quarta-feira, 12 de maio de 2010

O Cavalo de Tróia

Por erros de uns e oportunismos de outros, a CS & Cia. desatou a denunciar as maleitas da República, constituindo-se uma espécie de reserva moral, de ética e de competências: um verdadeiro oásis neste pobre país. Sabem tudo, julgam todos e não há conhecimento que não dominem: como não soubemos evitar a crise e porque dela não saímos. É a República dos jornalistas, como alguém lhe chamou.

Se politicamente o quadro é este, desportivamente o cenário é muito semelhante: sabem sem réstia de dúvida onde mora a verdade e a mentira desportivas. O enfeudamento ao clube dominante, (por alinhamento clubista ou por oportunismo), dita o posicionamento editorial como se no futebol só houvesse duas forças: a do Bem (o SLB) e a do mal (o FCP). O resto fica no limbo, enquanto não estorvar a força que tende e pretende ser hegemónica, sob os auspícios e a bênção de sua Excelência a CS. Este é o quadro geral que admite algumas honrosas excepções.
É pena que assim seja, pois bem necessitados estamos de uma CS activa, profissional, esclarecida e menos comprometida com os diferentes credos.

A violência no futebol deve ser combatida por quem de direito. Ao Estado compete activar os meios necessários para a evitar e para que essa violência não degenere e não vire desgraça. Temos de fazer ver aos nossos que a violência (e/ou a vingança) não é solução, denuncia algum desespero relativamente à confiança que depositamos nas nossas forças e fragiliza o nosso combate.

O FCP deu uma resposta no campo ao vencer sem apelo nem agravo por 3-1. Essa indiscutível vitória (e o seu merecimento) só foram minorados por alguns actos (fora e dentro do campo) que não deveriam ter acontecido.

É certo que durante a semana a CS do costume tudo fez – com uma linguagem hipócrita – para que a vitória do SLB no Dragão significasse mais do que a vitória no campeonato. E todos os portistas perceberam o que queriam e ao que vinham. Alguns não disfarçaram: esperavam “humilhar-nos” na nossa própria Casa.
Como não conseguiram e foram batidos – apesar de jogarmos quase toda a 2ª parte com 10 homens – o tira teimas deu para o nosso lado. Recordarão que quando fomos a Lisboa no tempo de Mourinho – com sete pontos de avanço – era isso que prometia a imprensa vermelha: o tira teimas, o confronto definitivo para saber quem era o melhor. Levaram um banho de bola e uma cabazada de 1-0, como lhe chamou, muito oportunamente, JM.

Insisto: sou um pacifista convicto e de guerra fiquei cheio quando estive em Angola. Repudio a violência gratuita, embora a visita do SLB ao Dragão toda ela me parecesse um acto de encenação próprio de uma tragédia grega. Os Ulisses vinham no seu cavalo de Tróia, de nome Vermelhão, sujeitos a mil perigos que ultrapassaram com valentia e actos de bravura, sempre com novos episódios que a história não se cansará de recriar. Depois, como desforra das maldades praticadas, pregavam-nos uma valente sova no campo de batalha, enxovalhavam o inimigo usurpador e tinham o direito aos despojos que a CS saberia extrair da forma mais sábia. Correu tudo como previsto, excepto que, não perdendo a guerra, perderam a batalha mais apetecida.

Da violência, felizmente, ficou só fumaça. Os três mísseis é que não esquecem, apesar da superioridade numérica de que gozaram no terreno. E, isso, é que lhes custa engolir. Não perdoam e juram vingança. Queriam humilhar e sentem-se enxovalhados por terem sido derrotados, no terreno que mais precisavam de vencer, para demonstrar a superioridade da raça benfiquista. Apelam às tropas, ameaçam e juram vinganças. Pragal é apenas o rosto de algumas gente, sulista, elitista e que se bate por valores que não é obrigada a praticar e que sabe que pode infringir todos os códigos, pois é do SLB.

Nada que não saibamos. Para o ano há mais. Espero que o bom senso prevaleça. Exijo um FCP mais organizado e competente. Com a algazarra, a festa dos infiéis e a propaganda do SLB posso bem. Estou mais preocupado com o meu clube. Este aparente conformismo com o 3º lugar, não faz parte do FCP moderno. Convivo bem com a derrota se confiar no futuro, que é já a seguir. Mais empenho e menos funcionalismo. Mais criatividade e menos rotina. Ao JF o meu obrigado. Excepcional postura. Soube honrar o nome do FCP.

31 comentários:

pois disse...

Meu caro,

Mais um excelente texto de um excelente blog que quando decide falar do PORTO e ser PORTO é do melhor que se encontra. Pena que de quando em vez entre em dúvidas existenciais e outras coisas mais...

A violencia e o clima de "obrigatória" violência ligada ao futebol e à disputa da vitória no futebol são absolutamente debilidades mentais. Tal como o é a visão de que "no futebol só houvesse duas forças: a do Bem (o SLB) e a do mal (o FCP)"

Repare que "De lamentar, apenas, o facto de um pequeno grupo de adeptos (?) ter insistido em tentar estragar a festa, atirando sucessivos foguetes para o campo e mesmo para o meio de outros adeptos do Benfica…!" in novobenfica.blogs.sapo.pt. Isto numa festa pela conquista do campeonato.

Encerrando tal como o meu caro, espero que o PORTO se posicione de novo bem para vencer e que nos deixem pelo menos, tentar vencer

Cumprimentos

Unknown disse...

Eu acho o post muito pertinete, mas a questão é q, na minha opinião, "dá para um peditório" do qual eu já desisti.

Não há isenção na CS. A expressão "jornalismo" é 1 non-sense. Quando os critérios editoriais se baseiam nas vendas e não na pertinência jornalística, está tudo dito. Os "jornais" de desporto são folhetins de propaganda. Hoje é 4ª feira, faltam 3 dias para a final da Taça e as referências em 1ª página são nulas.

Mas a próxima época começa bem: o cebola n foi convocado, assim como o Hulk.

Carrela disse...

Artigo 5*
Consegui passar para a escrita o que sentimos e nem sempre o sabemos dizer da melhor forma!
parabéns!

José Rodrigues disse...

"Quando os critérios editoriais se baseiam nas vendas e não na pertinência jornalística, está tudo dito"

Mas aí é q está: eles NÃO se baseiam apenas nas vendas, mas também em boa parte nas paixões individuais dos jornalistas q escrevem, dos chefes de redacção e dos donos dos jornais e TVs: a maior parte são anti-portistas e pura e simplesmente não sabem despir a camisola.

Se fosse só pelas vendas, não tomavam posições e destaques pró-slb tão vincados, quando os benfiquistas não são mais do q uns 40% da audiência (ou seja, uma maioria-minoria), contra pelo menos 25% de portistas. Aliás, repare-se q os jogos do FCP na TV costumam ter quase ou tanta audiência como os do slm.

Ora quem não tivesse a mínima ideia (digamos, um estrangeiro) ao seguir os media portugueses ficaria com a ideia de q os lamps são uns 80% dos portugueses, e os portistas não mais de 5%, tal a ordem de grandeza do tratamento diferenciado aos 2 clubes.

Nuno Vaz disse...

Excelente texto, mas eu considero que a culpa também é um pouco nossa. Temos que ser superiores a tudo isso. Chega de dar importancia à imprensa, ao benfica, á guerra norte-sul, aos Ricardos Costas deste país e a todas essas coisas que, na altura certa, há muitos anos atrás, foram os nossos cavalos de batalha mas que agora não fazem sentido. O FCP cresceu muito, já deixámos à muito tempo de ser o maior clube do Norte, neste momento somos indiscutivelmente um dos maiores clubes do Mundo e é para o Mundo que temos que dirigir o nosso discurso. Chega de dar importancia a coisas mesquinhas, começando pela nossa direcção e acabando nos adeptos! Somos um clube Universal, Portugal tornou-se muito pequeno para nós, é para o Mundo que temos que olhar e não para Sul. O discurso do FCP TEM que acompanhar o exito desportivo e deixar DE VEZ de ser tacanho.

Nuno Vaz disse...

Não digo para nos calarmos e aceitar toda a merda que nos façam, mas epá, o que eu digo é que existem outras formas de desmascararmos certas situações além de destilarmos ódio. Não temos que ter ódio a ninguém, temos que ser indiferentes! Essa é a melhor arma, ser INDIFERENTES!
Nós somos superiores, temos provado dentro de campo isso mesmo e por isso, temos que nos deixar de preocupar com os outros, os outros que se preocupem conosco.
Respeitar os outros, mesmo que outros não nos respeitem. E dentro de campo sim, mostrar toda a nossa fúria, ganhando os jogos! Isso é que é classe!

Unknown disse...

E, eu q sou frequentemente crítica dos negócios da SAD, soube hoje de 1 que me deixou mto bem impressionada: podemos ganhar 2M (!) com o Quaresma se ele ganhar a Champions e o Campeonato italiano.

Por isso isto começa bem: Hulk de fora da canarinha (fica + fácil guardá-lo), Cebola vai ter tempo para estar 1 mês sem 1 lesão muscular e vai estar finalmente apto no início da época. O mesmo acontece com Rúben e varela - ainda bem q n vão aos AA's.

Zemis disse...

só tenho a dizer que concordo plenamente com o conteúdo do artigo e que apreciei a forma como ele está escrito.

concordo, também, com o comentário do nuno vaz que temos de ser superiores a isso tudo. a mim, a comunicação social pouca mossa faz (leio o público, ocasionalmente 'o jogo' e, ainda mais, raramente o luís freitas lobo) e não vejo os paineleiros nem sequer os cronistas portistas... eu assumo-me, para além de portista, como anti-benfiquista (felizmente são definições compatíveis) mas não é para eles que aponto quando projecto grandes vitórias do fcporto. não é para eles nem sequer para portugal... eu quero que o fcporto seja campeão nacional só para jogar a champions, só para sonhar que vou assistir, novamente, ao nosso capitão a levantar o caneco.

que nos importa o que o querido manha, a leonor pinhão, o vitor serpa ou o ricardo araújo pereira dizem? ou o que a benfica tv transmite? nada! nunca vi, nunca li. eles também não escrevem/transmitem para portistas!

pessoalmente acho que a direcção do fcporto tem apenas que reagir, e preferencialmente de forma veemente, a comunicações oficiais e a acontecimentos desportivos: castigos da cd, divergência de critérios, acumulação de erros de arbitragem em nosso desfavor, etc. no foro interno é assim que deverá agir... tudo o resto são fait-divers...

Unknown disse...

@José Rodrigues
eu não digo que não sejam benfiquistas. Sei, por ex, q na redacção d'A Bola no porto, só 2 são slb. Mas mesmo q quisessem dar azo ao seu devaneio "azul", a direcção nunca deixaria. Não só por fazerem parte da estrutura do andor ao clube do regime, mas porque sabem q ali reside a sua sobrevivência económica. Qd o FCP vence 1 campeonato, vendem X; quando é o slb, vendem x+y. Esta é, na minha opinião, 1 obstáculo que o FCP TEM de aprender a controlar. Tem de criar o ppo canal na web, pelo menos! Isto não pode continuar, pq tem impacto na angariação de adeptos, q p sua vez dão $, o que desequilibra a competitividade entre clubes.

Cumps

Santiago Salas disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Santiago Salas disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
pois disse...

Cara Ana

"Qd o FCP vence 1 campeonato, vendem X"
Isto porque optaram por uma posição de tal modo odiosa que mesmo quando vencemos e queremos ler e guardar o que dizem nos custa comprar tal jornal.
Nisso concordo com o José, é praticamente impossivel que por exclusivamente politica comercial a direcção do jornal se vire de tal maneira para o slb. Ou são paixões ou são outras coisas mais "poderosas" a designar tal posicionamento.

Daniel Gonçalves disse...

Excelente post, toca nos pontos essenciais. Concordo também com o Nuno Vaz, temos de ser um Clube virado para o Mundo e Universal. Não devemos dar muito importância a certa mesquinhez vinda de adversários que só denota "dor de cotovelo".

Antonio Silva disse...

Esses apelos de sermos um clube do Mundo e Universal e que somos diferentes.... é tudo paleio de lamp, desculpem que vos diga.

Nelson Carvalho disse...

Nunca gostei, não gosto e penso que nunca irei suportar a raça galinácea. Esta-me no sangue e não há volta a dar. Não estou a dizer que se vir um deles à minha frente vou desatar ao estouro e pontapé. Tenho sentido de urbanidade suficiente para conviver com todos.

Este sentimento tem origem no trato e o retrato que a Comunicação social faz constantemente do Porto (Clube e Cidade) e dos portistas. Projectam uma imagem deturpada e irreal, que fere a nossa dignidade e orgulho. Isto é inaceitável para qualquer pessoa que sente a sua cidade e seu clube que, na minha visão muito própria, são indissociáveis.

André disse...

Excelente post!
Um outro pormenor curioso da CS é a venda de jogadores.
Quando um jogador do FCPorto se destaca a CS desata a falar em saídas imediatas do clube, que o clube não tem hipotese de segurar o jogador ect.. ABola vendeu o Jardel uma 4 vezes antes de ser vendido para a Turquia. Como é obvio a inenção em mexer com a cabeça do jogador lançando instabilidade no clube..quase como um "wishfull feeling " qu passa para as capas dos jornais.

Quando algum jogador dos galináceos se destaca, são títulos onde o jogador garante o seu amor eterno ao clube, que nunca irá sair, que o SLBosta segura o jogador x e por aí fora. Quando a Simoneta abalou para esse colosso mundial que ´´e o Atlético CS fazia capas tipo "Simão afinal fica"...

Esta disparidade de tratamento é abjecta e justifica o nível de repúdio que os portistas sentem em relação à CS.

Nunca irei esquecer de duas capas do Record e da Bola. Na véspera da final de 2004 a capa do record era.."KAradas marca 3 no treino"; após a derrota com o milan na super taça europeia a capa da Bolha era: "Parabéns Rui".... palavras para quê?

Cumprimentos Portistas

Traficante de pneus disse...

André:

A Nº1 para mim foi a do Makukula:"Chuta como Eusebio"...


Mudando de assunto. No fim-de-semana escrevi que tinha visto o Andersson no Hotel Sheraton do Porto. Hoje vem uma noticia que ele fará parte da lista de dispensas de Fergunson junto com Carrick e Berbatov. Não haverá mesmo possibilidade de um regresso ao nosso clube? Eu adoraria.

Mario disse...

Parabéns pelo artigo

Roberto Tavares disse...

André e Traficante de Pneus.

E capa de hoje do Pravda?

Tem la escrito assim: "Papa Bento XVI recebeu camisola do benfica e ergueu-a aos fiéis"

Meu Deus que jornalismo mais nojento...

Não posso ver o jornal A Bola e a SIC...

A Sic é o Benfica TV em canal aberto e A bola é a Benfica TV em papel....

Sempre com constantes ataques ao FCP e constantemente a valorizar o Sporsboa e merdica...

José Rodrigues disse...

Ana disse: "Qd o FCP vence 1 campeonato, vendem X; quando é o slb, vendem x+y."

Não disputo q o slm venda x+y. O meu ponto é q o "y" não passa, por todos os dados disponíveis, de uns 50% no máximo dos máximos (e já estou a ser muito generoso).

Ou seja, o slm dá uns 10-50% a mais de audiência, mas tem direito a uns 1000 a 5000% (i.e. 10 a 50X) mais destaque e melhor tratamento nos media. Serei o único a ver uma discrepância enorme de um ponto de vista puramente económico?

A culpa é em parte dos portistas q continuam a alimentar estas bestas. Da minha parte, não sai um tostão para uma Bolha ou um Rascord - nem sequer vou ao site deles. Ora para q isto lhes "doa" seria preciso q os portistas em massa se virassem para outro jornal, ou para um canal de comunicação próprio do FCP - aí eles ficariam a ver claramente o q perdem.

Apelar ao boicote total sem indicar explícita- ou implicitamente alternativas não é realista, já q o pessoal tem "sede" de notícias.

Mas mesmo assim tenho poucas ilusões, já q estou certo q muitas redacções não se importam de perder algumas receitas ao preferirem enveredar por uma linha editorial não numa vertente económica e fria, mas sim baseada nas suas paixões, compadrios e preferências pessoais.

PS - ainda não o disse, e não sou muito de dar pancadinhas nas costas, mas: excelente texto do Mário.

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Anónimo disse...

Mas há mais da corporação do andor lampiónico CS.
Hoje disputa-se a final da Liga Europa entre o Fulham e o Atlético de Madrid. Em todos os lados ouço falar na equipa espanhola que, apesar do seu 9.º lugar na liga espanhola, eliminou colossos europeus, entre eles o Sporting. Mas o que é grave, nojento e revoltante, é que nenhum órgão dessa corporação de defesa do clube do regime - nenhum mesmo - tenha referido que na fase de grupos na edição deste ano da Liga dos Campeões o nosso FCP lhes espetou 5-0, no conjunto das 2 mãos:
- 1.ª Mão (Dragão) 30/09/2009: FCP 2 - Atlético M. 0 (golos: Falcão e Rolando);
- 2.ª Mão (Vicente Calderón) 08/12/2009: Atlético M. 0 - FCP 3 (golos: Bruno Alves, Falcão e Hulk).
E o Atlético jogou com todas as suas estrelas em ambas as mãos: Forlán; Agüero; Simão; Maxi Rodríguez (ainda no Atlético); Reyes; Jurado; P. Assunção; etc.
E depois admiram-se da revolta sentida pelos adeptos portistas que felizmente existem de Norte a Sul do país, incluindo ilhas...
E o Atlético jogou com todas as suas estrelas em ambas mãos: Forlán; Agüero; Simão; Maxi Rodríguez (ainda no Atlético); Reyes; Jurado; P. Assunção; etc.
E depois admiram-se da revolta sentida pelos adeptos portistas que felizmente existem de Norte a Sul do país, incluindo ilhas...
Se este resultado se tivesse verificado com o clube do milhafre ou do pó pneumático (como vos aprouver) em 1959, a CS movia mundos e fundos para procurar imagens televisivas, fotos, notícias de jornais, ou qualquer esclerosado, babando-se, que houvesse participado no jogo em questão para falar no sabor de vencer o Atlético.
Recordo só, que no ano anterior também eliminámos o Atlético da Champions, 0-0 cá e 2-2 lá, mas já nos oitavos-de-final da competição que nos permitiu jogar com o Man United nos quartos-de-final, perdendo no Dragão com o considerado golo da década (tinha de ser connosco) de autoria do CR9.

Santiago Salas disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
miguel.ca disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Carla Vicente disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Nuno Vaz disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Anónimo disse...

"pois" disse: "Pena que de quando em vez entre em dúvidas existenciais e outras coisas mais..."

É. É uma chatice ter sentido crítico. Os mais prosélitos nunca entenderão isso. Num mundo ideal só haveria louvores a cantar e êxitos a festejar. Mas nós vivemos no mundo real.

pc disse...

Excelente texto do Mário Faria.

Oportuno comentário do "Pois".

Caro Alexandre, o que o "Pois" teve foi exactamente isso : Sentido Crítico...

Precisamos de títulos urgentemente!
FORÇA PORTO!

Pitágoras disse...

Excelente post, excelente texto, excelente mensagem.
Concordo que é importante não perdermos a noção do que é "ser Porto" e perceber que a raça, querer e vontade de vencer que lhe estão subjacentes nada tem a ver com violência, irracionalidade e estupidez.
Desejo que o Porto volte a ser aquela equipa que deixa tudo em campo, aquela equipa que, mais do que pelas jogadas bonitas, mas muitas vezes inconsequentes, volte a ser recordada pela atitude.
A comunicação social desportiva, enquanto tal, não existe. Existem jornais cuja única preocupação é vender, não informar.
O mais importante é o de que nos podem ignorar, não relevar as nossas vitórias, mas se ganharmos eles serão derrotados.