quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Olha quem fala

Capa de OJOGO, 2009/12/10

Assim de repente… Não sei, não estou a ver… “Um clube maior”?
Só se o Pablo se estiver a referir ao grandíssimo Atlético de Madrid, esse portento do futebol mundial...

17 comentários:

Offshore disse...

Platini:
«Agora sabemos que o FC Porto não é batoteiro. O caso ficou encerrado com os novos regulamentos da UEFA. Tudo o que sucedeu até 2007 está encerrado e não prosseguimos as investigações», afirmou o francês, em entrevista à Lusa.
«Temos regulamentos agora que combatem os batoteiros. Agora tenho a certeza que não é batoteiro»

Offshore disse...

.

Presidente da Junta disse...

"O Jogo" é um jornal próximo do FC Porto e é por isso que o compro todos os dias. É que ao lê-lo, e particularmente ao ler as páginas dedicadas ao Porto, me vou apercebendo do que é a "sensibilidade" do clube num determinado momento, através do tratamento que é dado a certas notícias.
É por isso que, mais lamentável do que a frase de Futre é a aparente "alegria provinciana" com que o jornalista desenvolve a notícia: enquanto Futre diz explícitamente que o Porto é mais pequeno do que um qualquer "tubarão" europeu, o jornalista não só ignora olímpicamente o que foi dito, como se apressa, inclusivamente, a elogiar as virtudes e a previdência do Porto na "blindagem" de jogadores.
Só espero que esta indiferença acrítica perante frases destas não revele uma interiorização da "estrutura" actual do Porto de que a equipa deixou de ser, ela própria, aquilo que sempre foi: precisamente um desses grandes "tubarões" europeus.
2004 foi há 5 anos, não foi há cinquenta...

Littbarski disse...

A propósito de Hulk, também n'O Jogo, numa altura em que se discute a titularidade do brasileiro na equipa do Porto, para quem quiser ler.

O Porto é um clube vendedor. Sempre foi. Vende para os clubes de outra dimensão financeira, sejam eles de Inglaterra, de Espanha, da Alemanha, da França ou da Rússia. Tubarão, só se for na América do Sul e depois dos grandes tubarões se terem alimentado... Nunca esteve entre os principais favoritos para vencer uma competição europeia, mas foi assim que foi duas vezes Campeão Europeu e venceu uma Taça UEFA. Eu acho que está muito bem assim. Porque no dia em que acharmos que temos condições para nos bater de igual para igual, numa base regular, com clubes como o Barcelona, o Real Madrid, o Manchester United ou o Milan, estamos fora da realidade, logo no caminho errado. O Porto consegue estar regularmente entre os 16 melhores da Europa, mas só pontualmente consegue chegar lá a cima. E consegue-o, não apregoando que está ao nível do Real Madrid, mas trabalhando mais e melhor do que os principais emblemas europeus para conseguir, pontualmente, repito, fazer-lhes frente. Caso contrário, com fanfarronices do tipo "os maiores do mundo" não teria qualquer hipótese.

dragao vila pouca disse...

Excepto no guito, o F.C.Porto é tão grande como o maior dos clubes.


Um abraço

Mefistófeles disse...

O F.C.Porto é o melhor embaixador de um país de brincadeira, pequeno na dimensão e na ambição. É muitíssimo mais competente nessa missão que o MNE no seu todo e os governantes em geral. Um case study, num país de medíocres e invejosos.

Anónimo disse...

Curiosamente, quando ganhámos a a Taça UEFA e a Liga dos Campeões, o nosso orçamento era muito mais baixo que actualmente. Depois de 2004 o orçamento tem aumentado significativamente mas só uma vez lográmos atingir os 1/4 de final da LC. Por aqui se pode ver que isso dos orçamentos também é relativo.

E não é verdade que o Porto sempre tenha sido um clube vendedor, pelo menos na escala que agora o é. As vendas de Futre e Rui Barros, por exemplo, apenas aconteceram porque os valores oferecidos foram magníficos, e não tanto, nessa altura, por necessidade de gestão, ao contrário do que agora sucede.

João Saraiva disse...

Vamos lá ver: o Porto é o maior clube do mundo, mas há clubes maiores.
Para o adepto é o maior, para os jogadores há maiores.

Por muito que nos custe, o Porto não tem a capacidade financeira de outros clubes, e hoje em dia isso faz toda a diferença. Por isso é que vimos partir Futre, Rui Barros, Deco, R. Carvalho, Lisandro e companhias (até o Jorge Plácido e o Secretário vendemos).

E por muito que nos custe 99% dos jogadores querem jogar onde ganhem mais e tenham uma maior visibilidade. E olhando friamente para a questão acho-a normal, a única coisa que peço é que enquanto jogadores do FC Porto, sejam profissionais e dêem tudo pelo clube. Depois a gente agradece e podem ir à sua vidinha.

Anónimo disse...

E outra coisa, ainda a propósito dos orçamentos (coisa que nunca vem à baila quando perdemos, por exemplo, no Funchal ou em Braga). A diferença orçamental entre os "tubarões" europeus e nós não é apenas devida ao facto de esses clubes contratarem tudo o que é craque e term para isso posses; é também devida ao facto de o nível salarial nas ligas mais fortes ser bem mais elevado que por cá, fazendo com que mesmo jogadores medianos, e que por cá o seriam também, ganhem muito mais do que ganhariam se jogassem no FCP. Quero com isto dizer que, se o orçamento de um "tubarão" for, por exemplo, 10 vezes maior que o nosso, a diferença proporcional da qualidade dos respectivos plantéis não será essa, nem de perto, nem de longe.

Littbarski disse...

Atenção, que eu não digo que o Porto não é um grande clube. Estar regularmente entre os 16 melhores da Champions é muito bom para um clube de um país que em quase tudo o resto está habituado a frequentar a cauda da Europa. O que eu digo é que o Porto não tem as mesmas condições (o tal guito que faz muita diferença) que os principais clubes das melhores ligas europeias para vencer, por exemplo, a Liga dos Campeões. Por isso, é que Real Madrid, Barcelona, Manchester United, Liverpool, Milan, os verdadeiros tubarões, em suma, são crónicos candidatos a Campeões Europeus e o Porto é um eterno outsider, apesar do enorme crescimento do clube, nas últimas 3 décadas. E assumir isto, na minha opinião, não tem mal nenhum, pelo contrário: o facto de o nosso clube chegar onde só os melhores chegam, com menos recursos do que eles, só engrandece ainda mais as suas (nossas) conquistas.

João Saraiva disse...

Alexandre disse:"Quero com isto dizer que, se o orçamento de um "tubarão" for, por exemplo, 10 vezes maior que o nosso, a diferença proporcional da qualidade dos respectivos plantéis não será essa, nem de perto, nem de longe."

O FC Porto está para um Real Madrid, M. United, Chelsea, Barcelona, Milan, Inter, ... como um Braga, Guimarães, ... estão para o FC Porto.

José Rodrigues disse...

"O FC Porto está para um Real Madrid, M. United, Chelsea, Barcelona, Milan, Inter, ... como um Braga, Guimarães, ... estão para o FC Porto."

A diferença orçamental no 2o caso por acaso até é maior.

O orçamento de um Chelsea é 6x maior do q o do FCP; o orçamento do FCP é umas 10x a 15x maior do q o de um Guimarães.

De qq forma penso q o FCP tem todas as condições para estar regularmente entre os 16 melhores da Europa; melhor do q isso só muito irregularmente (*)

(*) e mesmo assim só numa competição a eliminar, como a LC a partir dos 1/8s final; numa eventual Superliga Europeia penso q estaríamos condenados a lutar pela fuga aos lugares do fundo da tabela, pq nesse tipo de competições regulares o dinheiro conta mais).

Littbarski disse...

"a propósito dos orçamentos (coisa que nunca vem à baila quando perdemos, por exemplo, no Funchal ou em Braga)"

Eu acho que vem. Já não é a primeira vez que uma segunda equipa do Porto é eliminada da Taça de Portugal por um clube de um escalão inferior, e eu ouço vários portistas dizerem que aqueles jogadores, pelo que custaram e pelo vencimento que auferem, tinham obrigação de ganhar. Em relação ao Marítimo e ao Braga, quantas vezes foram campeões? Uma coisa é vencer um ou dois jogos ao Porto (Benfica ou Sporting), outra é chegar na frente de um campeonato com 30 jornadas. E o formato da Liga dos Campeões tem mudado de forma a fazer com que os principais clubes europeus estejam sempre nas fases avançadas da prova. O que deixa muito menos margem de manobra para os outsiders. Sejamos realistas: mesmo o Porto de Mourinho perdeu com o Real Madrid. Eliminou o Manchester United (único tubarão que apanhou pela frente, após a fase de grupos), nos minutos finais da eliminatória. Isto sem querer retirar mérito à grande equipa que o Porto tinha na altura, a verdade é que foi também preciso alguma sorte para chegar até Gelsenkirchen, como o próprio Mourinho reconheceu. Se olharmos para as equipas que estão actualmente presentes nos oitavos-de-final das Champions, dos crónicos candidatos à vitória, dois foram eliminados (Juventus e Liverpool), os outros (Real Madrid, Barcelona, Man. United, Chelsea, Arsenal, Milan, Inter e Bayern) estão lá. Ora, a probabilidade de apanhar mais do que uma destas equipas, no caminho até à final, é elevada. O que reduz substancialmente as hipóteses de o Porto chegar muito lá à frente. Isto não significa que seja impossível lá chegar. Simplesmente, é muito mais difícil. Como é suposto ser.

José Correia disse...

José Rodrigues disse...
«O orçamento de um Chelsea é 6x maior do q o do FCP; o orçamento do FCP é umas 10x a 15x maior do q o de um Guimarães.»

Sim, mas quando "brincamos" com os números temos de ter cuidado. Vou dar um exemplo.

Cenário 1
Clube A: orçamento de 2 milhões de euros
Clube B: orçamento de 8 milhões de euros
O Clube B tem um orçamento 4x maior que o Clube A, sendo a diferença de 6 milhões de euros.

Cenário 2
Clube A: orçamento de 100 milhões de euros
Clube B: orçamento de 200 milhões de euros
O Clube B tem um orçamento 2x maior que o Clube A, sendo a diferença de 100 milhões de euros.

Em qual destes dois cenários é maior a diferença entre o clube A e o clube B?

José Rodrigues disse...

"E o formato da Liga dos Campeões tem mudado de forma a fazer com que os principais clubes europeus estejam sempre nas fases avançadas da prova. O que deixa muito menos margem de manobra para os outsiders."

Ora nem mais.

Aqui há 1 ano fiz um pequeno estudo, comparando o nr de equipas do top10 do rkg da UEFA presentes nos 1/4s final da LC entre épocas diferentes.

Não tenho os nrs aqui à mão, mas salvo erro na última meia dúzia de anos tem sido uns 75% (6/8). Na década anterior tinha sido pouco acima dos 50%...

Anónimo disse...

José Rodrigues, referes a percentagen de equipas do Top 10 presentes nos 1/4 (nunca poderiam estar todas, claro) ou a percentagem de equipas presentes nessa fase da prova que pertenciam ao Top 10? Porventura será a segunda hipótese?

Pedro Mota disse...

Acho que o Futre quando se refere a clube maior,está a falar de clube mais mediatico e rico,alem de que defacto clubes como Real,Barça,Man Utd,Liverpool,Bayern,Milan são melhores e maiores que o Porto,quer em titulos,dinheiro,mediatismo etc tem que haver humildade para o reconhcer,tal como selecções como Portugal,Espanha,Holanda não são do nivel do Brasil...Hulk é um excelente jogador,que já provou o ano passado que pode ser titular e render numa equipa que fez a tripla e chegou ao 1/4 da champions,e lembrem-se que Cebola,Mariano e Varela são mais experientes que Hulk,ele está apenas á 1 ano e meio na europa,ao contrário dos outros...Vamos ter calma para não queimar este diamante,há muito portistas que anda de tacha na mão...