domingo, 24 de janeiro de 2010

"estou a fazer isto por outro lado"



Na semana em que as escutas feitas a Pinto da Costa foram divulgadas no YouTube, que é feito do processo em que Luís Filipe Vieira foi apanhado a escolher árbitros para jogos do SLB? Já foi arquivado ou nem sequer foi aberto?

Nota: O mais engraçado é que esta notícia do PÚBLICO, em que as escutas põem a nu os métodos de Vieira ("eu estou a fazer isto por outro lado"), é assinada pela Tânia Laranjo (estava na fase pré-Correio da Manhã...).

8 comentários:

ricardo disse...

mas ainda alguem acredita que os arbitros nao foram corrompdidos perante estas escutas?
caro Jose Correira, entao como me explica e justifica aquela escuta com o empresario araujo, dizendo que o jacinto paixao ligou a pedir rebuçados para a noite e se usam outros termos como cafe com leite e fruta, com o nosso presidente a dizer que ja estava tudo tratado?
as pessoas têm que ter bom senso e não podem ser cegas

ricardo disse...

as outras escutas quanto a mim nao tem nada de mal, nem provam nada...pelo que ouvi sao procedimentos normais que ocorrem entre os responsaveis da liga e qualquer presidente. mas aquela nomeadamente, sim prova que há ali qq coisa

ricardo disse...

outro ponto, tambem é verdade q o presidente do benfica foi apanhado a escolher arbitro em escutas. mas uma coisa é sugerir e escolher arbitro outra coisa e corromper...se o benfica escolhe, compra arbitros e arranja caldinhos nos tuneis claro que isso deve ser falado e denunciado! mas nao se deve desculpar estas escutas do PdC com esse facto e assobiar para o lado como se nada tivesse acontecido, quero que o meu clube seja transparante.

José Correia disse...

ricardo disse...
«mas ainda alguem acredita que os arbitros nao foram corrompdidos perante estas escutas?»

Não é uma questão de acreditar ou deixar de acreditar. É uma questão de PROVAS!
Apesar centenas (milhares?) de horas em que o Pinto da Costa esteve a ser escutado; apesar do Ministério Público ter mobilizado uma equipa especial para elaborar a acusação no processo Apito Dourado; apesar de livros e filmes encomendados; apesar de tudo isto e da enorme pressão da comunicação social, em Tribunal, perante JUÍZES, o Ministério Público não foi capaz de PROVAR que o Pinto da Costa era culpado daquilo que o acusavam.

Portanto, o Ricardo pode acreditar no que quiser, pode ter as convicções que quiser, não pode é acusar uma pessoa que foi considerada inocente pelos Tribunais. E felizmente, Portugal é um Estado de Direito em que toda a gente é inocente até PROVA em contrário.

João Saraiva disse...

Zé, hoje parece que tirei o dia para implicar com as tuas opiniões, mas nem tanto ao mar nem tanto à terra.

O facto de não haver nas escutas motivos para consequências criminais, não quer dizer que não haja ali comportamentos reprováveis e que os mesmos devam ser alvos de consequências extra judiciais. E deviam ser os próprios intervenientes a despoletá-las.

Como escrevi há 3 anos e hoje reafirmo:

Não tenho dúvidas que PdC não será minimamente beliscado em termos criminais no "Apito Dourado", mas sinceramente isso não me basta. Uma coisa são questões criminais, outra coisa são questões de dignidade e imagem do clube, e aquilo que é público das escutas, não deixa boa imagem. E nisto não acho que se possa passar um cheque em branco a PdC, por muito que o FCP lhe deva - PdC tem que se explicar aos sócios e não basta lançar insinuações que outros fazem o mesmo ou pior - para comícios desportivos já me bastou o "comício" contra o Record (na época da história da viagem do Calheiros ao Brasil), Record com quem mais uma vez PdC fez as pazes sem uma palavra aos sócios.

Acho que é a isto que o ricardo se refere.

João Saraiva disse...

E faltou dizer que embora eu veja nas escutas muitas coisas de que não gosto, sei e tenho a certeza que não foi minimamente por elas que ganhámos o que ganhámos.

Ganhámos porque tínhamos melhores jogadores e melhor treinador. Ponto final parágrafo.

Tudo o resto é folclore, e dá sempre jeito para justificar fraquezas.

ricardo disse...

subscrevo em absoluto

José Correia disse...

João Saraiva disse...
«O facto de não haver nas escutas motivos para consequências criminais, não quer dizer que não haja ali comportamentos reprováveis»

De acordo, mas ao nível da ética e da moral desportiva há muita coisa que é reprovável. E nem sequer são precisas escutas para o constatarmos.

Mas o que o Ricardo escreveu não foi isso. O Ricardo escreveu que o Pinto da Costa tinha corrompido árbitros, que é algo que não ficou PROVADO em Tribunal, apesar de todos os esforços e meios mobilizados pela coligação SLB + comunicação social + Ministério Público.