sábado, 14 de março de 2009

O JOGO e os méritos de Jesualdo

«Toda a gente sabe que o treinador é o primeiro responsável pelas derrotas. E pelos empates, já agora. E pelas vitórias pírricas, como aquela do ano passado sobre o Schalke 04, que não chegou para evitar o afastamento da Champions na marcação de grandes penalidades. Na verdade, os treinadores são os culpados por tudo o que corre mal e raramente recolhem os créditos pelo que corre bem. Ora, os oitavos-de-final da Liga dos Campeões correram bem ao FC Porto, mesmo tendo corrido mal. Mesmo com a lesão de Fucile no aquecimento do jogo de Madrid, mesmo com o frango monumental de Helton antes do intervalo, mesmo com as inúmeras oportunidades desperdiçadas por Lisandro, Hulk e Rodríguez nos dois jogos, mesmo assim, o FC Porto chegou aos quartos-de-final. E desta vez, o mérito é de Jesualdo Ferreira. Como se pode ler aqui por baixo, foi ele quem desenhou o plano que permitiu anular Forlán e Aguero, que secou Simão e Maxi Rodriguez e que foi capaz de encontrar um caminho entre Leo Franco e os postes da baliza do Atlético de Madrid, deixando o FC Porto entre as oito melhores equipas da Europa com um dos plantéis mais jovens e inexperientes da competição. Claro que haverá sempre quem diga que Jesualdo não é Mourinho, mas é Mourinho que vai ver os quartos num plasma.»
Jorge Maia
in O JOGO, 14/03/2009


Este artigo de opinião e outros artigos no O JOGO de hoje põem Jesualdo nos píncaros.
Que diferença em relação ao que pudemos ler neste mesmo jornal, em Outubro e Novembro passados!
É que eu ainda me recordo de algumas primeiras páginas e títulos, bem como, das opções que foram escolhidas para diversos inquéritos relacionados com o FC Porto.
Se calhar estava enganado mas, na altura, fiquei com a firme convicção de que O JOGO estava a preparar o terreno para que o Jesualdo fosse visto pelos portistas como o único responsável pelos maus resultados que estavam a ocorrer (três derrotas consecutivas e a forte possibilidade de não nos apurarmos para os oitavos da Liga dos Campeões).

Enfim, é bom ver O JOGO a publicar artigos como os de hoje, em que o Jesualdo é fortemente elogiado. É sinal que as coisas estão a correr bem.
Contudo, fico na expectativa de ver o que dirá O JOGO se a SAD portista decidir não renovar com o Jesualdo. Num cenário desses, qual será a justificação "oficial"?

4 comentários:

Pedro Vale disse...

Independentemente da justeza e das intenções do artigo, o conteúdo é interessantíssimo!

Abre um pouco mais o livro sobre o que é ser um treinador de futebol, que tipo de informações se tem de trabalhar, e dá-nos a conhecer um pouco mais da faceta de JF como "estratega".

Muito bom!

HULK ONZE MILHAS disse...

Plenamente de acordo meu caro José Correia!
É por estas e por outras que já há largos meses que deixei de comprar "O Jogo".
"A Bola" ainda vou comprando, como o fiz hoje, para me deliciar com o choradinho dos seus jornalistas!
Agora "O Jogo", nem pensar, porque
não consigo perceber quem encomenda determinados artigos "de opinião" e certas manchetes de 1a. Página!.

hmocc disse...

JF é claramente co-responsável pelas 2 faces deste FC Porto, a de Outubro/Novembro 2008 e a de agora. É a equipa que ele escolheu, portanto a responsabilidade é sua, quer dos bons quer dos maus momentos.

Aconteça o que acontecer, se vencer o campeonato Português, JF confirmará a sua qualidade como treinador, e não estranharia se ele fosse o escolhido para se suceder a si próprio no cargo que ocupa.

No entanto, se se entender que JF cumpriu o seu ciclo, não chorarei baba e ranho, pois considero que o Porto pode e deve jogar mais do que aquilo que tem jogado esta época.

Mefistófeles disse...

Sinceramente, acho que o ciclo está encerrado.

No entanto, estou grato a Jesualdo pelo que conseguiu até agora.

Precisamos de um treinador-esmagador, que não receie assumir a nossa superioridade a nível interno e a nossa paridade a nível internacional com alguns dos maiores emblemas.