terça-feira, 29 de dezembro de 2009

O Exemplo Barça

O FC Barcelona foi, em 2009, o melhor clube do Mundo vencendo todas as competições que jogou tendo-se sagrado Campeão Europeu em Maio e Campeão Mundial de Clubes em Dezembro. A temporada de 2008-2009 foi a melhor de toda a sua história e inclui pontos altos como a vitória na final da Liga dos Campeões por 2-0 frente ao Manchester United e a vitória no Santiago Barnabéu (Estádio do seu grande rival de Madrid) por 2-6, tendo três jogadores formados nas suas escolas como base fundamental, Messi, Xavi e Iniesta. O Barça é, por isso e pela sua história, um exemplo do que deve ser um grande clube de futebol.


Depois de 5 anos (2003-2008) tendo como treinador o holandês Frank Rijkaard, que levou o clube à conquista do segundo título de Campeão Europeu da sua história, o FC Barcelona não teve medo de apostar num dos seus grandes símbolos da década de 90 como jogador, Josep Guardiola, para o cargo de treinador da equipa principal de futebol. Guardiola terminou em 2006 o curso de treinador de futebol e em 2007-2008 treinou o Barcelona B tendo-se sagrado Campeão da Terceira Divisão conseguindo subir a equipa à Segunda Divisão B. Foi uma escolha arriscada mas que resultou em pleno e mostrou que o FC Barcelona é mesmo um clube especial.


Do actual plantel o FC Barcelona tem nada menos que 10 (dez!) jogadores provenientes dos seus escalões de formação (Valdés, Piqué, Puyol, Xavi, Iniesta, Messi, Bojan, Busquets, Pedro e Bermúdez) sendo que 6 (seis!) nasceram na Catalunha (Valdés, Piqué, Puyol, Xavi, Bojan e Busquets). Um destes jovens, Pedro, tem sido utilizado com frequência por Josep Guardiola na equipa principal já na época 2009-2010 e pelas suas prestações pode dizer-se que a aposta está ganha: na Liga Espanhola jogou 13 partidas com 3 golos e 1 assistência, na Liga dos Campeões esteve presente em 4 jogos tendo marcado 2 golos e na Taça do Rei conta com 1 jogo e 2 golos marcados.


Este exemplo do FC Barcelona também serve para provar aos senhores da SAD do FC Porto que nos media nos impuseram a máxima “ou isto ou o modelo da SAD do Sporting” que estão errados e que se poderia fazer muito melhor com os jovens que têm passado pelo nosso clube e cujo destino tem sido, invariavelmente, o empréstimo seguido de novo empréstimo até à dispensa final. E serve também para mostrar ao Prof. Jesualdo que a aposta em jovens jogadores da formação pode dar muitos e bons frutos. É que em quase 4 anos no clube o Prof. não se pode orgulhar de ter lançado um único jovem com sucesso na equipa principal. Lamentável.

24 comentários:

ruben disse...

nao agudizem a minha magoa...ando doente...o plantel do porto e fraco e nao vejo sinais de melhoras...e pior que isso...e gritante o laxismo que se verifica na direcçao...acho que vou ligar para o INEM para ver se eles vao a SAD fazer 1 massagem cardiaca pois parece-me que andam ligados às maquinas....ACORDEM!!!!!!!!!!

Carlos Filipe disse...

Este post é muito linear.

A grande realidade é que a cantera do Barcelona deita cá para fora muitos jogadores de classe mundial e a do FCP muito poucos.

A questão é, quantos jogadores da cantera do FCP abriu mão que são estrelas do firmamento europeu?

Hugo Almeida e Postiga, suplentes do Bremen e Sporting? Será que alguém pode aqui dizer que tiveram poucas oportunidades?

Vieirinha e Paulo Machado? Hélder Barbosa que não se impõe sequer no Trofense e no Setúbal?

Quem de facto tinha classe mundial e estaleca o FCP não desaproveitou, e estou a falar de Bruno Alves e Ricardo Carvalho nos tempos mais recentes. E parece bastante injusto dissociar o Prof. jesualdo do crescimento de jogadores como Bruno Alves, Rolando e Meireles.

Claro que Nuno Coelho, Castro, Ukra e por aí fora podiam ter mais oportunidades, mas o que dita é a qualidade intrinseca e a mentalidade e nisso os espanhois estão a anos luz como se vê pelas selecções.

Por outro lado, convém não esquecer que mesmo o Barcelona deixa escapar craques como Fabregas e também terá muitos e muitos casos de más apostas e jogadores que se perdem.

José Correia disse...

«o FC Barcelona não teve medo de apostar num dos seus grandes símbolos da década de 90 como jogador, Josep Guardiola, para o cargo de treinador da equipa principal»

Sem dúvida que foi uma aposta de risco, mas de um risco calculado. Recordo que como jogador Guardiola já era um líder e dentro do campo esbanjava uma visão de jogo e inteligência fora do normal.
De quantos jogadores podemos dizer o mesmo?

José Correia disse...

Poderia a equipa do FC Porto ter mais jovens da sua formação?
Penso que sim, embora me pareça notório que a qualidade da formação portista caiu muito na última década.
Analisando os jogadores da formação portista que, nesta altura, estão emprestados, os mais promissores parecem ser os que estão no Olhanense mas, conforme se viu no jogo com o SLB, mesmo esses estão ainda muito verdes para poderem almejar vestir a camisola do FC Porto.

dragao vila pouca disse...

F.C.Porto - Académica, primeiro jogo após o F.C.Porto, 4 - Sertanense 0, em que Sérgio Oliveira fez um grande jogo. O F.C.Porto tem lesionados T.Costa, Valeri e Belluschi. Quem é chamado para a convocatória? N.André Coelho, um central, que se junta a Maicon e aos dois que jogaram: Rolando e Bruno Alves.
Acho que nem é preciso dizer mais nada...

Um abraço

Anónimo disse...

O problema já não é só não termos "fabricado" grandes craques nos últimos anos. É que mesmo os jogadores apenas razoáveis que produzimos são preteridos a favor de estrangeiros caros e de duvidosa qualidade. Essa é que é essa. Podemos não produzir Cristianos Ronaldos, mas não me digam que dos nossos escalões jovens não sai ninguém que se equipare a Guarin, Mariano, Tomás Costa, Lucas Mareque, Lino, Ezequias, Léo Lima, Pitbull, Paulo Ribeiro ou Sandro! É que se não sai, bolas para a formação e para o famoso Projecto Visão 611.

AFC disse...

Parece-me um argumento um pouco falacioso. A questão da formação está associada à capacidade financeira do clube. Será que temos capacidade financeira para segurar jogadores que ou são formados pelo clube ou são contratados ainda jovens? Parece-me que não. E utilizar como exemplo o Barcelona é comparar algo incomparável. A verdade é que se o FCP tivesse argumentos financeiros ao nível do Barcelona ou outros clubes ingleses, obviamente que teriamos capacidade para ter neste momento no nosso plantel jogadores como Ricardo Carvalho, Anderson e outros que embora não tenham saído da nossa escola chegaram ao nosso clube ainda na etapa final do processo de evolução como jogadores. Obviamente que Anderson e por exemplo Fernando serão alguns desses casos.

Jorge Aragão disse...

Apesar de poderem não ser talentos do outro Mundo, há falta de coragem para lançar jovens da cantera ou quando o fazem é em jogos a feijões ou então à queima como aconteceu ao Vieirinha em Leiria para não mais ter oportunidades.
Não há um lançamento sustentado e assim se vão perdendo.
Além disso estão tapados por outros jovens iguais ou inferiores mas que são estrangeiros!!!!

SecretHell disse...

O processo de evoluçao de um jogador e muito simples...quando acabam a idade junior devem rodar em clubes de menor dimensao e apenas os que sao as estrelas da companhia podem aspirar a ter lugar no nosso clube...nao tem nada k saber...veja se o exemplo do varela ...nao deu nada no sporting...rodou e qd era a mais valia do estrela da amadora , o melhor jogador, o mais consistente , ingressou no Porto...o Castro e o Ukra parecem me claramente 2 jogadores que vao singrar ...o Rabiola por exemplo já nao...

Mário Magalhães disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mário Magalhães disse...

Boas,

Meus parabens pelo Post, era este o caminho que tinhamos que adoptar, e não a aposta no mercado sul americano (Argentino, Colombiano).
Quem lê os meus comentários vê que estou revoltado, desanimado, com a nossa estrutura tecnica e principalmente com o responsavel máximo e tenho a firme certeza que este ano vai ser uma desilusão em todos os aspectos, e uma das minhas tristezas é a falta de portugueses no plantel e principalmente a tendencia pelo mercado sul-americano, que tanta incompetencia nos tem enviado.
Quanto a Administração considero que tem feito muitos bons negocios, mas tem cometido muitos flops nas contratações, e os bons negocios incobrem os flops. Uma aquisição tem que ser uma mais valia e não o mais do mesmo, está na hora de repensar...

Saudações

Pedro disse...

O problema é do Jesualdo ou das escolas de formação? Nestes últimos 4 anos, com excepção do Sérgio Oliveira, não vejo ninguém com capacidade para integrar o plantel sénior.

O Ukra creio que foi acertado o seu empréstimo, e deve voltar para o ano. De resto é um deserto.

Nuno Nunes disse...

André Pinto, Castro, Ventura, Rabiola, Tengarrinha, Paulo Machado, Josué, Helder Barbosa, Bruno Gama, Candeias, Vieirinha, Sérgio Oliveira, Ivo Pinto, Dias, Nuno André Coelho, Diogo Viana, Yero, Abdoulaye.

Algum destes jogadores, só para falar no passado recente, teve oportunidades a sério na equipa principal do FC Porto?

Manuel disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
José Correia disse...

David disse...
«não me digam que dos nossos escalões jovens não sai ninguém que se equipare a Guarin, Mariano, Tomás Costa, Lucas Mareque, Lino, Ezequias, Léo Lima, Pitbull, Paulo Ribeiro ou Sandro»

Estou de acordo, mas estamos a misturar duas coisas:
a qualidade da formação portista versus um conjunto de contratações mais ou menos falhadas.

Por exemplo, eu penso que o Castro poderia integrar o plantel em vez do Prediger (e com isso tinha-se poupado 4,2 milhões), mas isso não significa que eu entenda que o Castro já mostrou valor suficiente para ser titular no FC Porto.

José Correia disse...

Se o benfiquista Manuel quiser escrever um comentário no 'Reflexão Portista' pode fazê-lo, desde que seja educado e o comentário seja sobre o artigo em questão.

Agora, começar um comentário ao estilo de desafio e a primeira frase por "Os andrades" não é, seguramente, um bom princípio.

Foi por isso que o seu comentário foi eliminado.

José Correia disse...

Nuno Nunes disse...
«André Pinto, Castro, Ventura, Rabiola, Tengarrinha, Paulo Machado, Josué, Helder Barbosa, Bruno Gama, Candeias, Vieirinha, Sérgio Oliveira, Ivo Pinto, Dias, Nuno André Coelho, Diogo Viana, Yero, Abdoulaye.
Algum destes jogadores, só para falar no passado recente, teve oportunidades a sério na equipa principal do FC Porto?»

É verdade que são precisas mais oportunidades para os jovens que saiem da formação portista, mas também é preciso que a qualidade da formação melhore.
Da extensa lista referida pelo Nuno, quantos demonstraram uma qualidade acima da média nos clubes em que estiveram (estão) emprestados?

Anónimo disse...

SecretHell disse:

"O processo de evoluçao de um jogador e muito simples...quando acabam a idade junior devem rodar em clubes de menor dimensao e apenas os que sao as estrelas da companhia podem aspirar a ter lugar no nosso clube...nao tem nada k saber...veja se o exemplo do varela ...nao deu nada no sporting...rodou e qd era a mais valia do estrela da amadora , o melhor jogador, o mais consistente , ingressou no Porto...o Castro e o Ukra parecem me claramente 2 jogadores que vao singrar ...o Rabiola por exemplo já nao..."

Mas, meu caro, os outros que não eram "estrelas da companhia" seriam inferiores, volto a insistir, a jogadores como Guarin, Mariano, Tomás Costa, Lucas Mareque, Lino, Ezequias, Léo Lima, Pitbull, Paulo Ribeiro ou Sandro?

Ou os da casa têm de ser "estrelas da companhia" mas os que vêm de fora podem ser jogadores banais? Ainda se fosse ao contrário, eu entendia...

Master disse...

tens toda a razão. vieirinha foi o melhor jogador do europeu sub-17 k vencemos em viseu, numa altura em que moutinho era suplente e veloso ainda central e foi despachado apesar do golaço na supertaça talvez na unica hipotese a sério que lhe deram. agora brilha no paok com continuos golos e assistencias.
paulo machado será inferior a guarin? não me parece...
bruno gama inferior a mariano?

esperemos que pelo menos os brilhantes jovens castro e ukra não sejam deitados fora!

Zé_Lucas disse...

A verdade, verdadinha, é que a grandeza do FCP foi alicerçada em jogadores portugueses, grande maioria formada nas suas escolas. Vêja-se as equipas campeãs europeias.
Os exemplos de jogadores jovens dispensados e que não parecem ser merecedores de jogar no FCP é tão falaciosa como dizer que os trabalhadores portugueses têm produtividades abaixo da media europeia. É só pô-los a trabalhar na Alemanha e vê-se a diferença; afinal era só uma questão de organização. Muito mais haveria para dizer sobre isto, eu não sei para mais, mas parece-me evidente que o modelo do Porto mudou; agora o que está a dar são os vagões cheios de sul-americanos. Vá-se lá saber porquê...

miguel87 disse...

Excelente post. Além de não ter pejo nenhum em afirmar que o Barça é o meu segundo clube, há muito que defendo que o Porto devia apostar a sério nos jogadores da formação.

Aqueles que duvidam da qualidade dos nossos jogadores da formação que pensem no seguinte: da mesma maneira que é raro algum deles se destacar nos empréstimos, já imaginaram que se o Xavi, Iniesta, Pedro ou Bojan por ex. fossem cedidos poderiam não ter o destaque e o desenvolvimento que tiveram integrados numa equipa grande com todas as condições para singrarem?

O R.Carvalho ou o B.Alves (para citar exemplos dados aqui) destacaram-se assim tanto no Leça, Alverca, Setubal, Guimarães, etc...???
O único jogador que me recordo que terá tido uma perfomance acima da média no ano de empréstimo foi o S.Conceição no Felgueiras, e mesmo assim ainda teve que brilhar aqui 2épocas antes de ser cobiçado e levado para o estrangeiro.

SecretHell disse...

O facto do Barcelona ter 4 ou 5 grandes jogadores das suas escolas no onze é um coincidencia...ja aconteceu com outros clubes:Ajax, Milao, e mesmo o Porto nos anos 80...temos de voltar á politica de contrataçoes que tinhamos antes de ir buscar os melhores jogadores de clubes mais pequenos: emerson, edmilson,capucho,drulovic, etc...é verdade que em Portugal apenas vejo o Ruben e o Targino como possiveis mais valias, mas há outros campeonatos e certamentes outros Andersons, diegos ou luchos...

nickantas disse...

Concordo plenamente com o referido neste post. O FCPorto tem sucessivamente desaproveitado jogadores com elevado potencial, preferindo apostar em jogadores estrangeiros caros, muitos deles de qualidade muito duvidosa. Parece-me ainda que a política de empréstimos deve ser repensada. Dizem por aí, e com alguma razão parece-me, que muitas das nossas promessas emprestadas não se destacam nos seus clubes. Agora, deixo uma pergunta só, co
m um exemplo que podia ser dado com muitos outros jogadores: até que ponto é positivo um jogador como o Hélder Barbosa ser constantemente emprestado a equipas extremamente fracas? No ano passado, foi o Trofense, este ano o Vitória. Na minha opinião, um jogador não joga sozinho, mas nessas equipas vê-se obrigado a fazê-lo. Não me parece que isto seja benéfico para o seu desenvolvimento. Jogar em equipas que só defendem, que não são capazes de trocar a bola...Penso que é com os melhores que se aprende e que eles se desenvolvem, não nestas equipas.

Américo disse...

Não vi ninguém a falar de uma outra coisa que é intrínseca à formação. Quem os forma e quem os escolhe. O Sporting nisso é dos que tem melhores pessoas a fazer essas escolhas. Dão importância à capacidade técnica e física e muito bem, pois a parte táctica é relativamente fácil de resolver, sendo que são jovens e têm muitos treinos pela frente. No Porto até já ouvi dizer que se conseguia ir para lá com cunhas (esta conversa já foi há uns bons 12 anos) e não se tem dado importância à componente, para todos os que pagam para ver jogos, mais importante, que é o espectáculo. Ainda hoje vi um artigo que falava da maneira que Cristiano Ronaldo joga e marca golos e arranca jogadas de encher a vista, concluindo esse artigo dizendo que ele podia ter os mesmo números de estatística (golos, passes, remates, assistências, livres, etc) sem ter de fazer todas aquelas fintas e bailados frente aos adversários, mas se não fossem esses pormenores maravilhosos não valeria os 96 milhões e não teria anúncios por todo lado e era só mais um bom jogador, assim é simplesmente o melhor do Mundo. E depois há um factor que está presente em tudo na vida; Sorte. Sem sorte não se encontra bons jogadores. FC Porto sempre e para sempre.