quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Também o O Jogo?

Quando olhamos para as capas sensacionalistas de A Bola e do Record depois do jogo FC Porto x Benfica já não ficamos (os portistas, bem entendido) minimamente surpreendidos com as barbaridades que encontramos. A linha editorial destes dois pasquins lisboetas tem uma orientação em prol dos clubes da 2ª circular bem definida desde há muitos anos. Elas traduzem, como disse o José Correia, a “história oficial do futebol português escrita em tons de verde e vermelho”.

O jornal O Jogo sempre foi visto de uma forma diferente pelos portistas por ser um jornal independente e imparcial e isso, para nós que estávamos habituados aos constantes dislates dos pasquins supra referidos, fazia toda a diferença. Não precisávamos de aduladores de clube, bastava que relatassem da forma mais verdadeira aquilo que se passava em campo ou no dia-a-dia do futebol luso. No entanto, o O Jogo mudou. E já não foi agora. Uma mudança lenta ao longo dos anos e que levou este diário desportivo a uma aproximação da linha editorial seguida por A Bola e Record.

Acho no mínimo estranha a forma como O Jogo tratou as incidências do FC Porto x Benfica, particularmente a capa, quando comparada com a forma como tratou o jogo de Alvalade para a Taça da Liga Sporting x FC Porto. Senão vejamos:




O apelativo mas enganador título da passada segunda-feira é: “Erro confirma líder”, enquanto o título de quinta-feira após o jogo em Alvalade foi: “Leão deu rombo nas poupanças”. Os penalties de Alvalade pouca diferença fazem do penalty assinalado sobre Lisandro, vê-se que há contacto em todos eles e podemos discutir ad eternum a intensidade desse mesmo contacto, com a diferença de Xistra ter sido responsável pela reviravolta no marcador ao ter marcado 2 (dois!) penalties.

Assim, apetece-me perguntar porque não uma capa após o jogo entre Sporting e FC Porto do tipo:“Erros confirmam Final (da Taça da Liga)” ou “Xistra deu rombo nas reservas” ou ainda “Xistra confirma Sporting na Final”?

Quais foram as motivações para a mudança na linha editorial? Quais os reais efeitos de ser um jornal propriedade da Controlinveste (controlada por Joaquim Oliveira)?

13 comentários:

xandreazevedo disse...

Vendidos á capital....

bLuE bOy disse...

A razão é a mesma de há décadas... bajulação precoce e doentia ao clube de ciclistas com nome de freguesia... o tal dos tais 6 milhões de invejosos, ridiculos e mediocres!

Zé Luís disse...

A respeito da INCOMPREENSÃO de as 1ªas páginas dos pasquins desacreditasdos refletirem só a CONVENIENTE versão do prejuízo alegado para o Benfica, apesar de "dentro" vir o benefício que teve antes, posso assegurar que hoje mesmo:

- o Rascord, apesar da manchete vermelha, não traz na sua Liga da Falsidade - aquela que o cineasta gostaria de conhecer e que Rui Moreira, atento e diligente, lhe observou que não há mais prejuízos do Benfica como os oito jogos prejudicados que o cineasta conta - o jogo como na "lista negra" de resultados influenciados pela arbitragem. Quer dizer,denunciaram um roubo, mas não o assumiram. Edificante exemplo de jornalismo de sarjeta de que darei continuação;
- O Jogo agora tem, a conferência de "líderes" do jornal, entre Porto e Lisboa por videoconferênca, João Marcelino, ao lado de António Tadeia, no lado da capital, contra os directores e editores do Porto. Não é sempre, porventura, mas desta insider information talvez o Vila Pouca seja mais conhecedor do que eu. Talvez, então, se explique como um jornal que vende muito mais no Porto tenha tido uma manchete lisbonense digna do Rascord.

Para que conste.

Zé_Lucas disse...

Não entendo a indignação, pois nunca ví nada de diferente no Jogo. Nunca passou daquilo que é, um lobo a tentar vestir uma pele de cordeiro (a capa Nortenha). 500 vezes a Bola, pois, pelo menos, não enganam ninguém. Mais a mais, só nos faz bem conhecer os inimigos...

1 abraço

dragao vila pouca disse...

"João Marcelino assume direcção-geral de publicações da Controlinveste."

Está aqui a resposta.

Pensam que com esta linha editorial, ganham Lisboa e o Sul, sem perder o Porto e o Norte. Enganam-se, já que nunca vão ganhar Lisboa e o Sul e já estão a perder o Porto e o Norte.

O mesmo vai acontecer com o JN, que foi o sustentáculo, durante vários anos, do survedouro de dinheiro, que é o DN e agora, está a ser delapidado para favorecer o jornal da Capital.

É, meus caros, só vamos ficar nós, mas será que um dia destes, não nos calam?

Ah, eu nunca achei que o Jogo fosse mais pró-F.C.Porto, que para qualquer dos clubes de Lisboa e disse isso pessoalmente ao Manuel Tavares.
Tem editores no Porto que, não vamos negá-lo, são a favor do F.C.Porto, mas o mesmo sucede com os editores de Lisboa em relação ao Benfica e ao Sporting.
O director é portista, mas o sub é benfiquista e agora com Tadeia, pior ainda.
O Carlos Machado tem a mania que é isento, mas basta ler os seus artigos e crónicas dos jogos, para se notar a isenção...: leiam a crónica do Porto/Benfica.
Tem, num tema sensível como é a arbitragem, um anti-portista -Coroado -, um benfiquista doente -Rola. Chegou a dar formação sobre arbitragem aos jogadores do Benfica - e tem um isento - Rosa Santos.

Onde está o jornal pró-Porto?

Isto para já não falar no Quim, que é um sportinguista de sempre.

Um abraço

Jorge Aragão disse...

Tudo isto é lamentável.
Eu já há muito que deixei de comprar os desportivos, agora e com pena também o JN.
Para esse peditório centralista benfa e bafiento não dou.
Não faltará muito que deixe de ver o Trio de Ataque e até os canais portugueses.

bandiduh disse...

Sábado passado foi o último dia que comprei O JOGO.

Venderam a verdade em troca de negociatas.

Para mim está o nível daquele papel higiénico rasca de uma folha que vendem no pingo doce.

Anónimo disse...

Eu comprava o Jogo à 2ª feira para ver os resultados da Honra, 2ª B (já sei que não se chamam assim agora;-)), 3ª e distritais (é verdade, "escarafuncho" isso tudo). Mas desde que conheci o muito informativo site www.zerozero.pt já nem essa compra preciso de fazer. Passar bem!

Zé Luís disse...

Vila Pouca, o d.g. JM foi nomeado há meses, cargo que desejou mas lhe negaram na Cofina, daí ter mudado para o Jaqim que odiava...

O Jogo sempre distribuía s coisas pelos 3 grandes, cada um na sua mas espaço igual. É inteligente a capa diferente em Lisboa e no Porto, A Bola também faz e não lhes cai os parentes na lama. O pior é a tendência...

E agora pergunta ao Tavares se o JM não mete o bedelho...

Nas mexidas da Controlinveste, o Titanic DN fez um rombo no porta-aviões JN...

jdm.dragão.lisboeta disse...

Eu, gradualmente, também vou deixando de comprar o jog(o)uete. Já me aborrecia as páginas exprès aqui para a al-Lixbuna, agora perderam a vergonha e mostraram como a traição lhes contamina o adn. Mas o PORTO também não paga a traidores!
Por enquanto, vou comprando o dito jornal, onde salvo honrosas excepções já poucos se aproveitam, só aos domingos, às vezes.
Desportivos só na net...triste, esse joaquim. Há nomes para isso...que engordem bem até rebentar de..., mas longe para não lhes apanhar o cheio, e que Deus lhes perdoe, se puder, porque eu quero-os ao largo. Por isso, também eu vou deixando de comprar o jog(o)uete.

O F.C. PORTO continuará a ser o Melhor, apesar da (des)Liga do taberneiro calimero e do histérico injusticeiro gayvota, de (pre)juízes jubilados fede(ra)tivos, sapientes de conveniência e des(lei)xados, tipo goal-average também poder ser popularmente falando outra coisa, e dos traficantes da palavra escrita ou falada, com ou sem imagens, sejam rataxanas, manhosos, delgados da coluna, ta(n)deia(ciosos), daniéis e acólitos, de(s)putados-comentadeiros, paineleiros-assalariados, jornaleiros travadinhos da língua, desgobern(es) redondos, brilhantinas, gajas pseudo-esquerdistas benfas e feiosas guionistas, realizadores subsídio-dependentes, mãozinhas, beirões desnaturados e tantos outros, que julgam apoucar o MELHOR e mais respeitado clube português além-fronteiras para seu (deles) desgosto, raiva e azia....pobres de espírito, qual imagem do portugalzinho medíocre e atrasado! Para eles PUM!!!

José Correia disse...

Mais do que O JOGO, que cada vez mais se está a vender aos interesses da Capital, preocupa-me a estratégia que o Joaquim Oliveira e o João Marcelino estão a seguir para o centenário JN, o único jornal do Porto que sobreviveu depois das "mortes" do 'Primeiro de Janeiro' e do 'Comércio do Porto'.

nobigdeal disse...

No Jogo gosto apenas (mas gosto muito) dos comentários do Jorge Maia.

Tb receio pelo futuro do JN :(

Zé_Lucas disse...

Ignorava que a Bola tinha capas diferentes para o Norte e para o Sul. De qualquer maneira, justiça seja feita, nunca pretenderam atirar areia aos olhos de ninguém, são vermelhos sempre! E continuo sem entender o porquê da indignação em relação ao Jogo. Ofende-me muito mais ter, p.ex. essa aberração da natureza chamada Lá qualquer-coisa a tomar conta do nosso património cultural como é o Rivoli. Como diria uma pessoa amiga, minimíza e enquadra.