terça-feira, 15 de junho de 2010

O feeling, a fé, a minha avó e o cenoura

Em casa e nos bancos da escola ensinaram-me que 1+1=2 e que 1+1=10, ensinaram-me a ser racional, a respeitar sexo, cor e raça, a analisar e a decidir.

Na rua e nas bancadas aprendi a irracionalidade, que o 11 não é a soma de 11 jogadores, fui xenófobo e já insultei muitas mães.

E o bom nisto, do futebol, é que num dia podemos ser racional e no outro irracional, e sê-lo à nossa vontade consoante o nosso estado de alma.

Fruto disto há os que têm feeling, os que têm fé, os optimistas, os pessimistas, os racionais, os correctores de apostas que colocam os n.ºs à frente, os cegos, os que sabem mais que a Lúcia, ...

No dia em que começa para nós Portugueses um mundial em que alguns têm feeling, opto pela racionalidade e exigo a passagem aos oitavos e depois o mais provável é virmos para casa. Portanto, é óbvio que o meu feeling é muito curtinho, assim espero que os que têm feeling daqui a uns dias me atirem o título mundial à cara. Mas não deixo de ser nem mais nem menos português por causa disto. Agora não me peçam para festejar golos marcados por brasileiros.

E lá está, a racionalidade leva-me a considerar o Deco o melhor jogador que vi jogar, ao vivo, com regularidade. A irracionalidade - ou o que se quiser chamar - leva-me a não gostar de o ver jogar com aquela camisola em tons de sangue.


E sim, detesto o Cristiano Ronaldo. Porquê? Porque sim.

Mas isto da selecção é só o aquecimento para a próxima época, mas vamos bater no mesmo: se compreendo o pragmatismo que alguns põem nos seus artigos, neste caso opto por aquilo que a minha racionalidade não recomendaria: tenho fé.

Como diz a wikipédia (meio abrasileirado):
Fé (do [[grego] fides, fidelidade[1] e do grego pistia) é a firme convicção de que algo seja verdade, sem nenhuma prova de que este algo seja verdade, pela absoluta confiança que depositamos neste algo ou alguém.
A fé se relaciona de maneira unilateral com os verbos acreditar, confiar e apostar, isto é, se alguém tem fé em algo, então acredita, confia e aposta nisso, mas se uma pessoa acredita, confia e aposta em algo, não significa, necessariamente, que tenha fé. A diferença entre eles é que ter fé é nutrir um sentimento de afeição, ou até mesmo amor pelo que acredita,confia e aposta.
E pareço a minha avó a acreditar na Virgem Maria.

Mas depois de 4 anos a dar o benefício da dúvida, a tentar gostar do homem, a tentar ser racional e pragmático, afinal deu-nos 3 títulos e umas boas vitórias, a tentar sentir empatia, e mais não sei o quê, não me apetece ser racional (pelo menos por uns tempos) e acredito piamente que um "Cenoura", ainda que algo verde, é o melhor petisco que anda por aí, muito melhor que tremoços.

E vamos ter um ano cheio de pica, de verdadeiro prazer de ver futebol. Ó se vamos! E nunca mais começa!

ps: Sim, eu acreditei que o Octávio Machado era mesmo o que precisávamos naquela altura. Ou seja, a demência às vezes também se intromete nestas coisas.

12 comentários:

pois disse...

Exmo. Sr. João Saraiva,

Eu acho que não é por fé, e também não acho que seja lá muito racional, e não posso dizer até que seja irracional nem pragmático. Então tem que ser feeling, um feeling que me leva a achar que a sua é boa fé ou melhor é uma fezada. E como é boa e é cheia de pica eu alinho na sua e assino por baixo de todas as linhas que escreveu. Todas sem excepção.
Um grande abraço de saudação PORTISTA

CarlosS disse...

Gostei da analogia "Cenoura Verde". Bem conseguida!

Neste caso é mais fézada do que fé.

Ah, e assim como 1+1=10 na base 2, 2+2 pode ser igual a 10, na base 4, ou 11 na base 3. Por isso, 2+2 pode ser igual a muita coisa além de 4. :)

Parabéns pelo artigo.

E 8180 P0R70, C4R460!

Anónimo disse...

O patrioteirismo piroso e reles que inunda Portugal desde 2004 por altura das fases finais de europeus e mundiais é sufocante e insuportável.

Este tom de histeria colectiva, acompanhado da progressiva estrangeirização da selecção, fez-me tornar indiferente aos resultados que ela obtenha. Por mim até a Coreia do Norte se pode vingar do Mundial de 1966.

Apenas uma excepção: que ganhemos ao Brasil! Dá sempre um grande gosto!

R.M.Silva da Costa disse...

Convivo melhor com a emoção do que com a razão, o que muitas vezes, dá em desgraça. Quer dizer: estou mais perto de António Damásio mas não quero perder de vista Descartes... Sem a emoção, passaríamos pela vida sem a sentir. E há coisas na vida, como gostar do Futebol Clube do Porto, que não precisam de explicação racional para nos fazerem felizes. Gosta-se e pronto!
Por isso, estou atento às inquietações sobre a opção do "cenoura verde" que talvez a razão justifique deverem ser ponderadas. Mas lá está, esta crença que alimenta a nossa fé de que tudo vai dar certo é tanta que a razão, se calhar, nem sempre nos ajuda a vencer.

Nightwish disse...

Esta merda do futebol cada vez me dá mais a volta ao estômago, agora são os stewards que não são pagos e depois têm a polícia a malhar neles porque querem o que é deles. A fifa cada vez mais parece o comité olímpico.
Quanto a Portugal, é para a goleada sempre. E se não for, sempre tenho mais orgulho do que em qualquer resultado do bronco.

meirelesportuense disse...

Gostei muito da fotografia da "freira envergonhada"...O que poderá significar em termos simbólicos?...

meirelesportuense disse...

Já agora expliquem-me como se eu fosse muito ignorante: -1+1=10?...Só se um, dos dois uns, for alguém do género do Vasco Santana!...Mas sinceramente, esclareçam-me.

João Saraiva disse...

@meirelesportuense

Vê aqui: Wikipédia

meirelesportuense disse...

Nunca acertei com essa do sistema binário.Mas como não sou programador.
De qualquer modo agradeço, embora fique na mesma...
-Eu estava a imaginar alguém assim muito gordinho, ao lado de outro menos gordinho, que perfizessem um duo, semelhante em volume, a um grupo de dez indivíduos...

CarlosS disse...

Olá Meireles,

espero ainda ir a tempo de tentar de explicar os sistemas numéricos, uma vez que já existem mais alguns artigos a seguir a este.

Então é assim:
A base de contagem que todos conhecemos é a décimal, que vai de 0 a 9. O dez é a junção de dois algarismos, o 1 e o 0, assim como o onze ou o doze, ou etc. Esta junção só é possível dentro dos algarismos que conhecemos: de 0 a 9.

Agora imagine que os Fenícios, que foram quem inventaram os numerozinhos tal qual os conhecemos, eram uns gaijitos eléctricos e só conheciam o desligado e o ligado. Só conheceriam o 0 e o 1, e só conseguiriam fazer contas com estes dois algarismos. Logo, 1+1 só poderia ser igual a quê? 10! E atenção, não se pode ler dez, mas sim um, zero, porque não estão na base décimal.

Já agora, e 11+1, seria igual a quê? Como não temos mais nenhum algarismo a seguir ao 1, 11+1 tem de ser igual a 100, e por aí fora. É nesta base, a binária, em que toda a informática assenta.

Quando, no meu comentário, escrevi que 2+2 pode ser igual a 10, estava a usar a base de contagem 4, em detrimento da base 2 (binária) e, aqui, sim, podemos ir até ao 3. Assim como na base décimal não podemos ir além do 9, nas base 2 não podemos ir além do 1 e na base 4 não podemos ir além do 3.

Espero ter contribuido para mais um cantinho do conhecimento e, espero também, que ponha todas as dúvidas que quiser. Terei to o gosto de as satisfazer.

De qualquer forma, envio-lhe um link para um artigozito no meu blog a explicar mais um bocado sobre este assunto.


Abraços Portistas

Carlos Santos

meirelesportuense disse...

Carlos, acho que consegui perceber a lógica.
Eu considero que é mesmo assim que as coisas devem funcionar, quem sabe, deve ensinar a quem não sabe e, só assim, o conhecimento pode ser cada vez mais universal...
Sabemos que as coisas normalmente não funcionam assim, há um egoísmo tremendo que tendencialmente esconde o conhecimento.Nunca tive medo de assumir o desconhecimento, e desta forma aprendi coisas,chi que ignoraria sempre, se mantivesse uma atitude defensiva...
Obrigado.

Rui disse...

O maior problema que Portugal enfrenta,é neste momento ser duas selecções ao mesmo tempo.
A seleção Portuguesa
E o Cristiano Ronaldo
...só não sei, ou não quero dizer,qual é que tem maior importancia MUNDIAL.
Mas que é uma pena,é.!