terça-feira, 8 de dezembro de 2009

A confiança está lá no alto


O FC Porto fecha com chave de ouro a fase de grupos da Liga dos Campeões, com uma vitória robusta sobre o Atlético de Madrid, cavando as diferenças no grupo D entre os conjuntos apurados - Chelsea e FC Porto - e afastados - Atlético e Apoel - desta competição. Dois golos no primeiro quarto de hora, deram um ascendente decisivo ao Dragão para garantir mais um encaixe financeiro interessante, e injectar a dose de confiança necessária à equipa para os importantes jogos que se aproximam.

Ainda mal o árbitro Francês Stephanne Lannoy havia soado pela 1ª vez no apito, já Bruno Alves voava sobre a defesa colchonera cabeceando a bola para o fundo da baliza de Ansejo. Um belo golo do nosso Capitão. Jesualdo voltou a mexer na equipa e surpreender toda gente, ao incluir Valeri no onze inicial. Não se pode dizer que a estreia a titular do médio Argentino na máxima competição da UEFA tenha sido auspiciosa. Foi quase sempre muito discreto, mas não comprometeu. Varela regressou ao banco, por troca com Hulk. Rodriguez ficou encarregue da dupla missão de deambular entre a asa esquerda atacante e a linha mais adiantada do meio campo.



Algo atordoados com o golo madrugador portista, os jogadores de Quique Flores mais intranquilos ficaram quando à passagem do minuto 14 Falcão aproveita bem na recarga de uma defesa incompleta de Ansejo a remate de Fucile. Atlético de Madrid e FC Porto eram (e são) por esta altura duas equipas com estados espíritos bem distintos. A tranquilidade azul e branca contrastava com o pouco discernimento colchonero, que se revela uma equipa desequilibrada, apenas bem munida de uma linha avançada de enorme classe.

Com vantagem suficientemente confortável no marcador, os Dragões entregaram a iniciativa do encontro ao adversário, como é timbre do perfil da equipa de Jesualdo. O Atlético só esporadicamente incomodou Helton, conseguindo os jogadores portistas gerir as investidas da equipa espanhola com suficiente acalmia. Uma situação de jogo que se prolongou durante grande período da partida.



Maicon, que fez a sua estreia na Champions, esteve em bom plano, mas viu a infelicidade a bater-lhe à porta ao sair lesionado. Sapunaru que entrou para o seu lugar foi igualmente competente. As trocas de Valeri e Falcão, por Guarín e Varela respectivamente, fizeram o Porto novamente crescer, em especial pelo bom trabalho do médio colombiano. Não só deu robustez à equipa, como ainda assistiu Hulk para o golaço da noite, tendo isolado também Rodriguez que esteve perto do 4º golo. Uma vitória sem espinhas do FC Porto, que parece finalmente respirar confiança.

Fotos: uefa.com

12 comentários:

Armindo disse...

"...Uma vitória sem espinhas do FC Porto, que parece finalmente respirar confiança."

Mai Nada!!!

dragao vila pouca disse...

Prestígio reforçado, dinheiro no bolso e confiança em alta.

Um Porto quase na máxima força - podiam, vá lá, ter jogado Rolando no lugar de Maicon; Belluschi no lugar de Valeri; e Varela, se tivermos em conta o que mostrou Guimarães, no lugar de Hulk -, mostrou de forma clara e inequívoca que está a crescer a cada jogo e aparece, numa altura muito importante da época, já muito próximo do que pode fazer e agora sim, ao nível do que se espera de um Tetracampeão. Um Porto a consolidar os sinais de retoma que já vêm desde o jogo frente ao Chelsea... Com uma entrada fulgurante, tal como tinha acontecido frente ao Vitória, a equipa portista mostrou ao que ia e ao fim de 15 minutos tinha resolvido o jogo, reduzindo a equipa madrilena a uma equipa que pareceu vulgar - o que nem de perto, nem de longe, corresponde à realidade! Foi um Dragão com uma atitude e um espírito correctos, personalizado, eficaz, que aproveitou a tranquilidade de não ter de estar a lutar pelo apuramento - já garantido -, para evoluir, para ultrapassar etapas, para ganhar confiança, para melhorar a auto-estima, para dizer presente, para dizer em voz alta, contem connosco!


Um abraço

Carrela disse...

Por isso é que tenho defendido sempre q o problema não está no "mal amado" Jesualdo Ferreira, o Homem tem conseguido sempre dar a volta por cima, todos os anos lhe "tiram" jogadores chave, mas a coisa acaba por normalizar!
Não se pode é pedir milagres e que com meia dúzia de jogos já estejamos ao melhor nível, ainda por cima qd temos vários jogadores lesionados ou desgastados fisicamente! O FCP parece estar a voltar ao seu verdadeiro nível!
Bom jogo, grande resultado!
Força Porto!!

hmocc disse...

A questão pode também passar pelo planeamento da época em termos de forma. Por vezes equipas atingem o pico da forma cedo demais e acabam por falhar no último terço das competições.

A equipa técnica do Porto tem apontado o Inverno como momento ideal para "acelerar" a máquina, e aparentemente não se dá mal com isso.

Obviamente há sempre a mini-crise do Outono, mas hoje já ninguém se lembra disso.

Anónimo disse...

Por vezes também há crise depois das Férias de Natal...

Bom resultado, exibição razoável (digo "razoável" porque houve períodos fracos), bons golos, três pontos, € 800.000, e amarelo ao Simulão. Que mais poderíamos querer?;-)

Miguel disse...

Saiu reforçada a noção generalizada de que o FCPorto é grande na Europa. Grande no estofo, grande na competência, grande no estatuto. Porque só um clube grande vai a um estádio espanhol espetar 3 sem resposta - independentemente do estado miserável em que está este Patético de Madrid - num desafio da Liga dos Campeões longe de ter de se aplicar ao máximo para isso. Nesse aspecto, o único que conta, somos grandes. É um bênção ser portista.

Já agora...
http://reflexoesfutebolisticas.blogspot.com

Visitas e comentários são bem-vindos. Viva o Futebol Clube do Porto.

José Rodrigues disse...

Vitória extremamente saborosa e sem espinhas.

Um adversário relativamente fraco atrás e a jogar sem muitas cautelas defensivas - é nestes jogos q o FCP de Jesualdo melhor se dá, convém lembrar, e isso ajudou bastante. Infelizmente esses jogos são a clara excepção por isso não faço extrapolações para o q se vai ver no campeonato (dará talvez mais confiança para o jogo do galinheiro, q será em certa medida semelhante à partida; mas não para os outros jogos).

Marcar muito cedo ajudou tb imenso, descontraindo a equipa.

Foi portanto em boa medida um jogo atípico, o q no entanto não retira absolutamente nada ao brilhantismo do resultado final, à justiça na vitória ou a uma exibição globalmente positiva, ainda q irregular.

José Rodrigues disse...

A nível individual ssaúdo acima de tudo o regresso de Fucile em boa forma, o q ajuda bastante.

B Alves, imperial e a ajudar no ataque como já nos habituou.

Guarín, a demonstrar ser uma muito boa opção quando há espaços e quando já estamos a ganhar (não defendo no entanto a sua titularidade, continuo convencido q Belluschi é o melhor para a equipa; a não ser talvez no lugar de Meireles aqui e ali).

O Anti Lampião disse...

Celebra-se hoje o Dia Mundial Contra a Corrupção

http://oantilampiao.blogspot.com/2009/12/dia-internacional-contra-corrupcao.html

antonio disse...

Bom jogo do FCP, com os seguintes destaques:
- Bruno é ímpar na impulsão
- Helton (estranhamente na Champions) bem
- Fucile...à Fucile
- Fernando a voltar?
- CR10 a aquecer motor
- Hulk solidário!!!
- Falcao a reparecer (trabalha mt!)
- Guarin é 0 12º jogador!!
- Azia de Simão foi mt boa
- P.Assunção afundado
Venha o Vitória do Manel e a seguir vamos focar-nos no SLB.
Abraço

Metz disse...

Gostei bastante da exibição do Porto e nem o mau momento do atlético tiram ponta de mérito á nossa equipa!

Achei alguma piada, e não gostei que o Rui Moreira tivesse deixado passar impune, como a entrevista feita ao Quique pelo enviado da RTP, passou da HUMILHAÇÃO que sofreram, rapidamente para o slb, uma VERGONHA que o Porto devia mais uma vez condenar.

Cumpz

Dragaopentacampeao disse...

Sou dos que defendeu, na antevisão do jogo, apesar da qualificação já garantida, uma postura da equipa, responsável, ambiciosa, capaz de defender o prestígio, na prova rainha do futebol mundial, conciliando os interesses financeiros com os competitivos.

O FC Porto conseguiu superar a minha expectativa vulgarizando o A. Madrid, conseguindo um resultado volumoso e justo.

Gostei da atitude e de alguns nacos de futebol de alta qualidade, a fazer crer que a pior fase se encontra debelada, numa altura em que se acumulam jogos a requererem um FC Porto muito forte.

Foi a fibra de campeão que esteve no Vicente Calderón. É para manter daqui para a frente. Assim teremos o Dragão sempre cheio e as vitórias serão o corolário natural.

Um abraço