quarta-feira, 16 de junho de 2010

FC Porto nos Mundiais (IV)


O FC Porto, bi-campeão nacional (1984/85 e 1985/86) foi o clube mais representado entre os 22 "Infantes" que viajaram para o México, no Mundial 1986:
- João Pinto, lateral-direito, 24 anos, 0 jogos
- Gomes, avançado, 29 anos, 3 jogos
- Futre, extremo-esquerdo, 20 anos, 3 jogos
- Bandeirinha, lateral, 23 anos, 0 jogos
- Jaime Magalhães, médio, 23 anos, 2 jogos
- Inácio, lateral-esquerdo, 31 anos, 3 jogos
- André, médio, 28 anos, 2 jogos

A estes sete jogadores iriam juntar-se Sousa e Jaime Pacheco (há quem diga que já estavam contratados antes de partirem para o México), os quais, depois de dois anos em Alvalade, regressariam ao FC Porto a tempo de participarem na gloriosa caminhada para Viena, na época 1986/87.

Bandeirinha, que na época 1985/86 esteve emprestado à Académica, foi chamado à última da hora para substituir o benfiquista Veloso (pai de Miguel Veloso), o qual acusou positivo num controlo anti-doping. Reza a lenda que foi acordado a meio da noite, para ir imediatamente para o aeroporto e juntar-se à restante comitiva, numa atribulada viagem de avião Lisboa - Frankfurt - Dallas - Cidade do México - Monterrey, a que acresceram mais 100 quilómetros de autocarro até Saltillo.
Apesar de, tal como João Pinto, não ter jogado nesta tristemente célebre fase final - que para os portugueses ficou marcada pelo caso Saltillo e para o Mundo pela "mão de Deus" de Maradona -, Bandeirinha regressaria ao FC Porto após o Mundial, onde permaneceu 10 anos seguidos até à época 1995/96.

Foto: Portugal x Marrocos (fonte: ?)
Em cima: Frederico, Jaime Magalhães, Oliveira, Álvaro e Vítor Damas;
Em baixo: Inácio, Jaime Pacheco, Sousa, Fernando Gomes, Paulo Futre e Carlos Manuel.

16 comentários:

reine margot disse...

este campeonato do mundo foi triste de mais para se lembrar! - foi portugal no seu melhor: umas "tontas" que foram todas atrás do camané (herói da alemanha) com o beneplácito do "deixem-me sonhar torres", e uma geração cheia de talento desperdiçou uma oportunidade única de dar um safanão no nosso futebol!...
"engraçado" que não houve ainda nenhum deles que quisesse esclarecer o assunto por completo...

Pedro disse...

Que grande equipa tinha Portugal. Talvez com falhas nos centrais. Mas o meio-campo era fabuloso.

Pena Saltillo.

meirelesportuense disse...

Estive a ver o jogo de hoje do África do Sul, Uruguai.
A vitória do Uruguai não sofre contestação e reparei numa coisa muito simples que o Prof nunca tentou, colocar o Fucile atrás do Álvaro Pereira...Se o fizesse, teria ainda a possibilidade de mais à frente ter o Christian Rodriguez.
Fucile esteve muito bem, e os dois, completaram-se e entreajudaram-se muito bem.

Anónimo disse...

Saltillo foi o exemplo acabado do vedetismo à mistura com alguns resquícios reivindicativos à moda do PREC. Foi uma vergonha. Mas a nossa querida comunicação social tratou de absolver os jogadores - coitadinhos - e deitar as culpas todas para cima do Silva Resende e do desamaparado Amândio de Carvalho (que ainda por lá anda...).

Kostadinov o Flecha disse...

Meireles
Esta não foi a 1ª vez que o Uruguai, utilizou o Fucille e o Álvaro. Quem seguio o apuramento viu isso no jogo Uruguai-colombia, e ainda recentemente no Suiça-Uruguai, em que os ultimos venceram.

Escrevi muitas vezes no Dragão até a Morte que esta era uma boa solução para a Champions. Mas é como diz o outro. "Não passamos de treinadores de bancada".

meirelesportuense disse...

Pois é verdade "kostadinov", eu também me surpreendi por não ver em nenhum momento ser tentada esta possibilidade, por exemplo, nos jogos de maior responsabilidade.
A lateral direita poderia ter sido feita pelo Sapunaru, mas não, o homem era teimoso!?!...

Daniel disse...

Depois de termos vencido a Inglaterra logo no primeiro jogo, todos sonhavam com a passagem à fase seguinte, mas as reinvidicações e o clima de afrontamento, por parte dos jogadores, à FPF trouxe um clima destabilizador, e a vergonhosa derrota face a Marrocos deram cabo de uma das melhores possibilidades de Portugal brilhar num Mundial quando tinhamos equipa para tal.

meirelesportuense disse...

Alexandre, Satillo não foi muito diferente de outras temporadas, ainda este ano a Selecção foi para a União Sul Africana, com alguns problemas para resolver -prémios de jogo-, o que sucedeu então, foi por exemplo, que as condições de treino eram horrorosas, treinavam-se em campos sem nenhuma qualidade mais pareciam terrenos abandonados...Aos altos e baixos e sem balizas...E haviam questões como os prémios de jogo e seguros que não foram devidamente preparadas...Depois como aconteceram maus resultados, a culpa foi toda lançada para cima dos jogadores...Não esqueçam que começamos por ganhar à Inglaterra no primeiro jogo, depois de termos estado sem nenhumas hipóteses de lá ir, a vitória na Alemanha foi um chouriço de todo o tamanho...
E como alguns espíritos ainda estavam minados pelos acontecimentos de Abril de 1974, claro a culpa foi dos Comunas!
Hoje se reivindicarmos um aumento de 10% chamam-nos Comunas!...Qualquer dia para trabalharmos ainda vamos ter que pagar ao Patrão!...Por falar nisso, vou pensar em montar uma Empresa!...As dificuldades, a crise, a pouca produtividade, a flexisegurança -para quem?- tudo razões fortíssimas para pagarmos menos e podermos despedir com mais "flexisegurança"...

Anónimo disse...

" A culpa foi toda lançada para cima dos jogadores".

A questão, caro Meireles, é que não foi! O bode expiatório foi o Silva Resende.

meirelesportuense disse...

Não não foi Alexandre, foram os jogadores, o Silva Resende era uma figurinha ridícula no meio de uma confusão que ele próprio ajudara a criar, lembro-me perfeitamente disso como se fosse hoje, até disseram e tentaram passar que os responsáveis eram o Diamantino e o Carlos Manuel com a colaboração do José Torres, talvez por serem da Margem esquerda do Tejo, da Cintura Industrial de Lisboa, que hoje nem deve sequer existir, foi destruída... Em nome do Capitalismo Ocidental e da livre "expressão Liberal".Como se essa Cintura fosse uma "criatura" da Revolução de Abril!
Hoje nada daquela estrutura existe, mas desempregados é que não faltam!...Mas não importa, o que interessa é que hoje o Durão é o Presidente da União Europeia, temos um liberal a PM e Cavaco Silva é o nosso Presidente, vivam as consciências!

Anónimo disse...

Quando eu disse que a culpa foi posta no Resende (que não era flor que se cheire, diga-se) referia-me ao grosso da imprensa desportiva, caro Meireles.

Quanto às suas considerações político-sociais, lamento mas não as comento, pois este blogue é de futebol e não de política. Se me referi aos resquícios reivindicativos do PREC foi porque achei que influenciaram a atitude dos jogadores, que aliás fizeram uma caricatura dessas reivindicações, pois estas eram feitas, na sua esmagadora maioria, por gente necessitada e não por vedetas muito bem pagas.

Daniel disse...

De salientar que os jogadores que estiveram no Mundial, foram depois "vetados" para a qualificação para o Europeu de 1988, a selecção teve de ir buscar jogadores de segundo plano para os jogos seguintes, acabamos mesmo por empatar com Malta!!!!!! para a qualificação para o Euro 88. Posteriormente estes jogadores foram perdoados e acabaram por voltarem a ser seleccionados mas já não a tempo de conseguirmos a qualificação para o Euro.

meirelesportuense disse...

OK Alexandre, eu sei que os temas são sobre futebol, mas como em tudo se verifica o lado político do homem e eu sou um pouco sensível a estas questões, não quis fugir à tentação de comentar desta forma. Porque os tempos começam a roçar o quase grotesco, como falarem na falência dos Tratados, das Nações, da Bancarrota e de outras questões que eu ouvia falar quando era miúdo...Dá-me vontade de rir quando me falam em o País "poder entrar em falência técnica"...-Estou mesmo a ver entrarem por Vilar Formoso os novos senhores de Portugal e expulsarem-me daqui...Imaginem que são Alemães e que me dizem: -"vá Meireles e restantes meninos, saiam daqui que eu tenho comigo -mostram-me uma declaração devidamente autenticada pela UE- este Edital de despejo e trago também várias dezenas de milhar de familiares meus, que vão tomar a partir de hoje, conta deste País"...Da-me vontade de rir ver nos rostos de muita gente uma aflição evidente e sincera, "Meireles, o País está na falência"!...-Deixa-o falir, respondo eu, pode ser que a falência seja melhor que o sucesso Económico que enquanto existiu só criou barriga a meia dúzia de alentados!

Anónimo disse...

Amigo Meireles:

A propósito de falência, abro uma excepção à exclusividade futebolística dos meus comentários e deixo-lhe um conselho: não encare essa possibilidade com tanta descontracção. Mais: se puder, evite ter depósitos em euros. Mude para dólares, libras ou francos suíços. Vá por mim!
Abraços

meirelesportuense disse...

É possível que tenha razão, encarando assim então a "crise" é uma questão monetária e não financeira, simplesmente destinada a destruir a moeda Euro.
Eu estava admirado com o facto do Dólar se deixar ultrapassar pelo Euro, assim percebo...É um fenómeno assente no princípio dos "vasos comunicantes".
-O dinheiro sai da Europa e entra numa bolsa qualquer do Mundo à espera que a Europa caia exausta...
É possível, nada me surpreende.
-Obrigado pelo seu conselho, mas como tenho muito pouco dinheiro, esse medo também não me apoquenta.
Se eu pudesse mudava era de Mundo -estão-me a dizer que tenha paciência é uma questão de tempo-, mas não existe outro, que eu saiba.
Um abraço de simpatia.

Anónimo disse...

"É possível que tenha razão, encarando assim então a "crise" é uma questão monetária e não financeira, simplesmente destinada a destruir a moeda Euro."

Ah, ah, eu não disse isso, caro Meireles, a teoria conspirativa é sua! : -) Alinhar nisso é fazer como a avestruz.

Mudemos de assunto.

Abraço