segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Portista

Ser portista é mais do que apoiar um clube, mais do que gostar de futebol ou mais do que idolatrar alguém. Ser portista é SER uma região, é SER uma cidade, é SER uma cultura. Ser portista não é querer ser mais que os outros, não é querer ser melhor que outros, é simplesmente querer que o deixem ser.

Por isto mesmo é com prazer que escrevo no Reflexão Portista. Cada um responsável pelo que pensa e escreve. Escrever sem compromissos, sem rodeios e sem objectivos. Escrever apenas como exercício e ferramenta para debitar algumas reflexões e colocar em ordem as ideias.

Escrever por ser portista, por ser do Futebol Clube do Porto.

3 comentários:

André disse...

ser portista ou ser portuense? coisas distintas,ser do fc Porto e não ser do porto cidade , de uma região, invalida ser portista? NÃO!
não quero ser melhor que os outros, deixam-me ser portista sem ser portuense?
e viva o porto que amanhã até os comemos!!

maniche disse...

Faço minhas as palavras do comentador antecedente. Não sou do Porto mas sou portista, doente e "aferroado" como antigamente se dizia, defensor da máxima AME O FCP OU DEIXE-O. Quanto ao resto, aprovado sem reservas.

Alex disse...

Penso que compreendo o que quer dizer o autor do post, e percebo perfeitamente o comentário do André (com acento!).

O post reflecte aquela que é uma das minhas maiores mágoas, e quanto a mim, um dos principais motivos porque o FC Porto, não é ainda maior, apesar das suas muitas conquistas.

SER PORTISTA é tudo aquilo que diz. Mas SER PORTISTA, é mais do que isso. SER PORTISTA é ser um exemplo de resistência. É SER contra o centralismo, é SER contra o "nós somos Portugal", e o resto é paisagem, é SER contra o "quero-posso-e-mando", o unanimismo. É não se deixar subjugar por uma nova ditadura, a dos seis milhões.

SER PORTISTA é uma postura, uma marca de carácter, um traço indelével de personalidade.

Futebolisticamente, nunca fui outra coisa senão portista.

Desde o primeiro jogo de futebol, na primária, onde para formar as equipas, de acordo com a indicação da professora, de um lado ficavam os benfiquistas e do outro os sportinguistas. "Não joguei" nesse dia. Fui guarda-redes.

No segundo jogo, quando a professora quis formar as equipas, fiquei quietinho. Tinha ouvido a um primo meu, também portista, que o Porto era o melhor. Estávamos em 1977/78, e contra factos, não há argumentos...

Quando a professora me perguntou: Benfica ou Sporting? Limitei-me a dizer: Sou do Porto!

Foi o meu primeiro acto consciente de rebelião contra o sistema! ...E fui para a baliza, outra vez!

E é PORTISTA que sou desde aí. E até à data. Até sempre... mesmo sendo algarvio de gema.

Muitos Parabéns pelo excelente blog.