terça-feira, 15 de junho de 2010

Pode haver feeling, mas não há milagres


No EURO 2004, para além de jogar em casa, Scolari tinha à sua disposição jogadores como Figo, Rui Costa, Pauleta, Vítor Baía (que desperdiçou) e, principalmente, a máquina de jogar futebol montada por Mourinho, com dois blocos fortíssimos - defesa (Paulo Ferreira, Jorge Costa, Ricardo Carvalho, Nuno Valente) e meio-campo (Costinha, Maniche, Deco) -, totalmente formados por jogadores seleccionáveis, que jogavam de olhos fechados.

Quando pegou na Selecção portuguesa, Queiroz já sabia que não tinha nada disto mas, depois de ter de "inventar" jogadores para algumas posições - defesa-esquerdo, médio defensivo e ponta-de-lança - chegar à fase final do Mundial da África do Sul com Deco "preso por arames" e sem poder contar com Bosingwa, Pepe e Nani, parece-me demais para uma Selecção com poucos jogadores de top e muitos jogadores medianos.

17 comentários:

Daniel disse...

Concordo que Scolari teve a preciosa "ajuda" do Mourinho no montar da equipa nacional para o EURO 2004, conseguimos chegar à final e não ganhamos o EURO quando, não chegando copiar o modelo de Mourinho no Porto, era necessário inventar uma estratégia capaz de desmontar o sistema grego e aí foi notório as insuficiências de Scolari em descortinar uma táctica vencedora. Aliás foi evidente a diferença exibicional da selecção pré fase final do EURO, quando Scolari chegou em finais de 2002 e durante 2003, onde o brasileiro inventou (e registamos derrotas desastrosas), e a selecção na fase final do EURO, quando o modelo do Porto de Mourinho já estava copiado e pronto a utilizar.

Daniel disse...

Agora a selecção actual tem várias deficiências, evidentes no jogo de hoje contra a Costa do Marfim, no meio campo Deco está em fase decadente e já não consegue pautar a construção de jogo, disso se ressentido a equipa, CR tem dias... e tanto pode brilhar como passar ao lado do jogo.

Pedro disse...

5 perguntas.

1- Porque joga Liedson os 90 minutos?
2- Porque joga o Ronaldo colado á linha quando passamos para 4-1-3-2?
3- Porque foram convocados 5 centrais em deterimento de mais um médio ofensivo quando o Deco está preso por arames?
4- Porque não entrou H.Almeida quando passamos a jogar no pontapé pra frente?
5- Porque um cepo como o R.Amorim vai á selecção?

Até podia inventar mais meia dúzia de perguntas. Mas a resposta para mim é sempre a mesma. Queiroz é uma merda de treinador, e sem Nani e Bosingwa (que fazem uma falta do caraças) valemos muito pouco.

Mesmo que passemos á fase seguinte, somos das equipas mais fáceis de parar.

Daniel disse...

Pedro: concordo que precisavamos de mais um médio ofensivo, mas quem? Só se for o Moutinho, porque de resto jogadores portugueses nessa posição não estou a ver quem, e não nos esqueçamos que Moutinho fez esta temporada bem apagada no Sporting. Confrangedor é também não termos alternativas de qualidade para substituir o Liedson e o H. Almeida, precisamos de avançados de qualidade, mas quem? Postiga? Nuno Gomes????????? Quero ver quando ficarmos sem o Deco, ficamos sem maestro e a selecção desaparece. Concordo que sem Bosingwa e Nani estamos mais fracos, mas penso que nos próximos anos se não começarem a aparecer jogadores portugueses de nível, teremos de naturalizar brasileiros ou vamos ficar pelas fases de qualificação.

Daniel disse...

Tambéem me esqueci que o Varela e o Ruben Micael também podem ser importantes na selecção, mas tiveram as lesões e portanto não contam; contam sim, os que lá estão, e temos de suar para ganhar à Correia do Norte, e depois esperar pelo resultado do outro jogo do grupo para ver o que vamos fazer com o Brasil.

Anónimo disse...

Claro que há milagres, Zé Correia!;-) Então não chegámos às meias-finais em 2006?

Steve Bracotelli disse...

Para mim há muito que Queiroz deu uma de senhora do Jet Set falida que anda com vestidos a cheirar a mofo e quando toda a gente a goza faz-se de virgem ofendida e gaba-se às amigas das coisas valiosíssimas que(já não) tem.

Depois da treta que foi a convocatória, mais o apuramento à rasca num grupo bastante acessível e este estágio com as cenas que teve, tanto dentro dos campos como fora deles, já nem sei o que mais falta ao CQ.

Queixa-se da Costa do Marfim e que eles é que jogavam à defesa e no erro do adversário? Então e como estava a jogar Portugal?

Liedson (que já há muito deixou de ser um bom jogador e que devia deixar de ser chamado Levezinho e passar a ser chamado de Fraquinho) a jogar com matulões com o dobro do peso dele e o Hugo Almeida no banco.

Eu não sei que jogo viram os jogadores que falaram à comunicação social no fim do mesmo, e então o Carlinhos Queiroz é que estava com uma moca que viu tudo ao contrário, só faltava era terem sido expulsos dois jogadores portugueses por entradas com os pitons nas canelas do marfinenses, que foram perdoadas e se não o tivessem sido o CQ até tinha também a desculpa do arbitro fazer o que mandam as regras. Até a protecção da lesão do Drogba fez com que Portugal jogasse mal, vejam lá.
Ao CQ já só lhe falta tão depressa dizer que foi um empate bem conseguido num jogo inteligente de Portugal como a seguir dizer que a Costa do Marfim jogou no contra-ataque e não lhes deixou jogar o que sabiam e podiam.
Nem capacidade para não se contradizer a ele próprio tem.

meirelesportuense disse...

Fora do comentário, vocês viram a pinta com que surgiu ontem na TV o Oliveira?...Eu comecei a ver o programa fora do contexto e disse de mim para mim -tasssss, aquele gajo faz-me lembrar alguém...
-Parecia um qualquer Zandinga.

Anónimo disse...

E o Rúben Micael e o Varela? E porquê deixar de fora o Quaresma (um repentista, explosivo, que mesmo sem jogar e em baixo de forma pode ser decisivo) e chamar o Rúben Amorim? Por que carga de água, o Amorim? Preferia de longe o Moutinho, ou na ausência deste o Dajló.
Esta selecção foi condenada desde o início pelos "paineleiros" escolhidos a dedo, jornalistas e imprensa em geral por haver seleccionado apenas 1 jogador do SLB.
Ouviram os comentários vergonhosos do banhudo do José Manuel Freitas durante toda a partida do Brasil-Coreia? Esteve o tempo todo a fazer a apologia do Ramires. E que se aquele jogasse o Brasil era outro. Chegou mesmo a dizer (pasmem-se, aonde chegou o desplante!) que pela época que fez no slb, Ramires deveria jogar. Que era justa, mas que Dunga era um teimoso e andava num braço de ferro com a imprensa brasileira.
É de bradar aos céus.
Percebem agora de quem Queiroz é refém? Desde que chegou lá abaixo o aveirense das barbas loiras, que o recado pneumático foi devidamente dado...

Rui disse...

Acho que é mesmo a analise correcta, podemos não concordar com um ou outro jogador, mas a maioria das opções de todos seriam basicamente idênticas às que o Queirós tomou.

Temos um gritante falta de jogadores de qualidade, e com as lesões do Varela, Rúben Micael, Pepe, Bosingua e Nani, só mesmo por milagre passamos dos oitavos de final isto se chegar-mos lá.

José Correia disse...

Alexandre Burmester disse...
«Claro que há milagres, Zé Correia!;-) Então não chegámos às meias-finais em 2006?»

Em 2006, já tínhamos Cristiano Ronaldo e ainda tínhamos Figo, Pauleta, e a tal base do FC Porto - Paulo Ferreira, Ricardo Carvalho, Nuno Valente, Costinha, Maniche e Deco.

Ah, e como é óbvio, o Paulo Ferreira, o Ricardo Carvalho e, principalmente, o Deco de há 4 anos atrás não tinham nada a ver com os trintões que estão agora na África do Sul.

José Correia disse...

Steve Bracotelli disse...
«Para mim há muito que Queiroz deu uma de senhora do Jet Set falida»

Podemos discutir alguns dos 23 jogadores convocados para a África do Sul mas, relativamente ao onze base, tenho ouvido a opinião de muita gente e as escolhas são quase unânimes e coincidentes com as de Queiroz.
Pura e simplesmente, nesta altura não há melhores.

José Correia disse...

E, se olharmos para as idades de Paulo Ferreira, Ricardo Carvalho, Pedro Mendes, Deco, Simão e Liedson, os quais, seguramente, estão a disputar o seu último Mundial, percebemos que a coisa tende a piorar.

Barba azul disse...

Espremidas as coisas e depois de muita resmunguice, toda a gente acaba por concordar que não havia grande alternativa a esta selecção.

Eu também penso assim, mas com uma ressalva importante: não tendo nós o leque de escolha dum Brasil ou uma Argentina, o que dificulta o trabalho de escolha dos seleccionadores e faz ficar de fora jogadores que de caras teriam lugar noutras selecções (como a nossa), não percebo como ao longo de toda a campanha de apuramento e testes não foi dada qualquer hipótese ao Quaresma de mostrar se na selecção teria melhor rendimento do que no Inter! O homem é um "génio da bola", é português, é novo (ao contrário de todos aqueles aqui referidos como estando no ocaso). Tem mau feitio, é irregular, não tem jogado, seria uma incógnita? E então? Se não joga muito, pelo menos treina. E o que temos a perder? Que risco é que nos faria correr? Talvez o risco de irmos mais longe do que merece a mediania medíocre da nossa equipa. Alguém acha que vamos longe? Ao menos apostávamos, metíamos um joker, davamos-lhe uma wild card (não percebo nada de cartas e ténis, espero não estar a dizer nenhuma asneira : ), mas percebem o que quero dizer).
O Quaresma é cigano, está calhado para escaramuças, justas, aventura, não para a regularidade e estabilidade duma equipa e dum campeonato. Sabemos lá que jogadas geniais não nos poderia dar?
Se o Pepe mereceu o risco de ser seleccionado, depois de tal lesão e afastamento do relvado, sendo uma incógnita o que poderá dar, o Quaresma não mereceria também ser uma aposta?

Não me conformo: não tenho esperança nenhuma, nunca tive, de ir longe com os jogadores que temos: ao menos gostaria de ver algum espectáculo, sabe-se lá, talvez ter oportunidade de vir a sentir aquela sensação de orgulho nacional inchado com a admiração do mundo pelas proezas de um dos nossos, que tanta falta faz de vez em quando à nossa bisonhice.

RS disse...

Alexandre Burmester disse...
«Claro que há milagres, Zé Correia!;-) Então não chegámos às meias-finais em 2006?»

Concordo plenamente. A começar pelo grupo da 1ªfase com os colossos Angola, Irão e México. Depois nos oitavos-de-final foi a batalha campal de Nuremberga. Valeu-nos o golo fortuito do Maniche. Nos quartos-de-final, lá conseguimos levar uma Inglaterra em inferioridade numérica para os penaltys. E depois chegou a França e acabaram-se os milagres.

Vitor Hugo disse...

Finalmente vejo um blog com uma fila de comentários sensatos: temos uma selecção potencialmente fraquinha, e o CQ não tem culpa nenhuma.

Mas o problema do futebol em Portugal, que é também um problema *de Portugal*, não é tanto o talento. É mais a falta de determinação. Ando sempre a dizer o mesmo: a Alemanha, por mais fracos que sejam os seus jogadores, luta sempre até ao último minuto, com disciplina férrea e determinacão à prova de bala. Nunca hei-de esquecer as tristes figuras de jogadores portugueses a chorar a 10 ou 15 minutos do fim dos jogos... Coreia, Grécia... Qualquer equipa alemã lutaria até ao fim, sem desistir.

Só que, enfim, nós somos sempre os melhores do mundo em tudo.

Jorge Mota disse...

«Pedro: concordo que precisavamos de mais um médio ofensivo, mas quem? Só se for o Moutinho, porque de resto jogadores portugueses nessa posição não estou a ver quem..»

Nuno Assis

---------------------
Qto ao melhor jogador em campo:

Rabinho Coentrao,sem duvida.