quinta-feira, 10 de junho de 2010

Condecorações do 10 de Junho

Hoje, dia 10 de Junho, dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas (ou dia da raça, se o Cavaco insistir na leitura das suas memórias), é altura de reflectirmos sobre aqueles que verdadeiramente se destacaram ao serviço da pátria no último ano, observar os seus honrosos e heróicos feitos e prestar-lhes a merecida homenagem aqui no Reflexão Portista.

Ricardo Costa


Esse bravo dirigente da Liga de Clubes exibe exemplarmente as grandes qualidades do povo luso: a coragem, a determinação, a imparcialidade e o benfiquismo. Este bravo homem resistiu a todas as pressões do maior obstáculo à verdade desportiva, o FC Porto, e procedeu a uma das decisões mais justas de sempre de toda a justiça futebolística: castigou com 4 e 6 meses de inactividade dois jogadores que pontapearam seguranças privados que os tinham cuspido e insultado previamente. A outra decisão de justiça desportiva que saiu desta mente brilhante foi a punição com 3 meses de inactividade de um jogador do Sp. Braga que "tentou pontapear um treinador-adjunto do SLB, tendo este evitado o pontapé com um movimento rotativo inverso, blá, blá, blá...". Mais uma vez, pela coragem patenteada, pela imparcialidade lúcida e pelo serviço à pátria propomos a condecoração com o Grande Colar da Ordem da Torre e Espada, do Valor, Lealdade e Mérito.

Rui Costa


Este bravo dirigente do SLB foi o ideólogo e dinamizador dessa que será uma forma de guerrilha táctica comparável à inovação de Aljubarrota e que é o pânico gerado nos túneis entre os balneários e o relvado. Já desde os idos tempos de 2008 que Rui Costa se destacou como um estratega nato na arte de emboscar os adversários nos túneis, ora com o desvio das câmaras de captação de imagens ora com o cerco a adversários sozinhos por um numeroso contingente de seguranças privados que aplicam golpes de karaté nas costas das vítimas, estando o "maestro" a assistir de mãos nos bolsos. Um verdadeiro herói cujos feitos ao serviço da pátria para sempre serão recordados. Assim propomos a condecoração com a Grã-Cruz da Ordem de Aviz.

Olegário Benquerença, Lucílio Baptista, Bruno Paixão e João Ferreira


Estes são os quatro bravos membros da arbitragem portuguesa, quais quatro cavaleiros do Apocalipse, que mais se notabilizaram pelos seus nobres feitos dentro e fora do relvado ao longo das últimas épocas futebolísticas. Muito haveria por dizer da sua coragem, da sua imparcialidade, da sua lucidez e da sua verticalidade. Para eles propomos a condecoração como Cavaleiros da Ordem do Infante D. Henrique (que visa distiguir os serviços relevantes à pátria, no país ou no estrangeiro, e os serviços de expansão da cultura portuguesa e dos seus valores).

Prosegur


A empresa que prestou um excelente serviço à pátria quando enviou para o túnel da Luz colaboradores seus especializados em apaziguar os ânimos, reunir consensos e, principalmente, proteger os jogadores de futebol, para que não hajam distúrbios na sua zona de influência. De destacar a bravura de dois dos seus efectivos que enfrentaram sem temor dois temíveis vândalos altamente agressivos que vestiam de azul e branco. Para esta entidade propõe-se o grau de Membro Honorário da Ordem da Torre e Espada, do Valor, Lealdade e Mérito.

Rui Santos


Este ilustre cidadão português discorre semanalmente durante várias horas sobre temas com grande interesse e relevo nacional numa estação televisiva. Os seus momentos de maior lucidez devem ser lembrados, nomeadamente aquele em que de forma corajosa apelidou a Justiça civil de "contaminada" depois da absolvição de Pinto da Costa de todos os crimes de que estava acusado. A sua luta é a sua verdade desportiva. Mas de todas as suas virtudes aquelas que mais lhe devem ser reconhecidas são o extremo bom gosto na escolha de fatos, gravatas e botões de punho e a forma brilhante (literalmente) como conserva semanalmente a sua frondosa cabeleira lavada em azeite colhido ao luar. Para ele reservámos o grau de Cavaleiro da Ordem de Sant'Iago da Espada.

Carlos Daniel


Este director de programas da RTP fez um trabalho muito meritório no acompanhamento semanal das prestações do conhecido septuagenário cineasta do programa Trio d'Ataque. Este tipo de voluntarismo só enobrece quem o pratica. Carlos Daniel chegou mesmo a prestar esse precioso auxílio em directo num dos programas em que o habitual pivot, Hugo Gilberto, não esteve disponível. Foi comovente! Só pode ser má-fé publicarem artigos que insinuem que o Carlos Daniel é benfiquista e faccioso. Não deixaremos de lembrar um homem com esta dedicação à causa pública e assim condecorá-lo com a Grã-Cruz da Ordem do Mérito.

8 comentários:

R.M.Silva da Costa disse...

Para a entrega das condecorações aqui propostas, todas muito apropriadamente fundamentadas e justificadas atentos os excepcionais serviços prestados à "causa", como se vê dos preciosos curriculos aqui descritos, deve ficar a cargo, pela honra que o acto em si representa, o ex-presidente da Liga sr. Hermínio Loureiro.

Ana Martins disse...

Grande Artigo, Nuno Nunes, do melhor que tenho visto por aqui nos últimos tempos!
Juntaria mais alguns nomes, mas ficávamos sem gente para condecorar nos próximos anos do Dia "da Raça" e da Pátria.

Eu era rapariga era para criar novas Ordens para condecoração, a saber:

1) Ordem da Águia Vitória: para todos os benfiquistas, homens de família, que invadam o campo equipados de cornos e agridam fiscais de linha;

2) Ordem "somos impunes so what": prémio para todos os ilusionistas que consigam enviar isqueiros para as bancadas, com intenção de agredir adeptos, mas que com ajuda da TVI consigam 1 curso intensivo de ilusionismo;

3)Ordem "é bom agradar aos 6 milhões", directinho para a criatividade da SIC (os "estragos" do autocarro do slb) e da TVI. Profissionais ao nível da edição de imagem daquele calibre contribuem decisivamente para o ânimo do país;

E poderia estar aqui o dia todo...

cumps

Mata Três disse...

Muito bom!
Sou assíduo leitor deste blog, mas nunca me vi tentado a comentar nenhum artigo. Há até alguns textos que desgosto, mas cada um tem direito à sua opinião pessoal dos acontecimentos.
Porém, surgiu o dia: grande artigo sr. Nuno! Muita criatividade e humor, sempre com algumas verdades desta vergonhosa (benfiquista) época desportiva a que todos assistimos.
Parabéns e continuem o bom trabalho aqui difundido

HULK 11M disse...

R.M.Silva da Costa disse: "Para a entrega das condecorações...
deve ficar a cargo, pela honra que o acto em si representa, o ex-presidente da Liga sr. Hermínio"

Cada um tem direito à sua opinião mas eu penso que é uma grande injustiça não entregar essa honra ao actual Presidente da Liga o nosso Dr. Fernando Gomes!

meirelesportuense disse...

Eu propunha que fossem todos condecorados pelas próprias mãos(?) dos cadáveres do ex-Ditador António Salazar e do senhor ex-Bispo de Lisboa, D. António Cerejeira...Tudo em Lisboa, no Terreiro do Paço, com Guarda Militar e em directo, mas a preto e branco, como convém para não se verem completamente "as mazelas" apresentadas pelos ex-reverendos senhores...

Miusha disse...

Sou Portista e leiora assídua.
Desta vez, não resisiti a deixar um comentário.
Excelente imaginação criativa e humor pertinente.

Parabéns
Eu proponho que a condecoração seja em self service e que a assistência fosse composta pelos 6 milhões de malfiquistas.

Miusha disse...

Tenho problemas de visão. Passei para corrigir o texto.

Sou Portista e leitora assídua.
Desta vez, não resisiti a deixar um comentário.
Excelente imaginação criativa e humor pertinente.

Parabéns
Eu proponho que a condecoração seja em «self service« e a assistência composta pelos 6 milhões de malfiquistas. Lol.

aduanev disse...

E que o colar do Ricardo Costa lhe sirva de garrote!