sexta-feira, 11 de junho de 2010

Mude-se os regulamentos!


«O FC Porto inscreveu oito atletas estrangeiras no Campeonato Nacional da I Divisão (sector feminino), sete das quais viajando expressamente para a competição do próximo fim-de-semana. Às cinco atletas que utilizou na pista coberta - e que foram determinantes no título conquistado ao Sporting - juntam-se agora mais uma fundista, Polina Jelizarova, especialista de obstáculos, e duas lançadoras, Austra Skujyte (peso e disco) e Laura Igaune (martelo), todas letãs.
Se utilizar em pleno estas atletas (cinco lituanas e três letãs), o FC Porto fará 13 das 19 provas individuais com estrangeiras, todas elas, excepto a marchadora Kristina Saltanovic, vindas expressamente dos seus países apenas para esta competição. Nas listas de inscrição, o Sporting tem a russa Yekaterina Volkova, corredora que não está operacional por lesão, enquanto o Benfica inscreveu o martelista checo Luka Melich.
A federação portuguesa não tem nenhuma regulamentação que proíba esta "invasão" de atletas comunitários, mas já preparou uma proposta a ser presente em próxima assembleia geral, na qual impede a participação em competições colectivas de atletas que tenham sido internacionais ou tenham competido em campeonatos nos seus países nos 12 meses anteriores. Segundo se pode ler na proposta, este articulado é já seguido por algumas federações e "impedirá contratos temporários de trabalho", pretendendo a federação que os clubes "invistam em atletas portugueses".»
in Record, 11/06/2010


Pelos vistos, a vitória da equipa feminina de Atletismo do FC Porto no campeonato nacional de clubes de pista coberta, interrompendo uma série de 15 títulos consecutivos do Sporting, e a perspectiva de repetir a gracinha no campeonato nacional de clubes ao ar livre, que se vai disputar sábado e domingo, está a deixar os clubes da 2ª circular nervosos.
Daí, o tom adoptado pelo jornalista do Record no texto anterior e as alterações aos regulamentos que a Federação Portuguesa de Atletismo (FPA) promete fazer, as quais têm um alvo bem determinado – o FC Porto – e um objectivo: repor a “normalidade”.

O que eu nunca vi foi a FPA preocupada com o facto de o SLB e o Sporting irem “roubar” atletas promissores a outros clubes, aliciando-os com dinheiro, sem que esses clubes (muitos deles pequenos clubes de bairro) fossem indemnizados pelo tempo e custo de formação desses atletas. Evidentemente, para estas situações não é preciso alterar regulamentos...

Mas enfim, não é só no futebol que há gente que "trata das coisas por outro lado", bem como, clubes especialistas em ganharem na secretaria, quando não têm argumentos para ganhar nos relvados (neste caso também na pista).

P.S. Já o ano passado, por esta altura, a FPA teve como alvo o FC Porto.

11 comentários:

meirelesportuense disse...

Estes jornalistas poderiam começar por se preocuparem com o Basquet, por exemplo...
Tudo o que lhes cheire a perder predomínio dá-lhes muita comichão...Já fizeram o mesmo noutras modalidades, alterando sucessivamente os regulamentos competitivos, para conseguirem confundir situações e disso tirarem vantagens...

Jorge Aragão disse...

Fui atleta da secção de atletismo do FCP entre 1971 e 1980.
Independente da azia dos jornalistas, já se sabe como é, fico triste de não se formarem atletas como no meu tempo e termos de recorrer a importações maciças.
Pra mim, infelizmente, o Atletismo morreu dentro do Clube há muitos anos, sendo agora uma caricatura do que foi no meu tempo onde apesar de não termos os melhores atletas - estava tudo nos clubes da capital que assediavam quem se destacava - eramos uma boa equipa, e onde até às vezes pagavamos para competir e ter material, num amadorismo puro.
Quando saí por lesão e dificuldades em compatibilizar a faculdade, as coisas começaram a mudar, o dinheiro de subsídios a entrar, a pista acabou com o rebaixamente das Antas e veio o declínio, apesar da Fernanda Ribeiro, treinada pelo meu companheiro e amigo João Campos.
Hoje o Atletismo do FCP não tem nada a ver com o meu tempo, ando afastado, nada sei, mas é o que vai na alma!!!
É uma secção quase clandestina...

KOSTA DE ALHABAITE disse...

Muito bem observado!
É o racismo contra o Porto no seu esplendor.
Para quando a cisão deste país?

fallengod disse...

O melhor exemplo da alteração de regulamentos para obterem vitórias tem sido o Óquei, onde ano após ano se estes são alterados. Ora há playof, ora não há, ora há 2 fases, ora não há... Para azar "deles" o FC Porto continua a ganhar.

José Correia disse...

Caro Jorge Aragão, compreendo e, em parte, partilho do seu desencanto, mas o que está aqui em discussão (neste pequeno apontamento) não é a política desportiva da secção de Atletismo do FC Porto (com a qual podemos concordar ou discordar), mas sim a intenção de alterar regulamentos, quando estes "perturbam" o status quo vigente.

José Correia disse...

«Tal como aconteceu este inverno no Campeonato de Clubes de pista coberta, o FC Porto pode interromper a longa série de triunfos do Sporting nos Nacionais femininos da 1.ª Divisão (são 15 consecutivos, desde 1995), graças à presença de atletas estrangeiras especialmente contratadas para esta competição (são oito as inscritas). Se todas estiverem presentes, dificilmente o Sporting, para mais com problemas no sector de meio-fundo, conseguirá evitar a vitória do FC Porto... que pode ser única, caso a assembleia geral federativa venha a aprovar medidas que impeçam este tipo de contratações nos anos vindouros.»
in Record, 12/06/2010

hmocc disse...

Perdoem-me a pedantia mas o correcto seria dizer "Mudem-se os regulamentos".

Anónimo disse...

Permito-me discordar,Hugo!;-)O sujeito da frase é o pronome pessoal reflexo "se", 3ª pessoa do singular, pelo que o correcto é mesmo usar o singular "mude". "Os regulamentos" aqui são o complemento directo, e o verbo tem de concordar com o sujeito.

José Correia disse...

Para a próxima, para não deixar dúvidas, o título será "Mude-se o regulamento", ou melhor ainda, "Mude-se a lei!"... ;-)

José Correia disse...

Ao fim do primeiro dia do Nacional de Clubes, que se está a realizar no Estádio Universitário de Lisboa, o FC Porto lidera com 83 pontos, mais 12 do que o Sporting, campeão há 15 anos seguidos, mas que começou o campeonato da pior maneira possível e a perder as parcas esperanças da revalidação do título, depois da desistência (caiu após a primeira barreira) de Mónica Lopes nos 100 m barreiras.

Apesar de ter ganho mais provas (cinco), o Sporting apresentou uma equipa desequilibrada, ao passo que o FC Porto (com quatro triunfos), mercê da qualidade das suas estrangeiras, tem os seus sectores mais aproximados.

Femininos

100 m (v:+1,9): 1ª Lina Grincikaite (FC Porto), 11,43s; 2ª Sónia Tavares (Sporting), 11,58; 3ª Ungundi Quiwacana (Benfica), 12,03.

400 m: 1º Egle Balciunaite (FC Porto), 53,47s; 2ª Patrícia Lopes (Sporting), 54,31; 3ª Vera Barbosa (JOMA), 54,97.

1500 m: 1ª Polina Jelizarova (FC Porto), 4m22,12s; 2ª Sandra Teixeira (Sporting), 4.22,70; 3ª Joana Costa (SC Braga), 4.24,70.

5000 m: 1ª Cláudia Pereira (SC Braga), 16m49,15s; 2ª Sónia Fernandes (FC Porto), 16.49,93; 3ª Ana Ferreira (Estreito), 16.56,15.

3000 m obstáculos: 1ª Clarisse Cruz (Sporting), 10m25,61s; 2ª Filomena Costa (SC Braga), 10.33,20; 3ª Lilian Silva (FC Porto), 11.12,49.

100 m barreiras: 1ª Eva Vital (Benfica), 13,83s; 2ª Witney Barata (JOMA), 14,55; 3ª Tânia Caíres (Marítimo), 15,56.

Triplo: 1ª Ineta Radevica (FC Porto), 14,40m (v:+2,4); 2ª Lecabela Quaresma (JOMA), 12,80; 3ª Susana Costa (Sporting), 12,75 (v:+2,8).

Disco: 1ª Irina Rodrigues (Sporting), 52,06m; 2ª Austra Skujyte (FC Porto), 51,04; 3ª Catarina Rosa (JOMA), 43,88.

Martelo: 1ª Vânia Silva (Sporting), 63,68m; 2ª Sónia Gorgita (Benfica), 56,86; 3ª Laura Igaune (FC Porto), 56,16.

3000 m marcha: 1ª Vera Santos (JOMA), 12m17,59s; 2ª Kris Saltanovic (FC Porto), 13.27,94; 3ª Maribel Gonçalves (Marítimo), 14.25,77.

4x100 metros: 1º Sporting, 45,44s; 2º FC Porto, 46,32s; 3º Benfica, 46,91s.

Colectivo: 1º FC Porto, 83 pontos; 2º Sporting, 71; 3º JOMA 60; 4º Benfica 54; 5º SC Braga 46; 6º Marítimo 40; 7º Estreito 36; 8º Juv. Vidigalense, 33.

in O JOGO, 13/06/2010

Anónimo disse...

Esta equipa de atletismo deve sair barata, deve...