segunda-feira, 2 de março de 2009

Apertar o cinto – e como...

Este é o primeiro pensamento que me vem à cabeça depois de “digerir” os resultados da FCP SAD no semestre Jul-Dez 2008 (ver link no SMS mais abaixo).

Tal como o adepto comum faria com as suas próprias contas pessoais, comecei por olhar para a situação de tesouraria a curto prazo (numa perspectiva pessoal, o dinheiro que conto que entre na minha conta bancária nos próximos tempos, menos as despesas em que vou incorrer durante o mesmo período). E aí a situação é francamente preocupante.

No dia de Ano Novo de 2008, perspectivava-se um “buraco” de 25,6 milhões de € até Dez do mesmo ano. Ou dito de outra forma, o Passivo corrente era em 25,6 milhões de euros superior ao Activo corrente. Um ano mais tarde, o mesmo “buraco” tinha aumentado para 49,1 milhões, basicamente o dobro.


Antes de mais, o quer isto dizer? Quer dizer que para tapar o buraco há duas hipóteses de monta: ou se consegue adiar uma boa parte dessa dívida de curto prazo (contraindo novos empréstimos a longo prazo), ou então consegue-se encaixar uma boa maquia através de vendas de jogadores - mas assinalo que nas grandes vendas que temos feito nunca encaixámos a maior parte do valor de venda num período inferior a 6 meses, ou seja: das grandes vendas de Verão, provavelmente só vamos ver uma boa parte desse valor em 2010 ou até mesmo em 2011.
Ou seja, para encaixar na conta bancária até Dez uns 50 milhões na venda de jogadores no Verão, seria provavelmente preciso que o valor da(s) venda(s) fosse equivalente a mais de 100 milhões de € !!!).


Nenhuma das duas hipóteses me parece que seja fácil (ou desejável) de executar. Falemos um pouco mais da primeira (adiar dívidas): uma das razões porque o passivo de curto prazo aumentou imenso é que caduca este ano o empréstimo obrigacionista de 15 milhões de €. Ora nas circumstâncias económicas actuais penso que dificilmente a SAD conseguirá cativar os adeptos a subscrever em força novo empréstimo obrigacionista; e quanto ao apetite da Banca para conceder empréstimos de longo prazo, acho que não preciso de dizer nada...


Assinalo que a campanha actual na Liga dos Campeões pode ajudar, mas é pouco mais do que uma gota no oceano: a passagem aos ¼ de final não deverá levar a um encaixe adicional que ultrapasse uns 3 milhões de euros.

Bem, e como chegámos a este ponto? A demonstração de resultados do primeiro semestre explica em boa parte como, e resumidamente pode-se dizer que chegamos a este ponto fruto de uma estratégia deliberada da SAD, e não fruto da crise económica e financeira do mercado.



Mais concretamente, a SAD (treinador incluído) achou por bem apostar em força em contratações, pelo menos financeiramente: no último Verão comprou-se mais de 30 milhões de € de passes de jogadores, um valor nunca anteriormente visto. E não só foram valores muito elevados na compra dos passes, como também nos salários dos jogadores que entraram (dois deles com salários “italianos”, nomeadamente Mariano e Pelé; para não falar de Rodriguez, Hulk & Cia).


Isto é evidente ao verificar-se que entre amortizações dos passes e salários a situação da SAD deteriorou-se em cerca de 6 milhões em relação a semestre idêntico do ano anterior (um aumento superior a 20%). Ou seja, a este ritmo o impacto anual será certamente superior a 10 milhões de euros. Isto apesar de entretanto ter saído Quaresma, Postiga e Bosingwa (que pelos vistos tinham salários que não eram um fardo tão “incomportável” como isso para a SAD, ao contrário do que muito adepto apregoou em conversas de café ou de jornal em relação aos dois primeiros... o que não invalida que tenham sido bem vendidos na mesma).


Dizia eu que isto é fruto de uma estratégia deliberada da SAD (e treinador), já que tinham um número de escolhas à sua disposição muito mais baratas em salário e acima de tudo custo de passe, para posições que seriam à partida de “banco”, havendo já boas escolhas para o jogador titular: para dar dois exemplos: P Machado vs Guarín; Pitbull vs Mariano (só estas duas escolhas já teria sido o suficiente para poupar quase 10 milhões de euros em passes e salários no plantel). A esta estratégia chamava a minha avó de "ter mais olhos do que barriga".


Para além disso outro dado preocupante (mas não muito surpreendente) é que os resultados financeiros dispararam de 1,5 milhões para 3,3 milhões de prejuízo (mais do dobro). Digo eu que não é muito surpreendente devido à dificuldade em facilmente obter crédito a bons juros no ambiente financeiro que grassa desde há já ano e meio (não começou agora...); e à subida constante do Passivo da SAD ao longo dos últimos anos. Portanto, a opção de que falei anteriormente de adiar parte da dívida (passando de curto para longo prazo) será altamente custosa, mesmo que seja exequível. Se já hoje gastamos mais de 5 milhões/ano em juros...

No meio disto tudo, os dados relativamente positivos são aqueles que os adeptos provavelmente mais receavam: para já, não há grande impacto ao nível de receitas de bilheteira, patrocínios e outras (TV, merchandising), embora o impacto que há seja ligeiramente negativo. Repare-se que se excluirmos os custos com pessoal (salários e operações com passes de jogadores) dos Resultados Operacionais, o saldo mantém-se praticamente inalterado em relação há um ano atrás (baixou em 1 milhão de €). Menos mau. Dito isto, que ninguém espere boas notícias nestas rubricas nos próximos tempos.


Concluindo, neste momento não cabe à SAD outra alternativa que não seja um forte apertar do cinto nos próximos tempos. É inevitável que no Verão sejam vendidos pelo menos 2 titulares (esperemos que por bons valores, o que não é garantido), mas desta vez não haverá “guita” para ir ao mercado: esperemos pois que saibamos encontrar alternativas à altura ou internamente, ou na loja dos “300”.



Parece-me portanto inevitável que nos próximos 2 ou 3 anos haja uma viragem para a prata da casa e para o mercado interno, muitíssimo mais porque a isso sejamos financeiramente obrigados do que por uma viragem estratégica voluntária. E quanto a jogadores com um valor de passe relativamente elevado (Quaresmas, Lisandros, Luchos, Andersons, Hulks, Rodriguezes, Pelés), perpectiva-se também que sejam contratações em vias de extinção.

PS - tentei utilizar termos técnicos, números e rácios tão pouco quanto possível de forma a que o adepto comum possa seguir a conversa, e para que a discussão se centre no fundamental e não no acessório (evitando que o pessoal se "afogue" nos números, perdendo a perspectiva global).

30 comentários:

Mefistófeles disse...

Excelente post, a fazer reflectir seriamente sobre o futuro próximo do FCP.

Entretanto, o "Pasquim da Manhã" já começou a fazer o funeral antecipado, cumprindo a encomenda feita pelos dos costume, porque este é o timing perfeito para tentar desestabilizar.

Como o apito dourado não deu em nada na Justiça comum, toca a virar a agulha para outros temas, como este, para desviar as atenções da gestão desportiva apalhaçada da Luz.

José Correia disse...

«Dizia eu que isto é fruto de uma estratégia deliberada da SAD (e treinador), já que tinham um número de escolhas à sua disposição muito mais baratas em salário e acima de tudo custo de passe, para posições que seriam à partida de “banco”, havendo já boas escolhas para o jogador titular: para dar dois exemplos: P Machado vs Guarín; Pitbull vs Mariano (só estas duas escolhas já teria sido o suficiente para poupar quase 10 milhões de euros em passes e salários no plantel). A esta estratégia chamava a minha avó de "ter mais olhos do que barriga".«

Estes dois exemplos dados pelo Zé Rodrigues fazem todo o sentido.
Mariano e Guarin não são titulares como, provavelmente, também não seriam Pitbull e Paulo Machado mas, desportivamente, parece-me óbvio que não tínhamos ficado a perder se a opção da SAD e do treinador tivesse sido integrar no plantel dois jogadores que estavam emprestados e que tinham feito uma boa época em 2007/08.
Cerca de 10 milhões de euros (passes + salários) é muita guita que, evidentemente, o Guarin e o Mariano não justificam.

A estes dois exemplos - Pitbull e Paulo Machado - eu acrescentaria o caso do Luis Aguiar, um jogador que poderia ser uma alternativa ao Lucho e muitíssimo melhor que as que temos actualmente.
A SAD poderia ter exercido a opção de compra do seu passe por 0,7 milhões de euros. Não quiseram e agora ele brilha no Braga (tal como Paulo Machado brilha no Saint Etienne).

Enfim, tem-se deitado muito dinheiro pela janela fora, principalmente na contratação de segundas escolhas e na autêntica legião de jogadores emprestados.

F.C.Limpa Tudo disse...

"Sporting com perdas de 2,3 milhões

Mafalda Aguilar
28/02/09 23:00


A Sporting SAD anunciou que sofreu um prejuízo de 2,3 milhões de euros nos primeiros seis meses da época desportiva actual.

A SAD sportinguista adianta, em comunicado, que os proveitos operacionais aumentaram em 22,7% para 5,5 milhões de euros entre Julho e Dezembro do ano passado, sublinhando que a participação da equipa de futebol na Liga dos Campeões até aos oitavos de final, o que aconteceu pela primeira vez na história do clube, "foi muito positiva em termos financeiros".

Já o EBITDA desceu de 7,5 para 5,8 milhões de euros, enquanto os resultados operacionais atingiram 454 mil euros.

O Sporting adianta que os custos operacionais, excluindo amortizações, perdas e imparidades e transacções de passes de jogadores, agravaram-se em 33% devido à alteração dos critérios contabilísticos e ao reconhecimento de todos os prémios de objectivos, bem como ao aumento do número de jogos e custo de deslocações e combustível e a uma provisão de 700 mil euros para cobrir o risco de crédito TBZ.

O clube dos leões salienta ainda que "em consequência do investimento de 7,8 milhões de euros feito no plantel registou-se também um aumento em cerca de 1,8 milhões de euros em amortizações".

Para além disso, a SAD sportinguista nota que a subida das taxas de juro, as diferenças cambiais e a reavaliação de derivados levaram a um agravamento dos custos e perdas financeiras.

O Sporting acrescenta que assinou um acordo de reestruturação financeira com os bancos financiadores, com o qual espera reduzir "substancialmente" os encargos já no semestre da época desportiva actual que termina em Junho.

As acções do Sporting encerraram estáveis nos 1,3 euros na última sessão da semana passada da Bolsa de Lisboa."


Económico

José Correia disse...

O cenário das contas do 1º Semestre da época 2008/09 é preocupante, bastante preocupante, e já inclui a venda do Quaresma e as receitas da Liga dos Campeões (incluindo o prémio de passagem aos oitavos-de-final).

É óbvio que não é possível fazer omoletes sem ovos, mas a mim o que me preocupa não são os salários (e custo dos passes) do Lucho, Lisandro, Rodriguez ou Hulk.

O que me preocupa é termos no banco, ou na bancada (ou emprestados) jogadores como:

Farias (tínhamos como alternativa Adriano)
Mariano (tínhamos como alternativa Pitbull)
Guarin (tínhamos como alternativa Paulo Machado)
Bolatti (tínhamos como alternativa Castro)
Stepanov (tínhamos como alternativa Nuno André Coelho)
Diogo Valente (tínhamos como alternativa Hélder Barbosa)
Benitez (contratamos o Cissokho em Dezembro passado)
Sapunaru (já contratamos o Miguel Lopes ao Rio Ave)

Quanto é que a SAD investiu nos passes desta constelação de craques?
Qual é o encargo anual dos seus salários?
Qual foi, até agora, o rendimento desportivo destes jogadores?

dragao vila pouca disse...

Eu tenho sempre dificuldades em lidar com estes números, mas se é preciso apertar o cinto, aperta-se o cinto e a começar pela administração da Sad.
Este ano em Janeiro não houve aumentos para ninguém.
Parece-me óbvio, que andamos viver muito acima das nossas possibilidades e isso tem de acabar.
Às vezes as crises são boas para potenciar jogadores da formação e até temos o exemplo do Verão quente de 1980. Se não fossem todos os problemas, teriam aparecido o João Pinto e o J.Magalhães?
Agora para isso acontecer é necessário um treinador corajoso e que não tenha medo de apostar em jovens.
Porque é que o lateral-direito dos júniores - Ivo Pinto -, que é excelente, ainda não foi lançado e andamos a fazer adaptações?

É curiosa esta notícia em vésperas do julgamnento do apito dourado...

Um abraço

HULK ONZE MILHAS disse...

Excelente artigo, especialmente pela linguagem utilizada, numa óptima tentativa de tornar este grave problema do nosso FCP compreensível pelo maior numero possível de portistas.
Infelizmente o problema não é novo e vem agravando-se ano após ano. Nem a entrada de muitos milhões da venda de jogadores e receitas da CL nos salvam, pelo contrário: quanto mais dinheiro entra mais sai.
O futuro apresenta-se mesmo negro.
Só não concordo com a opinião de que o treinador terá culpas neste desperdício de milhões em jogadores emprestados e novas contratações. Penso que ele nada terá a ver com isso. Quanto muito, terá conseguido uma ou outra contratação do seu agrado e conseguido que fosse emprestado um ou outro jogador que não queria ver no plantel.
Mas o grosso das decisões que nos levam os milhões todos não passam por ele, seguramente. Lembram-se dos casos de Del Neri e de Co Adrianse despedidos em plena "pré-época"?? Acreditam mesmo que os motivos foram uma folga concedida aos jogadores no caso de Del Neri e um castigo ao jantar no caso de Adrianse??? Reparem que é precisamente na pre-época que se define quem são os jogadores que ficam e que saem...

Nightwish disse...

Enfim, infelizmente assino por baixo tudo o que foi dito. Há muito que há muita gente a avisar para estas contratações. Fazem-me pensar se está na altura de trocarmos de presidente, o que provavelmente mandava mais gente para fora da direcção.
Faz-me também pensar que não era má ideia ir buscar um desses treinadores nacionais que andam a fazer brilharetes com equipas "menores", deslumbravam-se menos com os milhões... Mas ainda me falta perceber como raio é que a política de contratações é gerida neste clube, acho que é um daqueles mistérios que nunca se vai descobrir. (e enquanto escrevia o Hulk 11 milhas ainda me meteu mais dúvidas).

Se me rio dos adversários pelas muitas trapalhadas, esta não me deixa nada alegre. É que começa a ser evidente que a gestão de jogadores é feita para benefício de outras coisas que não o clube...

jdm.dragão.lisboeta disse...

Muito bom texto, claro e legível, que alerta para um problema "velho" de aparente "desperdício" financeiro e desportivo relativo ao plantel.

Desejo e espero que a crise acabe por ajudar a acelerar o processo de normalização racional das despesas, até porque para lá da importante componente afecta ao "equilíbrio-financeiro", é uma "dor de alma" sentir que se poderão estar a desperdiçar activos, como os que foram citados no texto, a favor de outros, no máximo semelhantes, mas como se dá nota, muito mais dispendiosos, sem que o factor custo-benefício se justifique, a meu ver.

Nuno Nunes disse...

Em termos de análise pura das demonstrações financeiras enviadas à CMVM, sou da opinião de que por um lado houve uma evolução positiva dos indicadores ao nível do Balanço neste Semestre, nomeadamente o Fundo de Maneio, o que significa que se a situação evoluir no mesmo sentido até ao final do exercício poderemos tender para uma situação de maior equilíbrio financeiro (ou melhor dizendo, de menor desequilíbrio!). O facto mais preocupante já tinha sido identificado no final do exercício 2007/2008 que foi o aumento muito significativo do endividamento bancário.

Relativamente à performance operacional da sociedade, temos no 1º semestre de 2008/2009 um EBITDA (resultado operacional excluindo amortizações) inferior ao do período homólogo do exercício anterior em cerca de 4,3 milhões de euros, no entanto positivo de 14,3 milhões de euros. A margem EBITDA também diminuiu. Tratam-se de 2 semestres em que ocorreram vendas de jogadores por valores muito elevados e a diferença entre eles é facilmente observável pelas diferenças nas verbas envolvidas nos negócios dos jogadores: Pepe e Quaresma.

No entanto é de salientar que o descontrolo nos FSE's e Custos com Pessoal se mantém e se agrava consideravelmente de semestre para semestre. Nestas duas rubricas está o grande problema da SAD do FC Porto. Bolas, será que não há forma desta administração controlar as despesas?

No R&C enviado à CMVM a sociedade admite que, até Junho, irá recorrer à venda de jogadores (+ do que 1, portanto) para equilibrar a exploração, obter resultados positivos e reforçar a sua estrutura de capitais próprios. Se assim for acredito que seja possível apresentar lucros neste exercício.

Ainda que assim seja é lamentável que, com tão fortes encaixes e de tal forma frequentes em vendas de jogadores, não se potencialize a capitalização na sociedade devido ao crescimento desmesurado de gastos em FSE's (fornecimentos e serviços externos) e Pessoal. Lamentável.

HULK Onze milhas disse...

Extraído do Relatório das Contas:
Constatamos que o resultado consolidado do semestre foi negativo em 1,4M€.
Para além do efeito da sazonalidade, já referido, contribuíram de forma especial
para a obtenção deste valor os seguintes aspectos:
• A massa salarial, comparativamente ao primeiro semestre do exercício
anterior, cresceu 4,1 milhões de euros;
• As amortizações também aumentaram 1,7 milhões de euros, resultante
de um maior investimento no reforço do plantel;
• Os encargos financeiros, decorrentes de maiores dificuldades no acesso
ao crédito, aumentaram 2 milhões de euros;
• Foi reforçada em 1,7 milhões de euros a provisão para compensar
eventuais perdas de imparidade em virtude do incumprimento do prazo
de recebimento de créditos sobre diversas entidades.

HULK Onze milhas disse...

E agora aqui deixo a parte do "Relatório" que mais me preocupa:

Ainda assim, o Conselho de Administração, poderá ainda convocar uma Assembleia Geral Extraordinária, para discussão e aprovação das propostas que vierem a ser apresentadas, as quais poderão passar pelas seguintes alternativas:
• Redução do capital social para montante não inferior ao capital próprio da sociedade;
• Realização pelos sócios de entradas para reforço da cobertura do capital; e
• A conjugação das duas alternativas.

É que estas "opções" podem levar a que o accionista maioritário, que é o FCP, tenha que vender o Estádio do Dragão, tal como já foi "sugerido" em tempos pelo Administrador Dr. Fernando Gomes numa AG do Clube !

José Rodrigues disse...

"No entanto é de salientar que o descontrolo nos FSE's e Custos com Pessoal se mantém e se agrava consideravelmente de semestre para semestre. Nestas duas rubricas está o grande problema da SAD do FC Porto."

No que diz respeito aos FSE, concordo num horizonte temporal de vários anos, mas por acaso discordo no q diz respeito a este semestre.

Os FSE aumentaram cerca de 1 milhão; mas acho q o Nuno esquece-se que passamos a ter cerca de 1 milhão de Eur de FSE q não tínhamos antes, ao sair do contrato com a TBZ - q explica a subida nos proveitos comerciais em... 1 milhão de euros. Ou seja, trata-se apenas de uma mudança técnica em termos de contrato, em vez de algo que impacte os resultados operacionais.

Ou seja, tanto quanto vejo nào houve qq evolução (nem positiva nem negativa) nessa rubrica neste semestre q acabou em Dez.

Quanto ao aumento nos custos com pessoal, há vários factores (já falámos das contratações), mas assinalo q ao longo dos últimos anos cada vez temos menos prata da casa no plantel; toda e qq correlação entre as duas coisas NÃO É coincidência.

José Rodrigues disse...

Obrigado ao FCP Limpa Tudo por colocar aqui a notícia sobre os resultados do SCP. Quando escrevi o artigo ontem, ainda não tinha saído (pelo menos eu não tinha visto, e até fui ao site do SCP confirmar) as contas da SCP SAD.

Acho q a situação comparativa é algo que justifica um post inteiro àparte, pode ser que nos próximos dias a gente (autores do blog) escreva algo sobre o assunto.

nelson barbosa disse...

Excelente Post. Tambem me preocupa a situação económica da SAD, sobretudo tend em conta a actual crise económica geral, que além de dificultar o acesso ao crédito vai de certeza desvalorizar o valor dos passes dos jogadores.
Quanto às opções por determinados jogadores estou inteiramente de acordo que para suplentes, Pitbull e Adriano serviam perfeitamente para substituir Mariano e Farias respectivamente, com evidentes vantagens económicas e Luis Aguiar seria uma alternativa válida ao Lucho. Tenho sérias dúvidas de que o Paulo Machado venha a ser um grande jogador.

É evidente que a solução não pode deixar de ser, vender alguns dos melhores e aproveitar jovens que estão emprestados e da equipa de juniores.

Offshore disse...

Já agora, sobre este trimestre:

Porto: resultados operacionais: 2,8 Milhões de Euros. Resultados Líquidos: -1,4 Milhões de Euros.

SCP: resultados operacionais: 0,5 Milhões de Euros. Resultados Líquidos: -2,3 Milhões de Euros.

SLB: resultados operacionais: -7,0 Milhões de Euros. Resultados Líquidos: -9,4 Milhões de Euros.

o Porto é o único dos 3 que apresentou a opinião dos auditores nesta prestação de contas.

No relatório do SCP, o próprio clube diz: “O Conselho de Administração optou, nos termos do disposto no Regulamento da CMVM nº 3/2006, por não sujeitar as demonstrações financeiras semestrais

ao exame de auditor pelo que a informação semestral ora divulgada não se encontra auditada.”

Nos anexos referentes ao capital próprio, diz o clube: “Na medida que esteja perdida metade do capital, ficará a Sociedade enquadrada no âmbito do Artigo 35º do Código das Sociedades Comerciais, sendo as demonstrações financeiras IFRS relevantes para efeitos legais a partir do exercício 2007/2008.”

O Benfica ainda apresenta menos info que o SCP, e não faz qualquer referência ao facto de estar perdido mais de metade do capital.

HULK Onze milhas disse...

Os resultados financeiros do SLB e do SCP só por mera curiosidade nos poderão interessar.
Se olharmos apenas para os resultados finais será que poderemos sorrir e dizer que "ganhámos" também este campeonato pelo simples facto de sermos quem apresenta menor prejuízo?
Penso que não, atendendo à nossa estrutura de receitas, comparativamente com as dos nossos rivais.
Mas sem dúvida que num ponto temos que estar satisfeitos: as nossas contas foram submetidas a auditoria por parte de auditores independentes, ao contrário do que parece ter acontecido com o SLB e o SCP. Este "insignificante pormaior" pode estar a indiciar que afinal os prejuízos deles serão ainda maiores ou então que existe algo de grave nas suas contas. Fuga ao Fisco? Branqueamento de Capitais? E isto é grave... mas... não merece manchetes nos pasquins habituais nem a atenção da Senhora Procuradora Especial...
Mas preocupemo-nos e discutamos as "nossas" contas porque o que está em causa é o futuro do nosso Clube.
E parafraseando a minha avozinha que Deus tem: com o mal dos rivais posso eu bem!

José Rodrigues disse...

Estes resultados do SCP confirmam q estruturalmente têm uma situação financeira bem mais equilibrada do q nós.

É q os resultados líquidos são idênticos, mas enquanto eles não venderam nenhum titular neste semestre nós tivémos q vender Quaresma por 25 milhões. Isto em seis meses de resultados, quem quiser q extrapole o q as contas de um e outro clube seriam em 12 se nem uns nem outros vendessem jogadores...

O q nos vale em relação a eles é q nós temos mais jogadores por onde vender (ou dito de outra forma, por mais dinheiro).

Dito isto, no contexto actual (em q transferências milionárias são menos prováveis) preferia estar na situação deles nos próximos tempos, sinceramente...

Paulino disse...

Se a coisa for à falência, o Estado só tem a nacionalizar o clube lolol

É bem mais grandioso que um BPN :p

HULK Onze milhas disse...

Caro Paulino:
Só que nessa "nacionalização" de certeza que o Estado se iria "esquecer" de nós, como sempre faz.
Isto é: nós seriamos o "BPP", o SLB a CGD e o SCP o BPN. :-) :-)
Ou será que já não é assim???

Nuno Nunes disse...

As contas de SLB e SCP não devem ser comparadas com as do FC Porto uma vez que as sociedades têm perímetros de consolidação diferentes. Isso altera por completo a possibilidade de uma simples comparação de valores, sob o risco de se tirarem conclusões erradas ou especulativas.

Nuno Nunes disse...

José Rodrigues:
"Os FSE aumentaram cerca de 1 milhão; mas acho q o Nuno esquece-se que passamos a ter cerca de 1 milhão de Eur de FSE q não tínhamos antes, ao sair do contrato com a TBZ - q explica tambem do outro lado a subida nos proveitos comerciais em... 1 milhão de euros. Ou seja, trata-se apenas de uma mudança técnica em termos de contrato, em vez de algo que impacte os resultados operacionais.

Ou seja, tanto quanto vejo nào houve qq evolução (nem positiva nem negativa) nessa rubrica neste semestre q acabou em Dez."


Discordo. Não faz sentido que a SAD rescinda contrato com a TBZ e ainda incorra em 1 milhão de euros adicionais dado que o serviço passou a ser "interno" feito com o recurso a mão-de-obra da casa.

O lucro proveniente da assunção do risco comercial, antes mitigado por via do contrato assinado com a TBZ, é a diferença entre as Vendas de bens (1,1M€) e o CMV (Custo das Mercadorias Vendidas) (0,7M€) que totaliza 0,4M€. De salientar que nos 2 semestres homólogos anteriores (1S0607 e 1S0708) os Custos das Mercadorias Vendidas eram praticamente inexistentes e este ano cresceram para 0,7M€.

José Rodrigues disse...

É verdade q os perímetros de consolidação são diferentes nas 3 SADs, mas não são tão diferentes como isso.

A maior parte das rubricas são as mesmas, havendo diferenças acima de tudo (para não dizer "apenas") na área comercial.

Quanto a FSE, eu era capaz de jurar q no ano passado os custos de fornecimento de material (e não só) do merchandising não faziam parte dos FSE da SAD: a TBZ tratava de tudo nas suas contas (incluindo as encomendas directamente aos fornecedores de material), e a FCP SAD recebia apenas royalties/lucro dessa exploração em função de uma fórmula combinada entre TBZ e SAD.

Basicamente, é como se se tratasse de Franchising, tecnicamente falando.

Isso agora mudou (há poucos meses), com o contrato com a TBZ a ser rescindido, voltando ao formato (em termos de contas) q tínhamos até há cerca de 3 anos atrás.

Mas é possível q esteja enganado, claro.

F.C.Limpa Tudo disse...

""Os três grandes clubes portugueses fecharam o primeiro semestre da época 2008/2009 no vermelho, com um total de 13 milhões de euros negativos, revelam os relatórios enviados à Comissão do Mercado dos Valores Mobiliários.

As contas de FC Porto, Sporting e Benfica mostram as primeiras consequências da crise económica e financeira no futebol nacional, com nenhuma das três sociedades a conseguir gerar receitas que compensem os gastos.

FC Porto (1,4 milhões de prejuízo), Sporting (2,3 de prejuízo) e Benfica (9,3 de prejuízo) ilustram a crise que muito provavelmente se acentuará na segunda metade da época e que só pode ser combatida com a transferência de jogadores no próximo Verão.

A SAD do FC Porto foi a sociedade com mais capacidade para realizar receitas, que atingiram os 31,1 milhões de euros (29,9 no caso do Sporting e 26 no caso do Benfica), mas também foi o mais gastador, totalizando 35,8 milhões em custos operacionais (23,7 no caso do Sporting e 27,6 no caso do Benfica).

Quanto ao resultado operacional a SAD do FC Porto foi a única a escapar ao vermelho, tendo concluído o primeiro semestre com 2,8 milhões positivos, enquanto o Sporting fechou com 0,4 milhões negativos e o Benfica com 6,9 milhões negativos.

A SAD do Benfica tem o plantel mais valorizado, avaliado em 74,3 milhões de euros, enquanto o FC Porto se fica pelos 64,2 e o Sporting pelos 30,8. Refira-se que a CMVM não permite a actualização do valor dos passes dos jogadores, o que torna o valor dos plantéis muito abaixo do valor do mercado. O Sporting, com vários jogadores da formação do clube, é o mais prejudicado. A titulo de exemplo, atletas como João Moutinho ou Miguel Veloso praticamente não têm valor na avaliação do plantel para a CMVM.

Finalmente, os capitais próprios das três sociedades estão muito abaixo do que exige o artigo 35 das Sociedades Comerciais. A SAD do FC Porto, ainda assim, é a que apresenta capitais próprios mais elevados, num total de 16,4 milhões, enquanto a Benfica SAD se fica pelos 13,6 milhões e a Sporting SAD pelos 4,9 milhões. Qualquer das três SAD encontra-se em situação de falência técnica."


Fonte: Lusa

Aristodemos disse...

dragao vila pouca disse:
«Agora para isso acontecer é necessário um treinador corajoso e que não tenha medo de apostar em jovens.
Porque é que o lateral-direito dos júniores - Ivo Pinto -, que é excelente, ainda não foi lançado e andamos a fazer adaptações? »

100% de acordo. Ainda por cima com a rotação que eles têm feito na intercalar.

Mário Faria disse...

Li o relatório e o cenário que apresenta é o resultado da evolução (ou involução) na continuidade. Este relatório não trouxe qualquer surpresa.
A crise está aí, mas falta saber se os seus efeitos vão ou não ser devastadores no futebol, ou seja : se a banca vai vender crédito e a que custo, se o mercado vai contratar jogadores e a que preços ?
Na gestão de futebol há alguma loucura, na banca muita toxicidade, e acho que a consequente limpeza vai prejudicar os que correram mais riscos na gestão dos seus activos.
Por isso, penso que o FCP vai passar por momentos difíceis, e não sei se esta direcção tem a vocação reformista que o momento exige.
Espero que sim, mas temo que não.

Anónimo disse...

Acho que está na altura de se chamar o FMI...

Há, contudo, males que vêm por bem: é muito pouco provável que no próximo defeso aterre cá mais uma equipa de futebol de jogadores contratados.

Tal como os políticos por essa Europa fora decerto que a SAD vai culpar "a crise" da sua própria lamentável gestão.

hmocc disse...

Miguel Lopes e aparentemente Beto e Djalma estão já "apalavrados" pelo Porto para a próxima época. Aparentemente. O Miguel é certeza.

Desta vez, em vez de vendermos 1 ou 2 vamos ter que vender 3 ou 4:
• Lucho para Juventus
• Lisandro para ?
• Bruno Alves para Barcelona
e só se não calhar:
• Hulk para ?

Se fossem só o Lucho e o Bruno, o mal era o menos, pois penso que teremos no Stepanov e no Tomás Costa substitutos à altura, já perfeitamente integrados no grupo.

O caso do Lisandro é bastante mais bicudo pois é claramente o jogador que melhor representa em campo a "ideia" FC Porto.

Quanto ao Hulk, a sair agora era pior que a saída do Anderson em 2006, já que é o único jogador que faz a diferença na equipa. Em 2006 ainda tinhamos o Quaresma.

Mesmo assim, por via da "third part ownership" presente em muitos contratos destes e doutros jogadores, o porto nunca conseguirá realizar mais valias astronómicas que conseguiu no passado.

Não duvido que sejamos campeões - até porque é imperativo obter o acesso imediato à Champions 2009-10, mas, e já muitos aqui o andam a afirmar desde 2004, ou as coisas mudam muito, ou a nau afunda-se. E é pena, porque, como dizia o Diácono Remédios, "Não havia nexexidade. ezzze."

Aristodemos disse...

Comparação dos resultados dos 3 grandes:
http://www.futebolfinance.com/resultados-semestrais-negativos-para-benfica-porto-e-sporting

Aristodemos disse...

Idem

http://jogodirecto.blogspot.com/2009/03/o-que-conta-nas-contas-semestrais-dos-3.html

João Saraiva disse...

É anterior à divulgação dos resultados, mas é um resumo do Activobank7 sobre o negócio futebol na sua vertente financeira:

http://www.activobank7.pt/v10/PT/jsp/publico/newsLetter2.jsp?idLinha=28679