segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Miopia 611


"A nossa estratégia é emprestar aqueles jogadores que saem da nossa formação mas que ainda não têm experiência para jogar na nossa primeira equipa - não é fácil entrar numa equipa de campeões. E a estratégia tem sido um êxito. Mais de 80 por cento dos jogadores cedidos são sub-23 e muitos deles serão campeões no FC Porto, não tenho dúvidas. E, nesta época, reduzimos em 16 o número de jogadores emprestados".


Antero Henrique, Director para o Futebol e um dos principais mentores do Projecto “Visão 611” em entrevista à Lusa em Agosto de 2009

A estratégia dos empréstimos “tem sido um êxito”. Pois…

A verdade é que em 2010 (e quando falta apenas um ano para o término do Projecto idealizado por Antero Henrique) temos no plantel principal 2 jogadores oriundos da Formação: Nuno A. Coelho e Sérgio Oliveira. O primeiro já teve alguns jogos para mostrar que poderá ser uma opção no futuro e o segundo, apesar de lhe ter sido fixada uma cláusula de rescisão de 30 milhões, tem tido apenas alguns minutos muito breves na Taça da Liga. É porque ainda não está familiarizado com “os processos” e “a ocupação de espaços”.

Dá vontade de perguntar ao FC Porto e aos seus responsáveis para quando uma aposta séria na entrada de jogadores dos juniores na equipa principal em detrimento da compra a granel de “Prediguers y Guaríns”.

5 comentários:

Américo Preto disse...

Eu sei que é completamente ao lado do tópico do post mas não podia deixar passar esta:
http://sol.sapo.pt/PaginaInicial/Sociedade/Interior.aspx?content_id=160042
Mais uma martelada no próprio dedo da Creolina Encarnado.

motta disse...

Só para relembrar os jovens que passaram pelos juniores e equipa B e que no mínimo deveriam ter oportunidade de provar o seu valor:

Paulo Machado - Vendido no negócio do Guarin. Titular no Toulouse.
Vieirinha - Vendido ao PAOK do Fernando Santos. Titularissimo. O sucessor do Quaresma.
Bruno Gama - A título definitivo no Rio Ave. Muita técnica e velocidade, superior ao Mariano ou ao Valeri.
Hélder Barbosa - Empréstimos sucessivos. Actualmente no Setúbal.
Nuno André Coelho - Raramente convocado, o sucessor do Ricardo Carvalho.

Quem sabe se:
Castro e Ukra - Titulares indiscutíveis no Olhanense 08/09 e 09/10.
Rabiola, Tengarrinha e Ventura - A jogar com regularidade no Olhanense actual.
André Pinto - A rodar no Setúbal e a jogar com regularidade.
Diogo Viana - A estrela dos Juniores 08/09 foi "enterrada" num clubezeco holandês, Venlo.
Rui Pedro - A fazer uma grande época no Gil Vicente.
Pelé - Por troca no negócio Quaresma. Uma pena, não estar no Porto em vez de andarmos a comprar jogadores argentinos como o Prediguer. Emprestado ao Valladolid.

Muitos destes, não tiveram as devidas oportunidades. Outros nãs as vão ter. O Visão 611 não pode coexistir com uma política de contratações de jogarores estrangeiros ilimitada.

John Aarson disse...

Sinceramente acho que o único obstáculo ao "Visão 611" é o nosso mister :\ de qualquer das formas, no final deste ano isso muda certamente. Espero que não seja tarde para alguns jogadores.

Miguel Magalhães disse...

Ha um ditado que diz: "olha para o que eu digo e nao olhes para o que eu faço."
Tem sido assim com esta politica do Visao 611. E na minha opiniao nao tem nada a ver com o treinador pois este tambem nao poe a jogar alguns dos sul-americanos que por la andam.
A SAD tem que seguir uma politica e ser consistente com ela. Ou compra jogadores às resmas e uma grande maioria sai barrete, ou forma jogadores (como o Sporting) e aguenta-se com o que houver, ou, a mais dificil, mistura a qualidade das contratacoes com uma base solida da "casa". O Porto tem seguido claramente a primeira e a Visao 611 é, para ja, um flop.
Curioso seria saber (nao sei se alguem por aqui tem esses dados) quanto é que o Porto investiu em formaçao nos ultimos anos, quanto renderam as vendas dessa formacao, em quanto se avaliam os jogadores dessa formacao que estao no plantel principal, etc. E idealmente seria interessante comparar tambem com o Sporting e com um ou dois clubes internacionais. Em resumo, perceber se o investimento em formacao é, no minimo rentavel, ou nem isso.

Jorge Aragão disse...

Subscrevo o post do Nuno e o comentário do
Motta
Com efeito andamos a desperdiçar talentos portugueses, nem lhes damos oportunidades ou são presentes envenenados - Vieirinha em Leiria - e compramos "jovens promessas" sul americanas de pouca qualidade.
Não é chauvinismo mas tem sido maioritáriamente assim.
Acredito que temos bons jovens que tem de ser misturados com craques de dimensão superior e fazer um bom mix com equipas competitivas ao mais alto nível.
Também não me acredito no projecto sbordem, jogar quase só com a rapaziada.
Eles tem de fazer um crescomento sustentado na equipa com os mais experientes e não jogar apenas 5 minutos..
A ver vamos se inflectimos na política.