quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Vazio de poder

Por Tiago Burmester Baptista (*)


Não precisamos de procurar muito para encontrar países onde os presidentes dos clubes passam a temporada fora do espaço mediático, e apenas surgem diante das câmaras e microfones quando a pressão dos adeptos (e dos resultados) assim o exige. Em Portugal a cultura é outra. A luta dentro das quatro linhas começa nos media. Três diários desportivos (com agendas claras), sites, noticiários... enfim um mundo de gente que tem de apresentar trabalho para justificar o seu salário, criando casos sempre que possível. Assim, e devido ao nosso amor clubístico - dos adeptos - a máquina vai ganhando importância e sendo alimentada não apenas pelo desporto propriamente dito, mas sobretudo pelo ''circo'' que anda à sua volta.
Vários foram os momentos em que, apesar de graves crises políticas, económicas ou financeiras, as aberturas dos telejornais se fizeram com a partida de João Pinto do Benfica, com declarações de Dias da Cunha ou com escutas do apito dourado.

Pinto da Costa fez um trabalho histórico no Futebol Clube do Porto. Abanou as estruturas do poder, e durante anos foi mestre na forma como ditou a agenda mediática desportiva do país, enquanto projectava o FCP para a liderança desportiva efectiva (não apenas de futebol). A forma como compreendeu e geriu ambas as áreas permitiu criar condições para o crescimento do clube enquanto símbolo do país no estrangeiro.
Hoje o FCP deixou de liderar o espaço mediático. Hoje o FCP é apenas um seguidor, discreto (dando ar de intelectual) das movimentações mediáticas desportivas, que como indiquei em cima, são o minuto zero de qualquer encontro desportivo. Oferecendo o seu espaço nos media, o clube perde identidade, voz, liderança. Perde força. Permite que apitos dourados e túneis vermelhos não apenas manchem a sua imagem, mas façam com que as equipas entrem a perder no campo.
Como sabemos, apenas ditando agenda dos media, podemos, hoje, responder ao controlo das instituições desportivas por outros clubes, que tentam a todo o custo ganhar e prejudicar o Porto pelo caminho.
Como reage o clube? Declarações feitas por meias palavras, labaredas que em nada defendem ou dignificam o clube, e condescendência com castigos (perda de 6 pontos) mais tarde anulados pelos tribunais que verdadeiramente contam.
Hoje quem segue o clube não sente liderança. Os adeptos olham para o clube e apenas vêm silêncio. A célebre frase de Pedroto - "se formos prejudicados até à policia recorremos" - parece ter sido substituída por algo mais próximo de "oferecemos a outra face". Hoje a voz do clube são os cronistas, bloguers, e comentadores Portistas, que assumiram a defesa deste quando os responsáveis parecem não o fazer. Perante o caso do túnel, noutros tempo ameaçávamos impugnar o campeonato, processávamos judicialmente Ricardo "Pavão" Costa, e explicaríamos à Liga e ao CD que caso o recurso nos desse razão, estes pagariam caro (cash) a brincadeira. No limite ameaçávamos ir jogar o campeonato de Espanha. Hoje, fazemos uma "simpática" e previsível declaração.

Podemos discutir se hoje a gestão desportiva do clube continua a um nível competente (permito-me discordar - não acredito que Jesualdo Ferreira deseje comprar 4 ou 5 argentinos por ano). O que já não podemos discutir, porque é um facto, é que o clube anda à deriva dentro e fora dos seus muros. Adoptamos uma postura mole perante os sucessivos insultos e maus tratos de que somos alvo. Se não há liderança, nada se pode pedir aos que correm e transpiram a camisola. É assim nas nossas equipas, nos nossos locais de trabalho, no nosso estádio. Quando falamos em problema de sucessão de Pinto da Costa, falamos em assumir o vazio que está criado hoje, ainda com este no poder. Um líder muito respeitado "intra muros", que se revela cada vez mais incapaz de responder e agir na defesa do clube (chegando a ser a raiz do problema - o apito dourado surge da mistura da sua vida privada com a sua posição no clube).

O FCP está órfão de líder, e de estratégia. Isso é visível, e fortalece os nossos adversários. Tal como na natureza, os grandes apenas são atacados quando os pequenos os sentem fracos. O problema hoje não é o pós Pinto da Costa, mas sim a sua presença nos comandos do clube. Um grande (e Pinto da Costa é enorme) líder não é eterno, e tem de entender quando o seu tempo acaba. Mais importante, e como disse Winston Churchill, um político tem de ter a capacidade de antever o futuro para depois explicar porque esse mesmo futuro não aconteceu. Pinto da Costa perdeu essa habilidade. O seu tempo passou e o FCP está à deriva.

"A politician needs the ability to foretell what is going to happen tomorrow, next week, next month, and next year. And to have the ability afterwards to explain why it didn't happen."
Winston Churchill

Não sou um pessimista nem um ingrato. Pelo contrário, sou um optimista e creio que o trabalho feito por Pinto da Costa é extraordinário, e como disse em cima, histórico. Como tal vejo na mudança um meio fundamental para avançar, evoluir e melhorar. Os nossos adversários não mudaram durante anos...

(*) Tiago Burmester Baptista fez-se portista pela mão do seu tio Alexandre numa visita ao estádio das Antas, há mais de 25 anos - vitória de 2-0 sobre o Salgueiros, com dois golos de Fernando Gomes. Sempre com o FCP presenciou grandes jogos em que participaram, entre outros, Jean-Pierre Papin, Eric Cantona, Romário (ainda no PSV), Maldini, Aloísio, Deco, Jaime Magalhães e João Pinto (o original e verdadeiro). Hoje emigrado, não deixa de viver e seguir o clube diariamente.

Nota final: O 'Reflexão Portista' agradece ao Tiago Burmester Baptista a elaboração deste artigo.

34 comentários:

Miguel Pereira disse...

Caro Tiago,

Partilhamos a antiga paixão e o olhar de emigrante que talvez nos permita ver a situação de forma mais analitica de quem está dentro.

Subscrevo cada linha de raciocínio. Nunca se trataria de questionar o notável mandato de Pinto da Costa (apesar deste muitas vezes se ter esquecido que a sua base foi de Pedroto) mas sim perceber que a sua hora passou e que a equipa que o rodeia não tem, pura e simplesmente, o nível para lhe suceder como gostaria.

Grandes clubes vivem momentos de grandes rupturas. O longo mandato de Luis Nuñez no Barcelona teve um perigoso hiato com Gaspart, sua mão direita, até que Laporta pôs um pouco ordem na casa. O mesmo passou em Madrid. Dois clubes onde a figura do presidente, como em Portugal, é muitas vezes superior à do próprio técnico. PdC não tem um Galliani como Berlusconi, um homem competente e dedicado. A sucessão é inevitável e não deveria ser adiada. Mas deveria ser sempre de ruptura.

Gomes, Adelino, Antero, Reinaldo, quem quer que seja da actual direcçao está minado pela conjuntura actual e o vazio de poder arrastaria facilmente consigo. Sem ocupar esse espaço mediático, sem adoptar uma politica ofensiva e responsavel, o destino do Porto pode ser o de brilhar - quando brilha - nos campos para que depois as suas vitorias apareçam em pequenas caixas de fundo. E sabemos bem que nem sempre os vencedores ficam para a história. Ficam os que se sabem vender melhor, ou alguém se lembra do super-Nottingham de Clough? Bem me parecia.

um abraço

Miguel Lourenço Pereira
www.emjogo.blogs.sapo.pt

Santos disse...

Na minha opinião, esta questão é mais importante para o FCPorto. Não propriamente a questão da PdC, da sua sucessão e liderança nos designios do clube, mas a ausência de comunicação para o exterior, quer para os adeptos, quer para os media.

É absolutamente essencial que o clube comunique de forma muito mais mediática do que tem feito aquilo que lhe vai na alma. De outra forma, não recuperaremos os respeito há muito perdido e não há competência que nos valha. Quando as coisas falham é muito fácil apontar erros internos e focar-mo-nos neles como sendo a principal causa do nosso insucesso. Não há organizações perfeitas. Mas o clube não joga sozinho. Estão lá mais 11 do outro lado e 3 a passear na relva que também têm um papel preponderante. Não quero que esses 3 nos ajudem, mas quero que nos respeitem e nos julguem com equidade e isso não tem acontecido.
Para ajudar à festa, temos os 'organizadores' da competição que são adeptos ferrenhos de um candidato e optaram por uma conduta manipuladoramente parcial.

Gostava muito que a estrutura do FCP tivesse conhecimento destas opiniões que em parte são partilhadas na blogosfera portista. Ás vezes estar fora permite ver as coisas de uma perspectiva diferente e mais clara do que internamente.

Mefistófeles disse...

Pois eu concordo com o Santos.

O tempo de PdC não passou ainda, creio que tem muito ainda para dar ao clube. Os tempos mudaram e o que tem falhado, a meu ver, é a comunicação do clube que deixa os adeptos desesperados..

Quero crer que o FCP tem uma estratégia, nós é que não sabemos qual é...


E sim, acho que alguém no FCP devia ler os blogues...

Mefistófeles disse...

Pois eu concordo com o Santos.

O tempo de PdC não passou ainda, creio que tem muito ainda para dar ao clube. Os tempos mudaram e o que tem falhado, a meu ver, é a comunicação do clube que deixa os adeptos desesperados..

Quero crer que o FCP tem uma estratégia, nós é que não sabemos qual é...


E sim, acho que alguém no FCP devia ler os blogues...

Cristiano Moreira disse...

Um texto que dá que pensar, mas sinceramente não me parece boa ideia tirar de lá o Pinto da Costa. Porque não acordá-lo? Ele ainda não está morto.
Vazio, penso eu, sentiremos quando ele sair. Quem iremos lá meter?
As coisas não estão bem, mas também não estão mal, ainda estamos em todas as frentes, ao contrário dos aclamados.
Vamos esperar para ver. Pensar a quente é, e sempre foi, um erro.

Agremiação cor de rosa disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
F.C.Limpa Tudo disse...

Caros Portistas

Infelizmente, por motivos de saúde não tenho podido com regularidade exprimir as minhas opiniões sobre o nosso clube neste ou em qualquer sítio. Contudo mantenho-me informado porque tenho filhos e netos de um Portismo que me orgulha do legado que deixarei.
Não gosto deste artigo ou post. Não gosto porque é um post que não tem ponta por onde se lhe pegue. O Tiago Burmester Baptista, não conhece o presidente Pinto da Costa o nosso clube e em particular o nosso infeliz país.
“Hoje quem segue o clube não sente liderança. Os adeptos olham para o clube e apenas vêm silêncio.”
Mas alguém acredita nesta frase sem se rir? Alguém acredita realmente que o Clube não tem liderança?
“Hoje a voz do clube são os cronistas, bloguers, e comentadores Portistas, que assumiram a defesa deste quando os responsáveis parecem não o fazer.”
Mas alguém acredita nesta frase sem se rir?
“O FCP está órfão de líder, e de estratégia. Isso é visível, e fortalece os nossos adversários. Tal como na natureza, os grandes apenas são atacados quando os pequenos os sentem fracos. O problema hoje não é o pós Pinto da Costa, mas sim a sua presença nos comandos do clube.”
Mas alguém acredita nesta frase sem se rir?
Quero recordar o sr Baptista que na época passada a maioria dos bloguers e comentadores a propósito do castigo do pito final, pediam a demissão do presidente precisamente com os mesmos argumentos.
Os Blogues são importantes e as pessoas que neles escrevem, algumas de uma qualidade extraordinária que mereceriam outros palcos, que infelizmente não conseguem atingir.
A estratégia do clube é desportiva. A estratégia do clube é o desporto na sua verdadeira imagem. A estratégia do clube é pensar futebol, futebol, futebol com competência e profissionalismo. A estratégia do clube é ser o maior clube desportivo do país da Europa do mundo.
Só quem não conhece o clube é que não consegue ver.
“Hoje o FCP deixou de liderar o espaço mediático.”
Gostava que o sr Batista escrevesse quando o nosso clube liderou o espaço mediático?
Liderar o espaço mediático?
Com órgãos de comunicação infestados de mouros radicais, que a sua principal missão é fazerem fretes ao clube do regime.
Com programas desportivos no porto canal, onde constam 4 mouros contra 2 Portistas, que têm a lata de dizerem que na cidade do Porto existem mais gayvotas do que Portistas.
“Um grande (e Pinto da Costa é enorme) líder não é eterno, e tem de entender quando o seu tempo acaba. Mais importante, e como disse Winston Churchill, um político tem de ter a capacidade de antever o futuro para depois explicar porque esse mesmo futuro não aconteceu. Pinto da Costa perdeu essa habilidade. O seu tempo passou e o FCP está à deriva.”
Mas alguém acredita nesta frase sem se rir?
O presidente não é político. O presidente já por diversas vezes disse que quando sair, o clube continuará a ganhar porque tem todas as estruturas para o conseguir.
Para alguns adeptos ao que parece está sempre tudo mal.
Acham que está sempre tudo mal, nunca explicam como fazer melhor. Está mal e ponto.
A profissão destes adeptos a gente não sabe.
Temos a certeza, pelo menos eu tenho, não cometem erros, nem sequer de casting, são pessoas de um enorme sucesso profissional que não precisam do F.C.Porto para atingir os seus objectivos pessoais.
Benditas as empresas que os têm como colaboradores, gestores ou consultores.
Saudações Portistas

nobigdeal disse...

pois eu cá concordo com tudo quanto se diz no artigo e também já não acredito que exista qualquer estratégia clara e objectiva quanto ao rumo a seguir.

quando vemos que o clube delega a sua defesa pública no coitado do Jesualdo Ferreira (coitado, porque não são essas as suas funções) e nas conferências de imprensa do plantel (assalariados cuja função principal é jogar à bola), parece-me esclarecedor.

eduardo disse...

Tiago Burmester Baptista considera que o FC do Porto é um clube sem estratégia e sem liderança. Pinto da Costa está na origem dos problemas que o clube enfrenta, a sua presença é um entrave e, por conseguinte, deve abandonar o cargo.

Esta última tese não é propriamente original. É repetida ad infinitum por uma certa imprensa desportiva há décadas.

Se o FC Porto é um clube à deriva, seria interessante que Burmester Baptista nos explicasse como é que o clube conseguiu estilhaçar nas instâncias competentes os argumentos da CD da Liga, do Ministério Público e da própria UEFA. Como é que um clube "órfão de líder" e com uma gestão desportiva discutível dispõe das mais modernas instalações, conquista quatro campeonatos consecutivos, reforça o seu prestígio internacional, promove técnicos e jogadores e é um crónico favorito em modalidades como o hóquei em patins, o andebol e a natação?

Concordo que o FC Porto deveria ter uma postura mais vigorosa na comunicação social, mas na perspectiva de denunciar e desmontar todo o circo mediático que envolve o desporto e nada tem a haver com jornalismo.

Santos disse...

O Porto nunca será mediático (pelo menos positivamente) mas nem é preciso. O que é preciso é haver uma voz no clube que se faça ouvir nos adeptos e isso não tem acontecido. Nem é propriamente necessária que todos concordemos com o que essa voz traz cá para fora, mas tem de haver uma posição a situações que nos mordem.

Reparem que, a simples conferência de imprensa dos jogagores incomodou tudo o que são lampiões. Porquê? Alguém mencionou o clube deles? Não. 2 ou 3 minutos de conversa serviu não só para encher o peito às hostes portistas como irritar os lampiões... Porque será?
E depois há uma coisa incontornável: eles até podem achar que a equipa deles é uma máquina, mas, também sabem que não é invencível e que o FC Porto também é uma máquina...

Como já referi antes, creio que tenhamos acordado tarde demais mas este tipo de coisas têm de ser propagandeadas. Tem de ser dito com as letras todas que o que se passa (concretizando) é uma roubalheira. Tem de haver voz no clube. A SAD não precisa de nos pedir para fazer nada. Nós tratamos do assunto, mas façam também o vosso papel. E não é com labaredas e comunicados.

Eu compreendo a linha que orientou a SAD em termos de comunicação até aqui mas agora é mais do que claro que tem de ser diferente. Não basta ser competente.
Se formos realistas, a nossa época está a ser muito positiva. Estamos em todas as competições, na final da taça da liga, em boas condições de chegar à final da taça de Portugal, entre os 16 melhores da Europa e, apesar de sermos 3º no campeonato, considero que, apesar de tudo, é uma época ao nível de muitas outras que já fizémos e ganhámos.

Jorge Aragão disse...

Numa altura em que outros valores mais altos se levantam, não me parece certo nem pertinente vir com esta discussão à baila.
A hora é complexa e só a união de TODOS nos poderá lançar na conquista difícil - este ano mais - a que nos propomos, contra tudo e todos.
É claramente um post a destempo pelo que nem comento o seu conteúdo, chamando apenas à atenção que as preocupações agora são outras e lá para Maio, junho, então sim poderemos discutir estas questões.
Agora é apoiar e unir.

Ana Martins disse...

Pardon my french: esta m***** não termina?

http://jn.sapo.pt/PaginaInicial/Policia/Interior.aspx?content_id=1503233

cumps

Américo Preto disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
AFC disse...

Sobre o post não vou comentar porque estou de acordo com muitos dos comentários aqui escritos. Acho de um exagero atroz o pedido de demissão de Pinto da Costa. Porque não nos iludamos. Ao dizer que o ciclo terminou, o que se quer é dar um chuto no Presidente. E não é para canto. É chuto para o mato porque isto é jogo do campeonato. Aliás, é o jogo do campeoanto do Benfica.

Mas vejamos outra questão:

“Podemos discutir se hoje a gestão desportiva do clube continua a um nível competente (permito-me discordar - não acredito que Jesualdo Ferreira deseje comprar 4 ou 5 argentinos por ano).”

Que obsessão é esta com os argentinos? Alguém me explica. Não há post nenhum onde não se fale dos “argentinos”.

Américo Preto disse...

A mim parece-me que o Pinto da Costa está a trabalhar nos bastidores e aproveitando os castigos da Liga fica em silêncio e fora do radar, o que lhe deve dar jeito para mais tarde se sair com uma jogada daquelas que nos fará a todos dizer:
"Esta é mesmo à Pinto da Costa. O homem é realmente um génio".
Até porque ele já prometeu revelações de coisas escandalosas que vão deixar muitos envergonhados e também se fala na possibilidade de impugnar o campeonato. Sendo que esta medida a ser lançada na comunicação social, como mera possibilidade, até é melhor que ele não apareça e lhe peçam esclarecimentos para saber se é verdade ou não, para deixar os órgãos da Liga e da FPF à nora e a calcularem os desastres a nível nacional e internacional, de clubes e selecção, que uma impugnação de um campeonato pode provocar.
Claro que se ele aparecesse a dar o peito às balas como sempre fez, as coisas seriam levadas mais a sério pelos Portistas, mas não pela comunicação social e opiniom makers, que de há uns anos a esta parte estão "plantados" em sítios de destaque da comunicação social portuguesa para destruir e desvirtuar qualquer discurso feito pelo nosso Presidente, dando-lhe outro sentido e levando sempre a considerar que tudo o que ele diz é uma incitação à violência.
Acho bem que ele trabalhe na sombra e produza resultados quando o "inimigo" menos esperar.

Quero realçar um outro aspecto, que aliás já abordei em comentários meus anteriores, a que nunca vi ninguém, em lado nenhum, a dar importância: Porque é que os comentadores desportivos de todos os programas em que se fala de futebol (exemplos: Dia Seguinte; Trio D'Ataque; Prolongamento; e se calhar há mais mas desconheço, assim como em colunas de opinião de jornais e até em programas de rádio), se forem benfiquistas, se sentem na obrigação de explicar, defender e serem solidários com as decisões da CD? Dá ideia de estratégia concertada ou no mínimo é estranho esta unanimidade nas opiniões, de pessoas distintas. Pois que se ainda ao menos fosse sempre a mesma pessoa (ou 2 ou 3 pessoas) seria coerência mas várias pessoas a defenderem de uma maneira tão esforçada as decisões deste órgão então só pode ser "coincidência".
Não se nota nada as trocas de favores entre benfica e Rato Bosta.

FC PORTO SEMPRE E PARA SEMPRE

nobigdeal disse...

interpreto o artigo precisamente como um apelo à união.

e também me quer parecer que o link postado pela Ana Martins é esclarecedor sobre o quão oportuno é, infelizmente :(

Ana Martins disse...

update:
as buscas têm a ver com a transferência de Baía. D'Onofrio envolvido.

cumps

Anónimo disse...

Caro Jorge Aragão,

A "união" que interessa é nos orgãos sociais e no plantel. Aqui está apenas meia dúzia de gatos pingados a debitar as suas opiniões apenas pelo prazer de reflectir sobre o clube. Nunca pensamos na opinião que outros possam ter acerca da oportunidade ou falta dela daquilo que publicamos porque não temos intuitos ou agendas destestabilizadores ou de poder, nem achamos que seja nossa função tentar contribuir para a "união". Isso seria uma limitação à nossa liberdade. E os apelos à "união" mais não são muitas vezes que uma tentativa de fazer calar opiniões dissonantes (não me refiro a si, claro). Como já aqui tive oportunidade de escrever não apoiamos nem nunca apoiaremos qualquer facção dentro do clube. Mas escrevemos o que nos apetece e quando nos apetece, mesmo que isso faça rir alguns dos nossos leitores, como podemos ver num comentário acima.

Um abraço

reine margot disse...

é bom que a gente mais nova , como o Tiago, venha escrever e provocar a tal reflexão... mas, lá está, ser novo é uma virtude, mas também um defeito. É engraçado, mas eu que sou mais da idade do seu tio, não me fiz portista numa vitória sobre o Salgueiros. Nasci assim. Até porque o meu tio não ligava a futebol, e os restantes, quando ligavam, eram mais pelo Eusébio & Cia!... Assim, aconteceu que para mim o Porto não nasceu com o Sr Pinto. - Mais, se alguma coisa é preciso agradecer ao Sr Pinto da Costa é ter sabido rodear-se de gente que organizou e profissionalizou o clube. - É assim como a Microsof que não acabou quando o Sr Bill Gates resolveu ir fazer caridade ... - Ou seja, lá porque não se grita não quer dizer que não se esteja a fazer as coisas bem - como aliás se demonstrou muito bem na questão da uefa - ou melhor e citando o Alberto João, que as coisas da justiça não estejam a ser tratadas no recato de que necessitam!
Além disso, espero que esta continue a ser a evolução do clube. Um clube onde tudo corre sobre rodas; para ser um grande da Europa, e não apenas um clube de milhões de portugueses...
Quanto à comunicação, se o clube não fale, é porque não pode.
Seja lá porque razões...(Por ter esqueletos no armário, ou estar preso por algum patrocínio...)
Mas, se eles não podem podemos nós. E ainda bem que podemos e o fazemos. Assim é que se fez o Porto. Com o amor e a dedicação de todos. - Quando o avançado não marca, marca o defesa! - Os senhores Pedroto (já não posso ouvir citá-lo a torto e a direito) e Pinto da Costa não pegaram num moribundo, pegaram num clube grande. (Fizeram-no maior.)
Quanto ao resto, o tal vazio, não se preocupe, esta então é que é "uma casa apetecível" e não faltarão candidatos...- de entre todos haverá algum que preste.
Quanto à liderança, a que me interessa neste momento é mesmo a dentro do campo e na tabela

José Rodrigues disse...

Pessoalmente acho q o artigo [àparte: porque diabo é q muito pessoal diz "post"?] está interessante mas tem um tom francamente exagerado em q não me identifico.

Discordo francamente q o FCP esteja à deriva em termos de liderança; acho claramente prematuro dizer q o tempo de PdC acabou.

Dito isto, acho q o PdC perdeu combatividade ao longo dos últimos, e q isso provavelmente se deverá 1) ao Pito Dourado, 2) a problemas ou paixões privadas e 3) também a um estilo de liderança muito mais colegial (em q os restantes decisores são muito menos incisivos, eu diria mesmo algo aburguesados).

Acho tb q passámos a ter uma postura muitíssimo mais defensiva e reactiva (o q vai dar mais ou menos ao mesmo), e quiçá mesmo algo complacente / relaxada (fruto de muitas vitórias, provavelmente).

Acho tb como já tenho dito q a estratégia de comunicação e mobilização de adeptos deixa bastante a desejar.

Será tempo para PdC sair? Sinceramente penso q será discussão lá para Abril (eleições), principalmente no caso de haver listas concorrentes ou de PdC não se recandidatar. Nesse aspecto concordo q o timing para a discussão não é o ideal.

Na altura logo se verá mas, como disse a abrir, à partida sou algo agnóstico - mas de uma coisa tenho a certeza: tal como muitos outros portistas, prefiro claramente um PdC ao leme do clube do q o elenco actual sem a sua presença. Mesmo não estando no seu melhor, tem ainda trunfos muito consideráveis.

José Rodrigues disse...

Só mais um comentário: como disse acho q o timing para esta discussão não é ideal, mas não me oponho MINIMAMENTE a q o artigo seja escrito e publicado neste momento (ou em qq outro).

Não vejo q venha QUALQUER mal ao mundo (portista) por ser escrito e publicado neste momento; é uma discussão perfeitamente legítima e q não subtrai em nada a outras discussões q serão porventuras mais oportunas (os adeptos não estão limitados a um máximo de x discussões a um dado momento :-)).

PS - diga-se de passagem q o timing é tão oportuno como se tivesse sido publicado um texto alternativo na linha de "PdC forever".

SecretHell disse...

A unica coisa que tenho a apontar neste momento ao presidente é o dossier contrataçoes ...eu nao consigo perceber por exemplo como pagamos 2 milhoes pelo emprestimo de 2 anos de Valeri ou 4.5 milhoes por Prediguer e nao investimos logo em Ruben no verao passado...diga o que disserem para mim nao tem explicaçao...o dossier Kleber tambem nao ficou bem na fotografia...

Jorge Aragão disse...

Caro Burmester:
Naturalmente que está longe de mim determinar - como outros com responsabilidades no País, ao que parece - o que cada comentador escreve aqui.Apenas me limitei a discordar.
É um Blog que sigo com gosto pois permite isso mesmo, reflectir, calmo, tranquilo e importante.
Acho até que é um assunto pertinente - disse que em Maio ou Junho deveria vir à baila - e aí opinaria sem problema ( claro que não quero desviar atenções ).
Depois não me parece que sejamos aqui apenas meia dúzia de gatos, acho que o Blog tem expressão.
E mantenho, respeitando a sua opinião, que é importante mas a destempo e que a hora é de cerrar fileiras não entrando nesta altura em assuntos que podem ser fracturantes.
É a minha visão.Mais nada.
Um abraço e saudações portistas.

José Rodrigues disse...

Jorge,

não me parece q NA PRÁTICA faça alguma diferença q os adeptos discutam neste momento um assunto fracturante ou não.

Sim, é fracturante. Mas é isto q vai levar a q a equipa tenha menos apoio no estádio, q o clube tenha menos apoio nas guerras contra os R. Bostas? Não me parece, de todo,
mesmo da parte de quem eventualmente achar q PdC não deve continuar, como o autor do texto.

Quero querer q estamos todos revoltados com as ignomias dos inimigos, estamos todos a remar para o mesmo lado e queremos ver o barco chegar a bom porto, independentemente do que se pense sobre o "capitão" do mesmo.

Ana Martins disse...

Mais 1 anedota:

Rui Rio é testemunha de defesa de Rui Santos num processo com Pinto da Costa http://www.ionline.pt/c48321

Américo Preto disse...

Vi agora um artigo do blogue O Porto é o Maior, Carago! que está muito bom e apesar de ser de um programa que eu não vejo, por uma questão de principio, não posso deixar de dizer que me deixa muito satisfeito. Aconselho a todos os Portistas esse artigo mas muito mais aconselho aos benfikistas que gostam de vir aqui ao blogue mandar bitaites. Há um link para esse blogue aqui neste blogue, na lista alfabética, de blogues Portistas.

PS: Já fiz várias referências a este blogue que até deve dar ideia que é meu ou de alguém que eu de alguma forma queira dar destaque. Errado. Não sei quem é o "dono" do blogue mas gosto muito, a par deste, de ler os artigos que são lá disponibilizados.

FC PORTO SEMPRE E PARA SEMPRE

Miguel Teixeira disse...

Em 2005 escrevi na blogosfera que PdC devia sair e dar lugar a candidaturas livres e sem qualquer ligação à administração actual.

Foi em 2005 e o tempo deu-me razão. A luta pela "verdade desportiva" não deveria ser feita APENAS à porta da sede da Liga.

Mefistófeles disse...

@ Miguel Teixeira,

Sinceramente, nao percebo porque acha que o tempo lhe deu razao. Considera que PdC tem sido um mau presidente de 2005 para ca ?

@todos,

E mudando de assunto:

So conseguimos reunir 382 signatarios para a estatua a Pedroto ???

Deus...anteriormente conhecido como... disse...

Concordo essencialmente com a falta de agressividade da Direcção do FCP.
Está na hora da revolução. Chega destas noticias dadas de forma a sugerir que a PJ estava a procurar documentos ilícitos do FCP quando efectivamente não era nada disso que se passava.
À que reagir e reagir duramente contra todos os que tentam enxovalhar o nosso grande FCP.

aduanev disse...

No seguimento do que disse o FC Limpa Tudo, não estou nada de acordo com o tom geral do post - até me parece de um daqueles cripto-portistas fabricados ag hoc para os media da capital - e quanto ao Churchil, lembrava-lhe apenas que quando ele começou a subir os degraus do poder da velha Inglaterra esta era a maior potência do mundo e quando ele partiu ela (a Inglaterra) não era mais que o fiel servidor.

José Correia disse...

Jorge Aragão disse...
«Depois não me parece que sejamos aqui apenas meia dúzia de gatos, acho que o Blog tem expressão»

Caro Jorge, o 'Reflexão Portista' tem uma média de ~1500 visitas por dia.
Penso que aquilo que o Alexandre Burmester quis dizer, é que apenas uma pequena parte dos adeptos portistas (seremos cerca de 2 milhões) visita regularmente este blogue.

José Correia disse...

Mefistófeles disse...
«So conseguimos reunir 382 signatarios para a estatua a Pedroto ???»

De facto, é um número que está aquém do que eu esperava.

Meme disse...

Que ligeireza de post!
Deve ser mais uma vítima da desinformação semeada e regada pelas agencias de meios neste país cada vez mais mal frequentado...
Faço minhas as palavras sábias do F. C. limpa Tudo, bem haja, ilutre Portista e acrescento o seguinte: O F. C. do Porto é gerido de dentro para fora, é das pocas instituições Portuguesas que ainda é governada por uma elite e não pela populaça (que como se comprova é bastante sensível à desinformação). Longa vida ao "Papa" e aos seus "Cardeais" que quando o "Papa morrer" saberão certamente proteger o poder e não deixá-lo cair nas mãos da populaça!!

Victor Medina, sócio nº 64730

Carrela disse...

Como se pode estar já a meter em causa uma liderança q tanto nos deu, e que continua a dar... SIM continua, ao contrário do que querem fazer querer! O FCP continua a ganhar, somos os únicos q continuam com todas as frentes em aberto, ainda podemos ganhar TUDO, se isso acontecer, continua a ser um vazio de poder? Eu tb não estou a gostar NADA deste silencio excessivo, de continuamente comerem calados.. mas dai a por tudo em causa....

Força Porto!!