sexta-feira, 4 de junho de 2010

André Villas-Boas, o aprendiz

Por Ricardo Goucha


A adjectivação mais comum quando nos referimos à contratação de André Villas-Boas (AVB) pelo FC Porto é a de “aposta de risco”. Mas será que a SAD fez uma aposta arriscada?

Como também sou sócio da Académica tive uma visão privilegiada de todo o trabalho do AVB ao longo do último ano, não só o visível (jogos) como também o invisível (treinos, estratégias, metodologias).

Trabalho de campo

Quem assistiu à estreia de AVB na 1ª Liga, no Dragão, não pode deixar de ficar surpreendido com a organização que implementou na Académica em tão curto espaço de tempo, conseguindo anular o FC Porto durante cerca de 60 minutos. Mas em que se baseava essa organização? Quais são os princípios de jogo de AVB?

Em recente entrevista ao Diário de Coimbra, AVB refere “Sei qual é o meu estilo e que gosto de propor, que é um estilo protagonista, de ter a bola, de saber circulá-la e de criar um maior número de ocasiões”. Foi com esta filosofia que permitiu a Académica ter o 6º melhor ataque (apesar do 11º lugar) e de ser a 8ª equipa com mais posse de bola (durante as 23 jornadas do reinado de AVB foi a 4ª equipa com mais posse de bola).

Para atingir estes números, AVB organiza a equipa num 4-3-3 clássico (com apenas um médio defensivo) não tendo apresentado grandes variações a este sistema ao longo da época. As alterações (pontuais) aconteceram como consequência da evolução dos jogos. A organização da equipa é acima da média, com os sectores bastante próximos, principalmente na recuperação defensiva.

A postura de AVB no banco é muito parecida com a de Mourinho. Embora não chegando a alguns exageros do “Special One”, é um treinador que revela uma aparente calma durante os jogos, mas bastante interventivo e sempre corrigindo movimentações dos jogadores. Não é raro vermos o AVB completamente aos saltos no limiar da sua zona de acção a espicaçar os jogadores. Observa-se também que AVB é bastante rápido a reagir às incidências de um jogo e não tem problemas em retirar jogadores defensivos quando se encontra em posição complicada no resultado.

O Treino

A experiência que teve como observador das equipas adversárias no FC Porto, Chelsea e Inter faz com que os planos de treino sejam elaborados ao mínimo pormenor tentando preparar a equipa para as virtudes e defeitos da equipa adversária. Como diz Miguel Pedro (antigo jogador da Académica) "Vive e respira futebol 24 horas por dia" e "Era raro repetir-se nos treinos, adaptados às características dos adversários. As surpresas constantes ajudavam a manter os jogadores agarrados".

Liderança

O estilo de liderança de AVB foi definido pelo próprio recentemente, dando como exemplo um caso de indisciplina que aconteceu na Académica: “Dentro da nossa liderança, também por sermos uma equipa técnica jovem, a liderança aberta é fundamental e isso passa por responsabilização directa, muita frontalidade e passa pelos jogadores terem uma opinião válida sobre a gestão do grupo e neste particular cenário houve opinião do grupo e reprimenda do grupo para a situação do Diogo. Foi uma coisa resolvida internamente, dentro do grupo, sem qualquer tipo de sanção disciplinar por parte da direcção, onde o grupo recriminou e decidiu o que havia de fazer naquele cenário. Nem sempre este tipo de liderança é possível, mas é uma liderança com a qual nos identificamos. É uma liderança em que muita gente toma opiniões e toma decisões. É mais uma situação que nos deixa orgulhosos”.

AVB não se priva de se imiscuir no trabalho dos seus superiores. Foi por indicação de AVB (que tinha feito todos os cálculos previamente em relação às médias de idades) que a Académica recorreu da decisão da Liga de ter dado o primeiro lugar do grupo da Taça da Liga ao Portimonense, tendo posteriormente ganho o recurso no Conselho de Justiça da FPF.


Após a saída de José Mourinho de Portugal apareceu toda uma geração de treinadores que se tentavam assemelhar ao sadino, pouco ou nenhum com sucesso. Será AVB o verdadeiro aprendiz?

Nota final: O 'Reflexão Portista' agradece ao Ricardo Goucha a elaboração deste artigo.

19 comentários:

PedroBM disse...

Obrigado Ricardo pela sua visao sobre o trabalho de AVB.

Eu acho muita piada quando ouco pessoas falar em "aposta de risco", e "nunca fez nada", muitas vezes as mesmas pessoas que sempre apoiaram Jesualdo (JF) e ate pensaram em mante-lo...

Para esta discussao, gosto de usar uma analogia:
Imagine-se que se pretendia comprar um cavalo de corrida. Havia 2 hipoteses no mercado:

1- O JF, um cavalo com varias epocas de corrida, bastante experiencia em diferentes tipos de corrida, mas que nunca tinha ganho nada ou sequer chegado perto, mesmo em situacoes que era dos maiores favoritos...

2- O AVB, um cavalo muito novo, sem experiencia de corrida, mas vindo de um estabulo de campeoes e treinado por alguns dos melhores treinadores...

Digam-me la qual e mais arriscada???

PedroBM disse...

Julgo que num clube como o nosso FCP os minimos que se pedem a um treinador sao:

- Espirito/habito de vitoria
- Conhecimento do futebol portugues
- Conhecimento de futebol moderno
- Muito trabalho...

E nao tenho duvidas que AVB tem isto e muito mais, ate em melhor dose que muitos treinadores passados.

Pacheco disse...

AVB é obviamente uma aposta de risco, quanto mais não seja porque a sua experiência como treinador principal se resume a 6 meses, mais coisa, menos coisa. Nem o Mourinho tinha tão pouca experiência.

Apesar de não ter iniciado a época, salta à vista que fez pior trabalho que o Domingos na Académica, mas a verdade é que estamos a falar de uma diferença de apenas 6 pontos, mas com mais 10 golos marcados. AVB é um treinador ofensivo, Domingos tem demonstrado ser mais defensivo.

Não obstante a aposta de risco, por algum motivo estou confiante. Da mesma forma que estava confiante quando o Mourinho foi contratado. Gosto desta injecção de sangue novo no futebol, acho sempre que podem trazer qualquer coisa de diferente, que os treinadores mais "calejados" insistem em não querer tocar.

O facto de ser novo, de ser ofensivo, de ser ambicioso e de ser Português, penso que poderão ser mais valias para a visão 611, e acredito que jogadores como o Ukra, o Pelé, o Rabiola, o Sérgio Oliveira ou mesmo o Hélder Barbosa possam ter aqui uma verdadeira oportunidade.

Acredito que o Porto possa voltar a ter um plantel recheado de jogadores Portugueses, à semelhança daquele que foi campeão Europeu.

dragaovenenoso disse...

O Jesualdo foi embora. Também não fiquei convencido com a forma como o FCPorto jogava. Mas a verdade é que este ano o Jesualdo teve um plantel mais enfraquecido e ainda contou com as variadas jogadas de túneis que nós vimos. Daí no início da época eu ter escrito que as minhas expactativas estavam ainda mais baixas que no início de 2008.

Vem o Villas Boas. Pessoalmente parece-me um risco demasiado alto. Não estou a ver muito bem como um treinador de 32 anos vai dominar um plantel que pode ter jogadores da mesma idade ou quase. Parece-me uma aposta do género do Mourinho. Espero sinceramente estar enganado. Se assim for, e se tiver metade do sucesso do Mourinho, daqui a dois anos estaremos novamente sem treinador.

Nightwish disse...

Já me foi transmitido por pessoas que vivem perto das Antas que hoje viram o Miluvit e o Cerelac muito mais caros.

Rui disse...

Caro Pacheco o Hélder Barbosa já foi a título definitivo para o Nacional da Madeira.

É algo óbvio que se trata de uma aposta de risco devido à juventude do AVB, e basta ver pela capa do Pravda de ontem que lhe vão fazer guerra suja para o testar.

Não estou minimamente preocupado com os conhecimentos tácticos do AVB, desde que seja capaz de lidar com a pressão estou certo que será campeão.

Quanto ao ter feito melhor ou pior que o Domingos, mas não conheço a realidade da equipa da Académica nos últimos 4 anos para comprar, mas sempre temos de ver que o AVB não fez a pré-época, chegou com o barco a afundar e teve direito a apenas um reforço em Janeiro que fiquei com a sensação que mal jogou.

Portanto não teve as mesmas condições do Domingos que escolheu os jogadores que cria e fez as pré-épocas do clube, não entendo como se possa comprar o trabalho tendo em conta a classificação final como critério.

Tenho em querer que sendo uma aposta de risco será também uma aposta ganha rumo ao titulo!!!!

Pedro disse...

Boa noticia do dia, o regresso de Castro. Vamos enfim ter 2 miudos da formação no plantel.

Espero que a não fazer só número...

A outra boa noticia do dia é o extase orgásmico dos benfiquistas com a capa da Bola de ontem. Acho que só eles não perceberam a grande jogada do JJ.

Quanto a AVB, tal como em relação a outros não parto com expectivas especificas. Quero e desejo que faça um grande trabalho, e que evolua como treinador.

Eu apenas lhe vejo uma falha, as suas equipas não têm a capacidade de jogar em 2 esquemas tácticos com facilidade. Já o seu "mestre" Mourinho joga em 4-3-3 ou 4-4-2 de olhos fechados. E acho que no futebol moderno um modelo fixo de jogo já faz pouco sentido. Mas há que esperar para ver, principalmente que plantel vai ter ADV.

fernando disse...

Antes de mais quero dizer que sou critico de PC. Não sou da carneirada, que tudo que ele faz, está bem, mesmo que depois faça o seu contrário... Cometeu alguns erros, e temo sinceramente que com o avançar dos anos, possa fazer outros, mais perigosos... Como dizia o outro palerma, então naquilo que vc sabem do que estou a falar,(vida privada) acho que com o cargo, a idade, o prestigio internacional que tem, e a cultura que tem, nesse aspecto mesmo não tem qualquer desculpa...

Mas agora não é disso que estamos a falar... Estamos a falar do actual treinador - André VB.

Os que aqui vêm criticar, queriam quem? Digam um nome de um português que vc contratavam, hoje!!!! Idade, sim seria um perigo se assinasse por um Clube presidido por um qualquer Betencourt... Ai isso meus amigos, antes do Natal já estava a morar no Foco...

Digam-me sinceramente, se ele há 4 anos, tivesse 32 como tem hoje, e viesse para o FCP em vez do JF, não teriamos ganho, pelo menos os tais 6 trofeus ? Digam por favor?
e garanto-vos que o Nuno A. Coelho, não teria nos ultimos meses feito aqueles 45 min no Arsenal..!!Podem ter a certeza. Ou jogava há mais tempo, ou teria voltado a jogar, ou simplesmente não teria jogado (ainda por cima a trinco!!)

Pensem nisso

Mario disse...

PedroBM as análises nunca podem ser assim tão taxativas. Imagina também que tinhas 2 cavalos, 1 que tinha ganho 3 das ultimas 4 corridas e outro que treinou durante 7 anos com um grupo de 6 ou 7 cavalos em que 1 deles era sempre campeao, em qual apostavas ? AVB claro qe pode ser um excelente treinador e uma excelente aposta (assim o espero) mas até agora parece-me que tem crédito a mais. O próprio Mourinho tinha muito, mas muito mais experiência e teve que suar as estopinhas pra provar o valor. lembro-me bem que quando entrou não teve o crédito que o AVB está a ter.

A. Guimas disse...

Boa tarde a todos...estive a ler todos os comentários com atenção, todos eles são válidos, mal seria se todos estivessemos sempre de acordo...vem isto a propósito de o AVB ser ou não o treinador indicado para pegar no FCP...sobre isso não tenho uma opinião totalmente formada, prefiro dar-lhe o beneficio da dúvida...do que discordo dos comentários anteriores, é o facto de dizerem que o Mourinho tinha muito mais experiência...não será bem assim...Mourinho fez 31 jogos enquanto técnico principal antes de chegar ao FCP (SL Bosta + Leiria) enquanto o AVB fez "apenas 30"...Onde posso concordar da "inexperiência" do AVB é que ele "apenas" privou com Sir Bobby Robson e J. Mourinho...Mas até o próprio Mourinho admitiu que ele, AVB, era os "seus olhos e ouvidos" em relação a tudo o que dizia respeito aos adversários...

Por muito que possa estar renitente com esta escolha, desde hoje AVB é o MELHOR treinador do mundo apenas porque está à frente do MELHOR CLUBE DO MUNDO...é preciso sermos nós, portistas a dar-lhe a mão...contra nós já temos muitos...se nos unirmos, ninguém nos conseguirá parar...

Boa tarde e cumprimentos a todos

Bernini disse...

Estou com o AVB, espero ver um novo Porto, jogadores mais motivados, maior qualidade no plantel, um treinador corajoso e inteligente.

Uma palavra para a equipa de juniores, vindo a propósito a discussão em torno da famosa Visão 611... que equipa e jogadores tão fraquinhos... Ainda há portistas que querem o Porto a apostar mais na formação... Devem ser Sportinguistas transvestidos de Portistas...

Steve Bracotelli disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pedro disse...

@bernini

A equipa de juniores não é tão fraca como parece... O treinador é que não percebe muito da coisa. Opinião pessoal, com o ponto de vista de quem vê vários jogos da formação por ano.

Outra questão é a gestão de jogos dos miudos. Entre intercalar, selecções, chamadas aos seniores e afins... a equipa do FCP está rota. E o Sérgio Oliveira chegou a jogar 3 jogos por semana durante 2 meses. O miúdo já nem aguenta 45 minutos.

Bernini disse...

Pedro,

Para ser sincero só posso fazer a minha avaliação pelos dois jogos transmitidos pela TV frente ao Sporting e Benfica, mas o que vi desses jogos é mau demais. E sinceramente pelo que já vi do Sérgio Oliveira não me parece que mereça aquele mimo dos 30 milhões. No entanto essa questão do excesso de jogos em sem dúvida pertinente...

Ricardo Goucha disse...

Acho injusto dizer que AVB fez pior que Domingos na Académica, principalmente porque estão a comparar a 2ª época do Domingos com a 1ª do AVB.

O Domingos entrou na Académica na mesma situação do AVB (substituindo um treinador). Nessa época (e o Domingos começou à 4ª jornada) a Académica fez 32 pontos.
Nesta época, o AVB fez 33 (e começou à 8ª jornada).

Não tenho dúvidas em dizer que o AVB foi o melhor treinador que vi na Académica nos últimos 20 anos... em termos de personalidade, ideias e (principalmente) futebol apresentado.

Anónimo disse...

Também devo dizer que gostei muito mais de ver jogar a Académica de Vilas Boas que a Académica ou o Braga de Domingos, mesmo tendo em consideração a diferença de qualidade dos plantéis de Braga e Académica. Várias vezes pensei ao longo da época onde poderia chegar esta equipa da Académica com outros jogadores.

O nosso leitor A. Guimas dá-nos uma curiosa informação: o Mourinho antes de vir para o Porto tinha dirigido mais um jogo como treinador principal do que o Vilas Boas neste momento. Não estou a compará-los, apenas a comparar os seus antecedentes.

José Correia disse...

O Ricardo Goucha sabe que ainda não vi nada de especial no AVB e que não seria a minha escolha para, no imediato, treinar o FC Porto.
Contudo, o entusiasmo com que o Ricardo fala do AVB e a fé que demonstra na sua competência/trabalho, começa a contagiar-me.

Jorge Mota disse...

Eu acredito!!

Sangue novo,talento, profissionalismo e perfeita noçao do futebol contemporaneo.

O Mourinho e Jorge Mendes como padrinhos serao uma mais valia obvia.

A presença do Pedro Emanuel agrada me bastante.O ex tecnico Sta Clara tb me parece uma boa opçao.

Agora e continuar a malhar nos mouros em basquet!!

CARREGA STEMPIN

Pitágoras disse...

Não se esqueçam que a experiência de Mourinho antes de ingressar no FCP era mais ou menos a mesma de AVB.
Se for competente e conhecedor a experiência de vencer pode ser adquirida no FCP.