sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Em Belém não (re)nasceu a esperança


O jogo dos 30 penalties serviu para confirmar várias das debilidades da actual equipa do FC Porto, as quais nas últimas semanas/meses têm vindo a ser amplamente discutidas pelo universo portista.
Na minha opinião, uma das principais debilidades, senão mesmo a principal, é a falta de qualidade e nível competitivo dos jogadores que constituem o meio campo portista. Aliás, na época passada, este sector – meio-campo – já era o mais pobre da equipa (e do plantel) e é inegável que a saída do Lucho veio agravar o problema.

Recuando no tempo, se recordarmos as grandes equipas do FC Porto, quer nos anos 80, quer com Mourinho, verificamos que tinham um denominador comum: o meio-campo era o esteio dessas equipas, as quais tinham médios da valia de um André, Jaime Pacheco, Sousa, Frasco, Jaime Magalhães, Costinha, Maniche, Alenitchev ou Deco.
Ora, não há milagres, e se um meio campo formado por Fernando, Meireles e Belluschi já deixa muito a desejar, que dizer quando jogam Tomás Costa, Meireles e Valeri?

Reconheço que o Tomás Costa é um jogador esforçado, mas não passa disso. É uma espécie de Paulinho Santos das Pampas (até pela polivalência que revela), mas sem um pingo da mística que fazia do caxineiro um jogador temido pelos adversários e adorado pelos adeptos. Ainda por cima, a leitura do jogo não é o seu forte e é óbvio que não tem a cultura necessária para jogar na posição 6.

Dizem-me que o Valeri esteve em campo 74 minutos contra o Belenenses, mas eu duvido. Alguém o viu? Aliás, não há registos de que este médio-ofensivo tenha feito algo de relevante (um remate, uma desmarcação, um cruzamento, um passe a isolar um companheiro de equipa). Zero!
Se o futebol actual fosse jogado com os espaços e ao ritmo dos anos 60/70, talvez este argentino pudesse ser jogador de futebol, até porque parece que tem bons pés. Mas, em 2010, não percebo o que é que um jogador com estas características está a fazer no plantel de uma equipa habituada a jogar ao mais alto nível e a medir forças com os principais clubes do futebol europeu.
Seremos obrigados a ficar com ele durante os dois anos do empréstimo? Agora que chegou o Rúben Micael não o podemos devolver à procedência?

Sobra o Raul Meireles que, sem ser brilhante, já demonstrou que tem qualidade, e fê-lo quer ao serviço do FC Porto, quer da Selecção. Contudo, esta época está a jogar metade do que nos tinha habituado, o que não admira, porque ao lado de um jogador com a craveira do Lucho também o Fernando jogava muito mais.

Mas, caramba, com um orçamento superior a 80 milhões de euros, não há outras alternativas para o meio-campo?
Claro que há! Temos o Guarin, o Mariano e o ... Prediguer!

P.S. Chegou agora o Rúben Micael (alguém percebe porque não veio em Dezembro, logo após a 14ª jornada?), o qual evidenciou no Nacional estar num patamar acima da média. Contudo, ninguém lhe pode exigir que seja o salvador da pátria e, tal como em 2004/05, olhando para o estado actual da equipa, este e outros eventuais reforços de Janeiro não irão ter uma integração fácil.

27 comentários:

Luís Carvalho disse...

Um bom começo, seria colocá-lo a jogar onde mais gosta: no meio mas descaído mais para o lado esquerdo. Foi aí que teve sucesso no Nacional.

Já que temos que continuar a aturar o Meireles (não acredito que Jesualdo - medroso como é - mantenha Belluschi no "11"), ao menos que este seja mudado de flanco e passe para a direita.

O "meio-campo" tem que passar a "girar" em redor do Rubén Micael.
Meireles, continua sem intensidade para ditar o que quer que seja.

O Grilo Falante disse...

A mim o que me faz confusão é não haver ninguém na estrutura do Porto que olhe para o trio Mariano, Guarin e Tomás Costa e diga:

"Estes fulanos não jogam nada..."

Já nem digo o Valeri e o Prediger, porque acabaram de chegar... mas os outros já cá estão há tempo demais.

SecretHell disse...

O Grilo Falante disse...
A mim o que me faz confusão é não haver ninguém na estrutura do Porto que olhe para o trio Mariano, Guarin e Tomás Costa e diga:

"Estes fulanos não jogam nada..."

Já nem digo o Valeri e o Prediger, porque acabaram de chegar... mas os outros já cá estão há tempo demais"

100% de acordo...o nosso clube nunca teve jogadores de nivel tao baixo...Valeri é dos piores jogadores que vi ate hoje no Porto...é que nao lhe reconheço nem uma qualidade...é mau demais...o Antero Henrique tendo sido o responsavel por estas aberraçoes está a proteger-se em nao recambiar estes gajos todos á proveniencia...é a unica explicaçao que encontro...o nosso meio campo daqui em diante devia ser com Meireles a trinco, Micael e Bellushi mais a frente...aos 50 minutos tira-se bellushi que nesta altura ja estoirou e colocava-se o sergio oliveira...

Nuno Nunes disse...

Continuo a achar que todos estes jogadores poderiam render mais se o treinador pensasse em futebol apoiado, com mais dinâmicas e maior pressing sobre o adversário. Como a filosofia é ocupar espaços e transitar rápido, quando a qualidade dos artistas não é elevada as perdas de bola são a primeira consequência. Juntando a isso uma defesa displicente temos todos os ingredientes para a má época que estamos a fazer.

Não há muito a fazer para o que resta da época. Estamos a milhas da qualidade de jogo de braga e benfica.

Já estou cansado de dizer que o grande responsável pelo estado das coisas é o JF. Mas na próxima época, e com um novo treinador, podemos tirar a prova dos nove sobre o Cozinheiro, os Ovos e as Omoletes.

José Rodrigues disse...

Eu acho q nem o nosso meio-campo é grande espingarda, nem o JF explora correctamente a sua valia. É um misto das duas coisas.

De resto e quando se fala em "devolver jogadores à proveniência", isso é muito bonito de dizer da boca para fora mas em certos casos uma vez o mal feito (contratação), mantê-los no plantel pode ser o mal menor. Até pq o dinheiro para contratar substitutos não abunda, longe disso; não se esqueçam.

Cada caso é um caso. Jogadores como Guarin ou até mesmo Mariano (duas contratações q critiquei) parecem-me ter valia q.b. para continuar a fazer parte do plantel, mais não seja para 2as ou 3as opções. E parece-me claro q ninguém nos vai pagar neste momento dinheiro q se veja pelo seu passe.

Valeri - ou demonstra muito mais nos px meses ou então é arranjar clube para ele no Verão, até pq só comprámos parte (uns 20%) do passe.

Prediger - pode ir embora, já se viu q não traz qq valor acrescentado ao plantel, nem mesmo como 2a ou 3a opção. É tentar vendê-lo pela melhor oferta, q nunca será uma infíma % do q pagámos por ele, mas do mal o menos. Caso ninguém o queira comprar, q seja emprestado.

José Rodrigues disse...

Só mais uma coisa: não seria mal visto q, no caso daqueles jogadores a dispensar, não reforcemos os nossos rivais (como ainda agora fizémos de borla ou quase ao emprestar o Renteria ao Braga)... digo eu.

Luís Carvalho disse...

"(...) Meireles a trinco, Micael e Bellushi mais a frente...aos 50 minutos tira-se bellushi que nesta altura ja estoirou e colocava-se o sergio oliveira..."

Ideia muito interessante.

Contudo, conhecendo nós o Jesualdo, essa composição do meio-campo estará em último lugar na sua lista de opções.

SecretHell disse...

José Rodrigues disse...
De resto e quando se fala em "devolver jogadores à proveniência", isso é muito bonito de dizer da boca para fora mas em certos casos uma vez o mal feito (contratação), mantê-los no plantel pode ser o mal menor."
Discordo completamente...o Porto so ganharia em devolver estes 5 ou 6 jogadores de volta á Argentina que ate poderiam fazer boas epocas como Bolatti e serem vendidos...o Porto culmataria estas saidas com juniores e/ou com Ukra e Castro preparando ja o futuro e devolvendo algum amor á camisola ao clube...

hmocc disse...

Pois eu discordo da análise ao desempenho do Tomás Costa.

O Tomás Costa é essencialmente um médio "box-to-box" interior direito, com mais genica que o Lucho.

Infelizmente quando joga nunca é nessa posição. E por isso não podemos avaliar as suas verdadeiras qualidades pelas quais foi contratado para substituir "El Comandante", nomeadamente os remates de meis distancia e o passe.

Porque quer jogar e dar nas vistas para ser opção, o Tomás joga em qualquer lado mesmo e apesar de nunca poder dar o mesmo rendimento nem mostrar a sua real qualidade.

Num momento de baixa produção da equipa é fácil atribuir culpas a torto e a direito, mas eu acho que a apreciação ao Tomás Costa é injusta, especialmente quando comparado com Guaríns e Marianos que têm tido muitas mais oportunidades nas suas posiçãoes naturais.

Já o Prediguer vai pelo mesmo diapasão: Quantos jogos jogou ele para se poder fazer uma avaliação correcta da sua valia?

Despachem estes dodos e venha mais um contentor. Estes estavam fora do prazo.

José Rodrigues disse...

"Já o Prediguer vai pelo mesmo diapasão: Quantos jogos jogou ele para se poder fazer uma avaliação correcta da sua valia?"

Bem, por alguma coisa o JF prefere adaptar um jogador medíocre (T Costa) a trinco qdo o Fernando não está disponível, preterindo um trinco puro... digo eu.

De resto o pouco q vimos até agora do Prediger (e não Prediguer) foi uma desilusão completa.

Alex disse...

Finalmente!

Ainda que não concorde inteiramente, alguém (o hmocc)faz jus ao Tomás Costa.

Se bem me recordo, tanto o Tomás Costa, como o Guarín vieram para tentar tapar o buraco deixado pela fuga do Paulo Assunção.

Claro está, que depressa se viu que nenhum deles tinha características para ser trinco, e ainda para mais um trinco posicional, como o Jesualdo, pelos vistos, tanto gosta.

O Fernando é mais ao género do Paulo Assunção, mas em capacidade de construção de jogo vale zero. E essa, acho que tem sido uma das pechas da equipa. Na Liga portuguesa, jogar com um trinco fixo como o Fernando, é um desperdício. São três jogadores presos lá atrás: os dois centrais, mais o trinco, a jogar contra equipas, que por via da regra, não apresentam um médio construtor de jogo. A única equipa com a qual este modelo poderia dar algum resultado seria o Sporting. Mas nós não fazemos trinta jogos contra o Sporting!

Até contra o Benfica se viu o desperdício que foi ter o Fernando a fazer de terceiro central. O médio organizador de jogo dos lampiões normalmente descai sobre a esquerda, pega no jogo logo a seguir à linha do meio-campo, e quando aparece à frente do nosso trinco já vem lançado.

Daí até à simulação da falta, é um vê se te avias!

O Porto já jogou assim em tempos. O médio mais recuado era o André. Mas a equipa jogava com quatro médios, e por aquelas alturas os avançados chamavam-se Futre e Madjer, e Domingos e Kostadinov. Ligeiramente diferentes dos actuais, ainda que com boa vontade.

Ainda por cima, é um facto que o Tomás Costa tem estado constantemente a jogar fora do "seu" lugar, consequentemente, queimando-se.

Miguel Teixeira disse...

Em vez do Valeri e Beluschi, tivemos entre nós o Luís Aguiar. Mas esse "carago", dava pouca comissão!

Pedro disse...

"(...) Meireles a trinco, Micael e Bellushi mais a frente...aos 50 minutos tira-se bellushi que nesta altura ja estoirou e colocava-se o sergio oliveira..."

- E em vez de ganharmos a sofrer, perdiamos de goleada. É o mal de existirem CM's e FM's e outros simuladores. Eu também fui campeão do mundo a jogar em 3-3-4 no FIFA....

Curioso que grande parte destes jogadores no ano passado fizeram uma 2ª volta excelente, discutiram taco a taco a eliminatória com o Manchester, e de repente não valem nada. A isto se chama ver futebol por um canudo.

São os mesmos que quando o Aimar chegou era velho e tal, não presta. E hoje dizem maravilhas do homem, que o SLB é fortissimo, tem jogadores de selecção.

Mais do que a equipa começo a ficar farto duma massa associativa que em vez de apoiar só critica a arranja defeitos em tudo. Vejam lá que após 3 jogos do Valeri descobriram que não vale nada. Os mesmos, exactamente os mesmos que no 1º ano de Lisandro diziam que era um manco que veio por causa de comissões.

DE facto um ano sem ganhar nada era bom para alguns adeptos reaprenderem a ver futebol, e a entendê-lo para além de simuladores de gestão de futebol.

SecretHell disse...

Entre Guarin e Tomas Costa prefiro o primeiro claramente uma vez que de vez em quando enfia uns bons petardos fora da area e marcou 2 golos o ano passado contra o Sertanense enquanto que nao me lembro de nada de relevante do Tomas...
uma outra soluçao para o meio campo seria o JF colocar um central na posiçao de trinco ja que este é essencialmente para tapar buracos...assim ganhariamos poder de fogo nas bolas paradas ofensivas e defensivas...Queiros faz isso com Pepe tambem poderiamos experimentar com Maicon ou mesmo o Bruno...

José Rodrigues disse...

Pedro disse:

"E em vez de ganharmos a sofrer, perdiamos de goleada. É o mal de existirem CM's e FM's e outros simuladores."

...diz o Pedro, q pelos vistos acha q um 4-3-3 com esses jogadores contra os Belenenses deste mundo é suicida. Não fui eu q avancei com essa proposta, mas diria q isso dos "simuladores" tanto pode ser válido para quem avançou a proposa como para o q o Pedro defende; com a ressalva de q o Pedro defende tem demonstrado não ser efectivo. Para além disso concluo apenas q o Pedro tem tendências bastante defensivas, e o autor da proposta algo ofensivas. Nos jogos contra equipas pequenas (principalmente em casa, mas não só) pessoalmente tenho tendência a concordar com a primeira proposta (e não, ao contrário do Pedro nunca joguei FM...).

"Curioso que grande parte destes jogadores no ano passado fizeram uma 2ª volta excelente, discutiram taco a taco a eliminatória com o Manchester, e de repente não valem nada. A isto se chama ver futebol por um canudo."

Talvez o Pedro não tenha reparado, mas no ano passado tínhamos o Lucho e este ano não... o q resultava com Fernando+Meireles+Pucho não funciona necessariamente com Fernando-Meireles+outro (como aliás se tem visto).

Para além disso acho q o Pedro esquece-se q jogos contra o Man Utd são bem diferentes de jogos contra equipas medíocres q metem um autocarro em frente da baliza (80% dos nossos jogos). Enfim, "pequenos" pormenores.

"São os mesmos que quando o Aimar chegou era velho e tal, não presta. E hoje dizem maravilhas do homem, que o SLB é fortissimo, tem jogadores de selecção.[...] Vejam lá que após 3 jogos do Valeri descobriram que não vale nada. Os mesmos, exactamente os mesmos que no 1º ano de Lisandro diziam que era um manco que veio por causa de comissões."

Não sei onde é q o Pedro vai buscar a ideia à boca cheia de q "são os mesmos" já q o RP não existia quando o Lisandro veio, mas pode ser q nos queira elucidar.

DE facto um ano sem ganhar nada era bom para alguns adeptos reaprenderem a ver futebol, e a entendê-lo para além de simuladores de gestão de futebol. Quanto aos comentários sobre o Aimar, é possível q não tenha prestado a devida atenção mas não me lembro de ver por aqui comentadores ou muito menos autores do RP a dizer q "era velho e não presta".

Para concluir, volto a repetir ironicamente o q disse no outro dia: a conclusão a q chego é q a culpa é dos adeptos. Se eles se limitassem a tecer loas aos jogadores, treinador e direcção nos blogs e fóruns da Net, é certinho q jogávamos melhor q o Arsenal e Barça juntos e levávamos 10 pts de avanço no campeonato... é por causa deles q vemos as exibições q vemos. Pois.

sirmister disse...

Luís Carvalho disse

"Já que temos que continuar a aturar o Meireles (não acredito que Jesualdo - medroso como é - mantenha Belluschi no "11"), ao menos que este seja mudado de flanco e passe para a direita."

Mas está tudo louco? aturar o meireles? quem não reconhece o valor do meireles mais vale não perder tempo a ver futebol.


Quanto ao valeri é verdade que não mostrou nada e joga com um ritmo muito abaixo do que é exigível mas acho que seria um erro não esperar para ver no que dá nem que se emprestasse a um clube da liga, não queria ver outro caso fabiano no FCP.

Ana Martins disse...

@sirmister
de acordo relativamente a meireles. É 1 caso clássico de falta de apoio. E preocupa-me ver meireles do lado direito porque, 2º julgo saber, é esquerdino...e ruben tb.

Não concordo com o paralelo luis fabiano: o próprio admitiu, recentemente, défice ao nível da preparação mental qd estava no FCP. E quando assim é, nem o mourinho o salvava...

cumps

José Rodrigues disse...

...ainda sobre a tactica 'suicida' do 4-3-3 com meireles, ruben e belluchi...

enquanto o Pedro possivelmente estava concentrado em ganhar o camponato no Fifa na Playstation em 3-3-4, assinalo q o FCP ganhava o campeonato em campo com Co jogando, a partir dos fins de Janeiro, em... 3-3-4.

Tactica q nao devia ser tao suicida como isso, ja' q na 2a metade do campeonato (ie quando a utilizamos) sofremos bem menos golos em media do q temos sofrido esta epoca.

Luís Carvalho disse...

Eu também nunca joguei FM ou coisas que tais.

O "Pedro" é que nos pode explicar o que isso é...

No futebol real, que é o único que conheço, Mereires-Ruben-Belluschi fazem todo o sentido.

Mas claro que o "defensivismo", como quem não quer a coisa, já fez escola pelo Dragão.

As ideias do Jesualdo vão viver muito para além da sua presença à frente do nosso clube, o que é de recear.

miguel87 disse...

"Reconheço que o Tomás Costa é um jogador esforçado, mas não passa disso. (...) Ainda por cima, a leitura do jogo não é o seu forte e é óbvio que não tem a cultura necessária para jogar na posição 6."

Muito sinceramente acho esta observação completamente injusta. Tudo bem que seria preciso muita imaginação para o comparar a um André, Costinha ou Paulo Assunção, mas se levarmos em conta a temporada e meia do Fernando naquela posição, bastou 1 jogo e meio para notar a diferença entre um e outro. Passo a repitir o que já ontem escrevi nos comentários ao jogo do Restelo:
Acho incrivel falarem aqui no Tomas Costa, quando foi o único jogador até agora que se conseguiu destacar pela positiva a jogar naquela posição. Basta o simples facto de, ao contrário do Fernando, fazer passes para a frente (incluindo alguns longos e acertados) e passar a linha de meio campo em diversas ocasiões.

Além do mais também concordo com aqueles que disseram que o homem nunca foi colocado a jogar na posição dele – médio interior direito – a fazer a função que o JF tem exigido do Belluschi.

O Porto joga em campo grande, não encurta os espaços entre os sectores, os jogadores jogam desapoiados, sendo a principal função dos médio interiores fechar pelo meio ao defender, e ao atacar, limitar-se a ver a bola passar por cima deles em passes directos da defesa para o ataque, ou então servirem de intermédios nas triangulações entre os laterais e extremos do seu flanco. Naturalmente que nesta situação o Belluschi, sendo um “10” puro, muito dificilmente irá mostrar valor, apesar de nos últimos tempos se notar que ele se tem esforçado e desgastado muito mais a defender e jogar cada vez mais longe da área adversária. Tarefa essa que Tomas Costa estará por certo muito mais talhado.

Para mim é claro: nem os jogadores são todos medíocres, nem o treinador é um incompetente total, apenas tem uma filosofia de jogo que não se coaduna com o clube e insiste em adaptar os jogadores a situações adversas as suas próprias características.

sirmister disse...

Ana martins

o meireles é destro, mas essa acaba por ser uma falsa questão há variadíssimos exemplos de destros que jogam melhor do lado esquerdo e vice versa. Ainda que em terrenos mais avançados o quaresma jogava melhor do lado esquerdo que do lado direito e era destro já o esquerdino hulk joga melhor do lado direito. No porto com rodriguez por exemplo já me parece que não rende tanto do lado direito.

O treinador agora é que terá que ver o que será melhor para a equipa se micael do lado esquerdo e meireles do lado direito ou vice versa, com varela a jogar sobre o lado direito e que defende bem acho que não haverá grandes diferenças, agora se hulk jogar acho que quem jogar do lado direito tem que defender mais dado que o hulk não defende tanto.

Anónimo disse...

Pedro disse: "DE facto um ano sem ganhar nada era bom para alguns adeptos reaprenderem a ver futebol, e a entendê-lo para além de simuladores de gestão de futebol".

Dá-se o caso de eu ter passado 19 anos à espera de um título, pelo que, pela tua lógica, eu devo entender largo de futebol.

Mas também te digo: se estás farto dos adeptos ou de alguns adeptos, não parece, pois não páras de visitar um blogue com cujos artigos estás permanentemente em desacordo. Quem me dera que a nossa equipa manifestasse a mesma capacidade de sofrimento que tu!

Mas volta sempre. Se há coisa de que não gostamos é de unanimismos.

Miguel Magalhães disse...

Muito ja foi dito pelo que deixo apenas uma opiniao e uma pergunta(s).
Opiniao
- o Tomas Costa pode nao ser uma estrela mas tem valor para jogar no Porto
Pergunta(s)
- se o Jesualdo ganhou 3 campeonatos com outros jogadores, e o merito foi dos jogadores e da administracao da SAD que os contratou ; se a administracao da SAD vendeu os jogadores que ganharam os capeonatos e os substituiu por outros que nao prestam ; em vez de pedir à administracao da SAD para corrijir os erros de ter contratado um treinador que nao presta e jogadores que nao valem nada, nao será de pedir à Administracao da SAD que comece pela raiz do problema e se demita? Se nao contrata um bom treinador, se nao contrata bons jogadores e se ainda por cima anda calada perante toda a roubalheira de que somos alvo, deixando o tal treinador que nao presta a dar o peito às balas, o que é que a administracao da SAD está lá a fazer?

Quanto a mim, enquanto forem estes o treinador e os jogadores que temos (contratados pela SAD) continuarei a apoiá-los até ao fim.

O Anti Lampião disse...

Agressões no túnel da Luz em 2008 abafadas pela liga

http://oantilampiao.blogspot.com/2010/01/2-pesos-e-2-medidas.html

João Saraiva disse...

José Correia disse:

Reconheço que o Tomás Costa é um jogador esforçado, mas não passa disso. É uma espécie de Paulinho Santos das Pampas (até pela polivalência que revela), mas sem um pingo da mística que fazia do caxineiro um jogador temido pelos adversários e adorado pelos adeptos.

Alto e pára o baile! O Paulinho merece mais respeito. Tivesse o Tomás Costa metade da categoria (em todos os sentidos) do Paulinho e já nos podíamos dar por satisfeitos.

Pelo menos já tinha enviado o Saviola para o ........... ;-)

José Correia disse...

Pedro disse...
«Vejam lá que após 3 jogos do Valeri descobriram que não vale nada. Os mesmos, exactamente os mesmos que no 1º ano de Lisandro diziam que era um manco que veio por causa de comissões.»

Quem são estes mesmos, exactamente os mesmos?

Do que me lembro, logo no seu 1º ano no FC Porto, o Lisandro foi comparado ao Derlei, até havia quem lhe chamasse o novo ninja, não só pela sua atitude em campo, mas também por jogar descaído na ala esquerda do ataque.

Aliás, em termos de atitude, garra e velocidade, o Valeri é praticamente o oposto do Lisandro.

José Correia disse...

Miguel Magalhães disse...
«enquanto forem estes o treinador e os jogadores que temos (contratados pela SAD) continuarei a apoiá-los até ao fim»

É evidente que os profissionais (treinador e jogadores) que estão ao serviço do FC Porto deverão, à partida, ser apoiados pelos adeptos portistas.
Mas a questão é outra.
Tendo esta época o maior orçamento de sempre, deveremos satisfazer-nos com este plantel e, particularmente, com as opções existentes para o meio-campo?