quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

Mais dois penalties em Alvalade...

"Não vou discutir a justiça das grandes penalidades. Ainda nem vi as jogadas na televisão. Mas o que nos matou foi entrar a perder na segunda parte. Se não tivessem surgido esses lances, o jogo poderia ter sido outro. Depois do terceiro golo, fiz aparecer miúdos, todos com muita qualidade. Cumprimos em absoluto o que projectámos para a Taça da Liga."
Jesualdo Ferreira, no flash interview



«35': Penalty para o Sporting. Polga cai na área em duelo com Pedro Emanuel. Carlos Xistra assinala uma grande penalidade muito discutível
in Maisfutebol, ao minuto

As imagens não deixam dúvidas. A haver falta é de Polga, nunca de Pedro Emanuel.




«47': Grande penalidade para o Sporting, por pretensa falta de Sapunaru sobre Postiga.»
in Record, minuto a minuto

Que dizer? A forma como o Postiga força o contacto com a perna direita atirando-se a seguir para o relvado é mais uma palhaçada à moda de Alvalade.


"Tal como há fantásticos jogadores e treinadores que tomam opções erradas, o mesmo acontece com os árbitros. Estamos na presença de um excelente árbitro, mas que se equivocou numa fase de jogo em que o marcador estava em 1-1, num lance em que Postiga devia ter levado segundo amarelo por simulação e o Sporting ficava com dez jogadores. Em vez disso assinalou penalty contra nós, um de dois mal assinalados. Há lances que são grande penalidade e não o são no nosso estádio. É difícil conseguir clima de tranquilidade na arbitragem, assim. É com isto que temos de viver."
José Gomes, na conferência de imprensa

27 comentários:

Luís Carvalho disse...

Tal como já tinha “votado” contra quando a maioria exigiu o regresso de Nuno à baliza, também agora estive contra-a-corrente e defendi que apresentassemos o nosso melhor 11 contra o scp.

Qual a lógica de apresentar uma equipa com muitos titulares na terceira jornada da prova (supõe-se que para poder passar às meias-finais) para, logo depois, no jogo decisivo, voltar ao erro de apresentar a equipa B?

Se calhar, então, mais valia não ter ganho à Académica. Assim, pelo menos, tinhamos evitado os olés das bancadas de Alvalade...

O que se arrajou com esta brincadeira?

- Moral em baixo;
- Ainda mais pressão nos ombros de quem jogar Domingo;

O Arsenal também caíu no erro de poupar no Dragão. Com tal “descanço” passou para segundo no grupo e começou a tropeçar também na liga inglesa. Foi este o lindo resultado prático...

Diz Jesualdo:”Cumprimos em absoluto os nossos objectivos na taça da Liga”
Aconselho-o a ler o texto que durante anos esteve a porta do balneário das Antas:
“Quem ningém fale em perder!”

P.S.: Para a maioria que estava a favor de se pouparem os titulares, aconselho que, agora, saiam do país no dia da final. A comunicação social lisboeta vai, como por magia, transformá-la em algo mais importante que a final da Champions.
Vocês estavam avisados...

Mário Faria disse...

Não sei que pensar deste jogo. Da arbitragem ao comportamento da equipa. Estou confuso.
Não tenho dúvidas que os jogadores – habitualmente efectivos - em piores condições físicas deveriam ser poupados, mas esta de pôr os jogadores numa redoma, parece-me um disparate face às exigências do profissionalismo e à quantidade de meios para recuperação dos atletas.
Como poderia jogar uma equipa como equipa com uma táctica de tracção atrás com um ponta de lança como Farías. Para o homem lutar, correr e suar. O futebol não é propriamente atletismo e com excepção de Mariano e a espaços Tomás Costa e Benitez, foi tudo bastante mauzinho. Para jogarmos assim, mas valia seguir o modelo Tulipa e ter trazido um “velocipedista” para incomodar a defesa do SCP. A única jogada que tivemos de jeito foi protagonizada pelo Benitez. De resto, alguma boa circulação de bola, que o árbitro interrompeu com a marcação da 1ª. gp.
O Madrid jogou num espaço de terreno muito curto e soube posicionar-se – na primeira parte - , mas sem ritmo foi perdendo qualquer preponderância mesmo nesse espaço exíguo de terreno que ocupou.
Quantos aos miúdos é uma maldade jogarem este tipo de jogos, e serem chamados quando a equipa está completamente partida e sem capacidade de reacção.
Xistra é um talismã do SCP. Está tudo dito.

Paulino disse...

Jesualdo Ferreira não tem estofo de campeão portista!!

Primeiro, vamos para a segunda mão do campeonato onde existem muitos jogos para disputar em que quanto para esta competição da taça da liga já se iria encontrar um finalista.

Quem não pensa que era preferível lutar pela final da taça e domingo arranjar forças para EM CASA defrontar o SLB??

Na liga dos campeões já não conto com a passagem dos oitavos, se calhar mais vale já adiar o jogo do campeonato seguinte....

Preferia uma final da taça da liga e ver qualquer resultado no domingo.

Segundo, arbitragem foi muito grosseira com o FCP, mas não vale a pena dizer "AHHH vi logo que não era falta..." porque não foi fácil e foi bem iludido pelo SCP.

Terceiro, aqueles comentadores da SIC pareciam que estavam a ter orgasmos quando viam o SCP e o SLB a fazer boas jogadas...enfim para essas "madames".

Domingo espera-se no mínimo uns três secos ao SLB!!!!

Paulino disse...

Quem é que prefere sacrificar uma final da taça da liga do que na pior das hipóteses perder 2 ou 3 pontos onde existem ainda muitos jogos para disputar no campeonato??


É preciso tirar um curso de treinador para se racionalizar como o JF o fez?

ou então:

Os outros três treinadores estavam errados ao jogarem com a equipa mais forte que disponham para disputarem a final da taça??

"Cumprimos em absoluto os nossos objectivos na taça da Liga"........ arrogância

Nightwish disse...

Duvido que seja uma decissão unicamente do Jesualdo. Aliás, é um bom recado à liga de que não compactuamos com tudo.
Quanto aos penaltys, enfim, folgo em saber que só assim o SCP ganhou (pelo que me dizem, eu estava noutras paragens).
Para mim, as primeiras visualizações do lance foram mais do que evidentes... Eu não percebo como aquela gentinha não tem vergonha de se chamar jogador de futebol, mas enfim. Se calhar também estão a treinar para serem os melhores do mundo.

Jorge Aragão disse...

ESta competição é um lixo e foi tratada como merece.
Rodar jogadores, ver quem tem ou não valor e fazer descansar quem tem jogado sempre. Acho certo.
A qustão do gozo passa-me ao lado pois só demonstra a pequenez de quem não vê que fomos jogar com a segunda equipa.
Se gostei de perder? Claro que não, mas acabo por aceitar na medida em que era o risco que corriamos.
Apesar disso tenho para mim que se não fosse a arbitragem em marcar os penaltis cirurgicamente tinhamos ensaboado a cabeça aos lagartos e não sei não.
Em relação ao moral das tropas não acredito que esteja em baixo pois todos sabiam ao que iam e não terá influência.
Garim, Stepa, Sapu, não gostei, acho que no fim do ano deviam sair.Paulo Machado ´+e melhor que o Colombiano que pouco faz, Stepa dá sempre um furo inadmissível para alguem com as suas capacidades - o quarto golo é ridiculo na forma com não ataca a bola - o romeno é um passador.
Mariano ao menos demonstrou vontade e o Tomás também embora tenha que ser mais clarividente.
E agora vamos aos abutres. Com força e coragem.

Nuno Nunes disse...

O jogo resume-se à marcação de mais dois penalties fantasma em alvalade. Os jogadores do FC Porto quando entram em alvalade já devem pensar "quanto tempo faltará para o penalty do sporting?". O sporting é um clube que não consegue viver sem este expediente que é a marcação de penalties para conseguir vitórias e por isso é um clube que nunca conseguiu nem conseguirá ser campeão europeu em toda a sua história. Em Portugal ganha campeonatos através do expediente dos penalties. Não é um clube, é uma fraude. O lema deles ("esforço, devoção, dedicação e glória") deveria passar a ser "pressão, histeria, quedas na área e penalties".

A estratégia do FC Porto para esta competição pareceu-me correcta e ontem, bem vistas as coisas, não fosse o árbitro a virar o resultado e era o FC Porto que estava na final. A competição foi encarada como uma oportunidade para os reservistas evoluirem e jogarem com mais frequência e eles acabaram por corresponder muito bem, dentro das suas limitações. Foi-lhes dada a oportunidade de jogar em alvalade e mercê do golo do Tarik até poderiam ter ganho o jogo. Por isso não concordo com a opinião do Luis Carvalho.

Quanto à competição em si este foi o enterro de toda a verdade desportiva que ela pudesse ainda conter. O Jesualdo deveria ter tirado toda a equipa do campo aquando da marcação do 2º penalty. Se queriam brincar connosco então que brincassem sozinhos. É vergonhosa a forma como fomos prejudicados e os clubes da 2ª circular beneficiados. Em 4 jogos marcaram-nos 4 penalties-fantasma. Competições assim NÃO OBRIGADO.

Gostaria que o FC Porto decidisse institucionalmente não participar na próxima edição ou então que assumisse a falta de comparência em todos os jogos.

Luís Carvalho disse...

Bem, se esta competição é uma fraude, já o era aquando do jogo contra a Académica.
Por que razão, então, se optou nessa altura por uma equipa "mista"?

Esta prova está feita para os grandes? Sim, por isso, a nós, cabe-nos impedir que seja um dos grandes de Lisboa a conquistá-la.
Deve ser esta a nossa missão. É assim que nos devemos "vingar" das maldades da Liga de clubes.

Em segundo lugar, a edição deste ano da Taça de Portugal também foi feita para favorecer os grandes, já que as meias-finais se disputam agora a duas mãos.
Iremos também aqui apresentar a equipa B, em forma de protesto, de forma a sermos coerentes?

Mais, por que andam os treinadores, época após época, sempre com o discurso dos "automatismos" para, depois, não terem qualquer problema em apresentar 11 caras novas, sem a mínima rotina exigivel a uma equipa profissional?

Sim, descançar 3 ou 4 jogadores bastava e sobrava (exactamente o que fez o scp). Coitada da equipa que não aguenta 2 jogos em quatros dias...

Chegar de comboio a apenas 6 horas de distância do pontapé-de-saída não é desconsideração mas sim falta de profissionalismo.

Meus amigos, queiram ou não, o que infelizmente ficará para a história foi que perdemos por 4-1 em 2008/09.
A segunda goleada da época.

miguel87 disse...

Mais ou menos forçado, a verdade é que o primeiro penalty teve um só culpado: P. Emanuel! Acho que nem um junior dava assim um pontapé na atmosfera (que teve o azar de raspar no Polga - sim, azar, porque havia ao menos de ter acertado em cheio!) em plena area!

Transcrevo o que comentei aqui num artigo anterior sobre a avaliação do plantel, neste caso do P.Emanuel:
"Sempre fui da opinião que o P.Emanuel é um central lento, duro e faltoso, logo sem categoria para o Porto."
Se havia um lance para ilustrar este comentário, era este penalty!

Quanto ao resto, concordo que, se o clube assumiu rodar os jogadores nesta prova, o tenha feito no jogo de ontem.
Agora o que não concordo é que se apresente como desculpa o resguardo dos titulares para as outras competições. Então somos os primeiros a lamentar a falta de competitividade interna nas alturas em que perdemos nos confrontos internacionais e agora que esta taça da liga, quanto mais não seja, dá a oportunidade de haver mais jogos e com maior nivel de exigência, e por arrasto aumentar o ritmo competitivo, nós simplesmente descartamos essa hiotese! Não concordo.

José Correia disse...

miguel87 disse...
«Mais ou menos forçado, a verdade é que o primeiro penalty teve um só culpado: P. Emanuel!»

Como é óbvio, respeito todas as opiniões mas, perante imagens tão evidentes (ver video que faz parte deste artigo), tenho dificuldade em aceitar esta perspectiva do lance.

É tão evidente que é o Polga a fazer-se à falta, atirando-se autenticamente para a frente do Pedro Emanuel (que ainda assim se tenta desviar), que não percebo como é que se pode dizer que o culpado é o Pedro Emanuel.

O lance do 1º penalty é um autêntico roubo!
Ou, parafraseando o saudoso Zé do Boné, é um roubo de igreja!

José Correia disse...

Luís Carvalho disse...
«Bem, se esta competição é uma fraude, já o era aquando do jogo contra a Académica.
Por que razão, então, se optou nessa altura por uma equipa "mista"?»


Luis, os dois primeiros jogos da Taça da Liga, com o Setúbal e com o Nacional, foram a meio da semana, 3 ou 4 dias após jogos do campeonato.

O jogo com a Académica foi no dia 18/Jan. Se nesse jogo o Jesualdo não tivesse colocado a jogar alguns dos titulares habituais, esses jogadores iriam estar sem competir 13 dias, entre o dia 11/Jan (Trofense) e o dia 24/Jan (Braga).

Foi esta a explicação que o Jesualdo deu na altura e, na minha opinião, faz todo o sentido.

José Correia disse...

Nuno Nunes disse:
«O lema deles ("esforço, devoção, dedicação e glória") deveria passar a ser "pressão, histeria, quedas na área e penalties".»

LOL!
Assino por baixo.

José Correia disse...

Nuno Nunes disse:
«Gostaria que o FC Porto decidisse institucionalmente não participar na próxima edição ou então que assumisse a falta de comparência em todos os jogos.»

Não sei quais seriam as consequências deste tipo de atitudes. Presumo que poderiam ser bastante penalizadoras para o FC Porto.

Eu já ficaria satisfeito se, perante os sucessivos escandalos que se verificaram na edição desta época, a Direcção da SAD fizesse um comunicado apontando a dedo todas as poucas vergonhas e chamando os "bois pelos nomes".

Infelizmente, estamos na fase do come e cala...

José Correia disse...

Paulino disse...
«Quem é que prefere sacrificar uma final da taça da liga do que na pior das hipóteses perder 2 ou 3 pontos onde existem ainda muitos jogos para disputar no campeonato??»

Paulino, como é óbvio respeito a tua opinião mas, sinceramente, estou-me a cagar (pardon my french) para a esta taça fraudulenta.

Luís Carvalho disse...

Fraudulenta, no sentido de ser o FCP sempre o mais prejudicado dos 3 grandes?

Então, o campeonato também o é...

José Correia disse...

Luís Carvalho disse...
«Fraudulenta, no sentido de ser o FCP sempre o mais prejudicado dos 3 grandes?»

Fraudulenta porque:

1) Tem um regulamento enviesado a favor dos três grandes;

2) A letra do regulamento não é respeitada (goal average?);

3) O desempenho dos árbitros não é sujeito a observações, não contando para a respectiva classificação;

4) A percentagem de jogos cujo resultado foi influenciado por erros escandalosos de arbitragem é enorme.
Exemplos:
V. Guimarães - SLB
SLB - Belenenses
Rio Ave - Sporting
Sporting - FC Porto

miguel87 disse...

José Correia disse:
"É tão evidente que é o Polga a fazer-se à falta, atirando-se autenticamente para a frente do Pedro Emanuel (que ainda assim se tenta desviar), que não percebo como é que se pode dizer que o culpado é o Pedro Emanuel."

Não concordo. Durante um jogo de futebol vemos "n" vezes os jogadores fazerem aquele movimento, protegendo a bola com o posicionamento do corpo, e isso nunca pode ser considerado falta (ex. ver os lances em que os defesas protegem a bola, a sair pela linha de fundo, dos avançados).

Luís Carvalho disse...

Zé, compreendo o que dizes mas existe algo, muito profundo em mim, de que nunca abdicarei:
Quero que o FCP ganhe toda e qualquer competição e todo e qualquer jogo.

Não entendo o futebol e a paixão pelo FCP de qualquer outra forma.

José Correia disse...

miguel87 disse...
«Durante um jogo de futebol vemos "n" vezes os jogadores fazerem aquele movimento, protegendo a bola com o posicionamento do corpo, e isso nunca pode ser considerado falta (ex. ver os lances em que os defesas protegem a bola, a sair pela linha de fundo, dos avançados).»

OK, admito que não seja considerada falta do Polga.
Mas não haver falta do Polga, não significa que haja falta do Pedro Emanuel.

"Há contacto fortuito na disputa da bola, próprio do futebol, que Polga dourou conquistando aquilo a que não tinha direito. Alguns outros contactos semelhantes sucederam a meio-campo e não tiveram o mesmo juízo."
Jorge Coroado, O JOGO

Com o Polga a atirar-se para a frente do Pedro Emanuel, como é que era possível este evitar o contacto? Nem que tivesse ABS nas chuteiras...

Por outro lado, o futebol é um jogo de contacto e admitir que o ligeiro contacto entre o Pedro Emanuel e o Polga é suficiente para o sportinguista cair no relvado a contorcer-se com dores... por favor.

miguel87 disse...

Ah, ok, assim já concordo mais. Mas o meu argumento foi que o P.Emanuel não pode fazer o que fez no sitio que fez... mais a mais sendo ele o jogador experiente que é e conhecendo a apetencia dos arbitros para apitar contra nós em situações pouco menos que duvidosas.

dragao vila pouca disse...

Eu ia comentar, mas depois de ler o José Correia, já não preciso, porque ele diz exctamente o que eu penso.

Só mais uma achega: se tivessemos jogado completos e ganhassemos e no Domingo perdessemos com o Benfica, o que aconteceria? Quais seriam os comentários no dia seguinte?

Um abraço

Rui disse...

Meus amigos eu acho (tenho absoluta certeza mas pronto) que no Domingo vamos vencer.
PORQUE SOMOS MELHORES,SOMOS MUITO MELHORES ,E EM CONDIÇÕES NORMAIS, NÓS SOMOS MUITO MELHORES.
E EM CONDIÇÕES NORMAIS NÓS VAMOS SER CAMPEÕES.
EM CONDIÇÕES ANORMAIS......................................................................................................................................................................................................................TAMBEM TAMBEM VAMOS SER CAMPEÕES.!................................PUUMMM.!bibó Porto

Nuno Nunes disse...

Luis Carvalho disse:
"Quero que o FCP ganhe toda e qualquer competição e todo e qualquer jogo.
Não entendo o futebol e a paixão pelo FCP de qualquer outra forma."

Todos queremos que o FC Porto vença todos os jogos. Mas não entendes que isso não é possível se o FC Porto estiver a vencer por 1-0 e o árbitro marcar dois penalties fantasma que permitam ao adversário virar o marcador?

Ontem podiam lá ter estado o Lucho, o Lisandro e o Hulk. Marcando 2 penalties que não existiram o mais provável é que mesmo a equipa titular não conseguisse vencer o jogo. É isto que está em causa. A verdade desportiva. Nesta competição não existiu e não existe.

O campeonato é uma competição completamente diferente, os árbitros sabem que com uma arbitragem destas iam 3 semanas para a jarra.

Nightwish disse...

Meus amigos, queiram ou não, o que infelizmente ficará para a história foi que perdemos por 4-1 em 2008/09.

Tenho dúvidas que a taça da liga chegue a entrar para a história...

miguel87 disse...

dragao vila pouco disse:
"Só mais uma achega: se tivessemos jogado completos e ganhassemos e no Domingo perdessemos com o Benfica, o que aconteceria? Quais seriam os comentários no dia seguinte?"

Acho que a pergunta mais interessante agora seria: e se não ganharmos no domingo???

Littbarski disse...

"e se não ganharmos no domingo???"

Se empatarmos, continuamos na frente; se perdermos, ficamos a 2 pontos da liderança, com 13 jornadas por disputar.

Eu também quero que o Porto ganhe. Quero-o ainda mais agora do que antes do jogo de Alvalade, porque isto de perder não cai nada bem, nem a feijões (e não era a feijões) e só se cura com vitórias. Mas o balanço da aposta (na segunda linha e respectiva poupança da primeira) que foi feita na Taça da Liga deve ser feito no fim. Do campeonato, da Taça de Portugal e da Liga dos Campeões.

José Correia disse...

«Ainda não me tinha acontecido ver, num jogo importante, o árbitro marcar dois penaltis sobre jogadores que estão de costas para a baliza e, até, longe dela. Aconteceu ontem no Sporting-FC Porto da Taça da Liga, num jogo aliás com uma muito pobre realização televisiva.

Se ainda aceito o primeiro castigo máximo, porque depois de muitas repetições posso conceder que Pedro Emanuel tenha entrado de forma que pareceu descuidada, já o segundo, de Sapunaru sobre Helder Postiga, parece-me inexistente. Mas Carlos Xistra viu assim e apitou de acordo com o que viu. E Romagnoli transformou os dois de forma competente.

Não é por os jogadores estarem de costas ou de frente que os penaltis existem ou não, como é evidente, porque penaltis são todos os livres directos dentro da área. A questão é que o metro utilizado nem sempre é este, eu diria que raramente é este que Xistra utilizou na meia-final da Taça da Liga. Menos ainda em jogos destes. E tenho uma dúvida, que não tem forma de ser desfeita, e que é a de saber se Xistra teria as mesmas decisões se a equipa penalizada fosse a da casa, fosse ela qual fosse. Mas isso também são defeitos velhos de todas as arbtragens.»

Manuel Queiroz
in 'De Trivela', 05/02/2009