domingo, 8 de março de 2009

Com quatro tiros se afundou o Leixões no mar


É oficial, este FC Porto, versão 2008/09, dá-se bem e está nas suas sete quintas quando joga fora do Dragão. Aí vai a sétima vitória consecutiva em terreno alheio da equipa de Jesualdo Ferreira para o campeonato, que se transfigura e demonstra alegria no seu jogo nos campos adversários, contrapondo com o futebol pastoso e aos repelões sempre que actua diante do seu público.

O estádio do Mar prefigurava-se como uma das deslocações mais complicadas no calendário azul e branco até ao final da corrente época. Porém, após um ligeiro ímpeto inicial e alguns tiros de pólvora seca por parte dos pupilos de José Mota, o Dragão assumiu as rédeas da partida de forma assertiva, construindo uma das mais bem conseguidas exibições deste campeonato.

Apesar do grande mérito que o conjunto portista teve em empurrar o Leixões para junto da sua baliza, a vitória azul e branca começou a ser desenhada por 2 erros fatais da equipa matosinhense (penalty cometido por Hugo Morais no primeiro golo, e Laranjeiro a isolar Hulk para o segundo tento). Pelo meio o FC Porto foi dispondo de mais situações para ampliar o marcador que, por razões diversas, não foram concluídas da melhor maneira.


Se ao intervalo a vantagem azul e branca pecava por escassa, logo a abrir o 2º tempo os tricampeões Nacionais embalaram para a goleada a partir do já referido golo de Hulk. Mercê da vantagem mais folgada, o FC Porto abrandou o ritmo do encontro para uma toada que mais lhe convinha, sempre sem tirar olhos da baliza leixonense e, aplicando na medida do possível, as suas venenosas transições rápidas.

Precisamente, numa dessas movimentações bem gizadas, Farías abriu brechas pelo lado esquerdo da defesa do Leixões, cruzou para o interior da área, com Lucho a simular para entrada fulgurante de Meireles. O golo da noite e um trabalho colectivo notável. A influência do avançado argentino neste encontro não ficaria por aí. Após a marcação de um pontapé de canto El Tecla cabeceou para fundo das redes de Beto, fazendo o resultado ganhar contornos de goleada.

Até final, prioridade na gestão de esforço dos atletas com vista ao importante jogo da próxima Quarta-Feira diante do Atl. de Madrid e também limpar alguns cartões de uma equipa que está demasiado amarelada. Tudo calmo e com grande descontracção. De tão relaxados que foram os últimos minutos, Helton ainda foi a tempo de pegar no cavaquinho e oferecer mais um peru fora de época.


Positivo: Não obstante de algumas ausências importantes no onze inicial, o FC Porto foi capaz de fazer uma das melhores exibições de toda a época. Tudo isto no terreno de uma das equipas sensação deste campeonato.

Negativo: Se os sócios e adeptos portistas quiserem ver a sua equipa a praticar bom futebol, talvez devam começar ponderar acompanha-la nos encontros fora de casa. A carteira vai-se queixar, mas faz bem ao ego.

Fotos: uefa.com

23 comentários:

Hymne disse...

a simulação no golo do Raul Meireles não é do Mariano?

dragao vila pouca disse...

Um Porto de Honra.

Magnífica exibição, que na segunda-parte, teve períodos de grande brilhantismo. Um Campeão muito forte colectivamente - difícil por isso destacar alguém -, banalizou o Leixões, que pareceu uma equipa fraca, coisa que o conjunto de José Mota, não é.
Foi um Porto corajoso, audáz - Jesualdo ao meter Tomás Costa, reconheceu , que errou contra o Sporting -, que mostrou a sua faceta de grande equipa.
O jogo mostrou também, que há banco, que com mais minutos e mais confiança, temos jogadores para compensar lesões, castigos ou abaixamentos de forma.
Muita pena, mesmo muita pena, que o público do Dragão, raramente tenha oportunidade de ver, este Porto que fora de portas, parece outra equipa.
Grande apoio dos adeptos portistas que invadiram o Mar.

Um abraço

José Correia disse...

Estou de acordo com o Nelson, ao intervalo a vantagem azul e branca pecava por escassa.
De facto, Hulk duas vezes isolado na cara do guarda-redes e Farias uma vez poderiam (deveriam) ter feito muito melhor. Foram três falhanços que, noutras circunstâncias, poderiam ter tido outras consequências.

Além disto, e ainda na 1ª parte, houve ainda um remate do Lucho da meia-lua que saiu muito torto e um golo anulado ao FC Porto que me deixou muitas dúvidas.

José Correia disse...

Penso que será justo dizer que o Jesualdo esteve muito bem na forma como montou a equipa e preparou este jogo (que se antevia muito difícil) e, também, no modo como geriu o plantel, o esforço dos jogadores e os amarelos, após o jogo estar decidido.

Capitão Bacalhau disse...

Saudações

Realmente ontem o FC Porto fez uma excelente partida. Tivemos sempre como adversário uma equipa que quis discutir o resultado, ao contrário daquelas que defrontamos nos últimos jogos. Penso que as nossas dificuldades em casa se prendem, por um lado, com o facto de ninguém ir ao Dragão jogar pelos 3 pontos, e por outro lado, não termos um treinador muito inteligente que já deveria ter analisado melhor esta questão e alterado a estratégica ou táctica para os jogos em casa. Já noutras alturas utilizamos uma táctica em casa e outra fora… talvez um 442 com mais presença na área adversária fosse uma boa opção nos jogos em casa. Julgo que é um tema interessante para um post.

Vai haver espectáculo do João mais logo. Neste momento há muita pressão para aqueles lados…

Melhores cumprimentos

Nuno Nunes disse...

Foi uma exibição muito boa do FC Porto, com calma e personalidade. Lamento também que esta época só possamos assistir a jogos miseráveis da equipa no Dragão. Se o Jesualdo continuar no próximo ano substituo o meu Dragon Seat pelas visitas aos estádios dos adversários.

Jesualdo disse ontem, depois do jogo, que "íamos com tudo para cima do Atlético". Espero bem que assim seja porque os espanhóis fizeram duas excelentes exibições internas depois do jogo da 1ª mão vencendo o Barcelona e empatando com o Real Madrid no Barnabéu.

José Correia disse...

«Helton ainda foi a tempo de pegar no cavaquinho e oferecer mais um peru fora de época»

Começam a ser vezes demais as situações de jogo em que o Helton demonstra descontração a mais.
A forma como se fez a este lance e depois largou a bola revela pouca concentração, para não dizer falta de atitude profissional.
Mas pior, é que depois de um lance destes ainda se ponha a rir. É inadmissível.

Neste jogo não teve consequências, mas esta falta de concentração competitiva do Helton já nos custou caro em muitos jogos. Por exemplo, no recente jogo de Madrid.

José Correia disse...

Discordo do Negativo do meu amigo Nelson.

Para mim o Negativo de ontem foi a violência nas bancadas protagonizada pelos adeptos do Leixões (que demonstraram um enorme mau perder).

Inclusivamente, chegou-se a ver cachecóis do FC Porto a serem queimados nas bancadas.

Zezé disse...

Orgulhodainvicta.blogspot.com

José Correia disse...

Percebo perfeitamente a lógica do amarelo que Fernando forçou ao minuto 90. Teoricamente, atendendo ao próximo adversário e à gestão de esforço que é necessário fazer, faz todo o sentido.
Contudo, olhando para a exibição do Andrés Madrid nos 23 minutos que esteve em campo, fico apreensivo. O argentino emprestado pelo Braga está muito “perro”, com um ritmo de jogo muito baixo e, inclusivamente, teve alguns falhanços que poderiam ter sido comprometedores.

José Correia disse...

«Bruno Alves - Fora de casa, tem de jogar em ambientes cada vez mais difíceis. É que, quando salta, numa situação de corte, já as bancadas estão a pedir falta, não importando se ela existe ou não.»
in O JOGO, 08/03/2009

Já falei nisto várias vezes. A campanha anti-Bruno Alves está a dar frutos.
As equipas adversárias já perceberam como explorar este filão e os árbitros vão na onda.

José Correia disse...

Ao contrário do habitual, gostei da exibição do Mariano (foi um dos melhores no jogo de ontem).
Inteligente na forma como deixou passar a bola para o golo de Raul Meireles e foi ele que marcou o canto que Farias finalizou no 4º golo.
Esteve a centímetros de marcar o 5º golo do FC Porto, o que viria coroar aquela que, possivelmente, foi a melhor exibição que o Mariano fez esta época.

Capitão Bacalhau disse...

Concordo plenamente. É inadmissível esta “campanha” anti- B.Alves. Basta comparar as suas prestações na Liga dos Campeões e no Liga para compreender que é um jogador leal, viril mas não violento e que os seus lances não estão a ser correctamente julgados na Liga portuguesa. A provar as ZERO faltas em Madrid.
Num total de 630 min. na Champions fez 8 faltas, já o Rochemback em 496 min. fez 20 faltas. Infelizmente temos que usar os dados da UEFA pois já sabemos como são as coisas por cá. Para os interessados podem ver estas estatísticas em (não inventei) : http://www.uefa.com/competitions/ucl/statistics/players/typestat=fc/index.html

Ele só será bom jogador quando estiver no Barcelona ou outro parecido e for necessário na selecção nacional.

Capitão Bacalhau disse...

Correcção, o link é o seguinte:

http://www.uefa.com/competitions/ucl/statistics/players/index.html

HULK Onze milhas disse...

"Neste jogo não teve consequências, mas esta falta de concentração competitiva do Helton... "

Este golo oferecido pelo Helton pode vir a ter consequências no desfecho do campeonato se terminarmos em igualdade pontual com o clube do regime. O FCP já ganhou um campeonato por um golo de diferença. Ou já se esqueceram do Calabote ??? O "Reflexões" tem vindo a lembrar isso...

nelson barbosa disse...

Excelente exibição, do melhor que se viu esta época. Além disso ficou demonstrado que a equipa tem mais do que onze jogadores de qualidade. Boa gestão dos cartões amarelos, até porque a parte final da época vai ser durissíma, não permitindo que os jogadores discutam os lances, condicionados pelo hipótese de suspenção.
Está por demais escalpelizada a razão pela qual a equipa rende mais fora de casa, a história do modelo de jogo resultante das características do jogadores, etc., mas a minha opinião,também ajudaria bastante se a generalidade dos adeptos que vão ao dragão, tivessem o mesmo comportamento apoiante, dos que acompanham a equipa fora de casa. Eu se fosse, entre outros, Mariano Gonzalez, também tremeria cada vez que jogasse na dragão e entraria em pânico à primeira jogada que não saisse perfeita.

nelson barbosa disse...

A propósito do Helton, que continuo a considerar um excelente guarda-redes, quero acreditar, tenho mesmo a certeza, de que, ou ainda no dia de ontem, ou nas próximas horas, alguém, treinador ou presidente, lhe retire aquele sorrizo impertinente depois daquela infantilidade absurda. Erros todos cometem, mas aquilo não foi um erro, foi uma desplicência, inadmissível num profissional pago a peso de ouro. De facto um golo pode ser decisivo para a atribuição do titulo.

Nightwish disse...

Dada a diferença de golos actual dos dois clubes, era muito mau sinal que chegassemos a esse ponto, diria mesmo que eram necessários resultados que poriam em causa o merecimento de uma vitória portista.
Ou talvez não. Mas o mais grave é a incidência de trapalhadas...
Quanto ao resto, já foi tudo dito, ainda bem que ainda fui a tempo de ver a maior parte do jogo ontem.

José Campos disse...

o fcp tinha um jogo muito dificil pela frente e superou com distinção.
grande entrega de todos e concentração no máximo.
hulk teve em grande como já nos vem habituando enquanto que os 3 argentinos entrados na equipa estiveram acima do razoavel (farias, mariano e tomi).
passamos 1 obstaculo mas temos que mostrar este rendimentos tambem nos jogos que disputamos no dragão.
fomos grandes!
abraço

xandreazevedo disse...

Ganhamos bem com autoridade,só um gajo,que sinceramente deve ter alguma panca na tola grave!!! Ele tropeça sim mas faz show off a cair e larga de propósito a bola nota-se e este animal que temos na baliza risse da merda que fez.. sai a rir se????? Não há pachorra nem equipe que aguente isto!!!!!

Armindo disse...

Após as graves insinuações do Sr. Rui Santos no programa "Tempo Extra", espero (caso contrário, nunca os colocaremos no devido lugar) uma firme posição por parte da SAD do meu clube!

PMF disse...

http://blasfemias.net/2009/03/09/de-cabeca-perdida/

bLuE bOy disse...

Ironicamente, desta vez, começo pelo fim... há coisas do arco da velha, c'um carago... então não é que após uma exibição de alto nível, golos para todos os gostos e feitios, (mais uma vez) desperdiçada oportunidade para golear... ainda consigo acabar o jogo com os nervos em franja? culpado? Hélton!!!

Desculpem lá, mas das duas uma... ou o rapazinho tem um dom especial para a paragem cerebral assim de longe a longe... ou então, é azar, apenas azar. Vou mais pela 1ª hipótese, é que o que é demais, já começa a ser moléstia... e depois ainda e vê-lo sempre com aquela cara de «gozão» como nada se tivesse passado ou acontecido... desta vez, não importou para nada, de outras, já não podemos dizer o mesmo.

Espero (esperamos) bem que esta 4ª feira, coloque os neurónios todos no sitio e com máxima concentração... e que deixe lá os sorrisos catitas prá bancada e prós reporters pró final do jogo. É que a paciência, tb tem limites...

No resto, dizer que soberba exibição do FC Porto, à excepção dos primeiros 15/20 min e dos últimos 10 min... porque pelo meio, foi uma exibição imaculável, sem espinhas!!

Deu tb para demonstrar mais uma vez cabalmente que este FC Porto é claramente uma equipa de contra-ataque e para jogos fora de casa... é assim e aqui que se sente como peixe na água.

Dos normalmente não titulares, nota altissima para o tão mal-amado (tb por mim) Mariano Gonzalez... Tommy e Farias tb com nota de destaque, o primeiro a demonstrar que em caso de necessidade e falta de soluções é a melhor opção para as laterais da defensiva; já o segundo a demonstrar que é um «rato» d'área e se bem servido, com uma eficácia acima da média.

Bem, agora, venha de lá essa 4ª feira, onde se pede concentração máxima e absoluta... Roma, espera-nos!!!