menção e muitas das suas capacidades são medianas ou roçam a mediocridade. Tem dificuldades em subir, abre muitos espaços na defesa, recupera mal e lentamente, é quase sempre antecipado pelos seus adversários na área, quer no ar como pelo chão e defende mal, recorrendo constantemente à falta como revelam os 4 amarelos em 9 jogos. A saída de Lino garantiu-lhe a necessidade de permanência no plantel, mas Benítez revelou nas diversas oportunidades que teve que não tem qualidade para estar no plantel do tri-campeão nacional.
9 jogos e 4 amarelos (Liga 4/2, UEFA 2/0, Supertaça 1/1, Taça Liga 2/1)

Fucile: Umas das melhores contratações (qualidade/preço) do FC Porto nos últimos anos. Começou a época algo irregular devido a questões físicas e pequena lesões (parece ser vítima de excessivas viagens intercontinentais). Com o interregno dos jogos internacionais aparece no final da 1ª volta em boa forma com mais disponibilidade física. Foi um dos melhores na difícil vitória em Braga ao terminar a 1ª volta.
15 jogos e 4 amarelos (Liga 12/4, UEFA 2/0, Taça 1/0)

Rolando: Uma das caras novas no plantel de 08/09. Entrou, viu e venceu. Mas não fosse o FC Porto um clube exigente, Rolando não teria ficado a saber quão duro é ser titular no FC Porto, já que a margem de erro aceitável é extremamente reduzida. Passado o habitual período de adaptação a um novo parceiro no centro da defesa, desapareceram alguns erros defensivos e apresenta-se à entrada da 2ª volta como um habitual central do clube: de grande nível. Os 1800 minutos (totalista na Liga e na Champions) demonstram bem a confiança do treinador e a regularidade das suas prestações.
21 jogos, 1 golo e 2 amarelos
(Liga 14/0/1, UEFA 6/1/1, Taça 1/0/0)


Lino: Na sua segunda época no FC Porto não se conseguiu impor. As escolhas para lateral esquerdo recaiam nele, Benítez e Fucile, destro adaptado que levava larga vantagem na luta pela titularidade. Lino deixou o clube ainda antes do final da 1ª volta. Durante esta época mostrou-se mais confiante que na anterior, mas revelou sempre as mesmas limitações: um bom pé esquerdo para as bolas paradas mas sem sobressair nos cruzamentos, alguma qualidade nos ataques, mas menos na defesa.
8 jogos, 1 golo e nenhum amarelo (Liga 5/0/0, UEFA 3/1/0)

Sapunaru: Outra contratação para esta época. Rapidamente chegou à titularidade devido à utilização de Fucile na esquerda. Talvez devido à sua formação anterior como defesa central, Sapunaru tem algumas dificuldades de posicionamento e de arranque, o que o leva a ser algumas vez ultrapassado pelos seus adversários directos o que lhe valeu já ter visto por 5 vezes o cartão amarelo. No ataque mostrou capacidade para subir e bem, tendo já marcado e assistido para golo. Um jogador a ter em atenção na 2ª volta, já que vai estar numa luta acesa com os companheiros pela titularidade.
17 jogos, 1 golo e 5 amarelos (Liga 9/0/2, UEFA 4/0/1, Taça Liga 3/0/2, Supertaça 1/0/0)

Guarín: Teve um início de época difícil, já que Jesualdo Ferreira experimentou-o a diversas funções do meio campo. Parece sentir-se melhor a médio ofensivo, mas a irregularidade tem sido o seu grande inimigo. É capaz do melhor e do pior no mesmo jogo, assumindo por vezes um papel activo no ataque por uma vezes e desaparecendo do jogo noutras. O seu físico possante deveria-lhe dar mais capacidade para se impor no miolo do terreno. É um jogador interessante e espera-se que comece a ser mais determinante na equipa.
17 jogos e 3 golos (Liga 9/1, UEFA 3/0, Taça 1/2, Taça Liga 3/0, Supertaça 1/0)

Lucho: Tem sido um jogador menos exuberante e determinante que na época 07/08. Parece ter menos liderança na condução do ataque e que lhe falta alguma frescura física, já que por vezes desaparece por completo em largos períodos do jogo. Não deixa de ser o capitão e tem tido alguns momentos decisivos em jogos cruciais nesta época. As últimas exibições da 1ª volta podem revelar uma subida de forma na segunda metade do campeonato.
22 jogos e 7 golos (Liga 14/5, UEFA 5/2, Taça 1/0, Taça Liga 1/0, Supertaça 1/0)

fonte estatísticas: zerozero.pt (26.01.2009 com algumas correcções minhas)

9 comentários:

Aristodemos disse...

A análise aos GR e ao Pedro Emanuel é das coisas mais hilariantes que já li sobre o plantel do Porto.

miguel87 disse...

Concordo que a análise aos 2 primeiros guarda redes e ao P.Emanuel não foram felizes.

"(...)No entanto, nunca comprometeu seriamente a equipa nos jogos em que actuou."
Se considerarmos que jogar praticamente com menos um não compromete, então concordo com esta frase! Sempre fui da opinião que o P.Emanuel é um central lento, duro e faltoso, logo sem categoria para o Porto. Que seja um lider e tenha voz e espirito de liderança tudo bem, mas em campo nunca me convenceu.

De resto acho que o Rolando foi até agora o nosso melhor defesa, porque o B.Alves, apesar de ser um grande jogador tem estado displicente em algumas alturas (vide golo do Fenrbache na Turquia e um dos do Nacional no jogo da liga por ex.)
Stepanov já provou que tem potencial para ser grande.
Fucile é um senhor jogador e "á porto".
Lucho realmente, a confirmar as ultimas 2 exibições, pode arrancar para uma grande 2ª metade de temporada e, talvez, despedir-s em beleza.

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Anónimo disse...

Ao reler o que escrevi, admito que os comentários são justos. É o que dá escrever pela noite dentro: dá azo a alguns exageros.
Mas tentando ser mais objectivo, julgo que o Nuno é um excelente guarda-redes suplente. É experiente e tem um papel importante no plantel, sem nunca se lhe ouvir qualquer tipo de pedido pela titularidade, que até poderia ter acontecido já que chegou a ser chamado recentemente à selecção. Sabe que o colega Helton é melhor e mantém-se na sua posição de suplente sem qualquer alarido. Penso que isto será menos exagerado do que o que escrevi no blog.
Quanto ao P.Emanuel julgo que não lhe podemos imputar culpas por ter actuado numa posição que claramente não se ajusta à suas características. Foi mais uma necessidade que uma solução. Não sou da opinião que seja um central tão lento ou faltoso como isso.

xandreazevedo disse...

Para esta primeira parte da análise ao plantel tenho dizer o seguinte..
Não há lateral nenhum que sobreviva as nossas criticas portistas com a falta de apoio do meireles e do lucho ou mesmo o fernando a fechar nas alas,vejam bem o jogo do belenenses até doeu a alma 2 contra um em cima do lateral e médio??? vinha devagar devagarinho.
De resto stepanov é um flop não tem poder de antecipação ao avançado-
Lino vai e não voltes
Guarin pelo amor de deus esconde os braços atrás das costas e não se esqueçam que temos lá o Paulo machado (bem melhor que ele e deixamos ir o luis aguiar( fortíssimo nas bolas paradas)
Benitez estávamos a espera de que quando era suplente numa equipa sem expressão na argentina??
Os guarda redes o que me faz confusão é que sofremos golos esquisitos não nos podemos esquecer que a troca foi fatal perdemos dois jogos de rajada e na naval é frango..
Suparanu nunca vi um jogador levar com tantas bolas nas costa e passarem por ele com tanta facilidade , parece me débil a nível físico e horrível sentido posicional.
Fechamos o mercado e nao nos reforçamos os extremos pelo menos com a prata da casa que temos emprestada ..mas tenho fé apesar dos nossos problemas temos o melhor futebol e equipa
Força Porto

Jorge Aragão disse...

Das análises feitas, destaco que o Nuno é um grande profissional mas nem sempre esteve à altura, especialmente com a Naval. Acontece mas dá garantias razoáveis. Por mim apostaria mais em Ventura que penso pode ser um caso sério se bem gerido, para não se perder como lamentávelmente deve ter acontecido ao Bruno Vale. Heltom bem depois da paragem.
DEfesa.... Nem falo dos laterais esquerdos, Fucile é o melhor nos dois lados. Cissoko a ver. O resto ... fraquinhos, mesmo o Sapu que deixa cruzar e geralmente deu golo.
Centrais ... bem o Rolando, injusto criticar o Pedro Emanuel, líder de balneário e da defesa desde que jogue no seu lugar. A idade não perdoa mas é sempre útil e tem imenso espírito de sacrifício. Stepa e rever.Tem potencial mas ...
Guarim ... simplesmente não gosto, também preferia o Paulo Machado.
Falta no9 meio campo um bom organizador e um Lucho em melhor condição física em bora nem se discuta o seu valor e influência.

José Correia disse...

Antes de mais nada, um abraço para o Daniel que é um dos dois novos "reforços" (e dos bons!) do 'Reflexão Portista'.

Quanto à análise feita pelo Daniel a este conjunto de jogadores, concordo com a maior parte.

Há um jogador que me parecia perdido e que no jogo com o Leixões deu mostras de que talvez possa ser uma opção válida para o futuro. Estou a falar do Stepanov.

De resto, tenho muitas esperanças no Ventura, embora me pareça que talvez fosse útil para o seu crescimento que fosse emprestado a um clube onde, nos próximos dois anos, pudesse jogar regularmente.

nelson barbosa disse...

No cômputo geral concordo com a análise aos jogadores, penso no entanto que em relação ao Lucho, é um pouco injusta. Bem sei que o grau de exigência para jogadoes da sua categoria é muito elevado, e aceitando que não tem estado tão exuberante esta época como em anteriores, chamo porém a atenção para a análise aos metros por ele percorridos em cada jogo. Dos 28 jogadores normalmente intervenientes em cada partida, Lucho é invariavelmente o que mais distância corre. Isso diz qualquer coisa quanto ao seu empenho e entrega.

Anónimo disse...

Um abraço de boas-vindas ao Daniel e parabéns pelo excelente artigo.