sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Ser eficaz, deu-nos a Paz


O toque do treinador pode ser preponderante no decorrer de uma partida. É uma ideia consensual, que por vezes é hiperbolizada ao extremo, especialmente quando se destaca pela negativa. Já um jogador, torna-se quase sempre alvo de destaque quando se evidencia pela positiva. Em Guimarães, já o FC Porto vencia por 0-2, com o intervalo já à espreita, Belluschi perde estupidamente a bola na linha intermédia defensiva. Fernando vê-se obrigado a recorrer à falta, vendo o amarelo. Na sequência do lance o Vitória marca, baralhando uma partida que os Dragões tinham na mão, mas que um jogador seu “resolveu” pô-la em xeque.

Os 15 minutos de jogo que se seguiram, que foram os primeiros da 2ª parte, tornaram-se um sufoco para os homens de Jesualdo. O golpe desferido por Andrezinho nos descontos do 1º tempo, com o “patrocínio” de Belluschi, sugou toda a confiança que o conjunto portista havia granjeado ate então, quase ficando à mercê de um empate, que caso tivesse acontecido, teria como único responsável o médio argentino azul e branco. Jesualdo reequilibrou a equipa promovendo a entrada de Guarín e Hulk, recuando Rodriguez para miolo do terreno. As alterações cortaram o ímpeto do Guimarães. A eficácia portista (que muitas vezes tem faltado) acabou-lhes com a ilusão de pontuar.



Mas indo ao principio da historia. O Dragão teve uma entrada forte e razoavelmente personalizada. Falcão, contra todas as previsões, manteve-se no onze. Voltou a facturar, mas antes já havia falhado 2 bolas sobre a linha de golo. Jesualdo voltou a sentar no banco o inconsequente Hulk, promovendo à titularidade Varela. E em boa hora o fez. O Drogba da Caparica, de Contumil, ou de onde lhe quiserem chamar, foi o melhor em campo, sendo decisivo na construção da vitória do FC Porto na cidade Berço. O golo marcado é apenas a marca mais visível do seu trabalho no encontro. Mas não pode ser deitado para segundo plano a forma como cria, constrói e estica o jogo da equipa, sempre com grande acerto e propósito, tornando-se neste momento uma peça fulcral do Dragão.



O certo é que as opções iniciais do treinador surtiram efeito. Mais importante do que nomes, é a dinâmica da equipa. E nesse aspecto ela correspondeu em pleno, com 2 golos que premiavam um domínio tranquilo. Pelo meio surgiu o tal golo de Andrezinho, que assustou, o bastante. Jesualdo Ferreira soube conter danos, mexendo bem à passagem do quarto de hora do 2º tempo. A eficácia na finalização de bolas paradas, deu-nos a tranquilidade desejada. Cebola fechou as contas, e fez lágrimas aos Afonsinhos. Três pontos muito importantes. E uma vitoria moralizadora.


Fotos: A Bola, Agência Lusa

21 comentários:

Pedro disse...

O Dragão teve uma entrada forte e razoavelmente personalizada

Imagino a exibição que teria de ser para transformar esse razoavelmente em simplesmente personalizada...

Varela melhor em campo, embora Guarin tenha entrado, novamente, muito bem.

Rodriguez claramente a subir, apesar de algumas aves agoirentas sistematicamente o criticarem.

Rolando regressou muito bem.

2 considerações. Afinal Jesualdo tem razão de vez em quando não é? A gestão de Helton e Rolando, de Rodriguez e de Meireles.
A finalização afinal ás vezes até é aceitável... será que não fizeram o exercicio de chutar á baliza no aquecimento? Ou será que a confiança dum resultado traz outra tranquilidade na hora de rematar?

Enfim parvoices.... para não ser censurado outra vez.

Nuno Silva disse...

Jogo grande…

2 equipas em crescendo…

O Jesualdo volta a mexer: sai Maicon, Beto, Hulk… entra: Hélton, Rolando e Varela! Apesar de tudo nada a apontar, a teimosia no 4-3-3 nunca vai permitir conciliar Rodrigues, Varela e Hulk… um deles tem que sair, e para jogar na linha também prefiro que saia o Hulk. Hoje, com tanto disparate o Hulk merecia ter saído de novo!

O Porto fez uma entrada forte e uma 1ª parte forte. Os golos forma surgindo com naturalidade, justiça e mérito… o Guimarães esteve irreconhecível. O meio campo do Porto esteve óptimo a pressionar, a recuperar e a criar com dinâmica… a certa altura, pelo minuto 25, pensei que tínhamos criado mais ataques com passes de ruptura do que nas anteriores 5 jornadas juntas!

A segunda parte iniciou-se muito mal… o treinador vimaranense soube equilibrar a equipa e explorar as pouco conhecidas debilidades defensivas do porto, nomeadamente entrando pelo centro em toque curto. A entrada de Hulk não trouxe nada de novo… nem de outra coisa qualquer.

Apenas a entrada de Guarin repôs o equilíbrio ao meio campo. Não percebo o aparente preconceito que há contra o Guarin. Entra e joga bem, desde que não lhe peçam para ser 10 ou 8-à-Lucho.

Entretanto o Guimarães foi perdendo várias oportunidades para marcar e o Porto selou o marcador com muita eficácia, jogando em transições rápidas já com o adversário aberto a jogar de 1 para 1.

Foi óptima a vitória, suada, arrancada e muito merecida. Daquelas que enche os adeptos de orgulho pela entrega dos jogadores, e que pode motivar os mesmos para embalarem confiantes para as próximas vitórias. Estamos a meio de um ciclo de jogos que pode determinar a mudança de rumo na competição interna, o jogo de hoje foi a primeira batalha ganha.

Aposto que amanhã nenhum jornal vai preencher a capa com um título do tipo: “Porto goleia…”, “Benfica sob pressão…”, “Porto apanha Benfica”…

Luís Negroni disse...

"O Dragão teve uma entrada forte e razoavelmente personalizada"!

Razoavelmente personalizada"? Por favor! Não terá sido "demolidora"? Tirando o erro do Belushi, mesmo sobre o intervalo, vi uma 1ª parte quase perfeita, 5 estrelas. A bola no ferro do Falcao e as defesas do Nilson a salvar vários golos não tiram brilho nenhum. Se o Porto conseguisse jogar sempre como jogou nos 1ºs 45 minutos em Guimarães, ia ganhar os jogos todos da liga e ia repetir as exibições da época passada em Manchester e Madrid. Também há limites para a exigência, ou não há?

antonio disse...

Vitória moralizadora e a confirmar crescendo da equipa.
Perda de bola horrível do Belluschi complicou mas não esquecer que a recuperação de bola do 1º golo tb é do Belluschi, ainda assim bolas daquelas n se podem perder aos 45m...
Hulk confirma-se q n faz a diferença, e o Freddy confirma-se como 12ºjogador pois entra sempre bem e dá intensidade ao jogo.
Helton n podia ter feio + no golo?? Ele a certa altura encolhe braço graças ao golpe de vista? Ainda assim impagável a tranquilidade e tanga q deu na flash interview!
Varela mostra aquilo q se antevia na época anterior, apesar de ainda n poder fisicamente explodir como pode.
Siga-se o vitória do manel e na Luz podemos recomeçar esta liga!!
Gd ambiente dos SUPER DRAGÕES com apoio constante e bem audível!

José Rodrigues disse...

O artigo parece-me injusto para o Belluschi. Sim, fez asneira grossa no lance que deu origem ao golo do Guimarães, mas tb foi ele q deu origem ao 1o golo ao roubar uma bola ao adversário à saída da sua grande área e fazendo a assistência para Varela, o q não é um pequeno "pormenor". Para mim teve nota claramente positiva, apesar de não muito elevada.

Belluschi teve altos e baixos, e pode certamente melhorar. No entanto estou cada vez mais convencido que tem que ser titular, já que sem ele em campo teríamos tido muito menos iniciativa de jogo. A solução passa por trabalhar as rotinas com Belluschi e melhorar a sua performance individual, não por colocar um Guarin (ou T Costa, ou Mariano) no seu lugar.

Quanto ao resto comentarei mais tarde e com mais tempo.

Kostadinov o Flecha disse...

Luis;
Para alguns o futebol deve ser como aquela piada, que nos contavam aqui à alguns anos, em que o Deco sózinho jogava contra o Benfas e ganhava.
Do outro lado estava uma equipa a jogar em casa e que ainda recentemente foi à Luz, mandar a equipa maravilha fora da carroça.
O FCP fez um excelente jogo, em que com um pouco mais de sorte calma e classe na primeira parte reduzia o Guimarães a pó.

Foi uma excelente vitória, com jogadas excelentes e de elevada técnica.
Por vezes já me parece doentio algumas das ilações e considerações de alguns comentadores.
Já aqui o afirmei e tenho convicção que esta equipa vai ser um caso sério, exista paciência e apoio dos adeptos.

Castigar o Bellushi porque perdeu uma bola, quando antes tinha feito passes e jogadas excelentes, é mesmo de quem deve ter algum problema emocional e psicológico.

Antes tinha sido ele a roubar a bola ao nuno pózinhos assis para entregar a bola para o golo de Varela.

Um verdadeiro adepto do Porto, apoia e enaltece os feitos dos seus jogadores nem que os mesmos percam e desçam de divisão.

Só com apoio e motivação é que os jogadores se transcedem.

Parabéns Juju, que afinal sempre acabaste por perceber que Guarin deve jogar sempre do lado direito, e que deve rematar de 20 a 30 metros. É o unico que envia a bola à baliza. Fosse outro na baliza e aquela tinha dado um grande golo. Ainda estou para saber a que velocidade a bola foi defendida por nilton. Excelente guarda-redes. Para mim é um dos melhores deste campeonato. Bem melhor que Beto... ( ui o que fui dizer )

O que se devia comentar era a atitude que Nuno Assis teve no final de jogo a provocar o Hulk, e a afazer a cena de que tinha sido agredido na boca por este. Se fosse no inicio do campeonato Hulk lá teria levado o cartão vermelho e ficaria sem jogar na Luz.
Parabéns mais uma vez para Jesualdo que "domesticou" a fera, para não responder. Infelizmente perdemos aquele jogador que jogava com emoção e nervos à flôr da pele. É o que ganhamos por termos árbitros e comentadeiros da tv de baixo nível.

Issso é que deveria ser objecto de comentário de desaprovação de alguns portistas, pois isto cheirou mesmo a recado do antigo patrão...

Obrigado FCP, pela jogatana e goleada que nos ofereceste. O resto é letra de quem é miudinho na procura de problemas onde eles não existem, como o geloso que aparece aqui num post mais abaixo.

dragao vila pouca disse...

O Campeão está de volta!

Ainda não está no ponto, ainda comete erros que não pode cometer, mas já está bem melhor e em condições de lutar, agora sim, pelos objectivos de ser Penta.

Era fundamental ganhar e ganhamos. Ganhamos com todo o mérito e com toda a justiça, apesar de termos sofrido, por culpa própria, depois de termos feito uma grande 1ª parte em que o resultado devia ser 0-3 e não 1-2.
Tinhamos o Vitória morto e demos-lhe os antídotos para ressuscitar e isso podia ter tido consequências desastrosas. Não pode voltar a acontecer, ali, naquela zona e no tempo de desconto, é uma biqueirada para a frente e mais nada.
Depois do sufoco que durou 15 minutos e com as substituições, voltamos a equilibrar a controlar, marcamos 2 golos e se podiamos ter sofrido mais algum, também podiamos ter marcado mais.

Como Jesualdo é teimoso e não vai abdicar do 4x3x3, nestes jogos, difíceis, o Hulk está condenado ao banco ou então, tem de jogar no meio onde rende pouco. Que desperdício!... Mas, não há dúvidas, com Varela, que defende e ataca, a equipa fica mais equilibrada...

É curioso, mas o pior Porto dos últimos anos já está em cima do melhor Benfica dos últimos 20 anos...

Um abraço

José Correia disse...

O Belluschi é um jogador intermitente e comete erros que não são aceitáveis numa equipa de alta competição. Perder a bola daquela maneira e naquele local não é aceitável.

Para se tornar um indiscutível na equipa do FC Porto (para mim está longe de o ser), o Belluschi precisa de ser mais consistente, melhorar fisicamente (as pilhas dele só duram 60 minutos) e deixar de cometer erros como o de ontem.

José Correia disse...

Globalmente a equipa esteve bem, particularmente na primeira parte (talvez os melhores 45 minutos desta época). Teria sido muito mais justo chegar ao intervalo a ganhar por 3-0 do que apenas por 2-1.

José Correia disse...

Uma parte significativa das melhorias que o FC Porto evidenciou neste jogo devem-se a três jogadores:
- Raul Meireles, em clara subida de forma;
- Rodriguez, fisicamente muito melhor do que há algumas semanas atrás;
- Varela, um caso sério de atitude e adaptação ao modelo de jogo do FC Porto preconizado por Jesualdo Ferreira.

José Correia disse...

Com este Varela (que joga e marca), com Rodriguez claramente a subir de forma e com Falcao a voltar aos golos, o que irá acontecer ao Hulk?

José Correia disse...

«Num momento crítico, Jesualdo Ferreira esteve em grande quando substituiu Belluschi por Guarín, porque naquela altura, mais do que criatividade, o FC Porto precisava de consistência no meio-campo e conseguiu-a a partir da entrada do colombiano. Pode até afirmar-se que não entrou muito bem no jogo, mas subiu rapidamente de produção e deu à equipa o equilíbrio que faltava.»
João Vieira Pinto
in O JOGO, 05/12/2009

José Correia disse...

«A opção por deixar Hulk de fora é compreensível. Não está numa fase boa e a prova é que, quando entrou, não ofereceu nada de novo à equipa. Foi individualista e inconsequente. Parece que voltou ao início e desaprendeu tudo que de bom tinha aprendido desde que chegou. Tem que voltar a pousar os pés no chão e aproveitar a velocidade e a potência, características que fazem dele um jogador especial, para jogar para o colectivo e poder ser verdadeiramente útil.»
João Vieira Pinto
in O JOGO, 05/12/2009

Nuno Nunes disse...

Há um fenómeno muito comum na blogosfera portista: depois de um período mau na equipa e no clube (desde que apontado sem pejo por alguns portistas), ao surgimento dos primeiros raios de sol logo aparecem os cristãos novos a reclamar que a sua fé sempre foi inquebrantável e que afinal eles é que têm razão.

O jogo teve partes muito distintas. Toda a primeira parte foi muito boa por parte do FC Porto, a raiar a perfeição. No final da primeira parte e com o pressing dos bastardos a equipa começou a recuar, abrindo espaços na zona intermediária e tendo perdas de bola comprometedoras. O golo que deu o 2-1 antes do fecho foi motivador para o adversário mas isso nã justifica o massacre a que fomos sujeitos nos primeiros 15 minutos da segunda parte. Temos de crescer mais e demonstrar mais consistência ao longo de todo o jogo. A entrada do Guarín foi fundamental para que saíssemos de Guimarães com uma vitória. As trocas de bola no meio campo começaram a funcionar e depois do golo de Bruno Alves ganhámos a confiança necessária para aguentar até ao fim.

Espera-se que depois de vitórias sobre Rio Ave e Guimarães a equipa possa finalmente estabilizar em exibições e resultados consistentes.

Dragaopentacampeao disse...

Depois de um conjunto de jogos em que do FC Porto só se reconheceram as camisolas, eis que numa deslocação considerada de dificuldade elevada, reapareceu o FC Porto das grandes vitórias.

Não durou o jogo todo, como seria ideal, mas teve uma boa parte em que dominou e aniquilou o adversário.

Não se livrou porém de passar cerca de vinte minutos de aflição e inconstância, num regresso ao futebol descaracterizado e improfícuo, que começou numa das tais perdidas de bola, irritantes, caricatas e intolerantes, já no tempo de descontos da primeira parte. Mérito do Vitória mas também alguma displicência portista, ilustrada no golo sofrido mas também noutras jogadas de que destaco o lançamento lateral perto da nossa área em que Fucille se «esqueceu» de Targino, originando mais um lance de muito perigo, para a nossa baliza.

Foi uma vitória importante e moralizadora, em vésperas de um final de ano intenso.

Serão estes sinais positivos sinónimo do regresso ao trilho do Pentacampeonato?

Eu quero acreditar que sim!

Um abraço

Miguel disse...

Mais uma vez ficou provado que o FCPorto, quando tem espaço, sabe jogar um futebol fluído.
A equipa está em crescendo, colectivamente (e, por arrasto, individualmente, o que potencia ainda mais... o colectivo).

É óptimo já termos entrado na linha, pois aproxima-se o jogo no galinheiro. Tenho a certeza que vamos ter no galinheiro, dia 20, um Porto personalizado.
Jesualdo esteve bem, tanto na gestão que fez do onze/banco como nas substituições. Falta agora ver de que forma o Porto vai jogar contra equipas fechadas, no Dragão. Longe (ou não tão longe assim...) vão os tempos em que a única dúvida que se tinha ao assistir a um jogo do Porto nas Antas era saber quantos minutos ia demorar até marcarmos o primeiro, e por quantos iríamos ganhar; Dúvidas sobre a qualidade e fluidez do jogo da equipa, com futebol ofensivo e repleto de ideias, essas não as havia... Quero que o Porto volte a criar esse efeito no Dragão, o mesmo que criou nas Antas.

A esperança renasceu. Subtis, com os pés assentes na terra e competentes, ao contrário das galinhas eufóricas, lá vamos trilhando o nosso caminho para mais um título. Porque somos competentes. Porque somos melhores.

http://reflexoesfutebolisticas.blogspot.com

Pedro Mota disse...

A equipa muito consistente com Hulk no banco,foi a mesma que entrou muito bem na 1º parte,mas tambem levou um banho de bola do Guimarães durante 20 minutos,com constantes perdas de bola..Essa mesma equipa foi a mesma que num jogo com o chelsea em que só a vitória importava e com um chelsea a passo de caracol,nada fez na excepto 2 lances induviduais de beluschi,logo ou eu sou pessimista ou não vejo razões para essa confiança exarcebada toda na equipa só porque Hulk está no banco..O Porto em 433 não pode jogar com beluschi,e o problema é que não pode jogar sem ele..A melhor tactica para o nosso plantel seria o 442,com Guarin a jogar e beluschi a 10,mas claro isto é apenas a minha opinião e que duvido algumdia jesulaldo ponha em practica...Hulk e Guarin são grandes jogadores,infelizmente estão marcados e são os cristo do plantel,façam o que fizerem haverá quem esteja sempre a criticar e a ver-lhe só os defeitos..Ontem guarin entrou muitissimo bem e Hulk jogando fora da sua posição e sem deslumbrar está nos 2 golos,e com um arbitro sério tinha conseguido que Assis fosse expulso..Jogadores como Hulk,Guarin,Sapu,Mariano são sempre avaliados um patamar abaixo do que fazem,se jogam bem são criticados com se tivessem jogado razoavelmente,se jogam razoavelmente são criticados como se tivessem jogado mal,se jogam mal são citicados como se tivessem jogado muito mal..Espero que Hulk e Guarin não sejam queimados,em 442 tem lugar na equipa...

Anónimo disse...

Nuno Nunes comentou:"Há um fenómeno muito comum na blogosfera portista: depois de um período mau na equipa e no clube (desde que apontado sem pejo por alguns portistas), ao surgimento dos primeiros raios de sol logo aparecem os cristãos novos a reclamar que a sua fé sempre foi inquebrantável e que afinal eles é que têm razão."

Já para não falar nos comentários pessoais infelizes que teimam em fazer.

E há os masoquistas, que demonstram um contumaz desagrado pelo que por aqui se escreve, mas mesmo assim teimam em privilegiar-nos com a sua presença.

A todoa a minha homenagem.

miguel87 disse...

Tanta coça no Belluschi e nem uma palavra para o Fernando??? Nos últimos jogos as inumeras perdas de bola do Fernando só não deram em golos por mero acaso. Está em péssima forma e continua sempre na equipa, até quando?

De resto, jogamos melhor é certo, mas não me conformo em ver a equipa jogar assim, com o meio campo encostado á defesa e dar o espaço todo ao adversário! Valeu o Guimarães vir moralizado e ter jogado aberto.

miguel87 disse...

Gostos e estilos de jogo á parte, acredito que tenha começado em Guimarães a arrancada para o penta (da mesma maneira que em caso de derrota acho que teria sido o inicio do fim). O Braga já empatou com uma das equipas mais fracas da liga e não sei se o benfas passa no exame de hoje...

António Pista disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.