terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Uma análise SWOT - Mais-valias

Por Ana Martins (*)

Num momento em que nos aproximamos do final de um ciclo (lamento o pessimismo, mas não creio que sejamos penta este ano e Pinto da Costa abandonará o cargo mais ano menos ano), pergunto-me com frequência se não seria conveniente fazer uma análise profunda de um clube que se distingue dos outros por ser propositadamente opaco, tentando antecipar mais-valias, fraquezas, oportunidades e ameaças. Vulgo: análise SWOT.
Dada a extensão da mesma, segue a análise por diferentes posts por dimensão.

1. Mais-valias


a) De longe, o clube mais ganhador no Portugal do pós-25 de Abril. A este passo (por cada campeonato que ganham os rivais, nós ganhamos quatro), rapidamente não só apanharemos o SLB como o clube português com mais títulos antes e depois da queda do regime salazarista – o que já aconteceu – como seremos o clube com mais campeonatos ganhos. É o único clube português a ganhar títulos europeus nos últimos 30 anos: bicampeão europeu, vencedor Taça UEFA, Supertaça Europeia e bi-campeão Mundial. Por outro lado, estudos como os da Futebol Finance ou APEME indicam que o FCP cativa adeptos mais jovens (4-12 anos!) e com base no mérito. Apesar de não ser o clube com mais sócios, é o clube com maior percentagem de sócios pagantes: quase 100%, o que atesta bem da fidelidade do sócio portista. Este enquadramento remete-nos para um clube em franco crescimento, com grandes perspectivas de implementação nacional e internacional (nomeadamente no mercado angolano).

b) Política desportiva e económico-financeira. Uma estratégia de risco, avocada claramente pelo ex-CFO Fernando Gomes. Assumir o clube como interposto de mais-valia de jogadores é, no actual contexto económico, um posicionamento estratégico interessante, não alimentado sonhos pueris de viver acima das capacidades do mercado/país. Mas tem claros riscos: 1) a dependência de agentes FIFA e empresários que operem o mercado sul-americano, em particular o argentino e uruguaio; 2) bate tudo certo enquanto houver apuramento sistemático para a Champions League. Quando não houver (pode ser este ano o caso…) a venda de jogadores, e por preço mais baixo do que tem acontecido com as grandes vendas dos anos anteriores, é o único caminho possível. Acresce a esta política uma tanto-ou-quanto estranha elevada percentagem com custos de pessoal, que não é consonante com a política de ir buscar “desconhecidos” à América do Sul. Deixo isso à consideração dos entendidos em R&C.

c) Jesualdo Ferreira. O clio dos treinadores. Baixo custo no vencimento (comparando com Fernandez ou Adriaanse) e na manutenção. Como Fernando Santos, não protesta se pede um lateral direito e lhe dão um trinco. Teve o mérito de chegar em andamento na época 2006/2007 e construiu desde logo uma equipa para ser campeã. Foi-o. Não há muitos treinadores que o consigam. Fez de Lisandro, Lucho, Anderson, Pepe, Bosingwa, Fernando, Alves, Meireles e Bosingwa jogadores de plano mundial. Ao mesmo tempo conseguiu queimar Ibson, Vieirinha, Bolatti. Acho que vai pelo mesmo caminho com Nuno André Coelho. Incapaz de lançar um júnior na equipa - não haverá mesmo nenhum que se aproveite? Rígido no seu sistema táctico, demorou quatro anos a introduzir uma nuance quando jogava com equipas em 4.4.2., puxando Rodriguez para interior esquerdo quando perdia a bola. Ainda assim, praticamente não há hábito de tentativa de introduzir mudanças de modelo/dinâmica. A incapacidade sistemática de jogar em superioridade numérica é gritante. Roda jogadores em competições menores juntando-os todos num 11. Mourinho, ao menos, fazia uma média de 4 titulares + 7 suplentes e mantinha sempre uma âncora em todos os sectores. Mas lá está, quem sabe, sabe… Há outro mérito que tem de lhe ser dado: quando ninguém podia falar por causa do Apito Dourado, foi ele a dar o corpo às balas… e sozinho. Daí o presente de dois anos de renovação, em vez de um, como seria expectável. Nesta fase, parece-me crível que não continue no final desta época. Espera-se, portanto, por outplacement para uma selecção do Leste da Europa, de modo a não termos de pagar por mais uma meninice de Pinto da Costa (para mostrar agradecimento, bastava renovar por mais um ano).

(*) A Ana Martins começou a ir às Antas, aos 5 anos de idade, pelas mãos do pai que, meio incrédulo, duvidava se ela conseguiria estar quieta durante um jogo inteiro. Nos intervalos dos jogos, respirava o ar daquela cultura, no tempo em que nem sequer havia WC para senhoras. Tarde de mais: a causa das coisas já lhe estava inscrita. Mais tarde, passou a ir com amigos para o Tribunal das Antas, onde volta e meia engolia e não respondia a comentários infelizes. Mais tarde prossegue a "evangelização" levando os seus primos mais pequenos para a causa portista. A ver vencer desde... 1976.

Nota final: O 'Reflexão Portista' agradece à Ana Martins a elaboração deste artigo, o primeiro de uma série de quatro onde é feita uma interessantíssima análise SWOT.

20 comentários:

John Aarson disse...

Excelente primeiro post da Ana Martins. Tenho pena que seja apenas de uma série de 4, pois penso que seria uma boa adição ao blog. Apesar de achar que é demasiado pessimista, é sempre importante vermos as coisas com uma atitude de que podem sempre melhorar.

Só tenho pena que o post não se tenha alongado na parte em que se fala do possível período pós-Pinto da Costa. Penso que, mais que apitos avermelhados, mais que roubalheiras alheias, mais que falta de equilíbrio no actual plantel, o grande problema está no vazio que ficará quando o "Pintinho" se for embora. Só espero que não entre para lá um Bettencourt...

Pedro Mota disse...

Concordo com tudo o que foi escrito,e partilho da preocupação de uma possivel não ida á champions..Sinceramente não vejo no plantel nenhum jogador capaz de render 20-25M numa transferencia e juntando a isso o constante defice operacional deixa-me bastante apreensivo..No texto diz "Fez de Lisandro, Lucho, Anderson, Pepe, Bosingwa, Fernando, Alves, Meireles e Bosingwa jogadores de plano mundial" acho incrivel que ainda haja quem não saiba dar merito a Adrianse,é que todos esses jogadores começaram a jogar com adrianse,foi ele que fez de Pepe,Bosingwa,Meireles titulares e os transformou em opçõe seguras,foi ele que fez um excelente trabalho de ambientação de Anderson ao nosso campeonato,já para não falar de Helton e Assunção que ganham a titularidade com ele,podemos tamber juntar o seu trabalho com Quaresma etc..Jesualdo tem méritos próprios,não é preciso ir roubar a Adrianse para enriquecer ainda mais Jesualdo...

reine margot disse...

Quanto a a) e b) estou de acordo;
Quanto ao ponto c)
Acredito que o prof tenha muito mais virtudes do que as que apontou, e espero que permaneça no final da época, especialmente se não houver Champions... não me parece que este ano se tenha jogado de igual para igual e em circunstâncias normais teríamos o penta - neste momento estamos melhor que no ano passado; não chega, mas estamos...é um facto, e análises fazem-se de factos. (O que não é um facto, mas poderia ser, é o reconhecimento. Não fica mal a ninguém.) Mas, para além disso, não vejo muitas alternativas. Não me venham falar em Domingos e Jorges Costas e Vilas Boas, que são todos bons rapazes e não mais...- Talvez se pudesse fazer um upgrade ao Jesualdo e trazer um adjunto em condições que fosse um treinador de campo; mas é necessário o método e a disciplina de treino do prof. ou então é que vai tudo por água abaixo...
d) espero pela análise ao salto que temos que dar, para sermos definitivamente um grande da europa... (lembro que o Liverpool, o Manchester ou o Bayern nem sempre ganham os campeonatos, mas ninguém se incomoda muito...)... é claro que isso também pressupõe que haja uma revolução na nossa liga e que se deitem fora metade das equipes...

Ana Martins disse...

@John Aarson
O período Pós-PC está noutra dimensão da análise SWOT, a seguir noutro post. Obrigada pelos gentis comentários & admito não o pessimismo, mas a preocupação :)

@Pedro Mota
Quando me referi a esses jogadores como conquistas de JF, naturalmente tenho em consideração que já estavam no clube antes e a maior parte a render bem - vide Paulo Assunção e Pepe. A afirmação de Bosingwa, assim como dos restantes, foi feita já com JF. Além do mais, desculpe-me o desabafo: custa-me um pouco elogiar um treinador que manda Baía para o banco (JF aproveitou-se da cobardia...) e muito menos alguém que queria dispensar o Licha (facto - razão pela qual ele andava fora dos convocados com 1 suposta lombalgia ad eternum). Dou mérito a Adriaanse naquilo que fez e na coragem que teve a implementar um sistema pouco usual. Mas de resto... A novela Hesselink e o "não sabia que perder com o sporting era tão importante" são marcas distintivas de quem não percebeu, em 2 anos, em que clube e cultura estava. E veio a terminar, como terminou...

Mário Magalhães disse...

Boas,

Parabens pelo post e concordo inteiramente com o que está escrito, já aqui defendi que deve haver sangue novo, uma nova alma para os niveis de motivação aumentarem, porque vejo uma equipa por muitas das vezes acomodada e neste momento a jogar sobre brasas.
Quem lê os meus comentários consegue reparar que não sou um fã deste mister, agradeço o que fez pelo Porto, mas ele tambem tem que agradecer muito ao Porto por aquilo que lhe deu, Titulos e reconhecimento, porque até chegar ao Porto não tinha conseguido nada de nada...
Quanto aos sucessores defendo inteiramente a contratação do André Vilas Boas, pelo trabalho que tem desenvolvido na Academica, pela sua postura e pela mestria tactica e conhecimento que tem, reparem na qualidade do plantel da Academica e na sua evolução depois da sua chegada, e depois pelo Prof que ele teve até se lançar a solo, sem duvidas que tem competencias que chegue para assumir a nossa equipa...
Quanto a administração espero que não entre em loucuras quanto a contrataçoes desnecessárias (guarins, valeri, benitez, prediguer, etc) e aposte mais na nossa formação...

Saudações

José Rodrigues disse...

Excelente iniciativa da Ana. Parabéns!

Concordo q o JF será um "Clio", o q é uma metáfora interessante: um modelo económico, certinho e com uma performance q.b.

Eu até iria mais longe e diria q será até mesmo um Ford Focus :-)

Infelizmente gostava mesmo era de ter pelo menos um A4 ou um BMW série 3... um Ferrari ou um Porsche será porventura uma ambição descabida, mas um clube com os pergaminhos e orçamento do FCP pode perfeitamente ambicionar um Audi ou um BMW.

Acho q a Ana exagera nos méritos q atribui a JF. Sim, tem os seus méritos, mas mais de metade dos q lhe foram atribuídos pela Ana parecem-me exagerados.

Mas mais importante: no cômputo-geral, não considero q o JF possa ser considerado como uma mais-valia ou "força" própria (Strength) numa análise SWOT. Aliás, a própria Ana parece concordar pelo q diz nas últimas frases... caso contrário suspirava pela continuação dele no FCP.

Separadamente, tenho tb muitas dúvidas q a política económico-financeira seja tb uma força interna do FCP. No cômputo geral e neste momento parece-me mais uma "fraqueza" do q uma "força", sinceramente.

Nesta área há uma componente específica q é de facto uma força, q é a capacidade para VALORIZAR NO MERCADO OS MELHORES JOGADORES. Mas praticamente todas as restantes componentes desta área parecem-me mais handicaps do q outra coisa qualquer.

Rogério Paulo Almeida disse...

Meus amigos,

Não será nenhuma tragédia financeira se não formos apurados para a Champions. O equilíbrio financeira desta época já está assegurado. As vendas de Lisandro, Cissokho e Ibson já o garantiram. O orçamento previsional para esta temporada assim o confirma. Neste momento não teremos potenciais vendas, em perspectiva, de 25 Milhões de Euros, mas temos dois jogadores em fim de ciclo no Clube, que já mais do que uma vez afirmaram vontade em dar o "salto", diria eu financeiro, e que poderão render, cada um, pelos suas características, idade e contexto, uma média de 15 Milhões de Euros: Bruno Alves e Raúl Meireles.

Outros têm um plantel que custou 18 Milhões de Contos, não realizam dinheiro em vendas nem têm ganhos resultantes da Champions, vão fazer um novo empréstimo obrigacionista, agora de 40 Milhões de Euros, têm um outro de Papel Comercial no mesmo valor realizado há um ano atrás, ou seja são mais 16 Milhões de Contos em dívida, fora outras de empréstimos bancários directos, e gritam aos 4 ventos que estão bem e se recomendam.

Não será nenhuma tragédia financeira. A acontecer a não participação na Champions, a dor será desportiva, e sobretudo por tudo o que de vergonhoso vai sucedendo por esses relvados pelo País e pelas secretarias dos orgãos de decisão e justiça. Isso sim será trágico se não voltarmos ao que já fomos e não dermos o nosso contínuo grito de revolta. A nossa Sad, o nosso Presidente têm que tomar posições radicais, fortes, firmes, sem contemplações, sem medos, como sempre o fez no passado. Já chega de comermos calados e assistirmos a esta vigarice diária. Isto já ultrapassou todos os limites. É escandaloso o que se passa neste País desportivo.

Um abraço

José Rodrigues disse...

"O equilíbrio financeira desta época já está assegurado. As vendas de Lisandro, Cissokho e Ibson já o garantiram."

Parece-me q o Rogério confunde um pouco a demonstração de resultados do ano fiscal com o "equilíbrio financeiro"...

O equilíbrio financeiro tem muito mais a ver com a evolução de tesouraria (ou Fundo de Maneio, se preferirem) do q com a demonstração de resultados (q toma em conta, entre outras coisas, números virtuais como as amortizações).

Ora basta reparar a título de exemplo q a 30 de Junho de 2009 o saldo entre dívidas e créditos de curto prazo (i.e. até 30 de Junho deste ano) era de cerca de 50 milhões negativos.

Entretanto fez-se o roll-over do empréstimo obrigacionista e terá entrado o downpayment das vendas feitas depois de 1 de Julho, mas parece-me claro q qdo chegar o Verão a tesouraria vai precisar de uma boa "injecção" de dinheiro fresco (sem q haja espaço para grandes compras).

Olhando uns meses mais para a frente, a situação piora principalmente se ficarmos de fora da LC (o q implicaria um buraco adicional de uns 10 milhões).

Quanto a eventuais saídas de BA e Meireles, seria sem dúvida uma boa solução financeiramente falando, mas:

1) tenho dúvidas q não nos deixe mais fracos desportivamente (embora estes jogadores possam fazer menos falta do q outros)

2) tenho muuuuuitas dúvidas q com a idade q têm, alguém ofereça 15 milhões por BA ou Meireles.

HULK 11M disse...

Parabéns Ana pelo tema abordado, que apesar de não "vender" muito é da máxima importância para o nosso FCP!
Seria bom que muitos dos portistas que só se preocupam com arbitragens e bolas que batem na trave e não entram, começassem a preocuparem-se com estas coisas!

André Pinto disse...

Miguel Sousa Tavares em 25 de Agosto de 2009:

"Só não percebi a revolta de treinador e jornalistas benfiquistas contra o esquema de jogo apresentado pelo Marítimo na Luz. Que estiveram o tempo todo a defender? Mas como é que eles julgam que se fazem os campeões nos jogos contra estas equipas? Ou esperariam que lhes bastava anunciar 'este ano vamos ser campeões' e todas as equipas passavam a ter obrigação de jogar contra o Benfica sem lutar pelos pontos e apenas com a missão de abrilhantar o espectáculo e as pré-anunciadas vitórias da águia?"

O mesmo Miguel Sousa Tavares mas desta vez em 16 de Fevereiro de 2010:

"Como já aqui escrevi a propósito desse jogo com o Paços, tenho muito respeito pelos clubes pequenos e não esqueço que eles competem com os grandes em condições objectivas de desigualdade. Mas isso não é um pretexto para que renunciem à partida a competir e se refugiem num anti-jogo que é uma ofensa a quem paga bilhete para ver futebol. Se é para dar espectáculos destes que querem estar na primeira Liga, mas valia não estarem."

19 de Janeiro de 2010
"O Paços foi a equipa que mais antijogo fez no Dragão esta época, jogou sempre em 4x5x1 e às vezes em 5x5x0."

Coerências.

José Correia disse...

Pedro Mota disse...
«foi ele [Adriaanse] que fez um excelente trabalho de ambientação de Anderson ao nosso campeonato»

Se bem me lembro, o Adriaanse mandou o Anderson jogar para a equipa B.
Quanto a ambientação ao nosso campeonato, não sei se no total terá jogado 90 minutos na época 2005/06.

José Correia disse...

Ana Martins disse...
«"não sabia que perder com o sporting era tão importante"»

Ana, a frase do Adriaanse foi em relação ao Benfica e não ao Sporting.
É que em 2005/06 o FC Porto foi campeão, mas perdeu os dois jogos com o SLB...

Mefistófeles disse...

Caro André Pinto,

Quanto às (in)coerências de MST, não vejo o porquê do comentário.

Uma coisa é defender com o autocarro à frente da baliza, outra bem diferente é fazer anti-jogo ( simulação de lesões, queimar tempo, etc, etc ). Qualquer semelhança entre uma e outra coisa é pura ficção.

Dragaoatento disse...

Olá!
Quanto ao texto da Ana, muito bem!
Gostaria no entanto de acrescentar o seguinte:
a)O JF é sem dúvida um bom treinador, só não será o melhor que poderíamos ter. Isto na minha opinião.
Mais! Se não ganhar ao Miguinhos no domingo, a SAD deve começar já a pensar numa maneira amigável de o despachar no fim da presente época. Sem dúvida que tanto o Vilasboas como o D.Paciência seriam bons substitutos.
Quando classifico um treinador sirvo-me sempre do exemplo do saudoso JM Pedroto como "bitola".
E o que é evidente é que o Profe como estratega, e como inventor de jogadas, está muito aquém do Mestre. Apesar de que nem é no aspecto da táctica que mais me desilude, e, sim no capítulo da exigência. Acho-o um Treinador muito macio. No tempo do Pedroto, jogador que tivesse medo de meter o pé, não jogava na equipa. E também não admitia vedetismos nos jogadores. Ele era o Mestre!
Quanto à sucessão do Jorge Nuno, não vejo para já no horizonte Portista quem tenha pedalada e prestígio, para o substituir.
Os que se perfilam, não têm quanto a mim o perfil certo. Para servir o FC Porto só gente aguerrida, que não se importe de parecer antipático aos olhos da Comunicação Social vermelha, e tb não receie enfrentar o poder de decisão governamental.
Relativamente ao Plantel, estou de acordo que algumas contratações foram para já um fiasco. Casos do Valeri, Guarin e quejandos.
Já Maicon parece-me uma boa contratação. Nuno André Coelho um jóvem muito promissor.

Saudações portistas
Dragaoatento

Dragaoatento disse...

Ah! Já me esquecia. Coloquei o link deste Blog no meu http://dragaoatento.blogspot.com/. Se por acaso quiserem fazer o mesmo neste eu agradeço.

Saudações Azuis e Brancas

AMonteiro dragaoatento

Rogério Paulo Almeida disse...

Caro José Rodrigues,

Quando falei em "equilíbrio financeiro" estava a referir-me realmente aos resultados anuais. Peço desculpa pela imprecisão no termo. E esses estão assegurados. Não necessitamos de vender nenhum dos nossos jogadores até Junho para cobrir eventuais resultados negativos desta época. Agora é evidente que os 15 Milhões da Champions são importantíssimos, pois, logicamente nos dão um maior desafogo e margem de manobra.

Apenas referi Bruno Alves e Raul Meireles pois são atletas já com várias épocas no Clube e que já manifestaram, com mais ou menos clareza, a sua vontade em partir. Daí eu ter falado em ciclo terminado. Quanto aos valores que referi, não me parecem descabidos. Bruno é um jogador conceituado na Europa, com muita experiência e os 15 Milhões são perfeitamente possíveis. Não falo obviamente do valor da cláusula, que é agora uma miragem, os 29 anos não permitem loucuras, mas os 15 Milhões parecem-me perfeitamente ao alcance. Quanto a Raul, é um atleta apreciado, de qualidade, vai para os 27 anos, está no ponto, e, se o Mundial lhe correr bem, não parece descabido um valor aproximado ao referido. No Verão o Porto terá recusado uma proposta oficial aceitável do Valência...

É claro que isso nos enfraqueceria no imediato, mas não é essa a nossa sina? Formar e potenciar novos jogadores, trabalhando-os para serem os nossos novos craques? Temos vários para serem rentabilizados... Nuno André Coelho, Maicon, Rúben Micael, Castro... e apenas me refiro aqueles que podem claramente assumir as posições de Bruno Alves e Raul Meireles. Sempre foi assim, e continuará a ser, basta olhar o nosso histórico. É desta forma que conseguimos competir no patamar em que estamos. Se assim não fosse, não potenciar jogadores, não obtendo o retorno financeiro depois do rendimento desportivo, apenas lutaríamos pelo título nacional e faríamos as figuras habitualmente medíocres de Sporting e Benfica nas competições europeias. Os franceses, holandeses e mesmo gregos recebem quantias absurdas de receitas televisivas da Champions e dos respectivos Campeonatos Nacionais. São valores absurdos comparados com os nosso. Não temos como competir com isso. Quanto aos espanhóis, ingleses, italianos e alemães nem vale a pena falar.

Apenas quis referir que não seria uma tragédia a nossa eventual não participação na Champions na próxima época. É claro que se pensarmos em dois ou três anos de ausência... então as coisas ficariam complicadas, obviamente. Mas o meu post não ia nesse sentido.

Um abraço

francisco disse...

Parabéns pelo post. Muito Bom. Sem dúvida que também faço parte da grande maioria que considera fundamental iniciarmos um novo ciclo. Na minha opinião, há muitos jogdores formados por este treinador que podem valer dinheiro no próximo mercado de transferências. Hélton, BA, Pereira, Rolando, Fernado, Beluchi, Meireles, Hulk, Rodriguez e todos os outros sul americanos que não têm classe para jogar no nosso clube. Mas à partida daria todos como vendávéis exceptuando o Rubém Mágico Mikael, o Falcão e o Fucile.

miguel87 disse...

"Fernando jogador de plano mundial" hahahahaha deve ser brincadeira de carnaval!

E se o treinador é um clio, o clube é um Schumacher!

Dragaoatento disse...

...Teve o mérito de chegar em andamento na época 2006/2007 e construiu desde logo uma equipa para ser campeã.

Só que neste momento começo a ter dúvidas, se ganhamos os últimos três campeonatos por mérito nosso ou demérito dos nossos adversários, ou se pelas duas razões.

Quanto aos problemas financeiros do Clube saliento o seguinte: bons velhos tempos em que os dirigentes trabalhavam por amor à camisola!
Actualmente os dirigentes da FC Porto-Futebol, SAD ganham chorudos vencimentos e na minha opinião poucos justificam aquilo que ganham.

Alberto disse...

Boa análise e a minha preocupação centra-se nos seguintes pontos:

1)Ausência da CL
2)Grandes dificuldades na venda de um lote importante de jogadores mal comprados.
3) Consequente deterioção da situação finaceira.

Não posso estar mais de acordo com o Pedro Mota: a memória é curta e a grande notariedade tem de ser dada ao Co Adrianse, dado que foi o treinador que lançou a maioria dos jogadores na primeira equipa e fez deles o que todos reconhecemos.