sábado, 12 de junho de 2010

Filomena e o Conselho Cultural


No passado dia 8 de Junho, no Estádio do Dragão, decorreu a posse do Conselho Cultural e do Conselho de Filiais e Delegações do Futebol Clube do Porto para o próximo triénio.

O Conselho Cultural continua a ser presidido por Álvaro Pinto e vai passar a contar com Isabel Pires de Lima, Amândio Secca, Guilherme Macedo, Justino Santos, Fernando Rocha e Fernando Oliveira.
A primeira coisa que salta à vista é que desta lista não faz parte Filomena Pinto da Costa. Ora, em Setembro de 2008, quando foi convidada para directora do Conselho Cultural, aquilo que veio a público é que Filomena iria dinamizar este órgão, passando a ser responsável pela programação extra desportiva e pela organização de eventos (concertos, exposições, lançamento de livros, etc.) envolvendo o nome do Futebol Clube do Porto.
Recordo que, na altura, Álvaro Pinto considerou que Filomena Pinto da Costa era uma mais-valia para o clube e a própria manifestou um enorme entusiasmo com o novo cargo. E agora? Foi Filomena Pinto da Costa que não quis continuar ou entenderam que era conveniente exclui-la?

Para além da criação e direcção da revista Mundo Azul, eu não consigo avaliar o trabalho desempenhado por Filomena Pinto da Costa no Conselho Cultural mas, o que aparenta, é que quer o convite feito há 20 meses, quer o afastamento actual, são mais condicionados pelos altos e baixos do seu relacionamento privado com o presidente do FC Porto, do que pela competência e trabalho desempenhado.


As coisas não são exactamente assim? Muito bem, então, para evitar mal entendidos, seria bom que o senhor Álvaro Pinto, presidente do Conselho Cultural, explicasse o que se passou e que critérios foram seguidos.

Reafirmo o que já aqui escrevi. Nem eu, nem nenhum sócio do Futebol Clube do Porto tem nada a ver com a vida privada do presidente do clube e da SAD. Mas compete a Pinto da Costa e aos restantes dirigentes do FC Porto evitar estas misturas, que são desagradáveis e contribuem para alimentar um clima de promiscuidade indesejável.

Foto: Caras e blog 'Mulher Atenta'

20 comentários:

R.M.Silva da Costa disse...

Quero crer que a saída da Drª Filomena do Conselho seja resultante de uma opção pessoal, consubstanciada na instabilidade das suas relações pessoais com Pinto da Costa, o que, sendo assim, a compreendo e considero sensata.Se, por outro lado, a substituição visa cumprir objectivos que ela não estava à altura de concretizar, um esclarecimento seria oportuno para eliminar especulações que sempre poderão surgir.
A actual constituição do Conselho Cultural, parece-me reunir figuras capazes de produzir um trabalho de qualidade, à altura do prestígio e grandeza do Clube.

Anónimo disse...

O NGP por vezes é tão mesquinho e tão previsível que até aborrece. Dei comigo a pensar por que razão, além de ser do PS, partido a que o NGP gosta de fazer a côrte, a Dr Isabel Pires de Lima teria agora aparecido no Conselho Cultural (cargo para o qual terá sem dúvida muito mais competências que a agora apeada D. Filomena)? E já descobri: a Drª Isabel protagonizou a célebre cena do "túnel de Ceuta" com o Dr. Rui Rio, e o NGP parece utilizar a máxima segundo a qual os inimigos dos nossos inimigos, nossos amigos são. Ou seja, está a usar-se o clube para aferroar o Presidente da Câmara. Esta cena do Rio já acabava, não acha Sr. NGP??

Anónimo disse...

Para começar, Filomena Pinto da Costa nunca deveria sequer ter sido membro do Conselho Cultural nem de qualquer outro orgão do FCP. Chama-se a isso nepotismo. Infelizmente os sócios do FCP toleram todo o tipo de comportamento ao seu presidente, o qual por vezes gere o clube como se fôsse propriedade privada dele. É o que dá estar agarrado ao poder como uma lapa (embora, com aquele ordenado, eu confesso que também ainda não tinha largado o tacho).

Ah, estou a ser injusto! Já me esquecia que ele ficou mais este mandato por causa do museu! Deve ter sido por isso que levou tanto tempo a decidir-se avançar com essa obra: é que de 3 em 3 anos o JNPC já se sente na necessidade de justificar mais uma candidatura, e por isso convém não fazer tudo de uma só vez.

Pedro Forjaz

Gabriel Martins Silveiras disse...

O senhor José Correia é um adepto do PdC e não do FCP.

Para ele tudo o que PdC faz é que está correcto, mesmo que isso envergonhe todos os VERDADEIROS adeptos do FCP.

É atletas alugados, é prostitutas oferecidas, é esposas em posições de destaque na vida social do clube.

De uma vez por todas assuma que é uma vergonha o que se passa, tenha coragem e demonstre ser homemzinho.

paulop disse...

Estes últimos comentários dos Snrs. David, Pedro Forjaz e Gabriel M. Silveira, deixam-me espantado com tamanha tacanhez,
mencionar o limitado intelectual do Presidente da Cãmara para a escolha da Isabel P. de Lima, não lembra a ninguêm, outra é as candidaturas serem balizadas com promessas inócuas, francamente os titulos nacionais e internacionais não contam, por fim falar da vida privada, não mencionando tudo que foi feito pelo Clube.
Não tenho vergonha dos feitos gloriosos do PORTO, dss últimas décadas, que tiveram como denominador comum Pinto da Costa, sou associado há 45 anos desde os meus 10 anos, conheci bem o antes e o depois, daí o estar imensamente grato, quando for a hora de mudar tenho a certeza que será o Presidente a dar o primeiro passo. Duvido mesmo do amor clubista de certos comentários.
VIVA O FUTEBOL CLUBE DO PORTO

Rui disse...

Parece-me óbvio que não fazia qualquer sentido "explicar" a saída da senhora Filomena, só ia servir para lavar roupa suja.

Claro que tudo seria evitável se ela nunca tivesse tido nenhum cargo no FCP.

Já a Isabel Pires de Lima se serviu para ministra da Cultura, também terá mais que competência para o Conselho Cultural.

E caro Pedro Forjaz, pelos resultados alcançados não vejo o problema no salário auferido pelo presidente da SAD.

Anónimo disse...

Caro Rui,

Eu também não disse que via problema com o salário do Presidente do Conselho de Administração da SAD, embora me lembre de ele um dia ter dito que nunca seria presidente de um FCP transformado em empresa. O que eu acho é que esse salário decerto pesa muito nas suas sucessivas recandidaturas, se calhar mais que o pavilhão ou o museu, isto sem querer de modo algum ofender alguns espíritos mais sensíveis, como o Paulop.

Mas abstractamente eu acho que a Administração da SAD de facto ganha demais. E se para haver resultados financeiros positivos é preciso ano após ano vender a prata da casa, então isso é sinal de que deveria haver poupança.

Cumprimentos

Pedro Forjaz

Anónimo disse...

Palop,

Parece-lhe normal a D. Filomena ter ocupado o lugar que ocupou e ter até sido criada nova publicação do clube para ela dirigir? Se lhe parece normal, os seus padrões de exigência são muito baixos. E quanto à "vida privada" do NGP, ninguém dela falaria se ele não a misturasse com o clube.

Alguém aqui disse que tem vergonha dos títulos? Mas os títulos não podem servir de desculpa para toda e qualquer pouca vergonha. E se acha impossível o PdC ter escolhido a Pires de Lima para aferroar o Rio, então não o conhece. Por que motivo acha que ele, por exemplo, algum dia contratou Sokotas, Pandurus e Kenedys? Não terá sido para aferroar o Benfica? Repito que já chegou há muito a hora de cagar no Rio, em vez de lhe dar importãncia com estas merdas.

Olhe, e se você tem 45 anos de sócio, eu tenho 38. Também não nasci ontem, como vê. E já faltava a lenga-lenga da teoria conspirativa dos "verdadeiros portistas". Quem não pensa como eu não pode ser portista, parece ser o seu raciocínio.

Acresce que a D. Filomena, quando da sua primeira separação do NGP, fez muito mal ao clube e a ele, em entrevistas e outras coisas que tais, pelo que nunca deveria ter estado naquele lugar. Ainda bem que eu não tenho 45 anos de sócio, senão se calhar achava isso normal.

Teixeira disse...

Também não concordo com a mistura de vida privada com a clubista. Mas, no meio disto tudo, só desejo que este Conselho Cultural não volte ao antigamente, sem qualquer trabalho nem visibilidade pelo menos, só fazendo a distribuição das rosetas aos sócios com 25 e 50 anos de associados e mais nada, não se sabendo para que existia. A Filomena pelo menos fez a revista, Mundo Azul, que foi a melhor publicação que o clube teve, muito melhor que a Dragões que anda sempre atrasada vários meses e não tem assunto. A Mundo Azul dava voz aos sócios e às casas do clube e fazia conhecer a história das modalidades, e não quase só o futebol como a Dragões. Também foi editado o livro da biografia da cantora do Hino do Clube, e dizia-se que estavam outros para sair. Veremos se o novo conselho continua este trabalho ou se volta ao antigo apagamento.

Steve Bracotelli disse...

Sem querer faltar ao respeito a ninguém digo,
este assunto do post não é nada e de tão pouca importância comparada com este.

José Correia disse...

Gabriel Martins Silveiras disse...
«O senhor José Correia é um adepto do PdC e não do FCP.»

Pois, e eu tenho quase a certeza que o senhor Gabriel Martins Silveiras (é mesmo este o seu nome?) não é sequer portista e, apesar disso, houve um administrador deste blogue que, na moderação de comentários, não barrou o seu comentário e aceitou publicá-lo.
Até nisto somos diferentes de outros blogues, principalmente dos blogues benfiquistas.

José Correia disse...

Caro Steve Bracorelli, uma coisa não tira o lugar à outra.
No 'Reflexão Portista' já falamos e publicamos dezenas de artigos sobre o 'Apito Dourado', o 'Apito Final', o Ministério Público, a procuradora Maria José Morgado, etc. (basta fazer uma pesquisa por estas tags para verificar).
É provável que um dia destes voltemos ao tema.

Anónimo disse...

Steve,

Essa parte do Apito Dourado nada tem a ver connosco (alguma coisa desses processos havia de não ter!). E o assunto, francamente, já cheira mal.

Abraço

Steve Bracotelli disse...

Peço desculpa pelo engano.
É o que dar ler várias coisas ao mesmo tempo.

Realmente a noticia que eu "linkei" não é nada sobre o FC Porto e é somente relativa ao processo das supostas manipulações das avaliações da arbitragens.
É que estava a ler um artigo (em papel, que um amigo meu me deu) que falava do facto de que o Pinto da Costa foi um dos primeiros a alertar para a tal manipulação da avaliação dos árbitros e a alertar que andavam uns a passarem à frente de outros que tinham arbitragens mais bem conseguidas, e que foi ele quem alertou várias vezes há uns atrás para o facto de notas dadas a seguir aos jogos eram depois de uns dias "corrigidas". Depois voltei à tal noticia que destaquei e pensei que tinha lido tudo no mesmo sitio.

Quanto ao facto de eu ter dito que não queria faltar ao respeito mas achar este post pouco ou nada interessante (e mais uma vez repito que não quero faltar ao respeito a ninguém) é porque o acho um pouco como as tricas de cabeleireiro. Até porque o cargo que a senhora ocupou não era de relevância no clube nem deveria afectar de forma significativa a vida de ninguém.
Mas não quero de forma alguma condicionar as opções do blog, apenas acho pouco interessante.

Já agora digo o que ouvi acerca da Filomena. Que ela (e ouvi muita gente dizer isto e eu nem tenho conhecimento de nada, pois desconheço o trabalho dela) não só desempenhou bem as funções que lhe estavam atribuídas como era constantemente alvo de elogios por várias pessoas "concorrentes".

Teixeira disse...

Já agora, como começaram com o tema da revista do anterior Conselho Cultural do FC Porto, um outro tema relacionado julgo que seria bom, no seguimento, como seria o de se fazer um trabalho de avaliação ao que tem sido a revista Dragões com a já saudosa revista Mundo Azul e, porque não, com o antigo jornal O Porto de que se ouve falar muito bem, como alguém me referiu já que esta Mundo Azul parecia que seguia, talvez porque teria alguns bons colaboradores do extinto jornal

paulop disse...

Exmo.Snr.
David
Os meus padrões de exigência são muito superiores ao de V.Excia. por isso apoio Pinto da Costa, enquanto me der garantias de TITULOS, quanto à sua obestinação com o rui rio, apesar de não votar na MUI NOBRE INVICTA CIDADE, nado e criado com muita honra, muito me dói ser governada por um guarda-livros mangas de alpaca, felizmente voto num verdadeiro Presidente Filipe Meneses, quanto á lenga lenga dos verdadeiros PORTISTAS, sómente quero a Glória do PORTO, que se traduz em titulos. Se S. Excia. tem outros objectivos não comungo das suas opiniões. Não entendo ter mencionado Sokota etc. já agora podia falar de Deco, Maniche, Falcao, A.Pereira etc etc etc.
De facto temos diferenças enormes, principalmente no que toca a gratidão,

VIVA O FUTEBOL CLUBE DO PORTO

Anónimo disse...

Exmº e Ilmº Sr. Paulop, Sócio do FCP há 43 anos

Não vou fazer comentários às qualidades ou defeitos dos presidentes das câmaras de Porto e Gaia enquanto tal porque isto não é um blog de política e os administradores podem não gostar. Aquilo que eu digo e insisto em relação ao Rio e suas atitudes para com o FCP é que ele não merece que se perca tempo com ele. Mas o PdC é de ideias fixas, como sabemos, e daí esta nomeação da Drª Isabel Pires de Lima - cuja pessoa e adequação ao lugar não estão em causa - me cheirar a esturro.

Se é pela gratidão que acha que há diferença entre nós, então está completamente enganado. Eu tenho gratidão para com tudo o que PdC fez pelo FCP, mas isso não me impede de o criticar quando acho que actua mal. Se calhar o problema é não haver nunca quem o critique dentro o clube, embora todos saibamos como ele reage mal às críticas - no que já conseguiu contagiar boa parte dos adeptos.

Um bom resto de serão a Vª Exª.

Sou de Vª Exª atento, venerador e obrigado

a) David, sócio desde 1972

Offshore disse...

Steve,
Parece-me que seria interessante disponibilizar esse artigo aos autores do blog, para consulta de todos.

Steve Bracotelli disse...

Offshore,
Vou pedir ao meu amigo a ver se me dá o link ou a fonte de onde tirou o que me enviou.
É que aquilo vinha escrito num mail pessoal(que recebi à muito tempo atrás e que quando lia ontem a noticia que "linkei" me lembrei dele e fui reler, e foi de resto assim que acabei por fazer a confusão que já esclareci e pela qual já pedi desculpa) e não tem sequer as fontes de onde ele leu a informação.
Se ele me enviar a resposta eu depois disponibilizarei de alguma forma aqui no blog.

Mas de resto devo dizer que o que ele me enviou naquela altura não foi novidade nenhuma para mim.
Lembro-me bem de várias vezes ter visto e ouvido Pinto da Costa a dizer que achava estranho as mudanças de notas de certos árbitros e de ele a criticar o facto de árbitros considerados como fracos em todos os jornais e artigos de analises dos jogos, serem os que notas mais altas recebiam.
Deve haver até esses comentários feitos por Pinto da Costa em vídeos do youtube ou noutras páginas de vídeos, pois ele nas entrevistas que dava (há uns 3 ou 4 anos) falava constantemente nesse assunto.

Acredito até que ele não faça questão de relembrar as suas próprias palavras pois não quer acentuar a gravidade da situação do seu amigo Pinto de Sousa e também para não voltarem a "colar" o nome dele a processos judiciais do apito dourado, sendo que neste caso não há ligação ao FC Porto ou a Pinto da Costa mas a imprensa lisboeta é fértil e engenhosa e não deixaria de aproveitar tamanha "oferta".

Orlando disse...

Lamento que alguém como Ministra da Cultura implementou e promoveu uma centralização (em Lisboa claro), foi responsável pela desqualificação dos vários serviços regionalizados do referido Ministério, e mais uma vez em favor de serviços localizados em Lisboa, seja membro deste orgão do clube. No que diz respeito ao túnel de Ceuta, embora sendo contas de outro rosário, envolvendo também a ex-Ministra, direi que o actual Presidente da Câmara desrespeitou a lei e os tribunais, e insultou e promoveu o insulto público de quem procurou cumprir a lei.
Cumprimentos
Orlando Sousa