quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Um Dragão de peito cheio


E antes de tudo, o momento Kodak: O ala esquerdo avança, flecte ligeiramente para o espaço interior, acaricia suavemente a bola com o peito do pé, olha a baliza que está posicionada na sua diagonal, inspira-se de confiança, e sai bomba monumental. Não é Zidane. Não é Messi. É Mariano Gonzalez!

Noite a roçar a perfeição por parte do FC Porto. Que domínio, que autoridade, que classe. Um sem numero de soluções que o Dragão explanou no relvado, diante do seu publico, vulgarizando por completo os Calimeros que, perante o vendaval que lhes foi soprado diante dos seus olhos, nem sequer lhes sobra qualquer margem para choramingar sobre factores terceiros.

Os primeiros 45 minutos foram futebol de compêndio. Uma entrada avassaladora da equipa azul e branca, que dominava todos os momentos do jogo. O golo foi inevitável. Apenas um golpe fortuito dos verdinhos, do meio da rua, fez cócegas. Mas estava escrito que o que fora exibido anteriormente, não era obra do acaso. A pressão continuou a ser incessante. A superioridade inquestionável. Falcão, com dois golos de enorme classe, deu expressão a um domínio total.


Na reentrada para o 2º tempo a duvida que se levantava era se este Porto seria capaz de prolongar o “show” da etapa inicial. A resposta saiu quase no imediato, pelos pés de Silvestre Varela. Aos 47 minutos, o Drogba da Caparica subjugou Grimi aos infernos, e fez sorrir de novo estádio do Dragão. Os homens de Jesualdo mantinham a demarcação de território que evidenciaram na 1ª parte. Sob a batuta de uma dupla – Belluschi e Rúben Micael - que até parece jogar há já muito tempo em conjunto, o FC Porto pautou o jogo a seu bel-prazer. Sobrou, ainda assim, espaço para o momento sublime de Mariano.

Pena é que aquilo que vimos Mariano fazer esta noite, se tratar de uma excepção à regra. Exibições destas do avançado argentino são tão raras como um eclipse solar. Por outro lado, a parelha que Rúben Micael e Belluschi parecem estar a conseguir formar, começa a revelar-se muito interessante. A qualidade do madeirense era já reconhecida, mas está integrar-se de forma muito rápida. O médio argentino parece estar a crescer e a ganhar mais confiança ao lado do seu novo companheiro do meio campo. Uma coisa é certa, a dinâmica deste sector está melhor, muito melhor.



Uma vitória saborosa, numa semana difícil. Depois da angústia vieram os “óles”. Nem tanto ao mar, nem tanto à Terra. Os nossos problemas e defeitos continuam lá. Esta noite apenas os soubemos disfarçar melhor. Oeiras está à vista. Não desperdicem a oportunidade de, mais uma vez, podermos pintar de azul aquela região que nos destila ódio.


Fotos: JN, Lusa, Fernando Veludo/nFactos

40 comentários:

Nuno Silva disse...

Um jogo límpido, asséptico no que diz respeito à arbitragem, sem polémicas, sem casos…

O Porto alinha sem Bruno Aves, com Maicon, a juntar-se a Alvaro, Rolando e Fucile. No meio o tridente Fernando-Belluschi-Meireles… o primeiro meio campo com dois médios criativos em quase 4 anos de Jesualdo. Na frente o Varela, Falcão e Mariano.

A primeira parte foi domínio e controlo do Porto de fio-a-pavio. Uma entrada fortíssima, com a equipa bem subida no relvado, junta, compacta, a pressionar, a recuperar bolas no meio-campo ofensivo e a chegar por várias vezes à área com a bola controlada. Deve ter sido o jogo com o maior numero de toques na bola, por jogada do Porto.

A oportunidades de golo foram surgindo, no primeiro tempo, quer por bolas paradas ou jogo apoiado e de forma muito natural o Porto “trisou”: Rolando num canto, Falcão de pé direito e Falcão de cabeça.

No primeiro tempo a única coisa pouco natural foi mesmo o excelente golo de Izmailov, ao qual vou abster-me de dizer que foi com uma ligeira cumplicidade de Beto, que desvia mal a bola… bate no poste antes de entrar.

Por falar em Frangos, diga-se que o Patrício também não esteve no seu melhor: no golo do Mariano e o primeiro do Falcão ele deveria ter feito bem melhor.

Foi a melhor primeira parte do Porto este ano. Foi uma das melhores primeiras partes de Jesualdo: para comparar, lembro-me apenas da primeira parta na Luz, em Manchester e Vicente Calderón, em 2008… Melhor qualidade de jogo, talvez só mesmo aquela brutal segunda parte em Stanford Bridge, apesar do resultado.

O meio campo esteve fantástico, até Fernando, exceptuando um disparate que resultou numa perda de bola a meio campo, esteve bem e a participar activamente na construção do jogo. Belluschi é o melhor marcador de bolas paradas e juntamente com o Rúben, permite que o Porto crie, encontre e use diversas opções para progredir no ataque: pelas linhas, pelo meio, em posse, em circulação, em transição rápida… Já Rúben, mostrou que tem uma enorme visão de jogo, amplitude de movimentos, acerto no passe de média-longa distância. Encontra alternativa como nenhum outro, acompanha as jogadas dando apoio e linhas de passe e permite que a equipa chega dentro da área adversária em posse de bola e em triangulações constantes.

Na frente, um possante Varela, teve a companhia de um acertado Mariano e uma enorme Falcão. Falcão é relativamente baixo, lento, não muito possante… mas tem uma cultura táctica impressionante, move-se dentro e fora da área com muita esperteza, luta, desgasta, domina, segura, roda e remata (de pé ou cabeça) com uma eficácia a toda a prova. É de facto um excelente avançado, pena é que não tenha uma capacidade de progressão em drible ao mesmo nível.

A segunda parte começa como se desenrolou todo o primeiro tempo… o Porto em cima do Sporting e a marcar bem cedo, por Varela, ao minuto 3. E pouco depois um grande golo do Mariano a coroar a sua boa exibição. O jogo continuou vivo, apesar de alguma contenção de parte a parte, e gestão de esforço... até porque o Porto teve menos 1 dia de descanso.

Ao minuto 90 o Sporting reduz para 5-2, com golo de Liedson. Ao golo sucede uma reacção estranha da plateia… um aplauso! Pareceu-me que foi um aplauso à própria equipa e não ao golo… mas se alguém conseguir explicar, faça-o…

Fica o registo do único Porto de Jesualdo com 2 médios criativos num jogo grande… o resultado é o que se vê!

O resultado foi dilatado, moralizador e além de justíssimo espelhou toda a qualidade de jogo que o Porto empregou hoje: mérito. Foram 2 jogos seguidos dessa coisa rara: bom futebol.

Obrigado sr.prof. e atletas. Este é o Porto do qual tínhamos saudade. Possante, afirmativo, a jogar para a bancada, sem medos, sem invenções… completamente indiferente às adversidades que lhes podiam artificialmente ter colocado. A jogar assim nem árbitros, delegados, nomeações, juízes, cervejeiras… nos param!

André disse...

Esta foi boa para o José Diogo Quintela..deve tar de papo cheio ele..

Grande exibição do Porto, só foi pena os jogadores terem "desligado" aos 60 minutos depois dos OLÉ's..senão o resultado podia ser mais avolumado, mas paciência, também não convém gastar as fichas todas, pq há um jogo para ganhar domingo, contra uma Naval que vai trazer o autocarro, camiões, camionetas, tudo..

OFFTOPIC: Enviei um e-mail para o reflexao.portista@gmail.com com uma observação acerca do tunel da luz, e gostaria de saber se o leram pelo menos.. :s

Cumprimentos desPORTISTAS

Pedro disse...

De facto só tive pena do desligar da ficha após os olés.

Exibição competente, agradável, fluida, bom futebol, excelente atitude.


Tenho muita pena que não tenhamos um cronista na Bola que responda ao lagarto ressabiado Zé Diogo e o mande à merda duma forma jornalisticamente aceitável.

André disse...

Pedro, o Miguel Sousa Tavares para a semana provavelmente diz-lhe alguma coisinha.. :)

Offshore disse...

Um Porto à Porto.
Assim, sim.

sem túneis, coices e coisas por outro lado
os adeptos da agremiação corrupta não conhecem este sabor da vitória

Pedro Mota disse...

Grande exibição do Porto,tal como do Mariano,o que me deixa apreensivo é que eu sei que ambas as coisas foram a excepção á regra..Não me admirava nada que no proximo jogo fizessemos uma exibição sofrivel,esta equipa é ciclotimica..Como será com o regresso de Meireles e Cebola 2 intocaveis de Jesualdo e massa adepta??..Vamos esperar para ver..

Bruno disse...

Até devia ser proibido dar tantos a este tipo de equipas :D

A continuar-mos assim, temos num bom caminho para limpar-mos outra vezes tudo internamente.

Nuno disse...

Os aplausos aquando do 2º golo dos calimeros, foram a gozar com a festa que os adeptos do campeão da 2ª circular fizeram, no 2º golo da sua equipa, quando faltavam 1 ou 2 minutos para terminar e já levavam 5 no pêlo!!

John Aarson disse...

Adorei este jogo. O meu herói, Mariano, fez um jogo razoável, a culminar com um golo de levantar o estádio (e o pessoal lá de casa... pobres dos meus vizinhos!), mas não nos deixemos levar por euforias. Este Porto assim, SIM! Agora, o difícil é continuar.
Tenho lido neste blog - e não só, que esta equipa não deixará saudades. Que temos uma equipa fraca. Não concordei. Só faltava uma coisa, a meu ver: equilíbrio naquele meio campo. Com o Ruben isso foi atingido. Sim, um jogador PODE fazer a diferença. Temos uma defesa fortíssima, um ataque fortíssimo (mesmo sem Hulkes e Rodriguez, nem Kléberes). O Meio campo sempre foi constituído por jogadores fortes, mas... sempre foi desequilibrado. Até à vinda do Rúben. Agora, a manter o nível exibicional e sem mais jogadores suspensos pelos senhores vermelhos que estão na Liga... só dependemos de nós para sermos campeões.

Só faço aqui mais uma nota: Infelizmente acho que vai ser desta que conseguiram afastar o Braga da corrida ao título. Com muita pena, só o conseguiram fora do Campo. Já começa a meter IMENSO NOJO este tipo de jogadas sujas. Pegar numa equipa que está a evoluir à sua própria custa, a sair da medianidade e a atingir o topo do mundo e... destruí-la. É como roubar o doce a uma criança. É como matar um Einstein ainda na fase da adolescência. Não há palavras para descrever o descaramento desta gente.

Deixa-me muito triste estas situações. Espero sinceramente estar a comemorar o título de campeão no final, e adorava ver (ainda que seja muito dificil) o Sporting de Braga à frente do SLB. Era, sem sombra de dúvidas, a maior lição de moral de sempre dada no futebol Português.

Jorge Mota disse...

O MEU PORTO!!!

ALELUIA

Sinto me cheio de energia para encarar o resto da semana!Vou aproveitar..

Belo jogo,melhor jogo faz anos.Pena termos metido a 6a velocidade senao espatavamos 8 fanecas na aristocracia nostalgica.

Mto contente pelo Mariano:jogador com tudo para ser 1 extraordinario jogador-falta lhe 1 pouco de equilibrio emocional, no entanto.Humilde,civilizado,respeitador,trabalhador..à imagem do Falcao,Varela e Ruben,alias.
Gosto de gente assim.

Neste nosso triangulo de pernas para o ar,com Bellu,Ruben e Fernando,o elo mais fraco e nitidamente Fernando.Assim,Raul Meireles nao calça..salvo se,e de uma x por todas,perceberem q ele deveria ser o Nosso Trinco-treinado para isso, comme il faut..

Eu Gostei..

E TU?!

Pedro disse...

Sem o Vandinho... o Braga passou à história. Cirurgico. Enfim, mesmo benefeciando também o FCP não gosto nada destas jogadas. Vale tudo, e até fica um gosto amargo em imaginar o resto do campeonato.


Resta-nos tentar ganhar todos os jogos em falta (muito dificil) e esperar por árbitros corajosos.

José Correia disse...

Nuno Silva disse...
«No meio o tridente Fernando-Belluschi-Meireles… o primeiro meio campo com dois médios criativos em quase 4 anos de Jesualdo»

Já tinha sido este meio-campo na Madeira, no jogo contra o Nacional. E é a prova que quando os jogadores dão garantias, o Jesualdo Ferreira não tem problemas em pô-los a jogar.
Agora, penso que é notório que há uma "pequenina" diferença entre o Rúben Micael e o Valeri (outro médio criativo do plantel).

José Correia disse...

Nuno Silva disse...
«Falcão é relativamente baixo, lento, não muito possante… mas tem uma cultura táctica impressionante, move-se dentro e fora da área com muita esperteza, luta, desgasta, domina, segura, roda e remata (de pé ou cabeça) com uma eficácia a toda a prova. É de facto um excelente avançado, pena é que não tenha uma capacidade de progressão em drible ao mesmo nível.»

De acordo com quase tudo, só não concordo que o Falcao seja lento.
Quanto à capacidade de progressão em drible, se também tivesse essa característica valia para cima de 50 milhões de euros e, seguramente, que não estaria no FC Porto.

José Correia disse...

André disse...
«Esta foi boa para o José Diogo Quintela..deve tar de papo cheio ele»

O José SE Diogo SE Quintela é especialistas em SES (se isto, se aquilo, se...)
Depois do banho de bola de ontem, o rapazito deve estar a pensar: ai se o FC Porto tivesse jogado na sua máxima força...
Ai se o Helton, Bruno Alves, Meireles, Rodriguez e Hulk estivessem disponíveis, já imaginaram o que poderia ter acontecido?

José Correia disse...

André disse...
«OFFTOPIC: Enviei um e-mail para o reflexao.portista@gmail.com com uma observação acerca do tunel da luz, e gostaria de saber se o leram pelo menos.. :s»

Sim, lemos, estamos a processar. Nos últimos dias tem acontecido tanta coisa, que não chegamos para as encomendas... ;-)

Abraço

Miguel Pereira disse...

Foi um jogo fabuloso a todos os niveis e finalmente se conseguiu o tal equilibrio que aqui sempre se discutiu.

Quanto à suspensao só temos de nos preparar, nao vao agora atrás do Ruben Micael porque só falta ele da trilogia dos tuneis da Inocencia dirigido por LFVieira e produzido pela Liga de Clubes.

Este país mete cada vez mais nojo já sabemos que este ano vale tudo, nem que seja preciso inventar 10 suspensoes sob o joelho - e logo apos acabar o mercado de transferencias, imagine-se - para limpar o caminho. As restantes equipas deviam boicotar a liga e o FCP e Braga recorrer directamente à UEFA e FIFA. Ponto final.

José Correia disse...

John Aarson disse...
«Tenho lido neste blog - e não só, que esta equipa não deixará saudades. Que temos uma equipa fraca. Não concordei. Só faltava uma coisa, a meu ver: equilíbrio naquele meio campo. Com o Ruben isso foi atingido. Sim, um jogador PODE fazer a diferença.»

Mas é exactamente isso, um jogador pode fazer a diferença.
O Ruben Micael, para além das suas inegáveis qualidades individuais, trouxe equilíbrio ao meio-campo e à equipa, porque faz muito bem a ponte entre o meio-campo e o ataque.
Há muito tempo que neste blog se falava nos problemas existentes no meio-campo após a saída do Lucho e também há muito tempo que falávamos na hipótese Ruben Micael. Porque razão só foi contratado em finais de Janeiro, quando o assunto poderia ter sido tratado logo após o jogo na Luz?
Ou, melhor ainda, porquê ir à Argentina contratar um Valeri que joga a passo, quando no campeonato português existem jogadores como o Ruben Micael (que já na época passada tinha dado nas vistas)?

Jorge Aragão disse...

É isso, Ruben está a ser o ponto de equilíbrio que faltava nium meiuo campo desiquilibrado.
Uma palavra para o Mariano que jogou muito bem.
É um jogador esforçado e muito profissional a quem não permitem a tolerância que dão a outros como por exemplo ao Rodriguez quando faz correrias sem sentido.
Que seja um confoirto psicol´+ogico para esta equipa numa altura em que já não há vergonha e se está a fabricar às claras o campeão deste ano.
Vamos lutar e evitar essa sabujice.
Força Porto

Carrela disse...

Eu limito-me a reproduzir as palavras do Rúben:

« Foi um jogo à Porto.»

Este miúdo tem os nossos genes!!

Força Porto

Capitão Bacalhau disse...

Saudações

FC Porto a exibir-se ao seu nível. Coisa que já não estávamos habituados a ver há muito tempo. Conseguimos trocar a bola com alguma fluidez e pressionar no meio campo do Sporting. Estes nem tiveram tempo de reagir à fluidez e velocidade de jogo do FC Porto. Foi muito bom, pareceu fácil.

Agora vamos ver, como alguém comentou, se vamos ter astúcia suficiente para ultrapassar as equipas que põe o autocarro à frente da baliza. Penso que aí implicaria retocar o esquema táctico e não estou a ver o JF a cometer essa “heresia”.

José Rodrigues disse...

Este resultado e exibição não podiam vir em melhor altura! Em circumstâncias normais já seriam bem saborosos, mas no contexto actual foram ainda mais.

Uma boa parte da melhoria é claramente estrutural, com a inclusão de R Micael ao lado de Belluschi. Como ficou bem demonstrado, um meio-campo mais ofensivo não resulta apenas no Football Manager... ;-)

De resto Mariano (de quem sempre achei q tem valor q.b. para fazer parte do plantel como 2a escolha, embora não titular, como já aqui disse mais do q uma vez) fez o seu melhor jogo ao serviço do FCP, muitos furos acima do q lhe é habitual. Que seja para continuar, porque bem jeito nos dá.

Finalmente, é cedo para dizer se os níveis de confiança na equipa em geral vão subir para um patamar superior. Esperemos que sim, mas serão precisos mais 2 ou 3 jogos para tirar indicações mais sólidas.

PS - que pena que não possamos utilizar o Ruben contra o Arsenal...

José Rodrigues disse...

"Agora vamos ver, como alguém comentou, se vamos ter astúcia suficiente para ultrapassar as equipas que põe o autocarro à frente da baliza. Penso que aí implicaria retocar o esquema táctico e não estou a ver o JF a cometer essa “heresia”."

Estando Meireles e Fernando numa forma idêntica, penso q nesses jogos (70% do total) será preferível Meireles a trinco com Belluschi e Ruben à sua frente. Mas penso que para JF isso seria um passo demasiado radical, por isso duvido muito que venha a acontecer.

José Rodrigues disse...

"Agora vamos ver, como alguém comentou, se vamos ter astúcia suficiente para ultrapassar as equipas que põe o autocarro à frente da baliza. Penso que aí implicaria retocar o esquema táctico e não estou a ver o JF a cometer essa “heresia”."

Estando Meireles e Fernando numa forma idêntica, penso q nesses jogos (70% do total) será preferível Meireles a trinco com Belluschi e Ruben à sua frente. Mas penso que para JF isso seria um passo demasiado radical, por isso duvido muito que venha a acontecer.

John Aarson disse...

hum... em resposta ao ultimo comment: podemos, sim utilizar o Ruben contra o Arsenal. Ele jogou na UEFA, não na LC, logo pode ser inscrito! Na altura da contratação dele, li sobre isso, e confirmaram que podia jogar! :D

José Rodrigues disse...

"E é a prova que quando os jogadores dão garantias, o Jesualdo Ferreira não tem problemas em pô-los a jogar."

Bem, eu acho que é acima de tudo a prova de que quando os jogadores são bons não precisam de 2 anos para se "adaptar aos processos" para jogar & render...

O desempenho de Falcão, Ruben e Varela mal chegaram ao FCP destrói quase por completo as teorias sobre a necessidade de meses & meses de adaptação até se poder ver exibições satisfatórias.

José Rodrigues disse...

"podemos, sim utilizar o Ruben contra o Arsenal. Ele jogou na UEFA, não na LC, logo pode ser inscrito!"

Hmmm, isso é novidade para mim.

A ser verdade, falta saber se vai sair mais alguém das inscrições na LC.

Já tínhamos Prediger, O Sá e N A Coelho de fora, sem q sobrassem vagas (a não ser para prata da casa); entretanto saiu Sapu; Ruben pode tomar o seu lugar, e presumo q O Sá e Addy fiquem de fora da LC.

Certo?

RS disse...

É a primeira vez que comento neste blog. Descobri-o há duas semanas e desde então tenho sido assiduo leitor! Parabéns aos autores pela manutenção deste espaço onde os portistas podem reflectir sobre os vários aspectos da vida do seu clube sem serem alvo, quer de censura aos comentários, quer a provocações de adeptos adversários.

Relativamente à grande vitória de ontem, o jogo confirmou algo que já se tinha visto na Madeira mas que na altura me deixou algumas reservas tendo em conta que o Porto jogara grande parte da partida em superioridade numérica. Mas agora está confirmado... com a dupla Ruben-Belluschi a meio campo, a música é outra! Resta saber se este aumento de qualidade de jogo se deve unicamente à inclusão do Ruben na equipa ou se deriva da dupla em si. Pessoalmente inclino-me mais para a segunda opção já que não me lembro de alguma vez ter visto o Belluschi jogar tão bem com o Meireles ao lado.
E isto levanta outra questão. Quem sairá para dar lugar ao Meireles quando ele regressar?

Metz disse...

José Rodrigues

É verdade, o Ruben pode jogar por ter jogado numa competição europeia diferente!

Já agora, e apesar do Porto responder em campo aos críticos, se alguém tiver o contacto do Zé Quintela, que lhe pergunte se ele prefere as 5 batatinhas fritas, ou a murro!

Excelente apoio do público do ínicio ao fim a mostrar união (apesar de que nas vitórias é sempre fácil) mas já ficou provado noutros jogos que ás vezes a preguiça vence, e ontem isso não aconteceu!

Estamos vivos, mas nada disto faz sentido se não estivermos todos no Domingo a apoiar o Porto e se a equipa não entrar com a mesma mentalidade!

Já agora, alguém por favor que cale de vez o pai do Bruno Alves que só nos tem prejudicado!!

Cumpz

PMF disse...

De acordo a 100% com o post.

Deu para, ao fim e ao cabo, tiraar um pouco a barriga de misérias.

Gostei especialmente da forma como aqeule meio-campo (de 3, mas também, pareceu-me, às vezes, de 4 jogadores) construiu jogo. O que me faz panesar que, apeasar de não gostar da rigidez do 4-3-3 de JF, apesar de achar que há filosofias de jogo muito conservadoras e incapazes de potenciar características de alguns jogadores, as coisas teriam corrido melhor (mesmo com as características - que já conhecemos - de JF) com um melhor plantel, ou seja, com um Rúben Micael desde o incício e...vá lá, com alguns jogadores em forma (como ontem se viu o Fernando).

Agora, é importante esta advertência:

"Os nossos problemas e defeitos continuam lá. Esta noite apenas os soubemos disfarçar melhor".

De facto, assim é!!

Ana Martins disse...

Eh pah, eu assim fico sem coisas para dizer :)

@Pedro
"e o mande à merda duma forma jornalisticamente aceitável."

Genial esta frase, fez-me rir e bem alto!


cumps

miguel87 disse...

Finalmente! 31 jogos oficiais depois, uma exibição "á Porto"!
Até digo mais, não me lembro de uma exibição assim nos últimos 3/4 anos, talvez só o jogo em Manchester na epoca passada.

O destaque principal vai para a equipa, pois foi o colectivo que sobressaiu na exibição de ontem, se bem que se possa particularizar alguns casos:
-Maicon, impecavel
-Alvaro, incansavel
-Ruben, craque; maestro
-Falcao, categoria; classe; sublime!

Por outro lado, Fernando teve dois lances que não compremeteram por mero acaso; duas bolas perdidas á frente da area. Com Meireles recuperado, não vejo porque não jogar com ele a trinco, princpipalmente tendo em conta a generalidade dos adversários internos. Mas isso seria já mexer demais nos "processos", não era professor??
..Pois é, se gostei do resultado, mas principalmente da exibição, não posso deixar de fazer um reparo ao discurso arrogante e algo ressentido do treinador na conferencia de imprensa!
Começou por admitir a sua própria limitação, ao reafirmar que não abdica daquele "modelo" e daqueles "processos", que os jogadores terão sempre que se adaptar a eles e nunca o contrário!
Depois, da forma que falou, deu a impressão que toda a responsabilidade pelo exito era sua, de uma maneira que nunca faz nas derrotas.
Sinceramente, achei o discurso muito mau.

7351 - Azul desde 1971- disse...

Ontem, trouxe-me à memória, o Porto que joga à Porto! Foi um gozo como há muito não sentia, e um regalo para o coração. O Mariano, marcou um golo inesquecível, Falcao domina como ninguém, o Varela é um extremo do cara... e o Porto foi MAGNÍFICO! Os olés...foram a cereja no topo do bolo, porque aproximou os adeptos à equipa e lembrou aos mouros porque é dificil jogar no Dragão. Ontem foi lindo, os adeptos, a equipa...tudo! I had a feeling that that night would be a good night...! Rebenta-se de alegria!Viva o FC Porto e viva o fogo do Dragão!

Anónimo disse...

Ana Martins,

Agradecíamos nos contactasse para o nosso email reflexao.portista@gmail.com.

Obrigado

Anónimo disse...

Foi uma grande exibição, um espectáculo fantástico como há muito se não via no Dragão. Parecemos etar no bom caminho, depois deste jogo e do jogo no Nacional.

Mas se, como alguns pretendem, não se pode ou deve criticar no decurso da época por as contas só se fazerem no fim, então também não se pode elogiar...

Alienado disse...

Apenas um jogador,transmutou uma equipa: Rubén Micael. Tem toque de bola, visão de jogo, qualidade de passe, sofrimento, enfim, só não tem aquele toque de midas do Lucho, mas arrisco dizer que o supera no capítulo defensivo e na capacidade de porte de bola.Explico ainda porquê, em meu entender, um só jogador representa tanto, sobretudo agora que tem jogado na posição do raúl meireles: (1)equilibra o lado esquerdo e subidas do Álvaro (o que o Raúl Meireles fazia, mas, face à sua aparente má forma física, por vezes era deficitário), (2)ajuda no desiquilibrar na extrema esquerda, more lá Mariano (cuja confiança de ontem, resulta em parte da serenidade também provocada pela presença do Ruben M.), Rodriguez ou Varela, quando troca (3)constrói efectivamente lances de ataque, adensando a criatividade do mesmo (permitindo compensar os eclipses frequentes do beluschi) (4) há-de aparecer a finalizar e marcar um golo porque tem também essa vocaçao e cultura táctica (o que julgo ainda não ter feito, porque está a entrosar-se e a libertar-se dalgum humilde resguardo ofensivo).
Em conclusão, um jogador que ocupa, três terços do terreno do lado esquerdo, contados do meio-campo do Porto para a frente (e quiçá bem ocupará o lado direito quando Meireles regressar e o Jesualdo - assim aposto que fará nos jogos ditos "grandes" - colocar o Rúben no lugar do Beluschi.

Luís disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
O Anti Lampião disse...

do luisinho a pontapear um colega de profissão deitado no relvado não se arranja nada ?

Pedro disse...

Luis, que tal pregares numa freguesia que realmente se interesse? tens noção de que ninguém aqui liga ao que dizes ou sequer vai ver os links?

Não ligamos a merdosos do regime. Somos portistas.

Queres videos sobre rufias procura no Youtube por David Luiz, J.Garcia, Luisão. Tens muito com que te entreter. Arre besta.

André disse...

"que pena que não possamos utilizar o Ruben contra o Arsenal...".

Saiu o Valeri entrou o Ruben.... já tá feito.

Pelos vistos tenho outro homónimo...este com acento e portista, ainda bem

Cumprimentos Portistas

Dragaopentacampeao disse...

Em minha opinião, esta é a melhor forma de responder aos detractores que não olham a meios para atingir os fins.

Bela exibição, finalmente, a primeira de uma sequência que nos colocará no rumo certo para o Penta. Pelo menos é o que todos nós esperamos.

O futebol tem destas surpresas! Um elemento apenas pode galvanizar os restantes e devolver-lhes a confiança, contagiando com a sua capacidade técnica a sua visão de jogo, a sua inteligência e a sua entrega. Falo naturalmente do homem do momento: Ruben Micael. Bem haja por ter escolhido o nosso emblema para dar largas à sua vocação.

Estamos naturalmente eufóricos pela vitória categórica frente a um dos rivais, que relembro, tem sido, principalmente nos últimos quatro anos, o principal concorrente no Campeonato e nas Taças.

Espero que esta exibição seja o arranque definitivo para um fim de época de sonho.

Um abraço