quarta-feira, 21 de abril de 2010

Têm a palavra os sócios

Ainda alguma água vai correr por baixo das pontes, porém, é boa altura para uma abordagem do que tem sido a época, até ao momento, agora que podemos dar como certo que nem seremos campeões, nem provavelmente teremos acesso à CL. Fica a Taça para resgatar a promessa não cumprida de oferecer o campeonato, em memória de José Maria Pedroto.

É nestas horas menos felizes que costumamos desfilar as nossas frustrações. Não estamos satisfeitos e a tendência é para a dramatização. No futebol esses sintomas agravam-se: a paixão e a rivalidade alimentam comparações, acusações, conspirações e ajustes de contas. Desde que se situem no plano desportivo, tudo bem.

Uma derrota é uma derrota e é um sinal. Tal como a febre, não deve ser desprezada nos seus efeitos. E deve-se igualmente ter em conta que há derrotas que têm um sabor mais amargo que outras, Explico: quando o FCP perdeu para o SLB o campeonato em 2004/5, o nosso principal rival venceu mais em função do ciclone provocado pela saída de JM e das ondas de choque que criou: um balneário pouco coeso, formado por campeões da Europa cheios de pergaminhos e estreitas ligações a JM e novos recrutas de curriculum ainda por confirmar, liderados por um treinador nas antípodas do seu antecessor.
A escolha do novo técnico pareceu quedar-se numa ideia de ruptura que expirou na pré-temporada, tendo Del Neri sido despedido ao abrigo do período de experiência, o que não invalidou que o FCP pagasse a indemnização que lhe era devida.

Esta época é diferente: o SLB está muito mais forte, tem bons jogadores, joga com alta intensidade, ao ataque e com pressão alta e tem sido muito superior ao FCP, dentro e fora do campo. Desvalorizar esta competência em detrimento do efeito “dos túneis”, é uma espécie de fuga para a frente que repete os piores vícios do clube do regime, quando perde a favor do FCP. Denunciar os benefícios espúrios do clube do regime é um direito e um dever, mas tapar o sol com uma peneira é pouco avisado e só serve para desresponsabilizar os principais actores quando a coisa não corre bem.

Aliás, quem joga, hoje, à Porto é o SLB. A nossa equipa aburguesou-se, é pouco agressiva e raramente come a relva. Aliás, tal como a nossa SAD que vive na sua torre de marfim, "obesos" de tanta mordomia, sob o guarda chuva do nosso presidente vitalício.

Não encontro melhor exemplo que Bruno Alves para explicar o insucesso da equipa. Um jogador com o seu potencial foi, provavelmente, dos que mais falharam esta época, sempre com a incompreensível complacência de JF. O jogo com o SCP em Lisboa é o paradigma duma equipa à imagem do seu treinador e do capitão. Ainda no último jogo, foi Bruno Alves que marcou os livres – do lado esquerdo do ataque – apesar de Beluschi o ter feito de forma exemplar com o Rio Ave. Quem decide o quê na equipa do FCP?

Este discurso é propositadamente radical, pois os tempos e as perspectivas não são propícias a falinhas mansas. O SLB ganhou uma decalage importante: tem “petróleo”, um bom treinador, um bom plantel e trabalhou com antecedência na sua (re)composição, na previsão de saídas de jogadores importantes, sendo até possível que consiga um interessante encaixe financeiro para reforçar ainda mais o plantel.

O FCP do futuro não pode viver das glórias do passado. Nem de juras de gratidão. Vamos ter eleições: sabemos que PdC se vai recandidatar, que o plantel vai engordar e que estamos na pole position para ganhar o próximo campeonato e a taça da Europa. Compreendemos que é preciso animar as tropas, ser optimista, mas essa não costumava ser a nossa arma. Não vendíamos o nosso favoritismo. É uma linguagem a que não estou habituado, porque há muitos anos que o FCP é o candidato principal e é uma redundância insistir na evidência. Fazê-lo de forma tão primário é um sinal de fragilidade, bem ao jeito do SCP.

Em resumo: a SAD está para durar, agora sem Fernando Gomes. PdC é ecce homo que manda e o primeiro responsável pelas glórias e pelos erros. As suas últimas intervenções não mostram decadência, apenas acomodação e pouca originalidade. O PdC verrinoso, contundente e brilhante, não perdeu a voz, mas canta sempre no mesmo tom a letra de sempre, enquanto a música mudou e de que maneira.
O público gosta porque está habituado ao refrão e mantém-se ofuscado pelo brilhantismo de outrora. E umas picardias ao SLB servem (sempre) para camuflar algumas fraquezas institucionais e pessoais.

Não acho o homem (nem o dirigente) finito, o que é finito é o apoio que quase sempre me mereceu a acção de PdC. Passei a ter dúvidas a mais, se o que é “bom” para PdC e demais dirigentes da SAD, também o é para o FCP.

Vamos ter eleições e embora haja uma lista única, devemos aproveitar para manifestar a nossa orientação. É uma oportunidade que não deve ser perdida. Votar é uma obrigação. Desejo uma afluência às urnas significativa. O FCP comanda a SAD e a SAD comanda o futebol. Têm a palavra os sócios.

24 comentários:

Mefistófeles disse...

Parabéns pelo post, Mário Faria. Com a lucidez habitual. Subscrevo a grande maioria das suas palavras, apenas tenho menos dúvidas. Vamos ver, o futuro o dirá.

Adolfo Dias disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Adolfo Dias disse...

Gostei do post até um certo ponto.
Mas gostava de deixar aqui o link de um blogue Portista que tem um post muito bom para ser lido por adeptos do clube de denominação bairrista (bairro de benfica, lisboa) que pode ser um pouco esclarecedor da falsa boa saúde financeira desse clube.
Ao que parece, a pessoa que escreve aqueles posts até fala do que sabe, pois pelos vistos é formado na área de economia.

LINK: http://misticaazulebranca.blogspot.com/

Anónimo disse...

Apreciei a frieza da sua análise, Mário.

Eu acho, contudo que uma larga camada de adeptos do FCP está também acomodada. Com facilidade caem no slogan barato, no triunfalismo fácil e num tipo de fanfarronada que pensei que era exclusivo dos benfiquistas. O longo período de êxitos do clube anestesiou-os e criou-lhes a sensação de que as vitórias vêm ter connosco sem ser preciso grande esforço de nossa parte. Não se apercebem de que o contexto está a mudar e de que há novos desafios que requerem novas respostas.

Também eu desejo uma significativa afluência às urnas. O facto de haver apenas uma lista não deveria desmobilizar ninguém.

Anónimo disse...

Ninguém acha que o SLB esteja de boa saúde financeira, caro Adolfo Dias, basta ver os R & C da respectiva SAD. O que sabemos é que têm conseguido encontrar fontes de financiamento abundantes. Também não devemos esquecer que, mesmo que a coisa aperte, decerto encontrarão benevolência de certos sectores bancários. Não sei se o FCP pode contar com a mesma benevolência. Mas não vejo por que razão, também nós, não possamos encontrar novas "fontes de financiamento".

Adolfo Dias disse...

"Ninguém acha que o SLB esteja de boa saúde financeira, caro Adolfo Dias, basta ver os R & C da respectiva SAD."

Caro Alexandre, nós que somos Portistas sabemos melhor que a maior parte dos benfikistas da realidade financeira do clube do passarinho, por isso é que fiz a chamada de atenção aos vermelhinhos que por aqui passam (e não devem ser poucos) para se actualizarem e não andarem com a conversa remasterizada em vários sítios (blogues, comentários de noticias e até na boca de paineleiros televisos vermelhuscos) de que no FC Porto é que não se sabe o que se faz ao dinheiro.
Aplica-se e aplicar-se-à ainda mais no futuro, aos benfikistas, a famosa frase: Quem tem telhados de vidro não atira pedras ao do vizinho.

Quanto às eleições, acho bem que seja uma participação em massa para demonstrar ao Pinto da Costa e seus "amigos" que apesar de o apoiarmos não estamos "adormecidos" e descansados à sombra do seu crédito acumulado, queremos resultados. Acho que no texto é mesmo esse o sentido do apelo à participação no acto eleitoral, e com toda a razão e sentido. Mostrar que o queremos lá mas com mais FC Porto no coração do que nunca.
É que se perder um campeonato não é o fim de nada, perde-lo com a roubalheira que foi este ano é muito mais custoso.
Nem sempre vence a equipa que joga melhor e este ano o benfica foi a equipa que jogou melhor, mas lá está, isso não invalida que outro clube menos prejudicado do que foram os actuais clubes da 2ª e 3ª posição pelas decisões "menos ajuizadas" da CD, não conseguissem ficar à frente de quem apresentou um futebol mais vistoso.

Pedro disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Adolfo Dias disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Adolfo Dias disse...

Este pedro do e castig anda aqui todos os dias a ganhar dinheiro à pala dos Portistas que vão ver o que é o link que ele escreve e que não serve mais nada que não seja publicidade e dar-lhe dinheiro a ganhar.
Ainda se ao menos fosse Portista mas este é o tipo que andava a escrever comentários indecorosos noutros posts anteriores (salvo o erro).
Se eu fosse administrador apagava estes coments de publ., a não ser que ele seja Portista e que fizesse um pedido aos administradores e se identificasse convenientemente perante eles.

Mefistófeles disse...

O Adolfo Dias tem toda a razão no seu último comentário.

Pedro,

Vai trabalhar, malandro !

Anónimo disse...

Sempre que topamos com esses "posts" do Pedro, limpamo-los, claro. E o RP não é o seu pousio exclusivo. Vi-o também, salvo erro, no blogue que o Adolfo indicou acerca das contas dos vermelhuscos.

Pedro disse...

Mário,

Muito boa análise. Tão boa que deixa um ponta de tristeza. Espero que as coisas mudem e não me refiro só à parte desportiva - essa vai e vem até porque os jogadores raramente ficam mais que 2/3 anos nos clubes, ou seja benfica e porto estarão transfigurados num futuro próximo, e aí potencialmente tudo pode ser diferente.

O que me deixa preocupado e triste é que, quando leio o tal artigo sugerido pelo Adolfo, leio o que já sei sobre o benfica, e saberei que a realidade é potencialmente muito pior para o Porto porque as receitas não serão melhores e os custos até são piores.

Como alguém aqui já falou, talvez o que motive esse crescendo nos investimentos de Porto e Benfica e a recandidatuar de PdC, seja o ódio actual entre ele e LFV. Vamos esperar que não tratem do futebol como se fosse uma partida de poker, em que o que perde, perde tudo, e o que ganha, ganha tão pouco que talvez nem chegue para lhe garantir o futuro.

Uma coisa que sempre me causou confusão foi a comissão de vencimentos ter aprovado bonus para administradores por títulos ainda que à conta do futuro económico do clube. Para mim é surreal. Um jogador ou um técnico têm de jogar para ganhar jogos e títulos, um administrador tem que jogar para garantir sustentatibilidade futura. Se os títulos derem essa sustentatibilidade, então sim, os administradores terão feito por merecer esses prémios.

Pedro Carriço

André Oliveira disse...

http://misticadodragao.blogspot.com/2010/04/caso-meyong-v2.html

Nightwish disse...

Eu só espero que o Luís Filho do Mãe cumpra as promessas e não venda ninguém: falência para os encarnados em pouco tempo.

Adolfo Dias disse...

Realmente esta questão levantada pelo André no seu blog é de se estudar e se for caso disso pôr em prática a retaliação por actos contra o FC Porto num passado recente.
Falta saber se realmente aquilo é um caso com pernas para andar e se for não deixar passar muito tempo pois agora os campeonatos mal terminam e se num prazo muito curto (acho que são só 5 dias ou 15 dias, nem sei ao certo mas sei que é um prazo curto) não houver contestações as classificações finais são homologadas sem possibilidade de recurso.

Anónimo disse...

Lamento mas isso é levantar fantasias. As épocas brasileira e portuguesa não coincidem, logo o jogador pode actuar por três clubes diferentes. Não há qualquer caso. Os tipos do Braga que leiam o regulamento.

André Pinto disse...

Weldon: 10 jogos, 317 minutos e 5 golos.
Média: 63.4 minutos/golo

Hulk: 16 jogos, 1325 minutos e 5 golos.
Média: 265 minutos/golo

Dr. Estranho Amor disse...

André Pinto,

Essa sua análise comparativa entre Hulk e Weldon revela alguma prostituição intelectual.

Mas se assim deseja:

Varela: 8 Golos.

Di Maria: 4 Golos.

Vale o Varela 20,30,40 Milhões ou é o dI mARIA.

John Aarson disse...

Mas existem dúvidas que o Varela é melhor que a Mariazinha? O Di Maria é bom para mergulho...

Dragaoatento disse...

... Não acho o homem (nem o dirigente) finito, o que é finito é o apoio que quase sempre me mereceu a acção de PdC. Passei a ter dúvidas a mais, se o que é “bom” para PdC e demais dirigentes da SAD, também o é para o FCP.

Afino pelo mesmo diapasão.

Um abraço

rbn disse...

Bastou o triênio de 2000 a 2002 para os diários oficiais do benfica,leia-se bola e record,dizerem,escreverem e comentarem que PC "já era",já que o FCP ficara 3 anos sem ganhar a liga.
A resposta veio avassaladora,em 2003 e 2004.
Bastou o benfica ganhar em 04/05,que os mesmos "adeptos-lampiões-travestidos-de-jornalistas" disseram "já era com mais força" e ainda fizeram o funeral.
Pois levaram 4 anos seguidos com o "defunto",e tiveram que engolir o apito de ouro.
Bastou esta época correr mal,que já se acha que PC está a mais,que sua gestão sem Fernando Gomes será desastrosa e etc...
Um homem que em quase 30 anos de presidência tem uma margem de acertos que beira os 70%,fez do FCP um clube respeitado a nível MUNDIAL,e etc etc etc alguma vez na vida tem que errar.Ninguém é perfeito.
Como todo Papa,o mandato só termina no dia da sua morte...
Portanto,vida longa a Pinto da Costa.

Anónimo disse...

Isso! Mudem os estatutos e façam dele presidente vitalício! Só faltava mais essa!

O que se passou antes não é garantia nenhuma de que as coisas agora se passem da mesma maneira, até porque, ao contrário de 2002, não há nenhum Mourinho para se ir pescar, e os vaticínios até apontam para alguém bem diferente. Mas, a seguir-se esses paralelismos históricos, significa isso que só voltaremos a ser campeões em 2012/13?

rbn disse...

Pinto da Costa nunca deixou de dar resposta à altura nos "menos melhores momentos" do clube,e é por isso que os sócios vão dar-lhe mais 3 anos.
Porque confiam.
"O que se passou antes não é garantia nenhuma de que as coisas agora se passem da mesma maneira"

Não há como dar garantias,mesmo porque quem garante que eu,voce ou qualquer outro estaremos vivos amanhã?
Quem apostava que no início da época, jesus fizesse tal milagre aos benfas?
O que sei é que, apesar de gostar de mulheres novitas(aliás dizem que para burro velho,o remédio é capim novo), fosse Pinto da Costa de qualquer nacionalidade que não português ou brasileiro, já teria estátua em qualquer país pela obra feita.
Pelé disse que, nos States,basta um gajo matar um leão, é reconhecido caçador.
No Brasil,tem que matar um leão por dia,e assim mesmo não basta para ser reconhecido.
Pelos vistos,aqui também.

Anónimo disse...

Com sua licença, você deve fazer parte da Associação Fernando Cerqueira de Angariação de Assinaturas.

Quem lhe disse que PC nunca foi reconhecido?

Para que saiba, envolvi-me bem na campanha original dele em 1982 e votei nele várias vezes, incluindo das duas vezes que teve opositor (o Martins Soares).

Mas eu sou adepto do FCP e não do PC, e tal como o autor do artigo já duvido que os interesses dos dois ainda coincidam. Por isso, na hora de votar há que riscar os nomes dos boletins de voto, coisa que já faço há uns anos com alguns desses nomes. Sim, "dos boletins", porque o Sardoeira também já podia ir indo.